Policial é condenada por matar namorado e familiares para ganhar o dinheiro do seguro na África do Sul

Rosemary Ndlovu, de 46 anos, teria incentivado que pessoas próximas fizessem seguros de vida e funerário #g1 #ÁfricaDoSul

23/10/2021 13:30:00

Rosemary Ndlovu, de 46 anos, teria incentivado que pessoas próximas fizessem seguros de vida e funerário g1 ÁfricaDoSul

Rosemary Ndlovu, de 46 anos, teria incentivado que pessoas próximas fizessem seguros de vida e funerário, e depois organizou os assassinatos de um a um entre 2012 e 2017.

Uma policial da África do Sul organizou meticulosamente com assassinos contratados o assassinato de seu namorado e cinco membros de sua família para obter a indenização do seguro, segundo informou o tribunal de Justiça nesta sexta-feira (22).

'Na Justiça, comportou-se como o porão da ditadura': Oposição reage a Mendonça no STF O que esperar de André Mendonça no STF após aprovação no Senado - BBC News Brasil Entrevista de Lula a Mano Brown é o podcast mais ouvido no Spotify em 2021

Ela ainda planejava matar outros familiares, incluindo a própria mãe.Esse caso macabro, revelado durante o julgamento da policial Rosemary Ndlovu, capturou a atenção do país, que está acostumado a um alto índice de criminalidade.

A mulher de 46 anos sistematicamente fez com que seus familiares fizessem seguro de vida e funeral e, em seguida, organizou os assassinatos um por um. Seu namorado, seu primo, sua irmã, sua sobrinha, seu sobrinho e outro membro de sua família foram mortos entre 2012 e 2017. headtopics.com

LEIA TAMBÉM:Assim, ela recuperou cerca de 1,4 milhão de rands (aproximadamente R$ 535 mil), mas foi presa antes que pudesse adicionar à sua lista o assassinato de sua mãe e de seus irmãos, de acordo com o tribunal.Com premeditação cuidadosa, Ndlovu usou assassinos contratados para prender suas vítimas, que foram baleadas ou espancadas até a morte. Ela pessoalmente matou apenas uma pessoa, sua irmã, envenenando seu chá e estrangulando-a ao descobrir que o veneno não estava funcionando.

“A acusada foi a última pessoa a vê-los vivos ou a primeira a alertar que eles estavam desaparecidos”, disse a conselheira-geral Riana Williams. “Ela se autodenominou beneficiária para poder se beneficiar de seguro de vida e funeral”, acrescentou.

A acusada negou veementemente os crimes durante o julgamento.Em 2018, um dos assassinos contratados por ela avisou à polícia que ela estava tramando um plano para incendiar a casa de outra de suas irmãs.Ndlovu, que já foi uma policial respeitada, demonstrou pouca emoção durante o julgamento. Sua sentença deve ser proferida no início do próximo mês.

VÍDEOS mais vistos do g1 Consulte Mais informação: G1 »

Ponto de Vista: Lula pode desistir da corrida presidencial? | Clarissa Oliveira

Entre alguns adversários e até aliados, cresce a tese de que o petista poderia desistir e dar a vaga a Fernando Haddad, dependendo do cenário político

Stonks!