Palestina, Refugiados, Israel, Conflicto Árabe-İsraelí, Franja Gaza, Cisjordania, Jerusalén Este, Onu, Víctimas Guerra, Campos Refugiados, Territorios Palestinos

Palestina, Refugiados

Philippe Lazzarini: “Sabíamos que se nada fosse feito, a crise entre Israel e os palestinos explodiria”

Comissário-geral da agência da ONU para os Refugiados Palestinos no Oriente Médio (ACNUR) afirma que estes se sentem abandonados pela comunidade internacional

16/05/2021 02:00:00

Comissário-geral da agência da ONU para os Refugiados Palestinos no Oriente Médio (ACNUR) afirma que estes se sentem abandonados pela comunidade internacional

Comissário-geral da agência da ONU para os Refugiados Palestinos no Oriente Médio (ACNUR) afirma que estes se sentem abandonados pela comunidade internacional

também deixou suas marcas nos serviços humanitários feitos pela ACNUR, a agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina no Oriente Médio. O órgão, que proporciona serviços básicos como educação e saúde a mais de 5,6 milhões de refugiados palestinos em Gaza, Cisjordânia, Síria, Líbano e Jordânia, se viu afetado pelos bombardeios da Faixa de Gaza nestes últimos dias. “Temos duas escolas danificadas, da mesma forma que os escritórios centrais da ACNUR em Gaza”, afirma seu

Adolescente de 16 anos é baleado dentro de casa e morre na Penha; polícia faz operação contra o tráfico na região Governo Bolsonaro prepara telejornal só de 'boas notícias' em TV pública Com Bolsonaro, sentamos num barril de dinamite, diz presidente da OAB | Matheus Leitão

comissário-geral, o ítalo-suíço Philippe Lazzarini(La Chaux-de-Fonds, 57 anos). Além disso, das 27 crianças mortas após as ofensivas israelenses, oito eram refugiadas que frequentavam as escolas da agência, segundo o comissário.

Lazzarini esteve na Espanha nesta semana para tratar da situação atual dos refugiados palestinos auxiliados pela ACNUR e se reuniu na sexta-feira com a ministra dos Assuntos Exteriores, Arancha González Laya. Durante sua estadia, as hostilidades entre Israel e as milícias palestinas se intensificaram, justamente no headtopics.com

final do mês do Ramadãe em plena pandemia do coronavírus. “Esta era uma crise anunciada, sabíamos que se nada fosse feito, explodiria.Nas duas últimas semanas ocorreram eventos em Sheikh Jarrah [o possível despejo de dezenas de famílias que moram no bairro há sete décadas]. Ao mesmo tempo, durante o Ramadã, os fiéis foram proibidos de ter acesso total à mesquita de Al Aqsa. Estes foram os ingredientes para os levantes”, analisa o comissário em uma entrevista ao EL PAÍS realizada na quarta-feira em um hotel da capital espanhola.

Enquanto Israel amplia suaofensiva aérea contra Gaza, a agência se prepara para receber em suas instalações mais moradores da região que fogem dos bombardeios. “Ontem à noite centenas de pessoas no norte de Gaza foram se refugiar em uma de nossas escolas. Estamos preparando os locais caso ocorram mais deslocamentos. Vamos armazenar água, comida e lotes de emergência e higiênicos”, diz Lazzarini. O comissário compara a situação com 2014, quando, segundo a agência, mais de 300.000 pessoas se refugiaram em suas escolas. “A diferença é que agora estamos em meio a uma pandemia, se os bombardeios se intensificarem e mais pessoas se deslocarem pela Faixa de Gaza será um problema conseguir conter o vírus neste tipo de refúgio”.

O principal responsável da agência criada há 70 anos para auxiliar os refugiados palestinos após a Nakba (o grande êxodo durante a guerra de 1948) afirma que o processo político para encontrar uma solução ao conflito esteve parado nos últimos anos. Em suas visitas aos campos de refugiados, conta, pôde sentir o “desespero, a angústia e a desesperança”. “Há também uma sensação de ter sido abandonados pela comunidade internacional e não estar mais no centro da agenda política. Esse é um terreno fértil à frustração e aos distúrbios”, observa Lazzarini. “Eles (os campos) deveriam ser temporários, mas 70 anos depois estamos aqui. Nenhum refugiado quer sê-lo, mas o são pelo fracasso da comunidade internacional e as partes envolvidas em conseguir uma solução pacífica duradoura”, diz.

