Os desafios de Doria para se tornar o nome da terceira via em 2022

03/12/2021 13:00:00

Após prévias, o tucano precisa unificar o seu partido, fechar acordos fora dele e melhorar o seu desempenho eleitoral

Vencedor das prévias do PSDB, Doria precisará multiplicar esforços diante dos desafios gigantescos que terá pela frente no sonho de chegar à Presidência. A primeira tarefa envolve reconstruir o ninho tucano. Não será fácil. Leia na reportagem de VEJA:

Após prévias, o tucano precisa unificar o seu partido, fechar acordos fora dele e melhorar o seu desempenho eleitoral

João Pedroso de Campos Atualizado em 3 dez 2021, 06h12 - Publicado em 3 dez 2021, 06h00 OBSTINADO - Doria: “Cada vez que dizem que não vai dar, eu aumento minhas horas de trabalho” - Aloisio Mauricio/Fotoarena/.A equipe da BBC News Brasil lê para você algumas de suas melhores reportagens Episódios Fim do Podcast Alguns elementos contribuíram para essa queda: a reação do governo à pandemia do coronavírus; os escândalos envolvendo filhos do presidente, especialmente o chamado caso das "rachadinhas"; e as acusações relacionadas à compra de vacinas contra a covid.Luciano Bivar.O governador João Doria celebra a sua vitória nas prévias do PSDB Luís Blanco/Equipe JD/Divulgação Publicidade Depois de vencer as tumultuadas prévias do PSDB , o governador de São Paulo, João Doria, está se posicionando bem na terceira via para as eleições presidenciais de 2022.

Publicidade Publicidade Apesar de ser um dos políticos brasileiros mais bem-sucedidos dos últimos anos (não perdeu nenhuma eleição que disputou desde sua estreia nas urnas, em 2016, quando conquistou o direito de comandar a maior metrópole do país), o governador paulista João Doria, do PSDB, está longe de ser uma unanimidade dentro e fora de seu partido.Seus muitos inimigos e analistas apressados são pródigos em prever tropeços em sua trajetória política, e a aposta mais recente envolvia a possibilidade de fracasso nas prévias presidenciais tucanas.Por outro lado, o aumento do valor do Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família) pode ajudar a recuperar parte dos votos.Como se sabe, a previsão deu errado, mas a briga foi mais acirrada do que se imaginava.Apesar das conversas, as negociações não avançaram.O fato de Doria estar à frente da unidade mais poderosa da federação não o impediu de sofrer derrotas sucessivas em quase todos os seus pleitos e interesses na fase de organização dessa disputa.O presidente também conta com uma base de eleitores fiéis dispostos a ir às ruas para defender suas posições, como ocorreu nos protestos de 7 de setembro.Além disso, a maioria dos caciques da sigla, incluindo nomes como o deputado federal Aécio Neves (MG), o senador Tasso Jereissati (CE) e o ex-governador Geraldo Alckmin (SP), trabalhou fortemente a favor do concorrente rival, o governador gaúcho Eduardo Leite.Embora ainda não tenha emplacado nas pesquisas, a partir de agora Doria pode se posicionar oficialmente como candidato e conquistar mais votos.

No fim da tumultuada disputa, na qual uma pane na ferramenta eletrônica de votação adiou por uma semana a decisão, Doria, mais uma vez, venceu os obstáculos, sagrando-se vitorioso."Tem bolsonaristas que não abandonam Bolsonaro, mas tem os bolsonaristas de ocasião, que podem abandonar Bolsonaro e ir para outros candidatos de direita, principalmente para Sérgio Moro", avalia.Datena estava filiado ao PSL desde junho deste ano e era o principal cotado para a disputa da presidência pelo partido, mas o clima azedo fez o jornalista se desfiliar no início de novembro.“Cada vez que dizem que não vai dar, eu aumento minhas horas de trabalho, minha dedicação.Exatamente para demonstrar o contrário”, afirmou ele a VEJA.Primeiro, ele vai ter que centrar força na campanha em atacar dois candidatos: Sérgio Moro, seu principal adversário na disputa para chegar ao segundo turno; e Luiz Inácio Lula da Silva, atualmente em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.João Doria fala a VEJA: “O Brasil tem jeito” Agora, o governador precisará multiplicar esses esforços diante dos desafios gigantescos que terá pela frente no sonho de chegar à Presidência, mostrando-se a alternativa ao centro mais viável para romper a polarização entre Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, atuais líderes nas pesquisas.Na história recente, Datena também foi filiado ao DEM e ao MDB, antes de estreitar seus laços com o PSL.A primeira tarefa espinhosa envolve reconstruir o ninho tucano, que nunca se recuperou de seu período de glórias dos tempos da Presidência de Fernando Henrique Cardoso, entre 1995 e 2002.Ele era o candidato do antipetismo.Se conseguir conquistar o grupo dos indecisos, Doria tem boas chances de se tornar a cara da terceira via.

