Se você nunca encontrou seus colegas de trabalho pessoalmente, vocês trabalharam mesmo juntos? - Link - Estadão

Durante a pandemia, muitas pessoas começaram novos empregos e na sequência deixaram seus postos sem ter conhecido os colegas pessoalmente

25/09/2021 15:00:00

EstadaoLink Se você nunca encontrou seus colegas de trabalho pessoalmente, vocês trabalharam mesmo juntos? Durante a pandemia, muitas pessoas começaram novos empregos e na sequência deixaram os postos sem ter conhecido os colegas pessoalmente

Durante a pandemia, muitas pessoas começaram novos empregos e na sequência deixaram seus postos sem ter conhecido os colegas pessoalmente

, criou uma nova peculiaridade no mercado de trabalho: um número crescente de pessoas começaram novos empregos e na sequência deixaram seus postos sem ter conhecido os colegas pessoalmente. Para muitas delas, que são em sua maioria funcionários em escritórios, as interações pessoais foram limitadas a chamadas de vídeo durante todo o período em que trabalharam em um determinado lugar.

Bolsonaro acusado de crimes contra humanidade é destaque na imprensa estrangeira - BBC News Brasil Guedes afirma que governo usará R$ 30 bi fora do teto para Auxílio Brasil 'A gente não sabe o amanhã': incerteza sobre futuro do Bolsa Família angustia beneficiários - BBC News Brasil

Kathryn Gregorio começou a trabalhar em uma organização sem fins lucrativos em Virginia (EUA), em abril do ano passado, pouco depois de a pandemia forçar muita gente a aderir ao home office. Um ano e um zilhão de reuniões por

Zoomdepois, ela ainda não havia encontrado pessoalmente nenhum de seus colegas, apenas seu chefe – o que facilitou o pedido de demissão quando uma proposta de um novo emprego surgiu.Chloe Newsom, executiva de marketing na Califórnia, passou por três empregos diferentes até agora durante a pandemia e teve dificuldades para criar conexões pessoais com colegas de trabalho, nenhum dos quais ela conheceu pessoalmente. No mês passado, ela começou a trabalhar em uma headtopics.com

startupcom ex-colegas com quem já tinha se relacionado presencialmente.E Eric Sun, que começou no emprego em uma empresa de consultoria em agosto do ano passado, quando estava morando em Ohio, não encontrou nenhum de seus colegas na vida real antes de mudar, menos de um ano depois, para uma companhar maior. “Nunca apertei as mãos deles”, disse ele.

Nunca precisar estar na mesma sala de reuniões ou escritório que um colega de trabalho talvez pareça um sonho para alguns. Mas o fenômeno de"job hopers" (termo usado para se referir a pessoas que mudam de emprego com bastante frequência) que não encontraram seus colegas pessoalmente ilustra como conexões emocionais e pessoais relacionadas ao trabalho talvez estejam se perdendo. Isso tem contribuído para um comportamento em que entrar ou sair de uma empresa é algo simples e gerado incerteza entre empregadores quanto a retenção de funcionários que eles mal conhecem.

FugaAtualmente, mais trabalhadores já deixaram seus empregos durante alguns meses de pandemia do que em qualquer outro momento desde o início do monitoramento em dezembro de 2000, de acordo com a Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos. Em abril, um recorde de 3,9 milhões de pessoas, ou 2,8% das pessoas trabalhando, disseram a seus empregadores que estavam jogando a toalha. Em junho, 3,8 milhões de pessoas pediram demissão. Muitas delas eram operários que estavam trabalhando em sua maioria presencialmente, mas economistas disseram que os funcionários de escritório trabalhando de casa também estavam provavelmente se sentindo mais livres para dar adeus a empregos que não gostavam.