Dificuldades de financiamentoNos últimos anos, a ACNUR lutou para manter suas prestações, apesar da diminuição de fundos causada, principalmente, pelo corte de doações dos Estados Unidos feito pelo ex-presidente Donald Trump em 2018. Agora, após a chegada da headtopics.com

Jovem é morto dentro de casa durante operação no Complexo da Penha Lázaro Barbosa fez cursos de 'empatia, sexualidade e para se colocar no lugar das vítimas' durante passagem na Penitenciária da Papuda Em tom eleitoral, Bolsonaro ataca a CPI, exalta os militares e volta a mentir sobre remédios

Administração de Joe Bideno nível anterior das contribuições foi recuperado, por volta de 360 milhões de dólares (2 bilhões de reais). “Em 2020 chegamos ao nível de financiamento que tínhamos em 2013. Enquanto ocorriam múltiplas crises, a agência tinha que fornecer mais com menos recursos. É muito importante que seja retomada essa ajuda que existia desde sua fundação”, afirma o diplomata.

No final de abril, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução em que manifestou sua preocupação pelo que chamou de “discurso de ódio e violência ensinados nos livros escolares palestinos” usados em escolas da ACNUR em Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental. Esses materiais didáticos foram criticados em dois relatórios publicados em janeiro e fevereiro deste ano pelo Instituto para Monitorar a Paz e a Tolerância Cultural na Educação Escolar (IMPACT-se).

Em poucos dias, a agência da ONU publicou uma declaração em que rechaçou a resolução do Parlamento Europeu e se declarou “decepcionada” pela linguagem utilizada por um dos principais membros da organização. Lazzarini enfatiza: “Fui muito claro, há zero tolerância com qualquer instrução que não esteja alinhada com os valores da ONU”. O comissário afirmou que os materiais são constantemente revisados e que quando problemas são encontrados (e já os encontraram em questões de adequação à idade e de estereótipos de gênero) explicam aos professores como corrigi-los e como contextualizá-los.

Lazzarini, entretanto, reconhece que a resolução pode ter um impacto negativo, principalmente, sobre as contribuições que a agência recebe dos Estados membros da União Europeia. “Este tipo de declaração é usado basicamente para pressionar os políticos para que questionem seus governos o motivo de apoiarem a UNRWA e para que coloquem condições [às contribuições]”. headtopics.com

A vacinação continua desigual entre os palestinosO comissário-geral da ACNUR afirma que, em geral, a situação pandêmica dos refugiados palestinos é um reflexo do estado das coisas nos países onde estão. “Às vezes a incidência pode ser um pouco menor ou um pouco maior, principalmente onde há mais pessoas concentradas”.

Philippe Lazzarini afirma que nos países em que atua, a ACNUR é parte do plano nacional de vacinação. Em regiões como Gaza, a organização é até mesmo responsável por aplicar os medicamentos. “Mas o acesso às vacinas é desigual”, já que depende da capacidade de aquisição dos países.

Juliette ganha documentário no Globoplay; estreia será em 29 de junho Israel cede vacinas prestes a vencer à Palestina para evitar recuo no combate à pandemia no país Laíla, diretor de carnaval, morre no Rio

Em relação aos territórios ocupados por Israel na Palestina, o comissário acha que Israel “poderia e deveria” fazer mais para que a população tenha acesso às vacinas. “É parte da responsabilidade de Israel fazer isso”, diz em alusão à Convenção de Genebra que estipula que a potência que ocupa um território deve garantir o fornecimento médico e prevenir e controlar epidemias. Também o preocupa que com a intensidade dos bombardeiros, as instalações médicas não sejam capazes de absorver tantos os doentes pela pandemia como os feridos nos ataques.

