Saúde contrata empresa sem experiência em vacinas do SUS para entregar doses de crianças

Saúde contrata empresa sem experiência em vacinas do SUS para entregar doses de crianças

Covid-19, Coronavírus

16/01/2022 22:37:00

Saúde contrata empresa sem experiência em vacinas do SUS para entregar doses de crianças

Governo dispensa licitação, e distribuição registra problemas pelo país; pasta e firma dizem que qualidade foi mantida

Estados como Santa Catarina, Pernambuco, Paraná e Paraíba apontaram que imunizantes chegaram em condições inadequadas de armazenamento e transporte.A empresa foi escolhida pelo Ministério da Saúde para distribuir imunizantes pediátricos aos estados. A contratação foi feita mesmo já existindo um contrato em curso, tempo hábil para uma nova licitação e interesses de empresas de logística na disputa.

As entregas teriam ocorrido entre 2015 e 2018, ainda de acordo com a empresa. A IBL afirmou ter entregue 100% da carga da primeira demanda do contrato com o governo dentro do prazo e na temperatura exigida.A especialização da IBL, levando em conta os contratos mantidos com o governo federal, é o depósito de mercadorias apreendidas pela Receita Federal em postos alfandegários.

Consulte Mais informação: UOL Notícias »

Em cartaz com a peça 'Pós-F', Maria Ribeiro fala sobre o legado de Fernanda Young

No Estúdio CBN desta quinta-feira, Tatiana Vasconcellos recebe a atriz Maria Ribeiro, que está em cartaz com a peça 'Pós-F', baseada no livro homônimo de Fernanda Young. A atriz explica que a obra, escrita em 2018, é um tratado sobre ser feminina e masculina em um momento em que 'grande parte das mulheres começaram a perder o medo de se dizerem feministas'. 'Quando eu li uma matéria sobre o 'Pós-F', eu estava incomodada com este discurso muito puro do feminismo, como se não tivéssemos, ainda, resquícios do machismo. Eu achei que a Fernanda trazer uma semente do contrário era mais feminista do que dizer que estava tudo bem', afirma. Consulte Mais informação >>

Não existe corrupção meu povo....não pouca!😁 Tem q ser muito gado para apoiar isso!! A milícia no comando Brasil, terra sem regras... O governo faz isso propositadamente, meu Deus são vacinas para crianças, deixem a irresponsabilidade de lado pelo menos por amor as crianças Kkkkk Se é pra vacinar, se a vacina tá aí, vacina logo p.... Picuinha deveria ter limite né? Caíram no ridículo!

Meu Deus! É tudo o que eles querem Isso tem um objetivo muito claro, é uma tentativa de fazer dar errado, se possível fazer as vacinas chegarem estragadas Tudo para boicotar a vacinação!! É proposital, só pode. Atraso irresponsável. Mais, quem tá ganhando c esse contrato?

'O vírus da covid-19 não é bobo', diz especialista em gestão de saúde - Saúde - EstadãoApesar de considerar que há mais preparo para enfrentar a Ômicron, médica adverte que novas variantes poderão surgir enquanto houver continentes inteiros sem cobertura vacinal Bobo é este especialista. Vírus chines

Canalhas Vergonha. Inacreditável. minsaude Imagina quanta propina tá rolando por aí Transportadora que não sabe transportar... Parece coisa do Pazuello que é especialista em logística e faz cagada justamente em logística Claro q a cagada nesse caso não é somente incompetência, aqui também é má vontade É O DESEJO ESCANCARADO DE QUE A VARIAÇÃO INFANTIL Ñ DÊ CERTO

Tudo para roubar o dinheiro público!! Resta saber se não rolou o mesmo esquema de superfaturamento já denunciado na CPI da pandemia. E quem está lucrando com isso. Vcs exageram! Por isso q não tem credibilidade. Quem são os donos dessa empresa? Sem licitação, contrato por anos, um dos mantenedores da empresa produtores de milho e soja do MT...

Estranho.

