Sargento de trisal atira em homem em bar no AC e diz que foi pra defender a mulher: 'passou a mão nela' | Acre | G1

O sargento ficou conhecido nas redes sociais após assumir um trisal com a mulher, também sargento da PM, Alda Nery, e a administradora Darlene Oliveira #g1

29/11/2021 03:00:00

O sargento ficou conhecido nas redes sociais após assumir um trisal com a mulher, também sargento da PM, Alda Nery, e a administradora Darlene Oliveira g1

Trisal assumiu relação há um ano e mostra dia a dia nas redes sociais. Erisson Nery ainda não foi ouvido pela polícia, mas disse ao g1 que defendeu Alda após importunação sexual.

Um vídeo que viralizou nas redes sociais na manhã deste domingo (28) mostra o sargento da Polícia Militar do Acre Erisson Nery armado após atirar contra um jovem durante uma confusão em um bar da cidade de Epitaciolândia, no interior do estado. Horas antes da confusão, o sargento postou que estava no local assistindo à final da Libertadores ao lado das duas mulheres.

Françoise Forton morre aos 64 anos no Rio

O sargento ficou conhecido nas redes sociais após assumir um trisal com a mulher, também sargento da PM, Alda Nery, e a administradora Darlene Oliveira (relembre o caso aqui). Os três moram na cidade de Brasileia e há alguns meses a sargento começou a fazer tratamento psicológico, após surgir boatos de separação.

Nas imagens, que viralizaram, o sargento aparece segurando uma arma, visivelmente embriagado e sendo contido por Darlene. Certo momento, ele se aproxima da vítima, já no chão e bate nela. Novamente Darlene afasta o policial.Segundo informações da polícia, a guarnição foi acionada para atender a ocorrência no bar e quando chegou ao local o homem já estava no chão e o sargento não estava mais no local. Testemunhas chegaram a dizer para a polícia que a confusão começou porque o homem que aparece no chão agrediu Alda e, por isso, Nery sacou a arma e atirou contra ele. headtopics.com

Vídeo mostra momento em que Darlene toma a arma do sargento após ela atirar no homem — Foto: ReproduçãoMesmo ainda não tendo sido ouvido pela polícia, o sargento falou ao g1 que reagiu à uma importunação sexual feita pelo homem contra sua mulher.

Garrafa jogada no mar por menino dos EUA viaja meio mundo e é encontrada três anos depois na Irlanda do Norte

“O cara molestou minha esposa e ela foi tomar satisfação imediatamente. Mas, ele deu um murro na cara da Alda que ela caiu apagada e com a boca cortada. Aí quando eu vi ela daquele jeito, fui atrás do cara. Lá fora entramos em luta corporal e eu atirei nele. Foram dois disparos, todos pegaram nele. Ele está estável e foi transferido para Rio Branco”, alega.

Nery disse ainda que Alda foi até a delegacia fazer queixa da importunação sexual e agressão. “Ele passou a mão nela. O bar tava lotado, mas ela conseguiu identificar e foi tomar satisfação. Não teve nada de dança, dela estar dançando, de estar conversando, não existe nada disso. Ela passou a mão nela e ela foi tomar satisfação e ele deu um soco nela", conta.

A delegada da cidade, Carla Ívane, informou que um inquérito foi instaurado e que os procedimentos estão sendo tomados.“Tem vídeos e áudios circulando, estamos aguardando o resultado do exame do corpo de delito e foi instaurado um inquérito policial. O sargento Nery não se apresentou e nem foi localizado pela PM. Houve um boletim informativo e seguimos com os prosseguimentos de ouvir testemunhas e abrimos o inquérito para apurar o que de fato aconteceu”, informou. headtopics.com

Jovem morre após ser atingido por avião agrícola pilotado pelo pai no interior de SP

A vítima foi identificada como Flavio Endres de Jesus Ferreira, de 30 anos. Ele foi transferido para o pronto-socorro de Rio Branco. As balas atingiram o tórax e abdômen dele. Segundo o hospital, o quadro do paciente é estável e ele deve ser levado para a enfermaria.

O Comando da PM informou, por meio de nota, que está apurando disciplinarmente os fatos e tomará as medidas necessárias, mas destacou que a apuração criminal caberá à Polícia Civil. A nota diz ainda que o sargento ainda não se apresentou.

“No entanto, a PM continua em diligências com o fim de localizá-lo. A instituição reafirma que não compactua com ações que firam as normas legais ou que contrariam os valores castrenses seguidos pela corporação ao longo de sua história. Atitudes tomadas por quaisquer membros da corporação no âmbito de suas vidas privadas não refletem no posicionamento institucional e devem ser apuradas à luz do que determina a legislação”, destaca.

Sargento conta que Alda foi agredida pelo homem e, por isso, ele atirou contra ele — Foto: Arquivo pessoalLEIA TAMBÉM:TrisalAlda e Erisson Nery são sargentos da PM e já eram casados quando conheceram a administradora Darlene. Os três se relacionam há mais de um ano, mas só recentemente assumiram o trisal nas redes sociais e até criaram um perfil para divulgar a vida a três. headtopics.com

Mas a repercussão, além de trazer mensagens de apoio e até relatos de pessoas que levam o mesmo estilo de vida, acabou com a demissão de Darlene, segundo a sargento Alda, em junho deste ano. Ela diz que a companheira foi demitida com a justificativa de que a exposição dela afetaria a imagem da empresa.

Outra situação envolvendo os três ocorreu em agosto deste ano, quando os sargentos foram denunciados no Conselho Tutelar da cidade de Brasileia por suposta negligência na criação dos dois filhos, de 13 e 17 anos. Na época, Alda se manifestou também nas redes sociais e afirmou que os filhos são nerds.