Derrotas sucessivas ajudaram a gerar divisões internas, que se aprofundaram ainda mais ao longo do recente processo das prévias.Até a bandeira de ética se perdeu ao longo do caminho, com figurões da sigla atingidos em cheio por denúncias de corrupção, com destaque nesse quesito para Aécio Neves.O segundo desafio é o fato de que Bolsonaro terá mais dificuldade para sustentar o discurso de combate à corrupção, especialmente após as denúncias de corrupção na compra de vacinas contra a covid e as acusações de que tentou interferir em investigações da Polícia Federal.Por ora, ele segue em negociações com o PSDB, mas o prazo para definições é abril do ano que vem e o apresentador ainda deve ter reuniões para formalizar, ou não, sua entrada no ninho tucano e quais serão as composições do partido.Ciente do tamanho da empreitada, Doria expressou a sua preocupação logo no discurso da vitória, em Brasília, no último dia 27.“Nessas prévias não há nenhum derrotado”, disse."Para Bolsonaro o discurso anticorrupção foi perdido e foi perdido por conta dos problemas na família, o envolvimento em compra de vacina, e o favorecimento de seus aliados do Centrão.“Precisamos da união do PSDB e de todos os partidos que possam construir o centro democrático.

” O processo de pacificação do tucanato passa pela complexa construção de pontes entre ele e algumas das lideranças que apoiaram Eduardo Leite.Bolsonaro está, atualmente, em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás apenas de Luiz Inácio Lula da Silva.Não será fácil.O próprio governador gaúcho já recusou a primeira tentativa de aproximação, materializada na forma de um convite para trabalhar na campanha do ex-adversário.Luiz Inácio Lula da Silva, pelo PT Crédito, EPA/LUCA PIERGIOVANNI O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvia aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para presidente da República, seguido por Bolsonaro e Sérgio Moro.Doria tentará novos lances na mesma direção é já escalou seu coordenador de campanha nas prévias, Wilson Pedroso, para ir dentro em breve ao Rio Grande do Sul com a bandeira branca em mãos.Outro ponto delicado é a relação com o presidente do partido, Bruno Araújo, que não escondeu nos bastidores a simpatia por Leite e foi responsável por decisões importantes contrárias aos interesses de Doria durante as prévias.Embora, não tenha confirmado que irá concorrer, o ex-presidente tem participado de eventos para discutir propostas para o Brasil, vem se reunindo com setores da sociedade, como lideranças evangélicas, e até rodou a Europa para dialogar com chefes de Estado e de governo.

“Bruno é um sapo que vamos ter de engolir”, resume um dos integrantes do grupo paulista.Já para se aproximar de tucanos de outros estados, Doria conta com o auxílio de aliados como Antonio Imbassahy, ex-líder da bancada na Câmara e que hoje é secretário da representação de São Paulo em Brasília, e o vice-governador Rodrigo Garcia, ex-líder do DEM no Congresso, que já tem feito incursões por Brasília para costurar alianças."O Lula tem a dificuldade de vencer o antipetismo.“Como candidato, escolhido legitimamente nas prévias, Doria reúne as condições para dialogar com bancadas federais e estaduais, considerando os contextos regionais de cada uma delas”, afirma Garcia.PACIFICAÇÃO - Bruno Araújo, presidente do PSDB, Doria e Leite: emissário vai ao RS em busca do apoio do ex-rival – Pedro Ladeira/Folhapress/.Uma parte dos problemas que originou o antipetismo, que é o escândalo de corrupção, se dissolveu pelo tempo que passou, são escândalos já precificados", avalia Claudio Couto, da FGV.Entre as pedras a ser removidas do caminho, há algumas mais pesadas.

