Administra\u00e7\u00e3o Trump oferecer\u00e1 at\u00e9 350 mil milh\u00f5es de d\u00f3lares para pagar sal\u00e1rios \u00e0s empresas com menos de 500 pessoas

01/04/2020 23:58:00
Administra\u00e7\u00e3o Trump oferecer\u00e1 at\u00e9 350 mil milh\u00f5es de d\u00f3lares para pagar sal\u00e1rios \u00e0s empresas com menos de 500 pessoas

Administração Trump oferecerá até 350 mil milhões de dólares para pagar salários às empresas com menos de 500 pessoas

01 Abril 2020, 21:55Segundo o FT, o valor total do empréstimo será perdoado se for usado para a folha de pagamento dos salários, para pagar juros dos créditos hipotecários, para o pagamento de rendas de imóveis, ou para o pagamento de serviços de água, luz e gás (utilities) nos dois meses seguintes ao recebimento do dinheiro. Mas as empresas não verão os créditos perdoados se houver despedimentos ou se os salários forem cortados. O Estado norte-americano também pagará aos bancos as comissões do crédito.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Aí está,,, por aqui pragueja_se aos holandeses

Coronavírus: Obama critica Trump por ignorar avisos sobre pandemiaRecordou ainda que o atual presidente teve o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas

Obama critica Trump por ignorar avisos sobre pandemiaOs Estados Unidos tinham esta terça-feira o maior número de casos registados oficialmente, com mais de 174.000 infetados.

'Devemos exigir mais dos nossos líderes': Obama critica Trump por ignorar avisos sobre pandemia

'Devemos exigir mais dos nossos líderes': Obama critica Trump por ignorar avisos sobre pandemia'Todos nós, de uma maneira terrível, assistimos às consequências causadas por quem ignorou os avisos sobre uma pandemia', escreveu o ex-Presidente no Twitter Obama..... uma grande esperança que no final de oito anos pouca obra deixou. E sobre o aquecimento global.

Obama critica Trump por desvalorizar avisos de pandemia mortalAntigo presidente dos Estados Unidos critica sucessor por desvalorizar os perigos do novo coronavírus

Trump avisa que próximas duas semanas serão ″muito dolorosas″ nos EUAO Presidente dos EUA, Donald Trump, alertou hoje que as próximas duas semanas serão 'muito dolorosas' para a população, uma vez que o número de pessoas contagiadas pela doença provocada pelo SARS-CoV-2 continua a aumentar.

Trump avisa que vêm aí semanas difíceis e que “milhares poderão morrer”Os EUA estão já a receber apoio externo.

Maria Teixeira Alves 01 Abril 2020, 21:55 Segundo o FT, o valor total do empréstimo será perdoado se for usado para a folha de pagamento dos salários, para pagar juros dos créditos hipotecários, para o pagamento de rendas de imóveis, ou para o pagamento de serviços de água, luz e gás (utilities) nos dois meses seguintes ao recebimento do dinheiro.• Foto: Reuters .Amor e família em tempos de Covid-19 e isolamento O ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, considerou esta terça-feira que o seu sucessor, Donald Trump, ignorou os avisos sobre os riscos de uma pandemia do novo coronavírus, e recordou o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas, noticiou a AFP.Link: Hannes Magerstaedt "Todos nós, de uma maneira terrível, assistimos às consequências causadas por quem ignorou os avisos sobre uma pandemia", escreveu o ex-Presidente no Twitter Lusa O ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, considerou esta terça-feira que o seu sucessor, Donald Trump, ignorou os avisos sobre os riscos de uma pandemia do novo coronavírus, e recordou o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas, noticiou a AFP.

