O cadeirante que entrega comidas por aplicativos na avenida Paulista

Luciano Oliveira, de 44 anos, já chegou a levar duas horas para fazer uma entrega, mas diz que não planeja ficar muito mais tempo na função.

18.2.2020

'Nem tudo é fácil, mas o carinho e a atenção que recebo ajudam a continuar', diz Luciano, que faz entregas em sua cadeira de rodas. Para ele, o trabalho é uma boa oportunidade enquanto está desempregado, mas não planeja continuar na função por muito tempo.

Luciano Oliveira, de 44 anos, já chegou a levar duas horas para fazer uma entrega, mas diz que não planeja ficar muito mais tempo na função.

Image caption Luciano Oliveira entrega comida pela Paulista e regiões próximas em uma cadeira de rodas Pela Avenida Paulista, um homem em uma cadeira de rodas trafega ofegante. Em seu colo, carrega uma bolsa na qual leva lanches que recebeu em um restaurante localizado metros atrás, na mesma via. Passam das oito da noite da sexta-feira (14)."Estou desde meio-dia sem comer nada, meu filho. É muita correria, só dá tempo para tomar água", diz à reportagem. Ele pausa o percurso para pegar fôlego. Logo volta a seguir viagem. O destino de Luciano Oliveira, de 44 anos, é um edifício na Paulista. Ali, manda uma mensagem informando que chegou. A dona do pedido, uma jovem chamada Natasha, não se surpreende ao ver que o entregador é cadeirante."Ele já me havia avisado sobre isso pelo aplicativo, assim que pegou o pedido", justifica a moça. Oliveira explica que, logo que pega um pedido, avisa que o entregará em uma cadeira de rodas."É porque geralmente tem cliente que cancela por causa disso", diz. O entregador conta que muitos não querem esperar o tempo que ele levará para chegar."Acham que eu vou levar a comida de camelo", ironiza. Ele avalia que costuma demorar, em algumas situações, o dobro de tempo de um entregador em uma bicicleta."Mas tem muita gente que não se importa com isso." Como ser 'top': Ubers viram youtubers e faturam ensinando segredo do sucesso a motoristas e entregadores Para Natasha, o fato de ele ser cadeirante não foi um problema."Achei incrível. Isso é muito legal", diz a jovem. Ela acredita que a função de entregador é uma forma de Luciano conseguir um emprego que se adapte à sua condição. No entanto, nem sempre a função se mostra tão"adaptada". Oliveira conta que enfrenta dificuldades em razão dos obstáculos, ladeiras e calçadas com buracos. Os dias chuvosos também são difíceis para ele. O trabalhador afirma que há pouca acessibilidade nas vias. Por muitas vezes, precisa da ajuda de outras pessoas para que possa chegar ao seu destino. Antes de entregar comidas por meio de aplicativos, ele ficou desempregado por cerca de um ano. Enviou currículos a diferentes empresas, mas não conseguiu nada. A história dele retrata uma situação da economia brasileira em tempos atuais: a recuperação do mercado de trabalho tem se dado, em grande parte, à custa de serviço mais precário. As entregas A cadeira de rodas passou a fazer parte da vida de Oliveira há dois anos. Ele teve poliomielite na infância, que causou graves problemas de locomoção ao longo da vida. O entregador costumava ter dificuldades para caminhar — os problemas atingiam mais a perna direita. Direito de imagem Image caption Luciano na recepção de um prédio na Paulista onde fez mais uma entrega "O problema de locomoção foi piorando com o tempo. Há dois anos, tive uma grave alteração no quadril direito, faltou cartilagem na parte dos ossos, na região do fêmur, e comecei a usar cadeira de rodas", explica. Ele conta que ainda consegue andar, com certo esforço, em distâncias curtas. "Em casa, por exemplo, não preciso da cadeira de rodas. Mas não consigo caminhar por longas distâncias", afirma. Ao comentar o passado, ele relembra com orgulho do começo dos anos 2000."Naquela época eu era paratleta. Fazia jiu-jitsu, capoeira, natação e musculação. Ganhei várias competições entre paratletas. Sempre gostei muito de atividades físicas", conta. Luciano afirma que perdeu a força e a disposição com o passar dos anos."Mas ainda quero voltar a fazer os esportes", planeja. O entregador comenta que tentou se aposentar por invalidez, mas não conseguiu."O médico disse que eu tenho capacidade para trabalhar, mesmo com dificuldades nas pernas", relata Luciano. Há dois anos, Luciano, que morava em Salvador (BA), se mudou para São Paulo (SP) para morar com a esposa, que conheceu pela internet. Quando chegou à capital paulista, esperava encontrar um emprego com rapidez."Sempre vi São Paulo como a terra das oportunidades, mas não foi assim que as coisas aconteceram", comenta o entregador, que relata ter se formado em gestão de políticas