É o caso de Minas Gerais, onde a liderança de Aécio pode ser um entrave — Doria já defendeu a expulsão do mineiro, que foi o candidato do partido à Presidência em 2014.Lula tem a vantagem de, ao menos por enquanto, só ter Ciro Gomes (PDT) como adversário de esquerda na disputa.Os tucanos do estado concordam que o governador paulista está com a bola para construir a sua viabilidade eleitoral, mas avaliam que isso está atrelado à adoção de uma postura conciliadora e longe de qualquer tentativa de “depuração” direcionada a Aécio.Também acham essencial que Doria evolua nas pesquisas, mude o tom do marketing para fora das fronteiras paulistas e, sobretudo, demonstre capacidade de unificar o centro.Isso garante a ele maior facilidade para chegar ao segundo turno.“Essa será uma condição fundamental para que ele migre da condição de pré-candidato para a de candidato, porque não terá sentido fracionar o centro político com candidaturas sem capacidade competitiva”, diz o presidente do PSDB mineiro, Paulo Abi-Ackel, aliado de Aécio.O tempo para Doria parece curto diante do “Everest político” a ser escalado em dez meses.Ele tem na esquerda um apoio consolidado.

No Palácio dos Bandeirantes, a avaliação é que as costuras internas precisam estar ajustadas antes de março, para que o foco possa se virar para as alianças com outros partidos.O MDB e o União Brasil (fusão de DEM e PSL) estão entre as prioridades — o primeiro, por ser muito capilarizado e seu presidente, Baleia Rossi, próximo de Doria; o segundo pelo fato de o DEM ter sido o partido de Rodrigo Garcia até o início do ano.Sergio Moro, pelo Podemos Crédito, REUTERS/Adriano Machado Em 10 de novembro, o ex-juiz Sergio Moro se filiou ao Podemos numa cerimônia na qual o partido o anunciou como "futuro presidente da República".“Essas são as aproximações naturais”, afirma Imbassahy.No radar estão ainda partidos como o Podemos, que acaba de lançar o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro à Presidência.Nas primeiras pesquisas de intenção de voto realizadas após a filiação ao Podemos, o ex-juiz aparece em terceiro lugar na disputa, atrás de Lula e Bolsonaro, mas com tendência de alta no desempenho.Doria e Moro se falam com frequência e uma caminhada em conjunto para 2022 não parece totalmente fora de propósito, desde que se resolva um difícil entrave: quem abrirá mão de ser o líder? Hoje, Moro figura bem melhor que o governador nas pesquisas.

Por outro lado, faltam-lhe traquejo político e experiência de gestão, pontos em que Doria leva larga vantagem."Ele é um candidato que tende a crescer agora.OBSTÁCULO - Aécio: o deputado é o principal entrave de Doria para unir a sigla – Horacio Villalobos/Getty Images Continua após a publicidade Igualmente delicada e fundamental para o sucesso da candidatura será a construção de palanques nos maiores colégios eleitorais do país.No caso do Rio, espera-se que o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia, que ocupa cargo de secretário de Projetos e Ações Estratégicas no governo paulista, possa exercer algum papel nesse sentido, mesmo com a expectativa de ele ir para o PSD de Gilberto Kassab — que tem como pré-candidato o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.Antes era apenas uma hipótese de candidato.No caso de Minas, os cálculos são de que Romeu Zema (Novo), governador bem avaliado, possa aprofundar o afastamento já ensaiado do governo Bolsonaro e fique aberto a apoiar outro nome ao Planalto — Doria tem boa relação com ele.Em São Paulo, a estratégia está nas mãos de Garcia, hoje a figura mais importante na administração do estado e na política de Doria.Por outro lado, Moro terá o desafio de comprovar que suas capacidades vão além do discurso anticorrupção.

