PSB e PT acertam palanques em Pernambuco e Rio de Janeiro; SP será alvo de consulta | O Antagonista

20/01/2022 19:50:00

PSB e PT acertam palanques em Pernambuco e Rio de Janeiro; SP será alvo de consulta

Pt, Psb

PSB e PT acertam palanques em Pernambuco e Rio de Janeiro; SP será alvo de consulta

Socialistas confirmaram apoio ao PT em quatro estados: BA, SE, RN e PI; petistas, por sua vez, devem abrir mão de candidatura em Pernambuco

PT tende a abrir mão da candidatura do senador Humberto CostaO PSB, por sua vez, deve apoiar o PT naSergipe.ainda reside em São Paulo“Vamos ter que fazer um esforço de composição nos estados. Vamos marcar uma reunião com SP. O PT entende que a candidatura do Haddad é essencial e são dois grandes quadros políticos, que tem experiência política. Nós, como muito respeito, temos que chegar a um denominador”

Consulte Mais informação:
O Antagonista »

Assistir Jornal Hoje - Série documental sobre Tim Maia estreia no Globoplay nesta quarta com imagens inéditas online | Globoplay

'Vale Tudo com Tim Maia' tem três episódios e estreia no dia que ele completaria 80 anos. Edição da série faz com que o próprio Tim seja narrador dos fatos marcantes da vida e carreira. Consulte Mais informação >>

Abraham AbrahamWeint será o melhor governador ou senador eleito da história do Brasil. Esse não abandonou suas convicções como outros abandonaram e abraçou o Centrão. O Brasil não tem mais um presidente de direita. Apenas um vegetativo presidente escravo do Centrão!

Se acordo PT-PSB naufragar, os dois lados já escolheram o culpado | Clarissa OliveiraClarissa Oliveira | Se acordo PT- PSB naufragar, os dois lados já escolheram o culpado (via claoliveira) VEJAColunistas Leia em: claoliveira LulaCanalha claoliveira Chora mais que ta poucoo claoliveira Se naufragar? Já é natimorto, é a escória da política brasileira em seu derradeiro abraço dos afogados BolsonaroAte2026

Apesar de sinalizações a Freixo, PT flerta com outras opções no RioCom campanha de Lula como prioridade, partido quer ter palanques mais amplos: 'É importante que Freixo crie relação com quem está distante', diz petista Coitado do estado do Rio de Janeiro. Já virou praga. O estado não merece essa raça Acho que si um candidato está com certeza de ganhar no primeiro turno segundo a mídia paga, pra que alianças?

Em meio a movimentações de Ceciliano, Lula diz que PT defende candidatura de Freixo no RioEx-presidente acena a pré-candidato do PSB , com quem petistas negociam federação. Em SP, porém, ele cita Haddad Freixo não. Freixo nunca.

Entre os caciques do PT, a camisa do Flamengo é diferente | VEJA GenteEnviados pelo clube, uniformes que chegam a políticos do partido não estampam o patrocínio da bolsonarista Havan Q poha é essa marreco? Havan dá gatilho na esquerdalha! 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

PT aposta tudo em Haddad em SPNo PapoAntagonista desta terça-feira (18), claudioedantas e Diego1Amorim comentaram as articulações do PT para conquistar o governo de São Paulo. O partido e Lula Oficial têm se mobilizado para facilitar o caminho de Haddad_Fernando na disputa. claudioedantas Diego1Amorim LulaOficial Haddad_Fernando LulaCanalha e COVARDE

Moro: Bolsonaro é responsável pela volta do PT e do Lula ao cenário eleitoral | O AntagonistaSegundo Moro, o presidente sabotou a prisão em segunda instância e comemorou a soltura do Lula achando que isso seria bom politicamente SF_Moro jairbolsonaro LulaOficial Falou o juiz que fraudou o processo legal para prender o opositor na eleição e como prêmio ganhou um prêmio de ministro e lambe botas ForaBolsonaro PresidenteMentiroso MoroNaCadeia DeltanNaCadeia LambeBotas FarsaJato SF_Moro jairbolsonaro LulaOficial Bolsonaro e a Justiça. Cadê o julgamento de prisão após 2a instância?🤔 SF_Moro jairbolsonaro LulaOficial 🌽🌽🌽🌽🌽🌽🌽🌽

Rio de Janeiro .Gleisi Hoffmann e Carlos Siqueira Evaristo Sá/AFP - Humberto Pradera/Divulgação Publicidade Publicidade Ninguém no PT ou no PSB anda lá muito confiante na possibilidade de os dois partidos se unirem numa federação para a corrida eleitoral deste ano.Por Caio Sartori 18 jan 2022, 19h02 Em junho do ano passado, Lula esteve no Rio e se reuniu com as principais lideranças do estado Ricardo Stuckert/Divulgação Publicidade Publicidade Apesar das sinalizações frequentes, o apoio do PT a Marcelo Freixo (PSB) na eleição para governador do Rio não é tido como certo na política fluminense.PUBLICIDADE SÃO PAULO — O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que pretende apoiar a candidatura do deputado Marcelo Freixo (PSB) ao governo do Rio de Janeiro.

