Opinião | O medo, o terror e a falsa superioridade de uns sobre outros não podem caber no século XXI

Coluna | O medo, o terror e a falsa superioridade de uns sobre outros não podem caber no século XXI

Cartacapital, Carta Capital

18/01/2022 12:00:00

Coluna | O medo, o terror e a falsa superioridade de uns sobre outros não podem caber no século XXI

A despeito do clima de terror reinante no âmbito internacional, a China segue sua estrada de diplomacia pacífica, inclusive para o Oriente Médio, onde outros só semearam a cizânia...

Papa Francisco(Editora Vozes), obra que reúne algumas das homilias do Bispo de Roma.O atual desgoverno brasileiro previu no orçamento de 2022 (em plena pandemia) o dobro de recursos para as Forças Armadas do que foi previsto para a Saúde, um absurdo compatível com a prioridades genocidas do necrogoverno.

sine qua nonCom pragmatismo, Francisco aduz: “É um apelo sempre atual, que vale para todas as gerações. Não diz ‘Felizes os pregadores da paz’: todos são capazes de proclamá-la, até de forma hipócrita ou mesmo mentirosa. Não. Diz: ‘Felizes os promotores da paz’, ou seja, os que a promovem.”

Consulte Mais informação: CartaCapital »

Carlos Andreazza: 'Intervir na Petrobras é 'jeitinho' de Bolsonaro para adiar decepção do eleitor'

No CBN Em Foco, você acompanha uma análise aprofundada dos temas que dominam o noticiário. Um programa que tem a proposta de separar os fatos da espuma. Com ... Consulte Mais informação >>

Com a palavra, os Uigures... Ah esses não contam....

Bebê de três anos morre vítima da Covid-19 no CatarCriança não tinha outros problemas de saúde ou doença hereditária conhecida Foram buscar um caso bem longe, hein?! Mais narrativas mentirosas para convencer a população a aceitar empurrar vacinas experimentais em crianças...

Apple exigirá comprovante de vacinação de funcionários contra a covid-19, diz site - Link - EstadãoSegundo The Verge, funcionários não vacinados ou aqueles que não enviaram comprovante de vacinação precisarão de testes negativos de covid-19 para entrar nos locais de trabalho da Apple Link E dos usuários tb... Link Ah, se Steve Jobs estivesse vivo !!!!! Link Apple perdeu um fã incondicional

Boris Casoy: Preço da gasolina tem consequências eleitorais graves | CNN BrasilNo quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (15), Boris Casoy apontou que o aumento no custo dos combustíveis não possui “solução mágica”, e sim 'consequências eleitorais graves' No maior produtor de petróleo do mundo, a gasolina aumentou 50%, será que por lá culpam os governantes tb. O valor dos combustíveis é internacional, se for cobrado a menos terá que ter subsidio (Dinheiro do povo). Tem que se diminuir o imposto sobre ele. Imposto Federal, Estadual ou Municipal, não passa de imposto que o povo paga. Não adianta congelar, tem que diminuir o imposto.

9 estrelas que tiveram saídas conturbadas do elenco de suas sériesNos bastidores das séries, podem existir grandes conflitos entre elenco e equipe!

Painel: Governador do Piauí diz que proposta de Lira para baixar preço da gasolina não tem base técnicaWellington Dias (PT) rebateu postagem de presidente da Câmara dos Deputados sobre alta nos combustíveis

Especialistas veem potencial em NFTs de InstagramSigla faz referência a ativos digitais que não podem ser substituídos ou replicados Maybe you'll find something really interesting here... check It out! --- 👉🏻🔗 opensea link - Terreno no litoral de SP também teve sua época. 😎 XeuleBot

