Puxado por energia elétrica, inflação do aluguel avança novamente em julho

Puxado por energia elétrica, inflação do aluguel avança novamente em julho

30/07/2021 00:04:00

Puxado por energia elétrica, inflação do aluguel avança novamente em julho

Energia pressionou o IGP-M, referência para reajustes de aluguéis, que acumula alta em habitação e transportes; tendência para os próximos meses é de queda

), o indicador avançou 0,78% em julho frente ao mês anterior. No intervalo de 12 meses, a taxa de elevação é de 33,88%, ao passo que, de janeiro a julho, o ponteiro disparou 15,98%. Quem apostava no arrefecimento das taxas para o segundo semestre deste ano, não levava em conta a crise hídrica, que deve continuar pressionando a conta de energia elétrica para a indústria, a agropecuária e os lares dos brasileiros.

Consultoria dos EUA que contratou Moro recebeu R$ 42,5 milhões de alvos da Lava Jato

A aposta do economista André Braz, coordenador dos índices de preços da FGV, é que o IGP-M termine o ano com uma alta estimada de 18%. Já oÍndice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, oIPCA, que é o indicador oficial da inflação do país, deverá romper a barreira dos 7% em 2o21. O cenário é desafiador. “Esse diferencial entre o IPCA e o IGP-M deve ceder mais no ano que vem, quando o IGP-M deve registrar alta de 8% e o IPCA de 4%. Pelo menos nos próximos 12 meses, a diferença ainda será grande”, projeta Braz. Para o restante do ano, ele estima que os alimentos e os produtos derivados do minério de ferro possam registrar novos aumentos de preços devido à manutenção da bandeira vermelha da energia elétrica.

Um dos componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,83% em julho, ante alta de 0,57% no mês anterior. Os principais vilões foram os itens do grupo de “Educação, Leitura e Recreação”, que passaram de uma deflação de 0,69% em junho, para um avanço de 2,16% em julho. Nesta classe de lazer, vale destacar as headtopics.com

passagens aéreas, cujas taxas dispararam no mês (de -7,28% para 24,69%), por conta do efeito sazonal: as férias de julho. Segundo grupo de maior alta no IPC, a “Habitação” (1,10% para 1,66%) deve continuar ganhando destaque nos próximos resultados, já que é um dos indicadores que mais sofrem com o aumento da tarifa de energia elétrica. A categoria “Transportes”, no entanto, apresentou uma desaceleração da alta. Se em junho o avanço foi de 1,43%, em julho esse valor foi de 0,73%. No intervalo de 12 meses, porém, é o indicador que mais pressiona o IGP-M, com avanço de 14,67%.

78% do faturamento de empresa que contratou Moro veio de alvos da Lava Jato

O economista vê o custo da energia como grande incógnita para os últimos meses deste ano. A Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, sinaliza com um novo reajuste para cima na bandeira vermelha.Em julho, o patamar 2 da bandeira vermelha já havia sido

reajustado de 6,24 reais para 9,49 reais a cada 100 kwh consumidos. “Se a energia fica mais cara, isso encarece a produção de carros, de bens para a construção civil, e atrasa a retomada, porque é mais uma pressão de custos para a indústria”, explica Braz. A bandeira vermelha deve perdurar, ao menos, até novembro. “Temos um monte de pedra no caminho: taxas de juros subindo, aumento de preço dos insumos, crise hídrica, uma reforma tributária que resulta em mais tributos para as empresas, sem contar o risco político e a variante Delta da Covid-19. Isto posto, se o país realmente crescer 5% este ano, como indicam as previsões mais otimistas, será motivo para comemorar.”

Em relação aos embates provocados pelo reajuste dos aluguéis, Braz acredita que o impasse no âmbito corporativo irá perdurar para o próximo ano, uma vez que o IGP-M não deve se arrefecer a ponto de igualar a alta do IPCA. “Essas brigas são mais no setor comercial do que no residencial. Como é mais difícil mudar o lugar de um galpão, de um shopping ou de uma indústria, há uma rigidez maior na negociação por parte do proprietário”, afirma ele. “No residencial, há mais espaço para negociar, até porque o proprietário não tem facilidade para encontrar outro inquilino para o imóvel, já que o desemprego está alto e a demanda é fraca. O dono do imóvel, que a situação, é mais sensível a isso, porque o aluguel também é uma fonte de renda para ele.” headtopics.com

Conselho Constitucional da França aprova passaporte de vacina

Consulte Mais informação: VEJA »

Butantan começa a produzir vacina eficaz contra o atual surto de gripe

Jornal Nacional acompanhou, com exclusividade, o início da produção do ingrediente farmacêutico ativo, o IFA, da vacina contra o H3N2.

Puxado por México e Brasil, PIB regional deve crescer 5,8% neste ano, prevê FMIApesar dos enormes estragos da pandemia, a recuperação econômica da América Latina e do Caribe em 2021 será melhor do que o previsto anteriormente, de acordo com as perspectivas publicadas nesta terça-feira pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) TROFÉU BICARIA 8 - Vídeos que não devem morrer jamais

Renato Rezende se classifica às semifinais do ciclismo BMX nos Jogos Olímpicos de TóquioNA BRIGA!🚴‍♂️🇧🇷 Renato Rezende se classifica às semifinais do ciclismo BMX nos Jogos Olímpicos de Tóquio lancenet

PCs de ponta estão sendo banidos em alguns estados dos EUANova lei que regula o consumo de energia elétrica está impedindo a compra de computadores top de linha nos Estados Unidos! tecmundo Que nada parecido com essa lei chegue ao Brasil jamais. Políticos em geral são o peso que puxa toda civilização pra baixo e pra trás...

Vacinação em massa: Serrana registrou apenas uma morte em julho | MaquiavelA cidade do interior paulista também não tem nenhum paciente na UTI e comemora desde maio a queda em número de contaminações Várias cidades... Não foi milagre, foi vacina. Viva a ciência. O 'negacionismo' de Bolsonaro levou milhares de vidas no Brasil! Expliquem agora os fatos? Essa apenas uma morte? É 'kit covid'?

Sobe 51% número de pessoas totalmente imunizadas no Brasil em julhoNo final de junho, 25,9 milhões de brasileiros haviam recebido 2 doses das vacinas ou a dose única da Janssen; hoje são 39,2 milhões de pessoas 'totalmente imunizadas'

Museu da Língua Portuguesa abre ao público no fim de julhoAo custo de R$ 85 milhões, reforma do espaço inclui novos espaços e novos conteúdos