Sputnik: Anvisa pede reunião com farmacêutica União Química

Anvisa se reúne com farmacêutica que pediu uso emergencial da vacina russa no Brasil

21/01/2021 22:41:00

Anvisa se reúne com farmacêutica que pediu uso emergencial da vacina russa no Brasil

Imunizante teve pedido de uso emergencial e de testes com voluntários negados no Brasil

Mariana RosárioAtualizado em 21 jan 2021, 16h45 - Publicado em 21 jan 2021, 16h38Funcionário mostra frasco da vacina Sputnik V em Vladivostok, Rússia. Imunizante entrará em operação na Argentina na terça-feira, 29. 14/12/2020 Pavel Korolyov/AFP

Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil Bolsonaro desiste de fazer pronunciamento hoje em rede nacional de rádio e TV - Política - Estadão Homens, mulheres: o pouco que sabemos sobre o amor

PublicidadePublicidadeA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está em reunião neste momento com a farmacêutica União Química. A agência informou, por meio de nota, que quer saber como está o andamento dos trabalhos com a vacina contra Covid-19

Sputnik V.O encontro foi agendado ainda na segunda-feira, 18, pela Anvisa. Na quarta-feira, 20, o Supremo Tribunal Federal (STF) pediu que a entidade dê maiores informações sobre o pedido de uso emergencial do antígeno realizado na semana passada. headtopics.com

STFNa quarta, o ministro Ricardo Lewandowski deu prazo de 72 horas para a Anvisa prestar os esclarecimentos e confirmar se, de fato, recebeu pedido de uso emergencial da vacina. As informações serão usadas no âmbito de uma solicitação do governo da Bahia que quer autorização para importar e distribuir vacinas mesmo antes da aprovação da Anvisa, desde que os imunizantes já tenham aval de autoridade sanitária estrangeira ou da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

“Considerada a afirmação do autor, feita na petição inicial, de que já foi requerida a autorização temporária para uso emergencial da vacina Sputnik V, informe, preliminarmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, no prazo de até 72 horas, se confirma tal afirmação e, em caso positivo, esclareça qual o estágio em que se encontra a aprovação do referido imunizante, bem assim eventuais pendências a serem cumpridas pelo interessado”, escreveu Lewandowski no despacho.

Anteriormente, a Anvisa informou que a solicitação foi devolvida porque a farmacêutica não atende os requisitos mínimos para pleitear o uso emergencial. Consulte Mais informação: VEJA »

Um ano de Covid-19 em São Paulo | São Paulo | G1

Estou pronto pra levar uma sputnikada no bumbum Está Anvisa, tem que se adaptar às regras das farmacêuticas internacionais, pois está vacina está aprovada na Rússia e na Argentina. E necessitamos de mais Vacinas em urgência no Brasil. SPUTNIK V Sorte pra esta tbm e pro povo brasileiro