17.01.2022 17h58 Nova Rota da Seda representa o ambicioso projeto de infraestrutura do atual presidente Xi Jinping “…chegar à efetiva aplicação do direito internacional do direito à paz, como direito humano fundamental, precondição necessária para o exercício de todos os outros direitos.” Papa Francisco A citação acima do Pontífice encontra-se em Coragem — as razões da nossa esperança (Editora Vozes), obra que reúne algumas das homilias do Bispo de Roma. Com efeito, cabe perguntar por que o direito à paz não está positivado, inscrito, na Constituição brasileira, mais especificamente no artigo 6, que arrola os direitos humanos das brasileiras e brasileiros, como o direito à alimentação, à saúde e à educação, entre outros, incluindo o tão menosprezado direito ao lazer. Cabe lembrar que direitos humanos, por serem fundamentais, são universais, devendo ser protegidos, promovidos e providos pelo Estado, em qualquer latitude ou longitude. O atual desgoverno brasileiro previu no orçamento de 2022 (em plena pandemia) o dobro de recursos para as Forças Armadas do que foi previsto para a Saúde, um absurdo compatível com a prioridades genocidas do necrogoverno. Vale recordar que os direitos humanos não precisam estar positivados, expressos na Constituição, para serem reivindicados; no entanto, sua inserção na Lei Magna em muito contribui para o cumprimento. Aliás, caberia reivindicar também a expressão positiva na Constituição Federal do direito à justiça, condição sine qua non para a paz. Em apoio à anterior defesa da paz como direito humano, Francisco, na obra mencionada, cita o próprio Cristo, no Evangelho de Mateus: “Felizes os promotores da paz.” Com pragmatismo, Francisco aduz: “É um apelo sempre atual, que vale para todas as gerações. Não diz ‘Felizes os pregadores da paz’: todos são capazes de proclamá-la, até de forma hipócrita ou mesmo mentirosa. Não. Diz: ‘Felizes os promotores da paz’, ou seja, os que a promovem.” Com o didatismo dos que querem incluir a todos, Francisco continua sua reflexão: “E como se faz, como se constrói a paz? Foi o que nos lembrou, de maneira essencial, o Profeta Isaías: ‘Praticar a justiça trará a paz.’ A paz é obra da justiça. Aqui também: não uma justiça declamada, teorizada, planejada…mas a justiça praticada, vivida.” Nesse sentido, o Papa aclara: “A paz é, antes de tudo, a ausência de guerras…para que a cada dia se dê um passo a mais rumo à justiça, para que não existam crianças com fome, para que não haja crianças doentes que não tenham a possibilidade de ser ajudadas na saúde…Fazer tudo isso é promover a paz.” Como chegar lá? Francisco não nos abandona a meio caminho, indicando a estrada e os obstáculos que se antepõem à justiça e à paz, sendo o mais perverso, o medo que se instila: “O medo é uma atitude que nos faz mal, nos enfraquece, nos apequena e nos paralisa. Tanto que uma pessoa com medo não faz nada, não sabe o que fazer: está assustada, amedrontada, concentrada em si mesma para que não lhe aconteça nada de mau, de ruim. Assim, o medo leva a um egocentrismo egoísta e paralisa. “ Essa é verdade tão absoluta que migra, sem objeção, do individual para o coletivo; das relações interpessoais para as internacionais. De fato, a despeito do clima de terror reinante no âmbito internacional, de que a eclosão de uma terceira guerra — provavelmente definitiva para a humanidade – esteja às raias, a China segue sua estrada de diplomacia pacífica, inclusive para o Oriente Médio, onde outros só semearam a cizânia… Assim, a China não apenas se tornou o maior parceiro comercial da região, mas também propôs forma inusitada de cooperação com os países do Levante, principalmente por meio da iniciativa de cooperação “Rota da Seda”, à qual, muito simbolicamente, a Síria acaba de se incorporar. Ao império decadente (o condomínio liderado pelos EUA), não sobraram sequer os despojos da destruição: o maior parceiro comercial do Iraque – o país mais vitimado pelas mentiras e manipulações ocidentais – é também a China, como se ainda fosse necessário marco ulterior da derrota imperial na região. Nesse sentido, bem esclareceu Achille Mbembe, em Políticas da Inimizade (N-1 Edições): “Como a maior parte das guerras contemporâneas – a guerra contra o terror e as diversas formas de ocupação nela contempladas -, as guerras coloniais eram guerras de extração e de predação…Elas liberaram forças passionais que, em contrapartida, decuplicaram a capacidade de desunião entre as pessoas…Essa reintrodução global da relação colonial e suas múltiplas reconfigurações nas condições atuais não poupa sequer as sociedades no Hemisfério Norte. A guerra contra o terror e a instituição de um ‘estado de exceção’ em escala mundial apenas amplificam isso.” Faz-se o tempo de superarmos, definitivamente, as relações de dependência, de subordinação de dominação, entre pessoas, dentro dos próprios Estados e entre eles. O medo, o terror e a falsa superioridade de uns sobre outros não podem caber no século XXI. Seu reinado foi longo e terrível, com sequelas que ainda perduram e aterram, mas essa noite hesita, pois desponta a aurora da justiça e da paz universais. Relacionadas