O PT resiste. Depois do encontro de hoje, foi firmado uma espécie de protocolo de intenções entre os dois partidos. Se a ideia terminar arremessada pela janela, os dois partidos parecem já ter decidido em quem jogar a culpa: o ex-governador de São Paulo Márcio França. Em Pernambuco, o PT tende a abrir mão da candidatura do senador Humberto Costa em nome de um candidato ainda a ser definido pelo PSB; no Rio de Janeiro, o PT também sinalizou que não lançará candidato para apoiar Marcelo Freixo. Fala-se até na possibilidade de colocar candidatura própria – a do presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano, que hoje é pré-candidato ao Senado e nega veementemente a intenção de concorrer ao governo. O PSB, por sua vez, deve apoiar o PT na Bahia – candidatura de Jaques Wagner; em Sergipe – a do senador Rogério Carvalho -, além de Rio Grande do Norte e Piauí . À coluna, um líder do partido criticou duramente o ex-governador. O PT, do outro lado, já se comprometeu a apoiar candidatos do PSB no Maranhão, Alagoas e Santa Catarina. PDT: Ciro muda de estratégia, mira eleitor jovem e se apresenta como 'rebelde' na 'estreia' da campanha Numa sinalização ao PSB, o petista afirmou que mantém conversas no Espírito Santo, apesar da filiação do senador Fabiano Comparato ao PT, no Maranhão, embora o atual indicado seja do PSDB, e no Rio Grande do Sul.

O problema, entretanto, ainda reside em São Paulo . Mas o desempenho de França nas pesquisas não passa de recall. Eu diria que o Freixo tem 70%, 80% do PT. Nem Márcio França (PSB), nem Fernando Haddad (PT) deram qualquer indicativo de que pretendem desistir de seus projetos pessoais. Como mostramos há pouco, França foi categórico e confirmou que “é candidato”. Mas qualquer possibilidade de sucesso caiu por terra depois que ele virou alvo de uma operação de busca e apreensão em uma ação da Polícia Civil que apura desvios na saúde. “Vamos ter que fazer um esforço de composição nos estados. O PT estadual também conversa com Rodrigo Neves, com o Eduardo Paes. Vamos marcar uma reunião com SP. Leia também:. Tem a candidatura do Weverton (o senador Weverton Rocha, do PDT, é próximo a Lula).

O PT entende que a candidatura do Haddad é essencial e são dois grandes quadros políticos, que tem experiência política. Nós, como muito respeito, temos que chegar a um denominador” , disse a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Dos locais em que o PSB cobra o apoio do PT a candidatos a governador em troca do vínculo a Lula, o Rio é o único em que os petistas ainda não lançaram um pré-candidato próprio como forma de aumentar seu poder nas negociações. “A nossa aliança não pode ser matemática. A política precede todos os números” , disse o presidente do PSB, Carlos Siqueira, sobre os cálculos eleitorais da aliança entre os dois partidos nos estados. Para tentar equacionar esse tipo de disputa, os partidos decidiram que, a partir da semana que vem, as executivas estaduais vão tentar estabelecer quais serão as candidaturas prioritárias em 2022. Se precisar retirar a candidatura, concorrerá a deputado federal, afirma ele, que chegou a ser convidado por Paes para se filiar ao PSD e ser o candidato do partido ao governo.

A primeira reunião local acontecerá em Pernambuco. A reunião de hoje teve a participação da presidente do PT, Gleisi Hoffmann; do secretário-geral do PT, o deputado federal Paulo Teixeira (SP); do presidente do PSB, Carlos Siqueira; do pré-candidato ao governo de São Paulo, Márcio França e de Paulo Câmara, governador de Pernambuco. Notícias relacionadas: . Recentemente, os elogios do carioca a Lula têm se concentrado na capacidade que ele tinha de lidar com os mandatários municipais e de respeitar o Pacto Federativo.