Matheus Pichonelli - Aos amigos, tudo: por privilégios, empresários bolsonaristas endossam golpe

18/08/2022 23:23:00

💬 @M_Pichonelli: Aos amigos, tudo: por privilégios, empresários bolsonaristas endossam golpe 👉

💬 M_Pichonelli: Aos amigos, tudo: por privilégios, empresários bolsonaristas endossam golpe 👉

Um golpe de Estado é o movimento que precede a suspensão de todo tipo de mobilidade, inclusive social. Em troca de apoio, dinheiro e obediência, elites dispostas a pagar o preço de um avanço autoritário cortam os galhos da escada que os levar

no último dia 11 de agosto , quando empresários e banqueiros assinaram uma das muitas cartas em defesa do Estado Democrático de Direito.Por Da Redação 16 ago 2022, 20h30 O governador Rodrigo Garcia (PSDB) beija o pai, Paulino, no primeiro programa do candidato na TV Reprodução/Reprodução Publicidade O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) , candidato à reeleição, vai estrear no horário eleitoral na TV mandando dois recados relativos a temas centrais de sua campanha: a sua relação com o estado, onde nasceu, e o fato de ele ser um nome do centro político em meio à polarização entre esquerda e direita que tenta tomar conta do país.(PSOL-RJ) segue em estado grave.osto para tratar uma infecção intestinal.

Era uma resposta à ameaça do presidente de desrespeitar o resultado das urnas e se entrincheirar à força no poder.A risca de giz no chão tem muito de apelo histórico, mas também de pragmatismo.“Estou aqui para defender São Paulo, contar a história de São Paulo e para dizer que eu estou aqui representando os paulistas”, afirma.A memória recente da ditadura, que durante 21 anos impediu os brasileiros de escolher seus presidentes e deixou como legado um país empobrecido e brutalizado, exige um cálculo de rota diferente em relação aos tempos da Guerra Fria.Não divulgamos muitas novidades porque tem poucas mudanças.O risco agora é se isolar ainda mais.Outro recado no primeiro vídeo foi justamente o de que ele é o candidato que pode quebrar a polarização entre o candidato do bolsonarismo e o nome apoiado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).Muitos já entenderam que o maior déficit hoje do país é o de normalidade.

E que o patamar atual de alta tensão e risco de ruptura impede qualquer plano de médio e longo prazo avalizado pelas lentes da previsão e da estabilidade.Se ser de direita é defender um estado mais enxuto, eu também sou de direita”, afirma.Não divulgamos muitas novidades pq tem poucas mudanças.A risca de giz no chão das cartas democráticas deixou mais evidente os que estão indispostos a transformar o país no playground da família Bolsonaro & Agregados e os que querem botar fogo no parquinho.Esses últimos são descritos pelo , como"centenas de empresários falidos, roqueiros decadentes, atores fracassados, jornalistas de reputação duvidosa, subcelebridades 'ativistas', traders batalhadores e coaches medíocres" que encontraram no bolsonarismo a chance de dar uma guinada na carreira.Revelada pelo portal Metrópoles, a reunião, em um grupo de WhatsApp, de empresários dispostos a endossar um golpe de Estado para manter Bolsonaro onde está — de preferência por mais 21 anos — em certa medida dá um nó nessa compreensão do fenômeno.O recalque ali é evidente, mas seus integrantes não podem ser chamados de fracassados.

A maioria ali já estava no topo da pirâmide econômica antes de Bolsonaro ser eleito fazendo arminha com a mão.Por que, então, resolveram flertar com uma rebelião que, no limite, pode matar a galinha de ovos de ouro de seus próprios negócios? A resposta é complexa e escapa aos estereótipos associados ao tio ignorante e amedrontado com um mundo em transformação e que se converteu em militante ultrarreacionário."Prefiro golpe do que a volta do PT.Um milhão de vezes.E com certeza ninguém vai deixar de fazer negócios com o Brasil.

Como fazem com várias ditaduras pelo mundo", disse, sem ouvir um"calma lá, fera" sequer, o dono de um shopping em área nobre do Rio.Outro empresário, dono de uma marca de roupas, chegou a falar abertamente que"o jogo justo" só vale se o seu candidato for ganhar; caso contrário,"pontapé no saco e dedo no olho" estão liberados.(Vale perguntar se é assim que ele tratará o cliente disposto a votar em qualquer um dos candidatos que não seja o seu).Como todos ali tem linha direta com o atual presidente, não seria exagero dizer que o ensaio de rebelião está desenhado.Esse ensaio demonstra, de saída, um racha no que podemos chamar de elite dominante: enquanto parte do PIB já visualiza a tragédia em curso, outra quer dobrar a aposta na radicalização.