Mas as empresas não verão os créditos perdoados se houver despedimentos ou se os salários forem cortados. O Estado norte-americano também pagará aos bancos as comissões do crédito.. Sob o pacote de alívio de 2 biliões de dólares assinado por Donald Trump na sexta-feira, a Small Business Administration irá oferecer os empréstimos através de bancos e cooperativas de crédito a empresas sem dinheiro que empregam menos de 500 pessoas, avança o Financial Times .415 mortes) do que na China (3. Os empréstimos de 350 mil milhões de dólares que estão a ser oferecidos às pequenas empresas americanas, como parte da resposta federal à pandemia de coronavírus, vão no entanto dar lugar ao pagamento de comissões aos bancos. "Todos nós, de uma maneira terrível, assistimos às consequências causadas por quem ignorou os avisos sobre uma pandemia", escreveu o ex-Presidente na rede social Twitter. Os bancos receberão comissões de processamento do empréstimo, pagas pelo governo federal. Os Estados Unidos tinham esta terça-feira o maior número de casos registados oficialmente, com mais de 174.

Essas comissões serão taxas que variam de acordo com a dimensão do empréstimo: 5% para empréstimos abaixo de 350.415 mortes) do que na China (3.000 infetados.000 dólares, 3% para empréstimos abaixo de 2 milhões de dólares e 1% para empréstimos acima desse montante. Os empréstimos não incorrerão em encargos de capital. Os Estados Unidos tinham hoje o maior número de casos registados oficialmente, com mais de 174. Segundo o FT, o valor total do empréstimo será perdoado se for usado para a folha de pagamento dos salários, para pagar juros dos créditos hipotecários, para o pagamento de rendas de imóveis, ou para o pagamento de serviços de água, luz e gás (utilities) nos dois meses seguintes ao recebimento do dinheiro. Barack Obama reagiu também no Twitter a um artigo que anunciava que a administração Trump iria revogar as regras mais exigentes sobre emissões de gases de efeito estufa de veículos automóveis que Obama promulgou em 2012, quando estava na Casa Branca. Mas as empresas não verão os créditos perdoados se houver despedimentos ou se os salários forem cortados. "Não nos podemos dar ao luxo de sofrer outras consequências provocadas por quem nega as mudanças climáticas. As novas regras ditadas por Trump exigirão que os fabricantes de automóveis reduzam o consumo médio de combustível em 1,5% ao ano até 2026, em vez de 5% ao ano, conforme determinavam as regras de Obama, informou a Agência de Proteção Ambiental norte-americana (EPA), em comunicado de imprensa.

Qualquer quantia que não for perdoada acumulará juros a uma taxa de 0,5% e o empréstimo vencerá em dois anos, informou a SBA na terça-feira, ao compartilhar detalhes de seu programa de “cheques-proteção”. É essencialmente um programa de doações que, se o mutuário não usar o dinheiro para pagar aos seus funcionários, se transforma em um empréstimo com juros muito baixos. Barack Obama reagiu também no Twitter a um artigo que anunciava que a administração Trump iria revogar as regras mais exigentes sobre emissões de gases de efeito estufa de veículos automóveis que Obama promulgou em 2012, quando estava na Casa Branca. Também o responsável da EPA, Andrew Wheeler, defendeu que as novas normas ajudam a sustentar a economia e a segurança das famílias norte-americanas. As empresas terão direito pedir crédito equivalente a 2,5 vezes a sua folha de pagamento mensal média, com um limite de 10 milhões de dólares. “Velocidade é a palavra operativa”, disse Jovita Carranza, administrador da SBA. Em contraponto, a secretária dos Transportes, Elaine Chao congratulou-se com a decisão de Trupm, alegando que o Presidente cumpriu uma promessa feita aos fabricantes de automóveis de que fortaleceria o setor, atualizando os padrões de economia de combustível e de emissões de gases que considerava ser cada vez mais impossível de concretizar. “As solicitações para o capital de emergência podem começar ainda nesta semana, com os credores a usar os seus próprios sistemas e processos para fazer esses empréstimos”.

Segundo a SBA, existem 30 milhões de empresas com menos de 500 funcionários nos EUA, empregando 60 milhões de pessoas, quase metade da força de trabalho privada. Por Lusa. A Federação Nacional de Empresas Independentes, um grupo de defesa, diz que cerca de três quartos de seus membros foram afetados pela crise. Desde que o presidente assinou um pacote de resgate, a SBA está sob pressão para divulgar detalhes do programa. Ler mais + Lidas + Partilhadas .