Pandemia de coronavírus evidencia 'velhofobia' no Brasil, diz antropóloga - BBC News Brasil

Para Mirian Goldenberg, que pesquisa envelhecimento há 20 anos, 'estamos assistindo horrorizados a discursos sórdidos, recheados de estigmas, preconceitos e violências contra os mais velhos'.

26/09/2020 13:48:00

Para Mirian Goldenberg, que pesquisa envelhecimento há 20 anos, 'estamos assistindo horrorizados a discursos sórdidos, recheados de estigmas, preconceitos e violências contra os mais velhos'. ArquivoBBC

Para Mirian Goldenberg, que pesquisa envelhecimento há 20 anos, 'estamos assistindo horrorizados a discursos sórdidos, recheados de estigmas, preconceitos e violências contra os mais velhos'.

BBC News Brasil - Qual tipo de abordagem asra acha que deveria ser a mais correta?Goldenberg -Tenho tentado fazer as pessoas escutarem os mais velhos. Esse é meu propósito desde que começou essa pandemia. Não dá para ficar dando ordem. Precisamos compreender a a realidade deles e juntos com eles encontrar alternativas para amenizar essa situação, de forma que eles não vivam como se estivessem numa prisão.

Motoboy que constrói a casa própria viraliza nas redes sociais após levar 'bolo' de amigos Polícia do Rio encontra relatório com músicas inéditas de Renato Russo na Operação Será - Cultura - Estadão Polícia encontra 30 versões inéditas de músicas de Renato Russo

Isso seria uma morte antecipada para eles.Ligue para eles, faça atividades junto com eles. Faça com que eles se sintam vivos, úteis, amados, cuidados.E que eles também possam cuidar da gente.Quando meu melhor amigo, Guedes (de 97 anos), me liga desesperado, alarmado sobre a quantidade de caixões na Itália, eu lhe digo: 'Você não pode fazer nada por quem está lá, mas cuide de mim aqui'. E ele se sente importante. Não estou dando ordem. É ele quem está tomando uma decisão de cuidar de si mesmo, de mim e de outras pessoas.

Meu maior temor é como os idosos vão sobreviver emocionalmente durante esta pandemia. Essa é a maior angústia deles.Por fim, temos que entender que os velhos não são um fardo para a sociedade. Conheço inúmeros casos de velhos cujo filho é alcoólatra, a filha está com câncer, o neto tem depressão. E são eles que cuidam deles, não só financeiramente.

BBC News Brasil - Asra diz que "muitos dos que disseminam o discurso de ódio e de extermínio dos mais velhos já passaram dos 60 anos". Por quê?Goldenberg -É urgente que todos aprendam uma lição importante: a única categoria social que une todo mundo é ser velho. A criança e o jovem de hoje serão os velhos de amanhã. Os velhofóbicos estão construindo o seu próprio destino como velhos, e também o destino dos seus filhos e netos: os velhos de amanhã.

Ou seja, muitas dessas pessoas não se enxergam como velhos. A velhice é associada à imobilidade, à doença, à incapacidade, à inutilidade. Por isso ninguém se reconhece como velho, nem os próprios velhos.BBC News Brasil - A

ra acha que esse sentimento é potencializado no Brasil?Goldenberg -Sem dúvida. Aqui no Brasil sempre fomos a cultura da juventude, do corpo jovem. O corpo considerado belo e saudável sempre está associado à juventude.O brasileiro fica "velho" mais cedo. Na Alemanha, uma pessoa de 60 anos vai de bicicleta para o trabalho e fala de projetos. A idade não é importante.

Aqui, aos 30 anos, já estamos falando de velhice. Todos têm pânico de envelhecer. Não é à toa que o Brasil está entre os países com maior número de cirurgias plásticas.Esse pânico não é só físico, mas também simbólico. Perdemos valor para a sociedade ao envelhecermos. Tanto valor que nos tornamos descartáveis. Que podemos morrer para "salvar a economia".

Prometer vacinação para dezembro ou janeiro 'não é realista', diz brasileira que integra comitê da OMS contra Covid-19 Prometer vacinação para dezembro ou janeiro 'não é realista', diz brasileira que integra comitê da OMS contra covid-19 - BBC News Brasil China testará cidade inteira após descoberta de apenas um caso de covid-19 - BBC News Brasil

É disso quando falo que a pandemia deixou a velhofobia mais evidente.BBC News BrasilEssa velhofobia de que asra fala põe em xeque a suposta crença de que o brasileiro seria mais benevolente com o idoso? Se na Europa, ele é colocado em um asilo, no Brasil, ele é trazido para dentro de casa...