'Ministro da Saúde não é despachante de decisão de Anvisa', diz Queiroga - Saúde - EstadãoEm João Pessoa, Marcelo Queiroga reagiu a críticas sobre demora para o início da vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra a covid E sim, despachante do biroliro Diz o Ministro da Doença. Inveja da competência da Anvisa

Fazer o que? Esse governo se esforça pra tomar porrada imprensa pra depois ficar de mimimi. Governo amador incompetente... há, quase esqueci dos idiotas baba ovo Num sei não...Queiroles deve estar na bola...sabe que o fim está próximo. Vai ser varrido...sera que não quer fazer o pezinho de meia.... Estão matando nossas crianças e o STF não faz nada

Percorre o caminho do dinheiro e vcs vão descobrir a verdade...tic tac Que absurdo. Como 25% da população acha possível votar num governo inepto e incompetente? ForaBolsonaro Patifaria. E que de preferência erre o caminho e desvie as vacinas. São todos uns Bandidos! Não se trata de burrice, tudo é estrategicamente pensado. Não, eles não são os Trapalhões que no final de algumas cenas, entrava o Didi correndo carregando um extintor tentando dar um jeito. Este governo é a representação do mal, o nome disso é PROJETO DE GOVERNO.

Deve ser reverendo de igreja ou militar picareta os representantes da empresa. Este Presidente bandido gosta de colocar escória deste tipo para tratar de assuntos importantíssimos.

Bolsonaro promove autoteste de covid-19 após minimizar Ômicron e criticar vacinação infantil - Saúde - EstadãoNas últimas semanas, Bolsonaro tem travado um embate com a Anvisa sobre a imunização de crianças - o presidente chegou a informar que não vacinará sua filha Laura, de 11 anos enfiou no cu Deve de estar recebendo alguma comissão

Pqp. Oficial_STJD minsaude Vergonha E ninguém vai preso.

Vacinas para adultos aplicadas em crianças na UBS de Lucena estavam vencidas, diz secretário de SaúdeA vacinação das crianças, com doses destinada a adultos e adolescentes, aconteceu na semana passada; Ministério Público está investigando o caso. Viva o sus? VIVA ! kkkkkk Esse tipo de incompetência só serve para aqueles que estão em duvida não se vacinarem. Aí fica fácil para o vírus. Olha isso. Pqp.

Ministério da Saúde e Anvisa investigam erro em vacinação de crianças na Paraíba | CNN BrasilMinistério da Saúde, Anvisa investigam erro em vacinação de crianças na Paraíba; MPF do estado também monitora o caso Erro ? Isso foi uma ato criminoso, pensando e orquestrado. Deve- se ser punido com rigor todos os envolvidos Erro? Isso foi um ato criminoso, pensado e orquestrado. Devem ser punidos com rigor todos os envolvidos. E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra.

'Bafômetro' que detecta tumor e terapia personalizada avançam como armas contra o câncer - Saúde - EstadãoDo aparelho que detecta tumores de estômago à infusão de células de defesa modificadas em laboratório, recursos são usados no diagnóstico e no tratamento; transplante fecal é outra aposta para melhorar resposta dos pacientes 💩💩💩💩💩💩💩💩💩💩💩💩 👏👏👏👏👏 Falta agora um que detecta corrupto para quando for registrar a candidatura o Juiz Eleitoral indeferir o pedido. Perigo é o STF mandar registrar assim mesmo.

