Presidente denunciado em Haia e citado no Pandora Papers virá ao Brasil ‘visitar’ Bolsonaro

20/01/2022 19:03:00

Presidente denunciado em Haia e citado no Pandora Papers virá ao Brasil ‘visitar’ Bolsonaro

Cartacapital, Carta Capital

Presidente denunciado em Haia e citado no Pandora Papers virá ao Brasil ‘visitar’ Bolsonaro

O queniano Uhuru Kenyatta, primeiro líder estrangeiro no Brasil em 2022, será recebido pelo ex-capitão no dia 10 de fevereiro

, em Haia, por crimes contra a humanidade.O caso envolvendo o queniano ocorreu entre 2007 e 2008, durante um longo período de violência pós-eleitoral no país, iniciado justamente após acusações de fraudes durante as eleições. Na ocasião, logo após o anúncio da vitória de Mwai Kibaki, políticos opositores, fomentados pelo primeiro-ministro Raila Odinga, encorajaram a população a irem às ruas contra o resultado. Os protestos resultaram em conflitos com policiais, mais de mil mortes, incluindo a dezenas de mulheres e crianças, trancadas e queimadas em uma igreja local. Ao todo, 250 mil quenianos ficaram desabrigados.

Consulte Mais informação: CartaCapital »

Posse de Moraes foi demonstração de força e confiança no sistema político e eleitoral

Bernardo Mello Franco diz que posse de Alexandre de Moraes no TSE é uma 'resposta ao mostrar que tem muita gente ao seu lado e que está prestigiado pela classe política como um legítimo comandante desse processo eleitoral'. Consulte Mais informação >>

Dois Tiranos se encontrando! BolsonaroVergonhaDoBrasil BolsonaroVagabundo =

Ex-ministros de Bolsonaro criticam aproximação do presidente com o Centrão | Brasil | O DiaMandatário foi apontado por se afastas das pautas ideológicas que o elegeram. ODia

Covid-19: Brasil registra 351 mortes nas últimas 24 horas | Brasil | O DiaNo total já são 621.517 vidas perdidas para a doença no país. ODia

Brasil tem maior número de desabrigados e emergências por chuva em 5 anos - Brasil - EstadãoEstudo com base em dados das prefeituras mostra que 61,7 mil pessoas perderam casa e não tinham para onde ir neste verão; crise climática piora cenário, afirmam cientistas Lula -'Eu tenho orgulho da bandeira vermelha e da estrela do PT,isso não diminui o orgulho que tenho pela bandeira brasileira ,o que não posso é roubar de 213 milhões de brasileiros o simbolo que e de todos para tentar transformar num simbolo de um partido.'

Covid: Brasil ainda pode evitar colapso apesar de aumento das internações, dizem especialistas - BBC News BrasilCom avanço da variante ômicron, número de infectados sobe com força novamente e deve impulsionar um aumento das hospitalizações por covid. Veja o que pode acontecer nas próximas semanas e como minimizar os danos. Brasil ainda pode evitar colapso de mentiras, se o povo acordar! Então, o número de caso está aumentando, mas no número de internações e morte não estão crescendo. Tanto que há países retirando restrições 'sanitárias'. Isso é o que vai acontecer no Brasil Ahãm

1 ano de Biden: os altos e baixos do presidente dos EUA até agora - BBC News BrasilA BBC preparou um guia visual com informações sobre o desempenho do primeiro ano de governo do democrata. vão lá experimentar ficar no lugar dele depois respondam algumas porcarias de pesquisas como temos no Brasil. Muitas das vezes tendenciosas a conquistar vontades pessoais deles próprios-dos institutos irresponsáveis. . A America esta sendo engolida pela historia, ou se reinventa economicamente ou se contenta como ex-lider economico ... Agora biden que entrar numa guerra contra russia para aumentar sua popularidade

William Waack: Bolsonaro produziu sozinho mais uma crise para si mesmo | CNN BrasilPor William Waack: Para agradar aos policiais, nos quais identifica uma base de apoio eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro prometeu dar a eles reajuste salarial. Sem saber de onde vai sair o dinheiro Esse cara é um inconsequente. William Waack saiu da Globo mas a Globo não saiu dele. Vai sair dos bilhões que não está sendo gastos em públicidades com está imprensa podre

Tribunal Penal Internacional , em Haia, por crimes contra a humanidade.Estadão Conteúdo Publicado 18/01/2022 14:47 Brasília - Os ex-ministros Abraham Weintraub, da Educação, e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, criticaram a aliança do presidente Jair Bolsonaro (PL) com parlamentares do Centrão.Nas últimas 24 horas, 137.Bahia são os Estados mais afetados, com 51 mortes, deslizamentos, bairros submersos e ameaças de rompimentos de barragens.