públicas há cinco anos. Ele afirma ter enviado mais de 150 currículos desde que chegou a São Paulo, foi chamado para alguns processos seletivos, mas nunca foi contratado. Em meados do ano passado, foi aconselhado por uma amiga a se inscrever em plataformas de entregas de comida."Foi a única opção", pontua. Há três meses, ele começou a atuar com os aplicativos de Uber Eats, iFood e Rappi. A rotina de entregador começa por volta das 10h, quando ele sai de casa, no bairro Vila Divina Pastora, na Zona Leste. Luciano leva cerca de 1h30 até a Avenida Paulista para começar a fazer as entregas. Ele trabalha de cinco a seis dias por semana. Direito de imagem Image caption Nas ruas, Luciano costuma ser abordado por diversas pessoas que interagem com ele Durante o dia, faz de quatro a cinco entregas ao longo de, aproximadamente, oito horas. O trabalhador estima andar cerca de seis quilômetros diariamente. Luciano afirma que já chegou a levar duas horas para fazer uma entrega."Muitas vezes, preciso pegar um ônibus ou um metrô para chegar ao lugar", explica o entregador, que tem gratuidade no transporte público. Ele afirma que consegue cerca de R$ 400 por mês com as entregas. O valor, segundo o entregador, é sua única fonte de renda. Em casa, divide as contas com a esposa. Os aplicativos Luciano considera que os aplicativos são boas oportunidades enquanto está desempregado, mas não planeja permanecer por muito tempo na função."É muito esforço", diz. Enquanto atua como entregador, um dos sonhos dele é conseguir um aparato para transformar sua cadeira de rodas em uma espécie de triciclo. "Esse equipamento custa de R$ 5 mil a R$ 6 mil, mas no momento não tenho condições. Não tenho dúvidas de que isso facilitaria a minha locomoção", pontua. A relação entre os aplicativos e os entregadores é duramente criticada por estudiosos que avaliam diferentes aspectos das relações trabalhistas. Em entrevista à BBC News Brasil, publicada em reportagem de outubro passado, Ricardo Antunes, professor de sociologia do trabalho da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), descreveu o momento atual de motoristas e entregadores de aplicativos como a volta de formas primitivas de trabalho. Direito de imagem Vinícius Lemos/BBC News Brasil Image caption Um dos objetivos de Luciano é conseguir equipamento para que cadeira de rodas se torne uma espécie de triciclo, para ajudá-lo nas entregas "O trabalho desregulamentado não é novo, as mulheres trabalhavam 16 horas por dia na revolução industrial, mas agora isso vem com a tecnologia do mundo digital." Em relação aos entregadores com deficiência, por muitas vezes os aplicativos se tornam a única opção de trabalho. Em nota à reportagem, o iFood afirma que atualmente há 83 mil entregadores cadastrados na plataforma. Uma pesquisa feita pela empresa em junho passado apontou que cerca de 1% das pessoas que responderam aos questionários possui algum tipo de deficiência. "A maioria da deficiência apontada pelos participantes foi a auditiva. Já incluímos a opção de contato com clientes via mensagens", diz a empresa. Sobre o caso de Luciano, o iFood afirma que ele está ativo na plataforma para realizar entregas, mas não cita se há algum tipo de auxílio para cadeirantes que fazem entregas. "A empresa entende que há uma demanda específica para entregadores com mobilidade reduzida e, devido à importância da inclusão de pessoas com deficiência, está analisando iniciativas e soluções para que todos possam ter a melhor experiência possível", diz o iFood. O Rappi informa que não irá se pronunciar sobre o assunto, pois não conseguiu levantar as informações sobre entregadores com deficiência até a conclusão deste texto. A Uber Eats não respondeu aos questionamentos da reportagem. Comentários nas ruas Apesar das dificuldades para as entregas, Luciano avalia que tem passado dias felizes desde que começou a trabalhar como entregador. Nas ruas, ele costuma ser elogiado pelas pessoas."Preciso te parabenizar pela coragem. Não está por aí se vitimizando", diz um senhor, enquanto a reportagem conversa com o entregador. Há muitos que criticam as condições de trabalho dele."Olha esse cadeirante tendo que trabalhar como entregador", critica um rapaz, enquanto grava Luciano se locomovendo para uma entrega na Paulista. "Nem tudo é fácil, eu sei. Mas o carinho e a atenção que recebo me ajudam muito a continuar", diz Luciano, pouco antes de seguir para uma nova entrega."Dessa vez é em uma pizzaria", conta, pouco após checar o endereço no aplicativo."Fica a poucos metros daqui. Maravilha!", comemora e segue em direção ao estabelecimento. Direito de imagem Consulte Mais informação: BBC News Brasil