A gestão do ministro Marcelo Queiroga (Saúde) contratou uma empresa que não teve experiências de transporte de vacinas no serviço público para executar a armazenagem e a logística de imunizantes contra Covid-19 para crianças. As primeiras entregas de vacinas pediátricas da Pfizer foram marcadas por problemas em várias regiões do país durante o fim de semana, quando foi iniciada a imunização de crianças. O público é da faixa etária de 5 a 11 anos. Os contratos com a IBL (Intermodal Brasil Logística), no valor de R$ 62,2 milhões, foram assinados em dezembro com dispensa de licitação. Estados como Santa Catarina, Pernambuco, Paraná e Paraíba apontaram que imunizantes chegaram em condições inadequadas de armazenamento e transporte. Em João Pessoa, por exemplo, a empresa não estava presente neste sábado (15) no aeroporto local para receber as doses, acondicioná-las e levá-las para o local indicado pelo governo estadual. Os contratos assinados com a IBL têm duração de 12 meses, com permissão de prorrogação para até cinco anos, apesar do caráter de urgência para a dispensa de licitação. A empresa foi escolhida pelo Ministério da Saúde para distribuir imunizantes pediátricos aos estados. A contratação foi feita mesmo já existindo um contrato em curso, tempo hábil para uma nova licitação e interesses de empresas de logística na disputa. Além disso, a pasta concedeu um prazo de 60 dias para que a empresa fizesse ajustes necessários para entregar o serviço. A IBL afirmou não ter utilizado o prazo. A empresa relatou à Folha, em nota, uma única experiência em transporte de vacinas, para um laboratório privado, segundo ela."Por questões exigidas no compliance, declinamos nomear tal empresa." As entregas teriam ocorrido entre 2015 e 2018, ainda de acordo com a empresa. A IBL afirmou ter entregue 100% da carga da primeira demanda do contrato com o governo dentro do prazo e na temperatura exigida. O ministério por sua vez afirmou, também em nota, que não houve prejuízo a nenhuma vacina pediátrica entregue aos estados e ao Distrito Federal. A pasta irá apurar eventuais falhas, conforme a nota. Na pandemia, a IBL prestou um único serviço ao governo federal antes dos contratos das vacinas, conforme o Painel de Compras Covid-19 da União: coleta, separação e entrega de 100 mil máscaras para a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), a estatal que cuida dos hospitais universitários federais. O valor desse contrato foi de R$ 16 mil. A especialização da IBL, levando em conta os contratos mantidos com o governo federal, é o depósito de mercadorias apreendidas pela Receita Federal em postos alfandegários. Por serviços do tipo à Receita, a empresa já recebeu R$ 23,1 milhões da União, dos quais R$ 17,9 milhões (77,5%) foram pagos no governo Jair Bolsonaro (PL). A empresa de logística também assinou um contrato com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), em 2020, no valor de R$ 2,3 milhões, para armazenagem e transporte de"produtos, materiais didáticos e técnicos". O TCU (Tribunal de Contas da União) abriu um processo para apurar supostas irregularidades na contratação da IBL sem licitação para o transporte de vacinas. Em dezembro, o tribunal cobrou explicações do DLOG (Departamento de Logística em Saúde) do Ministério da Saúde. Secretarias estaduais de Saúde também manifestaram preocupação com o novo contrato para distribuição das vacinas pediátricas em razão da necessidade de condições especiais de armazenamento e transporte, em temperaturas especiais. As vacinas da Pfizer começaram a ser entregues nos últimos dois dias. Os governos locais sentiram a diferença da troca de empresa e registraram uma série de falhas, como as condições das embalagens e mesmo a falta de equipes da empresa contratada para receber os imunizantes. Apesar dos problemas em Santa Catarina, Pernambuco, Paraná e Paraíba, não há registros de vacinas perdidas, por enquanto, mas gestores estaduais estão preocupados porque novas remessas das doses estão previstas para esta semana. Em João Pessoa, a empresa não estava presente neste sábado (14) no aeroporto local para receber as doses, acondicioná-las e levá-las para o local indicado pelo governo estadual. ic_save Mais ic_share Leia Mais Ícone fechar Voltar Ver novamente Voltar Voltar Compartilhe O