Estadoıslâmico

Estadoıslâmico

'Noivas do Estado Islâmico': o caso da britânica que se diz arrependida e quer voltar para casa

Jovem de 22 anos, que deixou Londres aos 15 para ingressar no grupo, diz que pode ser útil na luta contra a radicalização de jovens #G1 #EstadoIslâmico

17/09/2021 13:00:00

Jovem de 22 anos, que deixou Londres aos 15 para ingressar no grupo, diz que pode ser útil na luta contra a radicalização de jovens G1 EstadoIslâmico

A jovem de 22 anos, que deixou Londres aos 15 para ingressar no grupo do Estado Islâmico, diz que pode ser útil na luta contra a radicalização de jovens.

A jovem Shamima Begum, que trocou o Reino Unido pela Síria quando ainda era adolescente, disse que se arrependerá pelo resto da sua vida de ter ingressado no grupo extremista Estado Islâmico e se ofereceu para ajudar o Reino Unido a combater o terrorismo.

Gilberto Braga, autor de 'Vale Tudo', 'Dancin' Days' e 'Celebridade', morre aos 75 anos As lésbicas acusadas de transfobia por recusarem sexo com mulheres trans - BBC News Brasil Startup japonesa apresenta moto voadora de US$ 680.000

Em entrevista à BBC, ela disse que pode ser "útil para a sociedade" e que seria um desperdício deixá-la "apodrecer" em um acampamento sírio.A jovem de 22 anos é acusada de desempenhar um papel ativo no Estado Islâmico, algo que ela nega. Ela vive hoje em um acampamento de refugiados na Síria.

Neste ano, ela perdeu sua cidadania britânica, depois que o governo do Reino Unido declarou que ela é uma ameaça à segurança nacional. Shamima Begum vem tentando recuperar sua cidadania nos tribunais britânicos, mas até agora ela sofreu uma série de derrotas jurídicas. headtopics.com

O governo britânico afirma que a decisão de retirar a cidadania da jovem não a deixa na condição de apátrida, o que seria proibido no direito internacional, já que ela teria também cidadania de Bangladesh, país de origem da sua família.

No entanto, Bangladesh recentemente manifestou que ela não é considerada cidadã do país.Radicalizada aos 15 anosShamima Begum nasceu no Reino Unido, filha de pais de descendência de Bangladesh.Ela tinha 15 anos quando ela e duas outras estudantes do leste de Londres viajaram para a Síria para ingressar no Estado Islâmico, atraídas pelas ideias radicais do grupo.

Uma das outras garotas que viajava com ela, Kadiza Sultana, teria sido morta em um bombardeio, e o paradeiro da terceira, Amira Abase, é desconhecido.A fuga das jovens, que viajaram contra a vontade de seus parentes e usaram identidades falsas, foi destaque em 2015 na imprensa britânica, que publicou fotos das estudantes secundárias deixando o país pelo aeroporto de Gatwick. Todas elas estudavam na mesma escola em Londres.

Em seu auge, o grupo extremista Estado Islâmico chegou a controlar um território do tamanho do Reino Unido (ou do Estado de São Paulo) que se estendia entre a Síria e o Iraque. Mas em 2019, o grupo havia sido derrotado por forças sírias, com ajuda militar dos EUA e Reino Unido. Ainda há até hoje combatentes remanescentes em atividade. headtopics.com

CPI da Covid aprova relatório que pede indiciamento de Bolsonaro e outros 79; o que acontece agora - BBC News Brasil 'Há um homicida no Planalto', diz Renan no final da CPI; cúpula cobra ação da PGR contra Bolsonaro Motorista de SP troca carro por moto após alta da gasolina: 'Não tem como sustentar' | São Paulo | G1

Begum e suas amigas viajaram para a Turquia e depois para a cidade de Raqqa, na Síria. Lá ela se casou com um holandês recrutado pelo Estado Islâmico, com quem teve três filhos.Em 2019, ela foi localizada, grávida de nove meses, em um campo de refugiados sírios. Seu bebê acabou morrendo de pneumonia. Begum disse que já havia perdido seus outros dois filhos antes disso e que seu marido estava em uma prisão onde há vários homens sendo torturados, depois que ele se entregou a um grupo de combatentes sírios.

Cidadania perdidaDepois que ela foi encontrada, o então ministro do Interior, Sajid Javid, cancelou sua cidadania britânica por motivos de segurança.Begum entrou com um recurso contra a decisão, e um tribunal britânico decidiu que ela deveria ser autorizada a retornar ao Reino Unido para apresentar seu caso, porque ela não poderia fazê-lo vivendo em um campo perigoso no norte da Síria.