O caso envolvendo o queniano ocorreu entre 2007 e 2008, durante um longo período de violência pós-eleitoral no país, iniciado justamente após acusações de fraudes durante as eleições. Na ocasião, logo após o anúncio da vitória de Mwai Kibaki, políticos opositores, fomentados pelo primeiro-ministro Raila Odinga, encorajaram a população a irem às ruas contra o resultado. Na avaliação de Weintraub, o mandatário teria"substituído" a ala conservadora do Executivo federal por integrantes do bloco político. Os protestos resultaram em conflitos com policiais, mais de mil mortes, incluindo a dezenas de mulheres e crianças, trancadas e queimadas em uma igreja local.517 vidas perdidas para a doença. Ao todo, 250 mil quenianos ficaram desabrigados. Segundo ele, o bloco teria passado a pautar a gestão federal conforme os interesses da China, impedindo que ele levasse adiante o que ele classificou como projeto"transformador" de política externa. Durante os conflitos, o povo Kikuyus, grupo étnico do declarado vencedor naquela eleição, foi duramente perseguido e atacado. Além dos que ficam sem teto, há os desalojados: quem sai de casa e pede abrigo a vizinhos ou parentes.

Quenianos aproveitaram a escalada da violência para agregar outras pautas aos protestos, como conflitos por terras no litoral do país. Em sua gestão, Araújo foi criticado por ofender e criar atritos com o país asiático, um dos principais parceiros comerciais do Brasil.103 novos casos positivos para o novo coronavírus (Sars-Cov-2) foram registrados no Brasil. A situação só foi contornada em abril de 2008, com a chegada da ONU e a formação de um governo de coalizão, liderado por Odinga. Kenyatta, na ocasião, ocupava o cargo de ministro do Governo de Kibaki e, na formação do gabinete de ministros da coalização, passou a ser o vice-Primeiro Ministro e ministro das Finanças. Para ele, o país asiático representa o oposto dos valores defendidos por Bolsonaro, como a religião. De acordo com o site oficial do Tribunal Penal, ele foi acusado de cinco crimes contra a humanidade por sua participação durante os episódios de violência no Quênia.894 brasileiros já foram infectados pelo vírus. As acusações, no entanto, não foram adiante após o TPI considerar as provas contra ele insuficientes, em 2015. Os ministros Fábio Farias, das Comunicações, Flávia Arruda, da Secretaria de Governo, e Ciro Nogueira, da Casa Civil, estariam tentando transformar o país em uma"colônia chinesa", de acordo com ele. A irmã e os filhos tentam salvar o que restou do imóvel, engolido pela lama.

Em 2013, ainda durante o processo no TPI, Kenyatta foi eleito presidente do Quênia. Em 2017, Kenyatta concorreu novamente ao cargo e venceu as eleições. Abraham Weintraub, por sua vez, afirmou que o bloco político encabeçado pelo Progressistas representa um"obstáculo" à pauta ideológica do bolsonarismo. Segundo o Conass, o estado do Piauí manteve os dados de ontem por problemas técnicos nos sistemas de informação. Mais uma vez, porém, o pleito foi marcado por episódios de violência, perseguição de opositores e anulação do primeiro resultado por fraude e fake news. O caos gerado no segundo pleito vencido pelo atual presidente resultou em 17 mortes e reeditou a violência vista em 2007 pela qual ele foi acusado em Haia. O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, saiu em defesa do presidente e argumentou que Bolsonaro não teria governabilidade se não cedesse ao bloco. Em agosto deste ano são esperadas novas eleições no país, mas Kenyatta não poderá participar por já ter cumprido dois mandatos consecutivos.205. “Perdi tudo, mas a vida é o mais importante”, conclui ele, que prevê pedir abrigo à sogra.

Há, no entanto, uma remota possibilidade de alteração na constituição do País para que ele possa concorrer novamente ao cargo. Como mostrou o Estadão , o apoio do Centrão não é garantido a Bolsonaro nas eleições deste ano. Os primeiros passos para a mudança foram dados em setembro do ano passado, mas não avançaram. Mais recentemente, ele e sua mãe foram citados no . Em São Paulo, Pernambuco, Piauí, Ceará e Maranhão, líderes e parlamentares de partidos como PL, Progressistas e Republicanos - tripé de sustentação do governo federal - resistem a romper com adversários do Palácio do Planalto e traçam saídas para manter espaços em círculos petistas ou do PSDB.236 casos de Covid-19 em todo o mundo e 5.