Me informe teu tel. Lógico. O sanduíche vai chegar frio. Quer o quê?!?! Lamentável... Q situação essa de aplicativos. Por um lado, é um trabalho, o cara ganha alguma coisa. Por outro, isso é tão exploratório. Não acho uma coisa simples d resolver e o luladrão aposentado por invalidez tendo serrado o próprio dedinho! o país de merda!

LuBeneBar Falam da uber, mas provavelmente foi a única que deu oportunidade a ele. Menos burocracias, mais empregos e dignidade. Não pode ser verdade Estão sofrendo ? Parem de trabalhar e esperem as esmolas do Luladrão. Alô, UberEats_br vai aí uma sugestão de peça publicitária, contra a intolerância, e favor da inclusão. LucianoOliveiraExemplo

Para o Lula isso se chama precarização do trabalho, mas roubar celular tá valendo

Lucro do Magazine Luiza cresce 54% em 2019 e chega a R$ 921,8 milhões - Economia - EstadãoAumento nas vendas e crescimento do e-commerce contribuíram para o resultado, segundo a companhia, que alcançou 19 milhões de usuários ativos mensais em seu aplicativo Economia Taí uma história bonita que merecia o cinema nacional. Um filme sobre a Luiza Helena Trajano. Economia MagaLu curtiu demais a liberação do FGTS do povao. Economia Pelo menos parece que o governo está indo bem na economia.

Deve ser porque demora mais Eu não preciso saber quem é que vai entregar... Se faço o pedido e demora demais, eu cancelo!! 🤷🏽‍♂️ Talvez seja a hora de considerar fazer outra coisa Luciano. Uma tu conseguir adquirir um Tuk Tuk poderias expandir tuas idas e vindas de muitas formas. Entregador de todo tipo. Farmácia,escritório,levar marmitas,pessoas como na Índia. Tantas possibilidades. Fazer um planejamento minucioso.Pensa.Planeja.

ancapball_br Terrível, ponte entre cadeirante e pessoa que não precisa de cadeira, é fácil - Preconceito. Os mesmos clientes que lavam o 'sucateamento da mão de obra' com o 'empreendedorismo' Não pararam ainda AconteceCaralho Teria q estar aposentado por invalidez :-(

Hamas consegue hackear dezenas de soldados israelenses com mensagens de mulheres falsasOs soldados israelenses clicaram em links enviados por jovens 'mulheres – que, na verdade, eram membros do grupo palestino Hamas... OI HACKER AQUI Kkkkkk os punheteiros entregando o ouro pro bandido Os patinhos sempre caem..Não podem ver mulher..😀😀

Prefere espera 10mn ou 1 hora? Essas pessoas que não respeita o próximo, merece ter o mesmo problema.💪🤜, as vezes o destino prova. Eh verdade esse bilete Ele só que mostrar que é capaz de fazer este trabalho pois na minha cidade deficiente fisico e mental tem direito o bpc e se quiser entrar no mercado de trabalho tem mais vagas disponivel para eles que para os demais digo vagas que sao reservada unicamente para deficientes

Isso é uma piada, o cidadão utiliza a sua força motriz para fazer a entrega viabiliza a operação do restaurante e do cliente e ainda tem gente que não recebe o pedido. Falta humanidade. Que incrível!! Poxa mas, aí o cliente cancela porque acha que o pedido irá demorar mais do que o normal, não porque ele é cadeirante. Assim penso eu.