Goldenberg-Deixe-me corrigi-lo. São os filhos - e às vezes os netos - que vão para a casa do idoso no Brasil. Não o contrário. Quantos idosos se tornaram chefes de família no Brasil com sua aposentadoria? Eles bancam os filhos e netos. Vemos isso em todas as classes sociais, inclusive nas comunidades carentes.

O maior índice de violência contra o idoso está dentro de casa. Mais da metade das agressões (agressão física, verbal, psicológica e financeira) é feita por filhos e netos.Portanto, desconheço essa suposta benevolência. A violência contra o idoso está fora e dentro de casa. E está dentro de casa porque a casa é dele, na maioria das vezes.

Imagine o que deve estar acontecendo dentro de muitas casas nessa pandemia. Certamente, veremos um aumento da violência contra o idoso. Consulte Mais informação: BBC News Brasil »

'Fiz uma prótese de mão negra para meu irmão - e isso se tornou um negócio de sucesso' - BBC News Brasil

Ubokobong Amanan Sunday, que é negro, não conseguia encontrar próteses na cor de sua pele; ele entrou em depressão, até que seu irmão teve uma ideia.

A única vantagem q tenho como idoso é furar fila. Mesmo assim tenho q brigar na maioria das vezes. As pessoas têm vergonha de envelhecer. Como se isso fosse de hj, que hipocrisia, sempre foi assim 🤦🏻‍♂️ Até que enfim alguém fala do etarismo Eita! O povo problematiza tudo! A única velhofobia que eu sinto é a minha própria impendendo.

A disputa entre Brasil e outro gigante que deu origem ao Uruguai - BBC News BrasilUruguai foi criado após mediação diplomática que pôs fim na disputa de seu território por dois gigantes da época: as Províncias Unidas do Rio da Prata e o Império do Brasil. Não se trata disso, paulistas a vanguarda portuguesa mameluca americana não alcançaram o rio da prata com colonização, chegaram até laguna SC. Sorte do Uruguai, senão hj teria o Bolsonaro como seu presidente. Uruguai, país e povo maravilhoso. Sorte deles, agora apenas vizinhos de nós, os brasileiros.

Como a pandemia de covid-19 pode levar a uma revolução nas vacinas - BBC News BrasilUma tecnologia promissora testada há 30 anos usa engenharia genética para criar vacinas mais baratas e simples de produzir em grande escala. O novo coronavírus criou uma oportunidade para que ela finalmente chegue ao mercado. Curioso não? *Mais rápidas, simples e baratas: ChinaLiedPeopleDied

As 'desculpas' de John Chapman pelo assassinato de John Lennon há 40 anos - BBC News Brasil'Eu o matei (...) porque ele era, muito, muito famoso e eu estava muito, muito em busca de glória pessoal, algo muito egoísta', disse o assassino de John Lennon durante uma audiência nos EUA sobre sua sua liberdade condicional (que foi negada). Nunca saia daí... Resumo de tudo: um doente john lennon batia né yoko ono né?

'Sair com outras pessoas nos fortaleceu como casal' - BBC News BrasilTer encontros românticos com outras pessoas pode melhorar o relacionamento de um casal? Poppy e Elliot participaram de um programa da BBC e agora contam por que, no caso deles, sim. Tremenda idiotice! Quem diz que precisa disso pra melhorar um relacionamento é porque não está preparado para assumir compromisso! Ninguém é obrigado a se comprometer, se assume um compromisso com alguém tem que honrar e ser fiel. Ridículo essa banalização dos relacionamentos. AUHAUHAUAHAUHAUHAUAHUAHAUHAUAH vão se tratar krl Dá certo sim. Vê o Whindersson Nunes...

Grávida salva marido de ataque de tubarão na Flórida - BBC News BrasilMesmo grávida, Margot Dukes-Eddy disse que não hesitou em pular no mar quando viu a barbatana dorsal do tubarão e o sangue do marido na água. Muié braba que chama. O dilema dessa situação seria arriscar a vida do bebê e a própria vida para salvar o pai. Acho que eu agiria como ela, pularia sem pensar. Fico feliz que tudo correu bem Parece spoiler do próximo filme com a Mulher Maravilha e o Batman

'Comi meus amigos para sobreviver', relembra vítima de acidente aéreo - BBC News BrasilEm entrevista à BBC, o uruguaio Roberto Canessa relata episódio que acabou inspirando sua carreira médica e que agora detalha em livro. Triste. eu morria de fome matheuss_pe e felipekbca