Reforma tributária será prioridade na volta do Congresso, dizem líderes

Complexa, a reforma tributária não avançou no ano passado pela falta de consenso entre as diferentes propostas analisadas pela Câmara e pelo Senado #G1

19/01/2020 23:30:00

Complexa, a reforma tributária não avançou no ano passado pela falta de consenso entre as diferentes propostas analisadas pela Câmara e pelo Senado G1

Parlamentares voltam a dar expediente em fevereiro. Ideal é garantir aprovação no primeiro semestre para evitar impacto das eleições, avaliam deputados e senadores.

As reformas econômicas, especialmente a tributária, serão prioridade na volta dos trabalhos do Congresso Nacional, segundo líderes partidários ouvidos pelo G1.Deputados e senadores ainda estão em recesso. As atividades legislativas serão retomadas em fevereiro, após quase um mês e meio de férias.

‘Vamos parar de brincar de ditadura', diz Gilmar Mendes - Política - Estadão Maia diz que vai decidir sobre pedidos de impeachment 'no momento adequado' - Política - Estadão Mandetta diz que manipulação de dados da covid é o “Estado ser mais nocivo do que a doença” - Saúde - Estadão

Complexa, a reforma tributária não avançou no ano passado pela falta de consenso entre as diferentes propostas analisadas pela Câmara e pelo Senado. A saída foi criar uma comissão mista, que ainda será instalada e terá parlamentares das duas casas.

Indicado para presidir o colegiado, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) avalia ser possível começar a votar o texto na comissão já em março.“Não vejo dificuldade de, dentro um mês, fazermos um texto único e, em março, iniciar a votação na comissão. O Executivo vai enviar conteúdo também. Câmara e Senado têm textos semelhantes, é o mesmo chassi, só muda a carroceria”, afirma Rocha.

O debate sobre a matéria tem o apoio também de partidos da oposição.“A reforma tributária é um tema que, talvez, seja o que terá mais apelo para que seja impulsionado. No ano passado, não teve ambiente no parlamento em razão da falta de convergência e da clareza do governo do que deveria ser a sua proposta. Acho que a reforma tributária volta com muita força, porque é um debate que interessa a todo mundo fazer”, diz o líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar (PE).

Para o líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (SP), o debate será feito “num momento de grande arrocho fiscal”, o que poderá dificultar a aprovação.“Os parlamentares vão querer trabalhar com a ideia de simplificação tributária, com que, no geral, todo mundo concorda: criar um imposto sobre valor agregado que vários países já trabalham. Mas isso não resolve o problema da arrecadação fiscal do Brasil”, pondera Valente.

Mais economiaA pauta prioritária inclui ainda outros temas econômicos, como a reforma administrativa que o governo federal deve enviar ao Congresso em fevereiro. O pacto federativo também deve entrar na pauta.“Primeiro, atacamos a questão da Previdência Social. Agora, precisamos fazer a reforma do estado”, avalia o líder do Solidariedade na Câmara, deputado Augusto Coutinho (PE).

O objetivo do governo com a reforma administrativa é reduzir os gastos com os servidores públicos e só deverá valer para os novos concursados.“Todas as PECs vão na mesma direção: de transformar o Brasil em um país mais eficiente, com mais responsabilidade fiscal”, afirma o senador Márcio Bittar (MDB-AC), vice-líder do MDB no Senado e relator da PEC do pacto federativo.

CNBB se diz indignada com proposta de TVs católicas de apoiar governo em troca de verba - Política - Estadão 'Manipulação de estatísticas é manobra de regimes totalitários', diz Gilmar Mendes sobre recontagem - Saúde - Estadão Defensoria da União pede na Justiça que Ministério da Saúde divulgue diariamente dados integrais sobre coronavírus até 19h

Legislação penalTemas ligados à legislação penal também devem voltar à pauta como prioridade. Entre os projetos principais, estão o texto que permite prisão após condenação em segunda instância, e a proposta que restringe o foro privilegiado para crimes comuns.

Neste, há uma articulação para incluir emenda proibindo que juízes de primeira instância possam decretar medidas cautelares contra políticos, como prisão e ordem de busca e apreensão. "É um tema que está na pauta para ser votado", afirma o líder do DEM na Câmara, Elmar Nascimento (BA).

EleiçõesOs parlamentares reconhecem, porém, que as eleições municipais em outubro devem influenciar o calendário no Congresso. Em ano eleitoral, o número de sessões no plenário costuma ser reduzido no segundo semestre.

A justificativa é liberar os deputados e senadores para participar das campanhas em seus redutos eleitorais – alguns deles disputam como candidatos e outros apoiam correligionários.Por essa razão, o entendimento dos líderes é que será preciso tentar garantir a aprovação das matérias econômicas ainda no primeiro semestre.

“Nós temos um período de eleição municipal se aproximando e, por isso mesmo, é importante que a gente consiga concluir essa tramitação [da reforma tributária] antes do período eleitoral. Talvez, esse seja o nosso mais importante deadline, ponto de corte, neste momento”, pondera o líder do Novo na Câmara, Marcel Van Hattem (RS).