Imbecilidade em estado bruto. Nojo dessa gente. Tudo gente do bem. 🦽 Mas porque será que cancelam.. Acho que imaginam que por ele ser cadeirante,vai demorar a chegar..

Hamas consegue hackear dezenas de soldados israelenses com mensagens de mulheres falsas'Nós temos percebido que eles têm aprendido e elevado o nível [técnico]', disse o porta-voz das Forças Armadas de Israel, Jonathan Conricus G1 Oi, galera!! Estou com uma ideia de abranger o conteúdo da química na internet. Então caso tenham curiosidade em saber alguma coisa sobre essa disciplina, me segue aí para discutirmos sobre. 💖🧪 Os cara tão em outro patamar Gados d+++

Parabens, homem de bem Esse ' Kao' de empreender é a mesma coisa PEGN da Globo lembram? Muita gente quebrou e não têm nem trabalho. Huber, ifood, 90 um k... tudo pilantra, vc trabalha de ' graca' para eles, depois desse comentário vão me tirar dessa rede porque eles mandam aqui também. F... Deve ser pela demora nada mais que isso! Fica se fazendo de coitado

Esses aplicativos fazem uma fortuna explorando pessoas vulneráveis e desempregadas. Parei de usar faz um bom tempo. Mas se cancelam, ele fica com o dinheiro da entrega + a comida, não? Impressionante como o Uber aceita q alguém trabalhe nessas condições Isso que eu chamo de ter garra e força de vontade para ultrapassar limites.

Para de conversa... Quem aqui que usa ubereats fica reparando se o entregador é ou não deficiente! Merda de reportagem fanfic. E outra, depois da aceitação do pedido pelo restaurante, o cliente não pode mais cancelar o pedido. O brasileiro é ignorante , atrasado msm ! Preconceito é coisa de gente ignorante !

Já tive viagem em app de carona cancelada por caroneiro por eu ser deficiente físico (eu era o motorista).

Monobloco atrai famílias e até cachorro em desfile no Ibirapuera - São Paulo - EstadãoPúblico elogiou a organização e a segurança do evento, que reuniu os foliões na Avenida Pedro Álvares Cabral SaoPaulo Que noticião!!!! HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH SaoPaulo Nessas horas ninguém se preucupa com o barulho para não assustar os pets. Ainn fogos não, fogos matam Vejam meu pet, teve convulcão, ainnn SaoPaulo Que bom acabou a crise vamos gastar

angelofiorin nem sei o que falar Mas por que? O pedido demora mais um pouco, mas a vida ser útil vale muito mais. Força, Luciano. Vc é exemplo para muitos preguiçosos ambulantes Eu juro que nao entendo como tem pessoas que ficam abismadas com isso. Fico imaginando se esses apps fossem um programa social. Muitos progressistas estariam aplaudindo a iniciativa do estado e dizendo: “olha, isso o mercado não faz: dar oportunidade para todos de trabalhar.”

Temdó... talvez cancelem não por preconceito do cara, mas por não achar digno a condição dele a essa nova escravidão de não assalariado. Essa uberização maldita! Para de conversa... Quem aqui que usa ubereats fica reparando se o entregador é ou não deficiente! Merda de reportagem fanfic. Alguém dê um emprego mais digno para esse homem... algum empresário pode contratá-lo para que ele possa ter melhores condições de trabalho.

Cancelam por ignorância. Exemplo para os preguiçosos! Gente!!!! Como assim? Olha... Tá complicado...

São Paulo aumenta seu volume ofensivo mas diminui a eficiênciaFALTA ACERTAR O ALVO ... 🤷‍♂️🎯🇾🇪 São Paulo aumenta seu volume ofensivo mas diminui a eficiência lancenet

Batalhador! Isso representa o povo brasileiro! Palavras dele ''Luciano considera que os aplicativos são boas oportunidades enquanto está desempregado''. Feliz? Não deve estar. Mas só por meio do aplicativo e do capitalismo ele conseguiu seu espaço. O cara quer emprego, dinheiro e ñ pena! Boa noite ! Muitas vezes quando se reside em residência com três ou até quatro andares de escada ... algumas pessoas não desejam descer para buscar a comida ! Penso que isso possa ser uma dificuldade e não a demora da entrega !