Trata-se de uma elite cooptada, que já perdeu o pé da realidade, acredita em fantasmas projetados por grupos políticos oportunistas e que vende esforços de campanha em troca de proteção.Eles conquistaram, a partir de 2018, um grau de interlocução com o poder que agora não parecem dispostos a abrir mão.É como se dissessem:"Temos agora um representante de fato para cuidar da gente quando o oficial de Justiça bater às nossas portas para exigir o cumprimento das leis fiscais, trabalhistas e ambientais e não aceitamos nenhum privilégio a menos".O que assusta a turma não é exatamente a volta do comunismo, que nunca passou nem perto de dar as caras por aqui, mas o fantasma contido na expressão"livre concorrência".O comensalismo entre as duas espécies selvagens, uma política e outra econômica, está exemplificado na disposição do presidente de alterar a estrutura de um órgão federal que se colocava no caminho dos negócios de um dos empresários do grupo.

Ali ele não demonstrava apenas poder, mas disposição para cumprir ordens.Questão de hierarquia.O que os patrões querem estender pelos próximos anos, mesmo às custas do ordenamento democrático, é não apenas o privilégio de se reunir em um grupo de amigos do rei, mas de chefes do próprio rei — um rei tresloucado, frágil e amedrontado como eles.E que, justamente por isso, precisa de regras injustas a seu favor para garantir que tudo mude para que tudo permaneça como está.Nem que para isso precisem serrar as escadas, as pernas e os galhos da árvore onde se apoiam.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL As mais lidas agora.

Consulte Mais informação:
UOL Notícias »
Loading news...
Failed to load news.

M_Pichonelli Sim um golpe, pela liberdade, pela democracia, pela religião, por Deus, coisas que imprensa marrom não sabe mais o significado, a teta secou, Socorro FechadoComBolsonaroAte2026 M_Pichonelli Eca desse periquito lambe botas do Bolsonaro 🙈 M_Pichonelli M_Pichonelli M_Pichonelli Golpe ? ? Ahh tá.. o çupremu soltar o condenado ..q 💩 LulaNaCadeia

M_Pichonelli LucianoHangBr mais um processo saindo. M_Pichonelli É assim em toda ditadura: ao lado do ditador sempre tem os empresários que o apoiam em troca de benesses. Não é a toa que apoiam o Golpe. Se acham intocáveis perto do 'imperador'. Só desejo que a Justiça caia sobre eles e acabem pagando (e caro) pelo que fizeram.

Garcia em sua estreia na TV: ‘um pouco de esquerda, um pouco de direita’ | MaquiavelPrograma que abre a participação do governador no horário eleitoral também mostra família e enfatiza o fato de ele ter nascido em São Paulo

David Miranda segue internado em estado grave em UTI, diz GlennInternado desde o último dia 7, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital no Rio de Janeiro, o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) segue em estado grave. A informação foi divulgada na... David é do PDT que seja daí pro inferno

David Miranda segue internado em estado grave em UTI no Rio, diz GlennO deputado federal David Miranda (PDT-RJ) segue internado em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), informou o marido dele, o jornalista Glenn Greenwald. O político está na Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, desde o último dia 6 de ag tomara que m()rr4 Desejo melhoras e recuperação rápida 🙏🏾

André Luiz Frambach e Larissa Manoela contam como fazem para matar a saudade: 'Se não for pra 'namocasar', nem faz sentido' | Celebridades | O DiaAtores viveram um affair em 2021 e assumiram o namoro em julho deste ano. ODia

Polícia de SP faz busca e apreensão em seis cidades do estadoA Polícia Civil de São Paulo faz uma operação na manhã desta quinta-feira (18) contra uma empresa acusada de aplicar um golpe de pirâmide financeira. Essa empresa teria feito mais de três mil vítimas. Os policiais cumprem mandados de busca e apreensão em pelo menos seis cidades do estado. Qual o nome da empresa?

Casos de violência em sala de aula aumentam no estado de São PauloCasos de violência em sala de aula dobram no estado de São Paulo No 1º trimestre deste ano, o número chegou a 4.021 registros, um aumento de quase 50% se comparado a 2019