Navio da salvação ambiental - ISTOÉ Independente

Chamado de Manta, a embarcação poderá coletar mais de três toneladas de plástico por hora. Todo lixo vira combustível renovável

23/05/2021 17:00:00

Chamado de Manta, a embarcação poderá coletar mais de três toneladas de plástico por hora. Todo lixo vira combustível renovável

Um dos maiores desafios da humanidade hoje é reduzir e controlar a poluição dos oceanos. Há alguns meses, a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que esta década será dedicada à proteção das águas dos mares.

PROPÓSITOO velejador suíço Yvan Bourgnon deu a volta ao mundo duas vezes: protetor dos oceanos (Crédito: LUCIEN LIBERT)Com mais de 45 metros de comprimento, trata-se de um navio com capacidade de coletar lixos dos oceanos, sobretudo plástico, e transformá-lo em energia. Isso lhe dá condições para operar de maneira autônoma em 75% do tempo que está em atividade. A embarcação é forjada com aço de carbono e possui painéis solares, geradores potentes e turbinas eólicas. “A capacidade de recolher o lixo é inovadora”, conta o engenheiro naval João Ferreira Netto, da Escola Superior de Engenharia e Gestão (ESEG). Com mais de 22 funcionários, o Manta poderá coletar cerca de três toneladas de lixo por hora, um marco no setor marítimo. “Os incentivos irão crescer com embarcações como esta”, explica Netto.

TSE pede ao STF que Bolsonaro seja investigado por disseminação de fake news contra urnas Um mês após roubo de roupinha, cadela Nina tem vida de celebridade: ‘Virou pet influencer’, diz veterinária Americana bate recorde com a maior boca do mundo; veja vídeo

10 mil toneladasÉ a quantidade anual de plástico que o Manta pode coletar nos maresIdealizador do projeto ao lado da ONG SeaCleaners (Limpadores do mar), o velejador suíço Yvan Bourgnon, conta que há décadas observa a degradação das águas e sentiu que tinha que fazer alguma coisa. “A poluição de plástico é alarmante”, diz. Por enquanto, só há um protótipo do navio autônomo disponível, mas Bourgnon já sabe onde ele poderá ser mais útil. “Nossa esperança é que centenas de Mantas sejam construídos para ajudar na limpeza dos oceanos, sobretudo na Ásia”, diz, referindo-se à região que concentra 60% da poluição de plástico no mundo. Segundo a SeaCleaners, os dois primeiros navios serão comercializados a partir de 2024: cada um deles coletará mais de dez mil toneladas de plástico por ano.

Consulte Mais informação: Revista ISTOÉ »

Novo episódio do programa ‘Lado D’ discute sociedade e corrupção; assista - Política - Estadão

Participam do programa a conselheira da OAB e produtora da Boogie Naipe Eliane Dias e o músico Tico Santa Cruz

Como isso amenizam o fato do lixo .