No entanto, o Ministério do Interior argumentou que permitir que ela voltasse criaria "riscos significativos para a segurança nacional". A Suprema Corte do Reino Unido decidiu que o governo tem o direito de impedir que Begum retorne ao Reino Unido — mas também ordenou que a batalha legal sobre sua cidadania seja interrompida até que ela encontre uma maneira de participar do processo legal.

No passado, ela havia dito que o atentado à bomba em 2017 em um show da cantora Ariana Grande, em Manchester, no qual 22 pessoas — incluindo crianças — foram mortas em um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, foi semelhante a ataques militares contra o Estado Islâmico. Na ocasião, ela disse que atentado terrorista em Manchester havia sido uma "retaliação". headtopics.com

'Nauseada'Questionada pela BBC como ela se sente por ter feito parte de um grupo que cometeu genocídio e assassinato ao redor do mundo, a jovem disse: "Isso me deixa nauseada, realmente. Isso faz eu me odiar."Begum também disse que só agora se sente confortável para falar sobre seus verdadeiros sentimentos.

"Eu tenho essas opiniões há muito tempo, mas só agora me sinto confortável para expressar minha opinião real", disse.Ela disse que se tivesse permissão para voltar ao Reino Unido, ela poderia aconselhar sobre as táticas usadas pelo Estado Islâmico para recrutar as pessoas a irem para a Síria. Ela disse que pode ser útil no esforço contra a radicalização de jovens.

Moraes rejeita transferência de Roberto Jefferson a hospital particular no Rio Estado Islâmico no Afeganistão pode atacar EUA em seis meses, diz alto funcionário do Pentágono CPI da Covid aprova o relatório de Renan, sem Heinze entre os indiciados; veja a lista

Segundo ela, é "uma obrigação" sua evitar que outras jovens destruam suas vidas como ela fez ao seguir o Estado Islâmico.Nesta semana, Begum apareceu em um programa de TV da rede ITV e fez um apelo direto ao primeiro-ministro Boris Johnson para se tornar "um trunfo" na luta contra o terrorismo.

Em entrevista realizada em um campo de refugiados sírios, ela disse que "não há provas" de que ela foi uma peça-chave no planejamento de atos terroristas e que está preparada para provar sua inocência na justiça.

"Eu sei que existem algumas pessoas que, não importa o que eu diga ou faça, não vão acreditar que eu mudei ou que quero ajudar", disse ela."Mas para aqueles que têm até mesmo um pingo de misericórdia, compaixão e empatia em seus corações, eu digo a vocês do fundo do meu coração que lamento cada decisão que tomei desde que entrei na Síria e viverei com isso para o resto da minha vida."

"Ninguém pode me odiar mais do que eu me odeio pelo que fiz e tudo o que posso dizer é 'sinto muito' e 'por favor me dê uma segunda chance'."Ela disse que "preferia morrer a voltar para o Estado Islâmico" e acrescentou: "O único crime que cometi foi ser burra o suficiente para ingressar no Estado Islâmico".

'Vocês não viram o que eu vi'Sajid Javid, atual ministro da Saúde que decidiu revogar a cidadania da jovem quando ele era ministro do Interior, disse que não há chance de que Begum possa voltar ao Reino Unido para lutar por sua cidadania perdida.

Ele disse que a decisão de privá-la de sua cidadania britânica é "moralmente certa, absolutamente certa, mas também legalmente correta para proteger o povo britânico"."Não vou entrar em detalhes do caso, mas digo que vocês certamente não viram o que eu vi", acrescentou.

"Se você soubesse o que eu sei, porque você é uma pessoa sensível e responsável, você teria tomado exatamente a mesma decisão — disso eu não tenho dúvidas", disse Javid, em entrevista a outra rede de notícias.

Um porta-voz do Ministério do Interior disse: "A principal prioridade do governo continua sendo a manutenção de nossa segurança nacional e a segurança do público".O grupo de direitos humanos Liberty havia considerado a decisão de revogar a cidadania de Begum "um precedente extremamente perigoso". Segundo o grupo, o direito a um julgamento justo não pode ser retirado apenas por "capricho" em governos democráticos.

Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Consulte Mais informação: G1 »

O país que virou 'lixão' de roupas de má qualidade dos países ricos - BBC News Brasil

Todas as semanas, mais de 15 milhões de peças de roupas usadas chegam a Gana, mas apenas parte disso consegue ser reaproveitada.