Nas prévias, Garcia nomeou pessoas de sua confiança que se revelaram fundamentais para a vitória, como o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, responsável na campanha por resolver o intrincado problema do apagão eletrônico na votação.Incansável na busca por novos aliados, Garcia fechou na última quarta, 1º, o apoio do apresentador José Luiz Datena aos tucanos (o jornalista estava mais próximo do PSD de Kassab).Mas ele tem espaço para conquistar votos de antipetistas, e pode roubar parte do eleitorado do PSDB que desaprova Bolsonaro, mas também não quer o retorno de Lula.Em troca, na hipótese mais provável, Datena deve sair candidato ao Senado por São Paulo.TEMPOS DE GLÓRIA - FHC: o presidente sobe a rampa do Planalto após vencer a eleição de 1994 e levar tucanos ao poder – Paulo Jares/.Apostaria numa disputa entre Moro e Bolsonaro para chegar ao segundo turno.O vice-governador assumirá o Palácio dos Bandeirantes em abril e terá as tarefas de se viabilizar como sucessor do chefe e defender a gestão dos ataques adversários.

Caberá ainda a Garcia apresentar o legado positivo do governo para diminuir a rejeição a Doria — 58%, segundo pesquisa recente da Quaest.João Dória, pelo PSDB Crédito, REUTERS/Adriano Machado O governador de São Paulo, João Dória, foi escolhido para ser candidato do PSDB após vencer o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, em prévias realizadas pelo partido.Entre as realizações que serão exploradas estão o esforço pioneiro de Doria para viabilizar a vacinação com a CoronaVac, o fato de o número de alunos em período integral em São Paulo ter passado de 100 000 para mais de 1 milhão e o crescimento do PIB do estado em níveis bem superiores ao do país, mesmo durante a pandemia.“A rejeição dele é a mais fácil de ser revertida, pois tem muitos resultados a apresentar”, afirma o marqueteiro Daniel Braga, que trabalha com o tucano desde 2016.Nos picos de infecção, ele defendeu lockdowns, fechamento de comércio e restaurantes e medidas de isolamento social, além de ter investido, por meio do Instituto Butantan, na produção da CoronaVac, a primeira vacina a ser disponibilizada no Brasil contra a covid-19.Do sucesso de Doria pode depender até o futuro do PSDB.O partido, que governou o país por dois mandatos com Fernando Henrique Cardoso, vive um cenário de insucessos desde 2002, com a derrota de José Serra para Lula.Mas pesquisas de intenção de voto realizadas até agora o colocam na quarta ou quinta posição no primeiro turno.

A decadência atingiu o fundo do poço em 2018, quando Alckmin teve 4,7% dos votos nacionais e a bancada chegou a 29 deputados (em 1998, eram 99).Tucanos e analistas observam que, nas cinco eleições perdidas, faltaram motes mais bem definidos para pedir votos e uma defesa com mais afinco do legado de FHC.Além disso, Dória enfrenta resistências dentro do próprio partido e corre o risco de ser alvo de "fogo amigo" durante a campanha.A estabilização da moeda em um país que vivia um quadro de hiperinflação crônica, afinal, teve forte impacto social e lançou as bases para que nos governos de Lula pudesse ter havido distribuição de renda.Foi nas gestões de FHC, além do mais, que se lançaram programas de transferência de recursos que foram os embriões do Bolsa Família, aprovaram-se privatizações, como a do setor de telecomunicações, e as leis de responsabilidade fiscal e dos genéricos.Dória também vai enfrentar o desafio de convencer o eleitorado de outras regiões do país, especialmente do Nordeste, que não é um político centrado nos interesses e desafios de São Paulo e do Sudeste.“O PSDB sempre teve dificuldade de assumir aquilo que fez.

Em 2002, realizou uma campanha como se estivesse pedindo desculpas à população, não bateu no peito e disse que estabilizou a moeda, que ampliou o acesso à telefonia.Ele precisa vencer essa resistência e terá a tarefa de comprovar que tem sensibilidade para questões de outros Estados", avalia o professor de ciência política da FGV.A comunicação foi um desastre”, analisa o cientista político Rubens Figueiredo.FOCO - Henrique Meirelles: a economia será o principal tema da eleição em 2022 – Ettore Chiereguini/Futura Press/.Em 2018, ficou em terceiro lugar no primeiro turno, com 12,5% dos votos.Recuperar o terreno perdido em 2022 será difícil, mas a história pode se repetir para o PSDB.Como em 1994, quando a estabilização promovida pelo Plano Real levou FHC ao poder, o tema central em 2018 será a economia.Candidato associado à esquerda ou centro-esquerda, Ciro Gomes tenta novamente despontar como terceira via, ou seja, alternativa a Lula e Bolsonaro.