Consulte Mais informação: EL PAÍS Brasil »

Em avião, Bolsonaro diz que opositores deviam viajar 'de jegue' e ouve gritos de 'genocida' - Política - Estadão

Bolsonaristas divulgam vídeo em que presidente é abraçado por funcionários da Azul e passageiros, enquanto outro vídeo mostra pessoas protestando no fundo da aeronave

NESSA CASO ISRAEL ESTA CERTO ptbrasil ISRAEL DEU PRAZO pro HAMAS CESSAR FOGO ATÉ 18:0 HS AGRESSOR ESTA QUERENDO SE PASSAR por VÍTIMA PALESTINA TA DEFENDENDO HAMAS 👈 Eles ESTAVAM PRÉDIO AL JAZIRA ptbrasil LulaOficial jaqueswagner PERDE A RAZÃO eduardomoreira O sentimento é legítimo e verdadeiro. O povo palestino foi abandonado pela comunidade internacional. A limpeza étnica, o Apartheid, o genocidio e a perseguição aos palestinos por parte dos sionistas de Israel é real.

será que os Israelitas irão fazer com os palestinos o mesmo que os nazistas fizeram com eles? dejavú. Por que será E estão! Enquanto são vítimas de um genocídio, o mundo fica falando em “conflito”. Não é conflito, é massacre.

As fake news que se espalharam sobre conflito entre Israel e palestinos - BBC News BrasilCom a escalada do conflito entre Israel e Palestina , postagens contendo alegações enganosas ou falsas foram amplamente compartilhadas nas redes sociais. A BBC checou algumas delas. 👇 Tanta fake q tive q ler idiota dizendo que 'Israel CEDEU território aos palestinos' e ainda assim eles não aceitam o estado de Israel. Detalhe: as Fake anti-palestinas citadas foram compartilhadas por órgãos oficiais. Incrível a semelhança entre o nosso governo escroto e o deles Detesto este assunto. Não suporto mais! Desde que entendo por gente é a mesma coisa. E olha que faz tempos hein! 😏😑🙃 Adivinhem pra qual lado tendem as checagens de informações da matéria

Conflito entre Israel e palestinos: as fake news que se espalharam sobre onda de violênciaPostagens contendo alegações enganosas ou falsas foram amplamente compartilhadas online nos últimos dias. A BBC investigou algumas delas. Acabei de cair 👌🏻 a midia vende o hadam como terrorista e o iraque como santinho, sendo que os dois matam crianças e mulheres todos os dias sem questionar. O problema é complexo a nível que se estende a séculos, pra algum idiota desinformado vim falar que isso é combate ao terrorismo kkk G1 é primeiro com notícias falsas. K

Conflito entre Israel e palestinos: a impressionante foto que mostra luta entre Domo de Ferro de Israel e mísseis do HamasImagem captada pela fotógrafa Ana Baba mostra o poderoso escudo antimíssil de israelense interceptando mísseis; confronto já matou mais de 120 palestinos Força Israel! Deus salve Israel contra o terrorismo Que foto!

Derrubar prédio em Gaza foi 'tentativa clara de silenciar jornalistas', diz repórter - BBC News Brasil Israel alegou que a inteligência militar do Hamas estava operando dentro do prédio, mas o editor executivo da AP pediu uma investigação independente sobre o ataque. E estratégia até para confundir a Palestina... Fake! Eu acho Israel/palestina um dos lugares que eu sonho em conhecer um dia, porém acho horrível toda essa situação. Não consigo imaginar hoje Israel como um estado perigoso e violento

Por que conflito entre Israel e palestinos põe Biden em situação difícil - BBC News BrasilOs ataques aéreos de Israel ao Hamas em Gaza forçaram o Oriente Médio a entrar na agenda de Biden — e isso levanta novas questões sobre como os palestinos se encaixam na ênfase que o presidente americano dá aos direitos humanos. BBC, Os extremistas islâmicos JOGARAM 3.500 mísseis em Israel, isto causaria a morte de 45 mil civis israelenses. Entendam, Israel apenas se defende.Busquem saber quem financiou esses terroristas? Qual a intenção deles? Será que esses extremistas querem mesmo a paz? Reflitam! BBC, Islamic extremists THROUGH 3,500 missiles in Israel, this would cause the death of 45,000 Israeli civilians. Understand, Israel just defends itself. Do you want to know who financed these terrorists? What is their intention? Do these extremists really want peace? Reflect!