"Denunciaram que meus filhos são negligenciados, que eles ficam em casa, não saem de jeito nenhum e que eles têm comportamento depressivo. Meus filhos são nerds gostam de ler livros e a pessoa fazer uma denúncia dessas sobre duas crianças que são inteligentíssimas, que gostam de ler livros, de assistir coisas informativas. Eles não gostam de ficar andando de skate, fumando maconha nem soltando pepeta", desabafou.

Alda Nery, Erisson Melo e Darlene Oliveira, estão há quase um ano em um relacionamento e comemoram — Foto: Daniel Cruz/Arquivo pessoalHistória juntosAlda e Erisson Nery são sargentos da Polícia Militar e já eram casados quando conheceram a administradora Darlene Oliveira. "A princípio, temos mais apoio. Claro que existe o preconceito, o ódio. Mas a gente abstrai", disse Erisson.

Juntos, os três assumiram a relação há um ano. Mais, eles acabaram criando um perfil em uma rede social para divulgar como é a vida que escolheram."Inclusive, a gente não apaga da página os comentários contrários, pejorativos, maldições e condenações ao inferno. Alguns respondemos, outros não. Aumentou muito a questão dos seguidores e audiência da página. Estamos com mais de 15 milhões de impressões, apesar de ter só 33 mil seguidores", completou ele.

A história do trisal começou em 2000, com o casamento dos militares Alda e Erisson. Eles são pais de dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos. Darlene se juntou a eles mais recentemente, em 2020. Segundo o trisal, a administradora é um elo importante da relação, que é mantida na base do respeito, do amor e da lealdade.

O trisal decidiu morar juntos há cerca de seis meses. A iniciativa, contam, serviu de inspiração para que mais pessoas compartilhassem depoimentos parecidos."Muita gente, inclusive, veio se abrir com a gente falando que vive a mesma situação, só que tem medo desse preconceito que a gente está passando, tem medo do abandono da família, do repúdio. A gente ouve diariamente muitos depoimentos, principalmente de mulheres, que são a maioria dos nossos seguidores", conta Alda.

Segundo eles, ser inspiração para outros trisais é o que os fortalecem contra o preconceito que enfrentam.Antes de criarem o perfil no Instagram, o trisal já tinham uma página no YouTube. "A gente já tinha aprendido a lidar com isso, quando criamos um canal no YouTube e tem muita gente que não gosta da polícia. Os [comentários] positivos são sempre bem-vindos, os contrários a gente abstrai. Alguns são muito pesados e a gente responde de uma forma aceitável para rede social. Aqui [no Instagram] se torna mais fácil para nós, porque quando um fica pilhado, os outros dois vão lá e apoiam", afirmou o sargento Erisson.

G1 em 1 minuto

Consulte Mais informação: G1 »

Especialistas afirmam que volta às aulas presenciais é importante e segura para alunos e professores

A imunização infantil contra Covid deve começar na semana que vem. Brasil tem 20 milhões de crianças entre 5 e 11 anos; a maioria deve começar as aulas em fevereiro.

Caralho. Notícia mal escrita pra cacete. Cidadão de Bem strikes again.

Mulher é detida depois de xingar Bolsonaro em ResendePresidente da República acenava para motoristas em estrada quando mulher passou de carro ficou injuriada coitada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mais uma do tirano Bolsonaro: prender uma brasileira por falar algumas verdades em seus ouvidos pode; prender ele por permitir que seus seguranças agridam jornalistas em visita na Itália, não pode. Estou na expectativa do posicionamento do governo italiano. Novinha do Aristides 😂

Canais ficam com água azul fluorescente no litoral de SP e cor surpreende moradores e autoridadesMoradores notaram que os canais das avenidas Barão de Penedo e Pinheiro Machado, no bairro José Menino, estavam completamente azuis. Prefeitura diz que tinta foi jogada em bueiros da cidade. Caneta estourou Qdo sair a aposentadoria nem no lápis eu nunca mais pego Fala sério!...

'Me senti ofendida', diz profissional sobre homem que tentou 'comprar' comprovante de vacina em SCPrefeitura de Tubarão, no Sul catarinense, registrou um boletim de ocorrência sobre o caso, que ocorreu na sexta-feira. 'Haviam' é f*da! Pode ter certeza de que essa galera toda é 'cidadã de bem', eleitor do 'mito! São contra a corrupção na teoria, pois na prática.... Certeza que esse cara saiu na rua pelo impeachment da Dilma e contra a corrupção

Mulher é detida depois de xingar presidente Jair Bolsonaro em ResendeBolsonaro estava na margem da Via Dutra acenando para motoristas quando foi xingado por uma mulher que estava em um dos veículos g1 Ué cadê a liberdade de expressão que ele e o gado tanto defendem? Kdê a liberdade de expressão.😏 Ué, cadê a liberdade de expressão? É muito mimimi desse povo, se ofende com qualquer coisa kkkkkkkkkkk.

Bolsonaro diz que teve momentos 'mais difíceis' na Aman que na Presidência - Política - EstadãoBolsonaro diz que teve momentos 'mais difíceis' na Academia Militar das Agulhas Negras que na Presidência (via EstadaoPolitica) Politica Lógico, ele nunca foi presidente de verdade Politica A vida de pessoa bandida é difícil em qualquer lugar. Politica Pra uma besta fazer um no é difícil.

Ômicron: veja países onde a nova variante do coronavírus já foi detectadaNova variante, descoberta na África do Sul, já foi detectada em ao menos 10 países e territórios até o momento (veja a lista abaixo). Diversas nações já anunciaram restrições a voos da África.