secretário estadual de Saúde, Geraldo Antônio de Medeiros, afirmou que um grande impasse foi criado, pois a companhia aérea não estava autorizada a liberar as doses para outros agentes, que não a equipe da IBL Logística. "No momento em que chegaram as vacinas, a empresa não estava no aeroporto para poder rapidamente transportar para a rede da Secretaria Estadual de Saúde. Nós pusemos nossos veículos à disposição, mas a empresa aérea não entregava", afirmou a secretário à Folha. "A gente pegou o telefone da empresa [de logística], mas eles diziam que não havia previsão. Então foi preciso adotar uma pressão e dizer da responsabilidade do acondicionamento das vacinas, senão poderia perder essas vacinas. Foi aí que eles chegaram", disse. Segundo o secretário, os problemas se repetiram em outros estados."Em quase todos os estados houve [problemas]. Houve essa contratação de uma nova firma, uma firma amadora, sem expertise de transportar vacinas, então em quase todo o Brasil houve esse problema com as vacinas", disse Medeiros. Em Santa Catarina, houve reclamação das condições em que as vacinas foram entregues e também de erros nos horários dos voos. Quando do questionamento do TCU, o titular do DLOG, general Ridauto Lúcio Fernandes, afirmou ao tribunal no dia 21 do mês passado que a IBL seria a empresa contratada. No mesmo dia, ele confirmou a dispensa de licitação. O ato foi publicado no DOU (Diário Oficial da União) no dia seguinte. Os contratos também foram assinados no dia 22, um no valor de R$ 28,1 milhões, para armazenagem da vacina da Pfizer, e outro no valor de R$ 34,1 milhões, para o transporte, mantendo o imunizante na temperatura de - 90ºC a - 60ºC. ic_save Mais ic_share Leia Mais Ícone fechar Voltar Ver novamente Voltar Voltar Compartilhe O general assinou os contratos pelo Ministério da Saúde. Os extratos foram publicados no DOU no dia 30, penúltimo dia do ano. Naquele momento, Queiroga e Bolsonaro atuavam para postergar a vacinação de crianças, apesar da autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dada no dia 16 de dezembro. O embasamento legal para a dispensa de licitação foi a lei de março de 2021 que prevê medidas excepcionais para a compra de vacinas, insumos e serviços de logística na pandemia, enquanto durar a declaração de emergência em saúde pública. No caso dos contratos com a IBL, um dos problemas apontados por técnicos da Saúde e representantes do setor é que o ministério atribuiu importância principal para a possibilidade de menor valor durante o processo de escolha, deixando em segundo plano questões técnicas. Empresas com expertise apresentaram ofertas que se mostraram pouco competitivas, em termos de valor. As demais vacinas contra a Covid-19 seguem sendo entregues pela empresa VTCLog. A empresa se tornou alvo da CPI da Covid no Senado por suspeitas de corrupção. Cerca de 170 milhões de doses já foram entregues aos estados pela empresa. O relatório final da CPI propôs o indiciamento da própria VTCLog e de alguns de seus diretores. A empresa segue distribuindo as demais vacinas contratadas pelo governo federal. O Ministério da Saúde disse que não houve prejuízo para as vacinas distribuídas e que o envio das doses se deu em tempo recorde. A pasta afirmou que a contratação da IBL se deu por meio de um processo seletivo, com a participação de diversas empresas consolidadas do setor, incluindo a VTCLog ic_save Mais ic_share Leia Mais Ícone fechar Voltar Ver novamente Voltar Voltar Compartilhe A IBL afirmou que os serviços de distribuição e acondicionamento das vacinas estão ocorrendo com altos padrões de segurança, que foram exigidos no chamamento público com dispensa de licitação. "Estamos mantendo, durante as operações, um contingente considerável de profissionais do mais alto gabarito, a postos para garantir o atendimento de quaisquer demandas. Todas as etapas sob a nossa responsabilidade foram cumpridas com excelência, sem qualquer prejuízo ou risco à qualidade das vacinas", disse. Segundo a empresa, não houve comprometimento da integridade das vacinas por perda de temperatura. "A IBL trabalha com equipamentos de última geração para garantir o cumprimento das exigências. A empresa tem os registros de todos os carregamentos operados até este momento, sem nenhum contratempo", afirmou em nota.