Nesse campo, Doria tem uma vantagem considerável em razão dos bons resultados do estado.Logo após as prévias, ele anunciou que terá um conselho com seis pessoas debruçadas sobre o tema, lideradas pelo ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles.Ciro foi prefeito de Fortaleza, deputado estadual, deputado federal, governador do Ceará e ministro dos governos Itamar Franco e Lula.Ainda no discurso da vitória, Doria lembrou que o PSDB criou o Plano Real e a Lei de Responsabilidade Fiscal e apontou as prioridades, como o combate à miséria, a criação de emprego e renda e o compromisso com a saúde do estado, respeitando o teto de gastos.Os desafios de Doria não são poucos, nem são fáceis, mas os primeiros passos indicam que ao menos caminha na direção correta.Para fazer frente à candidatura de Lula, Ciro tem adotado uma estratégia de ataque, criticando fortemente o ex-presidente petista.“Imediatamente após a vitória, ele fez gestos importantes na direção da unidade”, diz Luiz Fernando Machado, citando como exemplo o convite à participação de Leite na campanha.

Mesmo os adversários reconhecem a qualidade da gestão de Doria à frente de São Paulo, assim como a forma obses­siva e organizada como costuma enfrentar qualquer disputa.Será que ele se corrigiu e não vai repetir aqueles erros terríveis que você só descobriu depois? O pior é que você nunca viu ele pedir perdão pelos erros e está vendo ele se juntar de novo às mesmas pessoas", escreveu Ciro nas redes sociais.Nesse aspecto, ele chega em alguns momentos a surpreender até sua própria equipe, como quando convocou uma reunião em meados de maio já para discutir detalhes da empreitada das prévias com o objetivo de montar uma estrutura de campanha jamais vista em disputas do tipo.Costuma ouvir conselhos, mas é duro de ser convencido a mudar estratégias que o fizeram ser bem-sucedido até aqui.Se por um lado essa estratégia visa firmar Ciro Gomes como alternativa a Lula, por outro, pode eventualmente afastar eleitores que nutrem alguma simpatia pelo PT ou que defendem uma ampla aliança anti-Bolsonaro.Numa dessas exceções, adotou nos últimos tempos a ideia de tentar se vestir de maneira menos formal e topou até incorporar piadas sobre o seu estilo.Assim, o apelido “calça-apertada”, viralizado de forma maldosa pelos bolsonaristas, virou uma espécie de slogan oficial do tucano.Ele ainda é visto como alguém, no mínimo, de centro-esquerda", diz o cientista político Claudio Couto.

Mais recentemente, topou até ser tratado como o “chato que o Brasil precisa” em vídeos oficiais que ressaltam sua eficiência administrativa.“Se trabalhar dezesseis horas por dia é ser chato, se cuidar da saúde e da economia é ser chato, então eu sou chato”, afirma.Ela foi a primeira mulher a disputar o comando do Senado, em 2021.Para quem assume não gostar de conquistas pelos caminhos mais tradicionais, provar a eficiência desse marketing de fazer campanha ressaltando os próprios “defeitos” é mais um dos seus muitos desafios na longa e dura maratona política daqui para a frente na tentativa de chegar ao Palácio do Planalto.Publicado em VEJA de 8 de dezembro de 2021,.A possibilidade de candidatura à Presidência surgiu do destaque que Tebet teve na CPI da covid no Senado.

Consulte Mais informação:
VEJA »
Loading news...
Failed to load news.

