Justiça reclassifica caso de ciclista atropelada e motorista pode ir a júri popular por homicídio doloso - ISTOÉ Independente

Investigações apontam que o motorista José Maria da Costa Júnior estava alcoolizado no dia em que atropelou e matou a cicloativista Marina Kohler Harkot, de 28 anos.

27/11/2020 09:33:00

Investigações apontam que o motorista José Maria da Costa Júnior estava alcoolizado no dia em que atropelou e matou a cicloativista Marina Kohler Harkot, de 28 anos.

A Justiça de São Paulo aceitou o pedido do Ministério Público e reclassificou na quarta (25) o inquérito que apura o atropelamento da cicloativista Marina Kohler Harkot, de 28 anos, como homicídio doloso por dolo eventual (quando se assume o risco de matar). As informações são do G1. Com a mudança, o motorista José Maria […]

27/11/20 - 03h29A Justiça de São Paulo aceitou o pedido do Ministério Público e reclassificou na quarta (25) o inquérito que apura o atropelamento dacicloativista Marina Kohler Harkot, de 28 anos, como homicídio doloso por dolo eventual (quando se assume o risco de matar). As informações são do G1.

Twitter faz alerta em post do Ministério da Saúde de informação enganosa Manaus foi a segunda capital que menos recebeu repasses federais em 2020 A dupla do balacobaco - Política - Estadão

Com a mudança, o motorista José Maria da Costa Júnior, de 34 anos, que atropelou e matou Marina no último dia 8 pode ir a júri popular.+ Andressa Urach faz procedimento para remover todas as tatuagens do corpoA Polícia Civil havia indiciado Costa Júnior por homicídio culposo na direção de veículo automotor e fuga do local do acidente sem prestar socorro à vítima, no último dia 10, quando ele se entregou à polícia.

De acordo com a investigação do caso, ele dirigia sob efeito de bebida alcoólica e em alta velocidade, como mostram vídeos de câmeras de segurança e depoimentos de testemunhas. O inquérito policial do caso foi concluído nesta terça-feira (24). headtopics.com

Com a decisão de quarta, o processo foi encaminhado para uma vara especializada do Tribunal do Júri, onde são julgados crimes dolosos contra a vida.Um outro promotor e outro juiz analisarão o inquérito e, a depender de sua decisão, o motorista pode ir à julgamento popular por ter atropelado e matado a cicloativista. Por enquanto, ele responde ao processo em liberdade.

Além de Costa Júnior, outras duas pessoas que estavam no carro no momento do atropelamento também foram responsabilizados pela polícia. A estudante Isabela Serafim e o auxiliar de escrevente de cartório Guilherme Dias da Mota, ambos de 21 anos, foram indiciados por omissão de socorro e também podem ir ao Tribunal do Júri pelo fato do crime ser conexo com homicídio doloso. Os dois também respondem em liberdade.

Consulte Mais informação: Revista ISTOÉ »

Morrer sem oxigênio em Manaus, a tragédia que escancara a negligência política na pandemia

Após minimizar crise, Planalto e Governo do Amazonas correm contra o relógio para transferir pacientes a outros Estados e conseguir importar insumo. Nos primeiros dias de janeiro, morreram 1.654 pessoas no Estado, mais do que entre abril e dezembro