Não da para confiar. Ela que recomece a vida em algum deserto. Eu fico com pena, porém são as consequências né, todo mundo fez merda na adolescência e algumas consequências vão nos acompanhar pra sempre Não me passou verdade o que ela diz na entrevista, se referir como um trunfo, achar que é uma peça importante para que os ataques sejam feitos com suas falas e ainda mais toda essa questão de batalhas … Difícil acreditar nela

Marmita de terrorista Que otaria. Agora tem que deixR ela servindo a ala N sei oq pensar disso A guria nem maturidade tinha quando entrou lá Era literalmente uma ideia louca de adolescente Talvez ela possa simplesmente se tornado mais madura a ponto de perceber seu erro ou sla... Situação dela agora: 👇🏻

Com 15 anos já fiz algumas merdas, mas essa mocinha aí se superou Que irônico Tinha 15 anos, tomou a pior decisão da vida e se arrependeu. Deve ter comido o pão que o diabo amassou, pariu e perdeu 3 filhos e se arrepende da burrada que fez. Ainda é muito nova e espero que consiga recuperar sua vida!

'Noivas do Estado Islâmico': o caso da britânica que se diz arrependida e quer voltar para casa - BBC News BrasilA jovem de 22 anos, que deixou Londres aos 15 para ingressar no grupo do Estado Islâmico, diz que pode ser útil na luta contra a radicalização de jovens. Cavalo de Tróia. E eles estão certíssimos,quem ainda vai confiar nela,eu não confiaria A vida da mulher islamica não é brinquedo não... Tem que fazer coisas que não posso dizer aqui pois seria cancelado

Em 7 anos ela fugiu de casa, perdeu a cidadania, perdeu as duas melhores amigas, casou com um cara que agora tá preso e sendo torturado, teve 3 filhos que morreram. Não acho que ela vá conseguir voltar ao UK novamente, mas desejo paz na vida dela e que consiga recomeçar a vida. Marmita. CONFIA! Marmita de terrorista

Homeland Ela pode estar arrependida, pode. Pode ser um cilada Bino, pode. pois bem A cara de sonsa Tem aqui também, estão falando em terceira via. Ou pode ser uma espiã.

No Ceará, estado de Ciro, Lula lidera com folga as intenções de voto, mostra pesquisaO pedetista aparece em 3º, atrás de Bolsonaro e à frente de Moro e Doria Ciro venceu Lula no Ceará em 1998 e 2002 e venceu Haddad em 2018 Pesquisa não é nada diante dos resultados das eleições erikrs11 O poço Ciristo não tem fim! 🥀😌🥀😌 Ninguém mandou fazer essa campanha burra! Aí AsCunhasPodcast

caminoRJ1986 Confia!

O Cânone em Pauta: A Independência do Brasil - Estado da ArtePODCAST: A trama rocambolesca da Independência do Brasil. Quais os mitos e verdades sobre o nascimento da nação com o maior território, população e economia da América Latina? Ouça em oestadodaarte oestadodaarte Nah. No buenas ideias é melhor. Veja esse vídeo Depois esse vídeo oestadodaarte oestadodaarte

'Noivas do Estado Islâmico': o caso da britânica que se diz arrependida e quer voltar para casa - BBC News BrasilA jovem de 22 anos, que deixou Londres aos 15 para ingressar no grupo do Estado Islâmico, diz que pode ser útil na luta contra a radicalização de jovens. Cavalo de Tróia. E eles estão certíssimos,quem ainda vai confiar nela,eu não confiaria A vida da mulher islamica não é brinquedo não... Tem que fazer coisas que não posso dizer aqui pois seria cancelado

Vinícius Leite demonstra otimismo com acesso do AvaíLeão visita o Remo e espera voltar para casa com três pontos fundamentais na classificação

Lewandowski garante a diretor da Prevent Senior direito ao silêncio na CPICPI quer ouvir o executivo para investigar possível pressão da empresa para que conveniados prescrevessem medicamentos do chamado tratamento precoce esta pacificação entre os poderes foi a mesma coisa que proibir a polícia de subir nos morros.....até parece que os corruptos nomeados que estão no governo, desde MPF. PF, SENADORES, DEPUTADOS,STF, STE E OUTROS, vão esquecer que a meta é derrubar o presidente....... Não entendo a surpresa, afinal de contas todos que estão depondo ultimamente receberam e vão receber esse 'benefício'. Errado ele não está, não tem como você falar e incriminar-se a si mesmo. Porra no tempo da CPI da Dilma tinha isso?