Forabozonaro NA CADEIA JÁ INIMIGO DA FAMÍLIA BRASILEIRA Um verdadeiro picareta, foi eleito por simular apoio ao Bolsonaro, agora veremos aonde ele vai se escorar... pior governador dos últimos 50 anos. 💩💩💩💩💩💩💩💩💩 A começar pelo nome 'ninho', é patético. Vocês são um atraso... Doria aquele e bolsonarista ' junto com mbl fazem fake news . 🤣👈

Confiscou aposentadorias, aumentou impostos ninho? isso é um covil Veja, estamos em 2021 !!! Ninguém acredita nessas suas capas pagas Nunca será. Eu não voto no Doria de jeito nenhum.

Eleições 2022: quem são os pré-candidatos e os obstáculos que devem enfrentar - BBC News BrasilJair Bolsonaro vai disputar a reeleição enquanto Lula tenta retornar ao Palácio do Planalto para um terceiro mandato. Enquanto isso, candidatos de esquerda e direita tentam se viabilizar como 'terceira via'. PrefiroCiro Vai ser uma eleição complicada... única resposta certa é lula.

Cabo daciolo na cabeça 🤣🤣🤣🤮 A nem disfarça a pelagem amarela e azul. Né ? Dentro desse ninho tem uma serpente rei, jamais sera consertado. PSDB é um câncer em SP que não vai se espalhar pelo Brasil. Conta a do papagaio agora

Os ‘namoros’ de Datena para definir seu futuro político em 2022 | MaquiavelNas negociações para qual cargo disputaria no ano que vem, o apresentador já flertou com Ciro Gomes, o PSD de Gilberto Kassab, o DEM e agora o PSDB

Reconstrução?como? Se tá todo mundo vendo esse partido se decladiando QUALQUER PAULISTA/PAULISTANO, QUE DER SEU VOTO PARA ESSE SAFADO/VAGABUNDO, MERECE SOFRER MESMO, E COM UMA AGRAVANTE 'CALADO' Já abandonaram o Marreco? Campanha do desespero da Veja começou,vai ser outro q vai perder para o presidente lula,morre de inveja Veja jornaleco partidário

Missão impossível Um traidor e uma Fanta louca. Nunca será eleito! Reconstruir como? Se ele é quem destriu o ambiente... 💩💩💩 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, mas uma piada da veja O partido de vocês faliu, acabou, assim como a revista tucanalha.

Por que Doria se posiciona bem na terceira via | Matheus LeitãoMatheus Leitão: Com vitória nas prévias, tucano tem chances de crescer na corrida eleitoral (via Mleitaonetto) Mleitaonetto Tem chance de ir para a P.Q.P Mleitaonetto Se a corrida for nas redações da Veja e do Estadão, talvez. Do contrário, é só desejo de líder de torcida mesmo. Mleitaonetto Tem sim de 2% pra 4%

Perder A Veja nunca escondeu sua parcialidade em relação a política, agora está mais claro ainda Kkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk Que piada esse lixo. 🤣🤣😅😅😂😂🤣🤣😅🤣🤣🤣😅🤣😂😂🤣😅🤣😂😅🤣😂😂🤣😅😂😂🤣🤣 Esse calcinha atolada é um vira bosta! Eu só queria q uma empresa como vcs tivessem a coragem de fazer uma reportagem aqui no meu bairro. É inacreditável a falta de planejamento dessa raça . jdoriajr e ricardo_nunessp . E eles não estão nem aí para os pobres . Venham fazer.

➡️2️⃣2️⃣ Esse cara e estranho.🙆‍♂️🤣🤣🤣🤣 Essa revista vive do que? Ninguém se interessa mais pot essa imprensa

Em NY, Doria diz a investidores que o Brasil tem jeito | RadarEm NY, Doria diz a investidores que o Brasil tem jeito (via radaronline) radaronline Kkklkkk com vc nunca vai ter jeito irresponsável radaronline radaronline Esse arromb*do destruiu SP. Agora quer phuder o país inteiro. Ainda bem q vai brigar com a margem de erro.

💩😂 Essa revista não serve nem pra limpar a bun.... Dória é minha pica Não se elege mais nem para síndico! Deixem o Robert brincar.. Sonho não, ilusão rs A Veja não vai pedir 'Autocrítica ' para o PSDB? A primeira tarefa é deixar de ser mentiroso e oportunista! Por que o brasileiro médio não escolhe o candidato com base na sua experiência e resultados administrativos ? Depois de tudo que passamos votar na FALA de candidatos populistas, corruptos ou em heróis que não podem cumprir o que prometem, é ser muito burro.