Confira as pautas consideradas prioritárias para 2020:Reforma tributária – Tanto a Câmara dos Deputados quanto o Senado começaram a discutir diferentes propostas de reforma de tributária. Para tentar chegar a um consenso, decidiu-se criar uma comissão mista que terá a missão de unificar os textos e acolher sugestões do governo federal. Em linhas gerais, a ideia é unificar tributos para simplificar a cobrança.

Maia critica manipulação de dados da pandemia pelo Ministério da Saúde - Saúde - Estadão Coronavírus: Sem dados do Ministério da Saúde, universidade americana tira Brasil de ranking de monitoramento de covid-19 Universidade Johns Hopkins exclui Brasil do balanço global sobre coronavírus após governo mudar divulgação do boletim diário

Reforma administrativa – O governo deve enviar em fevereiro uma proposta com novas regras para os futuros servidores públicos. Entre as possibilidades em estudo, está a de flexibilizar as regras de contratação de novos concursados e o direito à estabilidade no serviço público.

PEC emergencial – Apelidada de "PEC emergencial", a proposta de emenda à Constituição cria mecanismos de controle de despesas públicas para União, estados e municípios, como a proibição de dar aumento a servidores.

PEC do pacto federativo – Proposta enviada pelo governo federal dá mais recursos e autonomia financeira para estados e municípios. Texto está na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Como a "PEC emergencial" tem validade de dois anos, a PEC do pacto federativo também fixa mecanismos de controle dos gastos públicos.

PEC dos fundos públicos – Proposta do governo prevê a extinção da maior parte dos fundos públicos. Atualmente, segundo a área econômica, há 281 fundos públicos no Brasil com quase R$ 220 bilhões "parados". A ideia é que os recursos sejam usados para abater a dívida pública.

Segunda instância – Tanto a Câmara quanto o Senado debatem propostas quer permitem a prisão após condenação em segunda instância. Deputados discutem mudar a Constituição, enquanto os senadores propõem alterar o Código de Processo Penal (CPP).

Consulte Mais informação: G1 »

Kkkkkkk, foi bom tirar ferias do twitter, porém a Globo continua a mesma porcaria de sempre! Passou o ano todo atacando o judiciário. E enfraquecendo a polícia. 'O objetivo do governo com a reforma administrativa é reduzir os gastos com os servidores públicos e só deverá valer para os novos concursados'. Mas ninguém está pensando em reduzir as mamatas desses parlamentares fdp

6 acham mesmo que é isso?

Consumidor deve pagar a conta do reajuste da tabela do frete - Economia - EstadãoRepresentantes da indústria, do agronegócio e do comércio dizem que repasse do reajuste de até 15% determinado pela ANTT para o preço dos produtos será imediato Economia Isso é óbvio! Economia Óbvio. Como sempre foi dito para dizer que frete mínimo, que os vermelhinhos da imprensa defendiam junto com “intelectuais”, nunca deveria existir. Economia Governo Nazista é isso.

Chilenos protestam contra repressão policial em três meses de crise - Internacional - EstadãoManifestantes marcharam em silêncio para condenar abuso que dizem sofrer de parte dos agentes de segurança Inter Não pode nem destruir o País em Paz? Inter futuro do Brasil Inter Salários do judiciário do Chile até agora não baixaram ,os políticos continuam sendo espertos ganhando quase 32 mil reais enquanto o aposentado ganha 750 reais

Prazo de validade de três MPs editadas por Bolsonaro termina na volta do recesso do CongressoDuas são polêmicas e, para líderes, governo terá dificuldade para aprová-las. MPs têm força de lei assim que publicadas, mas precisam ser aprovadas em até 120 dias. Se o Congresso não apreciar as MP nós teremos claramente os culpados. Não serão eleitos nem para inspetor de quarteirão. Podem apostar nisso. Gratuita só para Japonesas e Japoneses ou para tds GLOBOLIXO Se esses horrorosos senadores e deputados não aprovarem essas medidas,que são a favor dos cidadãos,faremos menção ininterrupta de seus nomes para que não sejam mais eleitos! Nem tentem não aprovar! terão TODA A CULPA!!!

Indígenas denunciam projeto político de 'genocídio' em encontro de lideranças - Brasil - EstadãoEncontro com mais de 600 líderes de 45 etnias do país acontece na aldeia Piaraçu na Terra Indígena Capoto/Jarina Só Estadão pra criar uma notícia dessa.kkkkk Isso é uma bela mentira O caso do patriota que não respeita os primeiros povos do Brasil...

Uruguai prepara programa para atrair moradores estrangeirosEm entrevista à BBC News Brasil, ministro de governo eleito diz que será enviado projeto ao Congresso para reduzir montante necessário para obter residência no país e flexibiliar exigências. Memerologia2 TheOwl98 Partiu? wanilira: Partiu? itsiqdani nosso momento

Em jogo equilibrado, Corinthians bate o Athetico-PR e se garante na semi da Copinha - Esportes - EstadãoEstadaoEsporte Em jogo equilibrado, Corinthians bate o Athetico-PR e se garante na semi da Copinha Esporte Equilibrado?!?!? Haha Soh deu Athletico...corinthians fez um gol na falha do lateral e mais nada Se o Athletico tivesse mais capricho na pontaria, teria goleado.