Pior que essas pessoas que cancelam os pedidos são os médicos desgr*ç*dos do INSS afirmando que ele pode continuar a trabalhar normalmente e não precisa se aposentar por invalidez. VSF! Mas segundo os liberais, ele é 'empreendedor' Poderiam me mandar o contato do Luciano? Obrigado Vidas Entregues (Dez/2019) é um curta-metragem documentário. O tema é sobre os entregadores de aplicativos de comida (ifood, Rappi, Uber) que trabalham de bicicleta. O filme é uma pá de cal na falácia do empreendedorismo.

Alguma empresa ou algum ser humano com condições poderiam doar uma cadeira de rodas motorizada para ele né? Com certeza isso o ajudaria muito Se ele é pontual, daí eu não sei 😡

Uber apresenta proposta para operar ciclofaixas de lazer na capital paulista - São Paulo - EstadãoPrefeitura de SP afirma que documento passará por análise técnica da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes e da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana; serviço foi suspenso há quase 6 meses SaoPaulo Esse aplicativo não consegue nem lidar com os assédios cometidos por seus motoristas quem dirá operar ciclofaixas

BRASIL 2020 DA NOJO 🤮 O ser 'humano' cada vez menos 'humano'. Que porcaria de mundo é esse em que estamos vivendo. coitado O preconceito é uma desgraça! Mas o governo sempre tentar melhorar a situação. Trabalha sentado ainda por cima. É bem vadio ! valente Emprego do Bolsonaro manoelfers Isso não é bonito gente, Isso é desumano, Parem de romantizar esse tipo de situações, tirando a responsabilidade do governo.

Sabe os incentivos e a política pública para PCD? Pergunta a mulher do bolsonaro, a que recebeu depósito do ex PM Queiroz...

Vidas Entregues (Dez/2019) é um curta-metragem documentário. O tema é sobre os entregadores de aplicativos de comida (ifood, Rappi, Uber) que trabalham de bicicleta. O filme é uma pá de cal na falácia do empreendedorismo. MUITO TRISTE. Não adianta, tem gente que só consegue ver o lado ruim das coisas... só sabem reclamar, enquanto isso as outras pessoas fazem acontecer

Ou seja, empregos informais são a salvação para as pessoas que mais necessitam. Burocratização estatais em empresas= +desempregos Um amigo meu disse que ele ficou assim após ser baleado quando cometeu um assalto, mas eu sei que é fakenews. Infelizmente ele tá certo , sai da empresa de uma gigante que só contrata deficiente sendo obrigado pelo M.T.E apesar do discurso hipócrita dizer o contrário.

Enquanto houver cadeirante entregando comida eu não acreditarei que vagabundo vira bandido por falta de oportunidade. Eu vi uma reportagem sobre ele. Se eu não me engano seu nome é Luciano.. Olha q bonito a Uber democratizando o trabalho no Brasil ironia Micro empreendedor.

Desejo que ele possa conseguir um trabalho que lhe dê dignidade. Governo fascista responsável por atrocidades comparáveis às mais vergonhosas do mundo, culpado não é o escroto que está na presidência, culpado é o escroto que votou nele. Ok. Pode trabalhar. Mas até quando? 400 por mês. Ok. Mas... Em meio a tantas notícias desagradáveis, esse me jogou pra cima, certamente é um grande exemplo de determinação.

Boa! Esse Rapaz e superação total Parabens Libereco que romantiza miséria: 🥵🥵🥵🥵🥵🥵🥵 E tem os que defendem tirar o trabalho dele, dizendo que ele não é capaz de trabalhar! Os bons exemplos inspiram as pessoas. A gente adora ver isso! Aí vem uns dizer que um criminoso entrou pro crime pq não teve oportunidades. Parabéns pra esse rapaz.

Parabéns pelo exemplo! O pessoal agora coloca a culpa no governo kkkkk isso é assim desde que mundo é mundo, infelizmente. Mas esse cidadão é de orgulhar essa atitude, melhor do que ficar roubando ou pedindo esmola sem o mínimo de esforço possível . PSOL ta vendo isso? Pq eles falam q as pessoas pobres que nao tem oportunidades e roubam.

Pessoal, antes de falar de economia estudem um pouco pra passar menos vergonha Se isso não é escravidão, não sei o que é... É bom ver pessoas que continuam na luta, mesmo com tanta dificuldades, mostra que a 'desculpa' de entrar no erro 'por falta de oportunidade', não existe. Parabéns Luciano, que Deus te de força pra continuar!!!