Com Doria, Datena acerta vaga na chapa de Garcia ao Senado | RadarApresentador é lembrado para vice, mas deve mesmo buscar uma cadeira no Congresso em 2022 radaronline DatenaOficial mostrando quem é o personagem apresentador e quem é o político. Mais do mesmo! Me ajuda aí! radaronline A coitado. Ganha nem pika radaronline Dá pena...

Faltou o bigodinho do Hit*ler... O cara tava beijando Bolsonaro em praça pública até outro dia desses... A primeira tarefa é explicar pra quem ainda cogita em dar um voto como alguém pode ser feito de idiota por alguém com o pedigree do presidente. O que se vê na mídia comercial JornalOGlobo Estadao folha é tão distante do Brasil real e do povo que as páginas destes folhetins parecem ter sido escritas por algum autor ficcional. É jornalismo militante, não jornalismo de verdade. Lixo puro.

Calça apertada Pago bem heim! Nunca será!!! INCOMPETENTE!!! O título deveria ser: O perigo de um novo ditador. Não chegará... Ninguém que mexe em aposentadoria sobrevive a política Jamais será presidente de nada.

A conversa de Doria com o secretário-geral da ONU | RadarPresidenciável do PSDB convidou Guterres para participar das comemorações dos 200 anos da Independência do Brasil radaronline carlosgiannazi DamarismouraDra Nosso calote na saúde, na alimentação, na moradia tem um nome Gestor jdoriajr!Aposentados do GovSP estão com aposentadoria “CONFISCADA” DamarismouraDra estamos vivos! DoriaTerrorSP radaronline DoriaOMaiorVirusDoBrasil DoriaCachorrinhoDaChina

Mentiroso. Se a JovemPanNews é contra o jdoriajr é porque alguma coisa ele está fazendo direito. Ele tinha que colocar o ministério público pra processar essa rádio safada. Ninho Virou uma 'senzala política', onde o SENHOR Dória, determina, indica, manda e desmanda, não haverá reconstrução do que foi implodido por ele mesmo!!!!

Kkkkkk vcs são ridículos! Esse cara nunca será presidente Na última eleição saiu Bolsonaro desse ninho. Socorrooo marcioce2036 Nada é fácil para quem trabalha de verdade. É por isso que as conquistas decorridas de trabalho sério têm um sabor todo especial. Kkkkkkkkkkkkk 😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂. Nem a veja dando capa de destaque salva essa derrocada desse um!!!! Melhor coisa é ele apoiar o moro pra vergonha não ser maior !!!!!

Dória é especialista em destruir!

Não morro de amores pelo jdoriajr pelo contrário, assim como muitos oportunistas surfou a onda bolsonarista de 2018 Mas é o que tem pra hoje e precisamos ser PRAGMÁTICOS, o cara trouxe a vacina e fez o vagabundo do Bolsonaro comprar as outras mesmo que pelas 'intenções erradas' Não passa dos 2%! Melhor ficar em SP.😂

esse não ganha nem para síndico de condomínio Senti falta de uma matéria sobre o PSTU. Quase tão relevante nesta eleição quanto o PSDB... 💩💩💩💩💩💩💩💩💩 Olha pelo lado bom, pelo menos a capa da veja dessa semana não é Moro... So tem o apoio da veja , quanto custa para me colocar na capa com uma frase positiva?

Kkkkkkkkkkkkkkkll vai ter que contratar uma empilhadeira para juntar o lixo.

LulaPresidente2022 O grande perdedor em 2018 foi o PSDBoficial. Até hoje eles não querem admitir a acachapante derrota, e permanecem divididos e sem rumo. Um grupo deseja ficar na sombra do poder e outro busca uma nova identidade, que não sabe nem qual é. Triste e melancólico fim. NÃO VOTO EM NENHUM: Mas Dória com 2% e Moro e Datena, dois parasitas que nunca geriram um tabuleiro de cocada, com 5% e 4% não dá. O eleitor também tem que se ajudar.