“Se você está em um ambiente de trabalho ou emprego onde não há ênfase em criar conexões, é mais fácil mudar de emprego, emocionalmente”, disse Bob Sutton, psicólogo organizacional e professor da Universidade Stanford. headtopics.com

O que são genocídio e crime contra a humanidade - por que acusação a Bolsonaro é tão polêmica? - BBC News Brasil STF decide que pobre não tem de pagar advogado se perder ação trabalhista Lula defende auxílio de R$ 600 e minimiza estratégia de Bolsonaro: 'Vamos ganhar as eleições'

Embora esse fenômeno do trabalho remoto não seja exatamente novo, o que é diferente atualmente é a dimensão da tendência. As mudanças no mercado de trabalho, de modo geral, acontecem lentamente, mas o trabalho em escritórios evoluiu extremamente rápido na pandemia, a ponto de trabalhar com colegas que nunca conhecemos ter se tornado quase uma rotina, disse Heidi Shierholz, economista sênior do Economic Policy Institute, um think tank americano sem fins lucrativos.

“O que isso reflete principalmente é por quanto tempo essa situação tem sido arrastada”, disse ela. “De repente, enormes grupos de funcionários de escritório mudaram completamente a forma como realizavam seu trabalho.”Segundo os especialistas em ambientes de trabalho, a tendência de pessoas que ficam sem interagir fisicamente com colegas durante todo o período em que estão em um emprego é tão nova que não existe nem mesmo um nome para isso ainda.

Muitos desses trabalhadores que nunca tiveram a chance de se encontrar pessoalmente com os colegas antes de deixarem seus empregos disseram que se sentiram isolados e questionaram o propósito de seus trabalhos.Kathryn, 53 anos, que trabalhava para a organização sem fins lucrativos na Virginia, disse que muitas vezes teve dificuldade para avaliar o tom dos e-mails de pessoas que nunca conheceu e constantemente ficava em dúvida se os problemas eram grandes o suficiente para justificar reuniões via Zoom. Ela disse que não sentiria falta da maioria de seus colegas porque não sabia nada a respeito deles.

“Sei apenas os nomes deles,” disse ela.Para ajudar a evitar que mais pessoas deixem seus empregos porque não criaram laços presencialmente, alguns empregadores estão reconfigurando suas culturas organizacionais e criando novos cargos como “chefe de trabalho remoto” para manter os funcionários trabalhando bem em equipe e se sentindo motivados. Em novembro, o Facebook contratou um diretor de trabalho remoto, que é responsável por auxiliar a empresa a se ajustar a um ambiente de trabalho predominantemente remoto. headtopics.com

Outras empresas que mudaram rapidamente para o trabalho remoto não se adaptaram a promover o espírito de comunidade por meio de videochamadas, disse Jen Rhymer, pós-doutoranda em Stanford que estuda ambientes de trabalho.“Elas não podem simplesmente dizer: ‘Ah, socializem, façam um happy hour virtual’”, disse Jen. “Isso por si só não vai criar uma cultura de construção de amizades”.

Ela disse que as empresas podiam ajudar os trabalhadores isolados a se sentirem motivados tomando a iniciativa da socialização e não deixando isso nas mãos dos empregados. Isso inclui agendar atividades para pequenos grupos, dar lugar a pequenos encontros presenciais e reservar tempo para conversas do dia a dia, afirmou.

Brasil atinge 51% da população totalmente vacinada contra a Covid-19 Pacheco é ‘lançado’ à Presidência em jantar festivo na casa de Ibaneis Rocha - Política - Estadão Bolsonaro sanciona lei que proíbe eliminação de cães e gatos por órgãos públicos, diz Planalto

Os empregadores que nunca se encontram pessoalmente com seus funcionários também estão contribuindo para que eles pulem de um emprego para outro com maior frequência, pois estão mais dispostos a dispensá-los. Sean Pressler, que no ano passado começou a trabalhar no site de comércio eletrônico Potsandpans.com, em São Francisco, fazendo vídeos de marketing, disse que foi demitido em novembro sem aviso prévio.