É um brasileiro valente. Vai à luta mesmo com dificuldades. E tem vagabundo que só quer roubar o que é dos outros. Tem saúde, força e capacidade, mas apenas para fazer o mal ao próximo. AEROFRED Ubereats na cadeira de rodas: A Neoliberal bolsonarista: 🤤

A pessoa que acha isso bom no mínimo é um animal. O cara tá aceitando pra sobreviver. O governo não dá dignidade nenhuma pra pessoas especiais. Isso revolta demais. No site do SINE só tem vaga para PNE... Brasileiro! Orgulho vê-lo trabalhando! Boa sorte na jornada! o inferno dessa política econômica entreguista é que mesmo não planejando, a chance de mudar de vida é cada vez menor!

linefernandaa Paulo Guedes está retirando direitos dos trabalhadores, acabando com os serviços públicos que servem à população brasileira e destruindo a economia do país com o crescimento da informalidade no trabalho e da desigualdade social. ForaPauloGuedes já já começa o mimimi.



Da Vera: Ao se associar a Lula, Doria comete seu maior erro na crise

Idosa de 104 anos ganha parabéns da janela em Porto Alegre: 'Uma coisa como esta, nunca pensei que ia passar'

Brasil tem 299 mortes e 7.910 casos confirmados de coronavírus, diz ministério

Cantor Paulynho Paixão morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas no Piauí

O Rio em silêncio: vídeo mostra a cidade em tempos de isolamento

Isolada em casa, jovem ganha festa surpresa com bolo 'inspirado' na pandemia de coronavírus

Autor de vídeo compartilhado por Bolsonaro pode pegar seis meses de prisão - Política - Estadão

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

18 fevereiro 2020, terça-feira Notícia

Notícias anteriores

Justiça condena Globo a indenizar vítima de pegadinha em programa de Huck mesmo após a morte - ISTOÉ Independente

Próxima notícia

Cinco 'efeitos colaterais' da Reforma Protestante de Martinho Lutero
Twitter apaga publicações de Silas Malafaia que infringiam regras sobre coronavírus Maia diz que falta de compreensão em partes do governo sobre coronavírus 'atrasa' planejamento da Saúde Atacado por Bolsonaro, Mandetta se aconselha com Alcolumbre e Maia | Radar Está na hora de começarmos a falar sobre Mourão - ISTOÉ Independente A postura equivocada de Bolsonaro diminui o país aos olhos do mundo Governo Bolsonaro tem 42% de avaliação 'ruim' ou 'péssima' em abril, diz pesquisa - Política - Estadão MEC abre cadastro para estudantes de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia atuarem no combate ao coronavírus De engenheiros a estatísticos, Unicamp mobiliza batalhão de cientistas contra o coronavírus Chega de inveja, minha gente: deixem a Maju trabalhar | Tela Plana A esperança nos coronapositivos Coronavírus: Como evitar comer demais enquanto trabalha de casa Ordem presidencial para atirar em quem descumprir isolamento preocupa brasileiro retido nas Filipinas
Da Vera: Ao se associar a Lula, Doria comete seu maior erro na crise Idosa de 104 anos ganha parabéns da janela em Porto Alegre: 'Uma coisa como esta, nunca pensei que ia passar' Brasil tem 299 mortes e 7.910 casos confirmados de coronavírus, diz ministério Cantor Paulynho Paixão morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas no Piauí O Rio em silêncio: vídeo mostra a cidade em tempos de isolamento Isolada em casa, jovem ganha festa surpresa com bolo 'inspirado' na pandemia de coronavírus Autor de vídeo compartilhado por Bolsonaro pode pegar seis meses de prisão - Política - Estadão Em meio ao coronavírus, clã Bolsonaro decide estratégia eleitoral no Rio Câmeras de segurança mostram galpão da Ceasa com mercadorias no mesmo dia em que vídeo postado por Bolsonaro foi gravado Técnico de enfermagem morre infectado pelo coronavírus, diz Secretaria de Saúde; número de mortos chega a três no RN Ministério da Saúde divulga manual para fazer máscara caseira “Chance de morrer de Covid-19 é de 1 em 10.000 em jovens. Problema é se 100 milhões de brasileiros pegarem ao mesmo tempo”