A atratividade da Ordem dos Economistas

A atratividade da Ordem dos Economistas

24/09/2021 04:54:00

A atratividade da Ordem dos Economistas

O número de associados e a sua participação em atos eleitorais são apenas dois dos indicadores que parecem revelar que algo não está bem na OE. Algo tem de mudar.

Em dezembro vão realizar-se as eleições para os novos órgãos de gestão da Ordem dos Economistas. A pertença à Ordem dos Economistas é um ato voluntário e, por isso mesmo, a adesão individual dependerá da atratividade que a mesma conseguir exercer junto dos licenciados em economia, mas também em gestão, em marketing, em finanças, etc. A capacidade de mobilizar esta diversidade formativa e de contribuir para a valorização da profissão, deve constituir uma prioridade para quem se propõe dirigir a Ordem.

As redes sociais continuam a banir fotos de obras de arte “explícitas”. Por isso, os museus de Viena fizeram um OnlyFans Mutação da variante delta do novo coronavírus identificada em Portugal Depois de ser banido do Twitter, Facebook e YouTube, Trump diz que vai lançar uma rede social própria

É fundamental que a sociedade reconheça a importância do economista, como profissional, que pelo rigor técnico adquirido nos seus estudos superiores, a par das competências proporcionadas pelo exercício da sua atividade profissional, pode contribuir em matérias de natureza micro e macroeconómica, para o bem-estar comum.

Os últimos anos têm sido de declínio no número de membros da Ordem. A confirmar isto estão as estatísticas. Desde 2010 que o número de membros tem vindo a decrescer paulatinamente, a uma taxa média anual de 1,6%. Em termos práticos, significa que, de aproximadamente 12550 membros inscritos em 2010 se passou para cerca de 10227, em junho de 2021. headtopics.com

Acresce a isto, que o colégio eleitoral é constituído por pouco mais de 7800 membros, presumindo-se que sejam membros efetivos cujas quotas se encontram em dia, e que a participação eleitoral tem sido diminuta. Que é dos outros cerca de 2500 membros?

Desenham-se no horizonte duas listas candidatas. Uma de continuidade e outra com propósitos diferenciadores, diria de rutura, plural, nascida da identificação de uma convergência de posições, no seio das direções das delegações regionais do Continente, sobre o papel da ordem na sociedade e sobre o valor que deve ter para os economistas a pertença a esta Ordem profissional.

Eu apoio e integro a lista de candidatura para a direção, da segunda das listas, protagonizada pela candidatura a Bastonário do Prof. António Mendonça, que pugna por razões que me são caras, nomeadamente, o reconhecimento dos economistas como tecnicamente capacitados para o exercício da sua profissão, a preocupação com as questões de igualdade de género, a descentralização das atividades pelas diversas regiões do país, numa lógica de proximidade, a dinamização dos vários colégios de especialidade, com ênfase na criação de oportunidades profissionais para os membros da ordem, entre outros aspetos.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Sugestões para a Ordem dos EconomistasA Ordem dos Economistas deve passar a ter um papel muito mais activo, a identificar os principais problemas económicos do país e a ajudar na construção de soluções.

Ordem dos Advogados. 'Estão a vedar o acesso à profissão'

Sugestões para a Ordem dos EconomistasA Ordem dos Economistas deve passar a ter um papel muito mais activo, a identificar os principais problemas económicos do país e a ajudar na construção de soluções.

Esmigalhar a juventude da pandemiaSó se poderão inscrever no estágio os licenciados em Direito com o grau de mestre ou de doutor ou com po´s-graduac¸o~es reconhecidas pela Ordem dos Advogados.

Mário Mourão candidata-se à liderança da UGTPresidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Financeiro já tinha anunciado candidatura à presidência da tendência.

Fiscalidade no OE2022 em análise“O impacto final [das alterações ao IRS] dependerá da forma como a revisão dos escalões e das taxas marginais de imposto seja efetuada”, diz Anabela Silva