Pressler, 35 anos, disse que não se encontrar presencialmente e não conhecer seus chefes e colegas o tornou dispensável. Se tivesse construído conexões pessoais, ele disse que teria sido capaz de conseguir feedback sobre seus vídeos panorâmicos e debatido ideias com colegas. E talvez até mesmo ter percebido que os cortes no orçamento estavam a caminho bem antes de ser demitido.

Em vez disso, ele se sentiu"como se fosse só um nome em uma planilha". Apenas alguém que podia ser eliminado ao pressionar a tecla delete.E seus colegas de trabalho? “Nem mesmo sei se eles faziam ideia de quem eu era”, afirmou. / Consulte Mais informação: Estadão »

Dezoito anos depois, 69% acham a saída do Bolsa Família - Política - Estadão

Entre as famílias pioneiras, maioria deixou de receber subsídio; ex-beneficiárias geram empregos

Link Estamos no mundo digital, prefiro assim!! Link É uma benção não enconrar. Dó que jeito que as coisas estão, e o divisionismo imposto pela imprensa, fico imaginando os confitos nos escritórios por conta de raça. gênero, orgão sexual , gordura e por ai vaí..... Link Sim ...o que pressupõe o junto ! É a atividade que eles desenvolveram juntos. A distância é mero detalhe.

Link Isso vai criar pessoas individualistas e egoístas, mais do que existe hoje

Enviado especial dos EUA ao Haiti se demite após deportações: 'desumano e contraproducente' - Internacional - EstadãoEm carta endereçada ao Secretário de Estado Antony Blinken, Daniel Foote afirmou que teve as recomendações ignoradas e rejeitadas pelo governo Biden e que a abordagem do país no Haiti continua 'profundamente falha' Inter Agora vão ter q aguentar o Joe Biden. Inter Inter Boa tarde sera q algum de vocês pode me ajudar por favor estou grávida e tenho uma bebê estamos passando muitas necessidades sera q vcs nao podia nos ajudar com 1,00 ou 2,00 pra juntar e comprar um arroz e feijao😢😓 Pix: +5586999047879

Técnico de rival do PSG detona postura de Mbappé: 'Seria amado se fosse humilde' - Esportes - EstadãoAstro da seleção francesa quase marcou um gol por cobertura em lance de Fair Play e revoltou o goleiro Oukidja ao provocá-lo após o gol decisivo do time de Paris, que venceu o Metz por 2 a 1

Prêmio reconhece os 100 melhores RHs do Brasil; 8 se destacam por inovação - Economia - EstadãoCriada pela startup Gupy, premiação avaliou práticas inovadoras em gestão de pessoas e listou as 100 melhores iniciativas; destaques focam na pessoa e em diversidade e inclusão

CPI precisa parar de insultos e se concentrar no relatório final. De pizza, basta a de NY - Política - EstadãoECantanhede: 'CPI precisa parar de insultos e se concentrar no relatório final. De pizza, basta a de Nova York' ECantanhede Kkkkkkkkkkk. Isso não é jornal. Kkkkkk é partido político kkkkkk ECantanhede CPI CIRCENSE... Faltam 378 dias p/as eleições presidenciais. Faltam 377 p/o fim da CPI da COVID, que virou circo. A imprensa equilibrada e honesta, percebeu que a povo não leva a sério aquele teatro. Mas a imprensa militante, que sabota o país, faz cobertura diária! ECantanhede A mamata acabou🤣

Cristiano Ronaldo se torna o jogador mais bem pago do mundo, diz Forbes; veja lista - Esportes - EstadãoRetornando ao Manchester United após 12 anos, atacante português de 36 anos deve acumular R$ 659 milhões nesta temporada. Neymar é o terceiro

Cubos de Fortnite estão se movendo e reproduzindoSim, você não leu errado, novos cubos estão surgindo na ilha do battle royale! tecmundo