Oms, Coronavirus Covid-19, Pandemia, Coronavirus, Enfermedades Infecciosas, Enfermedades Respiratorias, Ms Brasil, Eduardo Pazuello, Vacunación, Hospitales

Oms, Coronavirus Covid-19

Pazuello admite pela primeira vez a reaceleração da covid-19 no país, que supera 6,2 milhões de infecções

Ministro da Saúde evita falar em segunda onda da pandemia e chama de “repiques” o aumento de internações e casos em algumas regiões do Brasil

27/11/2020 02:30:00

“Estamos falando de repiques de contaminações e mortes em algumas regiões do país, sim”, admitiu o ministro, ao considerar que este aumento é mais expressivo nas regiões Sul e Sudeste. Por beatrizjuca

Ministro da Saúde evita falar em segunda onda da pandemia e chama de “repiques” o aumento de internações e casos em algumas regiões do Brasil

“Estamos falando de repiques de contaminações e mortes em algumas regiões do país, sim”, admitiu o ministro, ao considerar que este aumento é mais expressivo nas regiões Sul e Sudeste. Pazuello, que raramente dá entrevistas ou participa de coletivas da pasta que comanda, falou rapidamente sobre a pandemia durante um evento sobre prematuridade do Ministério da Saúde. “Não confundam ondas com novo surto, que é o que

Flávio Bolsonaro compra imóvel em Brasília por R$ 6 milhões com prestação de R$ 16 mil ao mês Rodrigo Pacheco: 'Instalar a CPI da Saúde agora seria contraproducente’ - Política - Estadão Variante de Manaus pode escapar dos anticorpos produzidos pela Coronavac, sugere estudo - Saúde - Estadão

está acontecendo na Europa, com vírus mutado. Lá é um novo surto, que pode virar endemia e depois pandemia. E pode se confundir com as ondas da primeira”, afirmou o ministro. A biomédica Mellanie Fontes-Dutra explica, porém, que o que se sabe atualmente sobre as variantes do novo coronavírus

não indica que elas sejam responsáveis pelo novo aumento de infecções nos países europeus. Também não afetariam as vacinas em desenvolvimento atualmente, endossa a pesquisadora.Sobre os recursos da covid-19 que ainda não foram aplicados pelo Ministério da Saúde, Pazuello disse que eles serão investidos na incorporação do maior número possível de UTIs da covid-19, na retomada de atendimentos e cirurgias não realizados porque foram impactados e no plano de vacinação da covid-19. “Isso vai permitir que o Brasil dê um grande salto em atendimento”, explicou. Alguns lugares do país, como por exemplo o headtopics.com

Rio de Janeiro, já sofrem forte pressão de seu sistema de saúde por conta da pandemia, com taxas de ocupação maiores que 90%. Consulte Mais informação: EL PAÍS Brasil »

Um ano de Covid-19 em São Paulo | São Paulo | G1

beatrizjuca A vacina tem que ser para toda a população( que assim quiser). comprem mais