Juiz reitera ordem de intervenção do MEC na Universidade Brasil e manda nomear novos administradores em cinco dias

Bruno Valetim Barbosa, da 1ª Vara Federal de Jales, acolheu pedidos do Ministério Público Federal no âmbito de ação

15.2.2020

Juiz reitera ordem de intervenção do MEC na Universidade Brasil e manda nomear novos administradores em cinco dias (via fausto_macedo)

Bruno Valetim Barbosa, da 1ª Vara Federal de Jales, acolheu pedidos do Ministério Público Federal no âmbito de ação

Universidade Brasil e determinou que a pasta nomeie novos administradores para a instituição em até cinco dias. O magistrado também ordenou a suspensão da concessão de novos financiamentos na instituição, até que sejam cumpridas uma série de medidas relacionadas aos fatos apurados na Vagatomia – investigação sobre venda de vagas no curso de medicina, irregularidades no exame de revalidação de diplomas e fraudes no Fies e no ProUni de até R$ 500 milhões. Documento PDF A decisão foi dada no âmbito de uma ação civil pública interposta pelo Ministério Público Federal contra a União, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a Caixa Econômica Federal, a Universidade Brasil e a União Nacional das Instituições de Ensino Superior, além de José Fernando e Sthefano Bruno Pinto da Costa, pai e filho donos da instituição alvo da Vagatomia. A Procuradoria pede que a Justiça condene a União ‘a realizar o completo descredenciamento da Universidade Brasil, com a cessação imediata da admissão de novos estudantes para quaisquer de seus cursos, em quaisquer de suas unidades’, ou subsidiariamente, que o governo federal desative o curso de medicina da instituição. Em caráter liminar, o Ministério Público Federal fez 15 pedidos a Justiça, sendo que oito foram acolhidos e dois foram negados pelo magistrado. Os outros já haviam sido apreciados em outras decisões assinalou o juiz. Um dos pedidos da Procuradoria que já havia sido analisados e parcialmente deferido por Barbosa é relativo à intervenção do MEC na Universidade Brasil ‘para zelar pela regularidade de seus trabalhos’. No entanto, segundo Barbosa, há ‘elementos indiciários são muito fortes’ no sentido de que a determinação judicial não foi cumprida pela União ‘estando em curso gestão que parece não estar sofrendo qualquer limite ou condicionamento pelo Ministério’. “Embora tenha havido decisão judicial de afastamento do antigo Reitor de suas funções, entendeu-se que não seria o caso de interferir diretamente na nova Administração. O resultado? A mantenedora da Universidade Brasil (e aqui, smj, incluem-se decisões administrativas da esposa do antigo Reitor, afastado) continua com uma gestão que está a apresentar sérios problemas, e cujo titular está sendo acusado pela Polícia Federal e MPF de práticas ilícitas do ponto de vista criminal, havendo inclusive pedido fundamentado de prisão em seu desfavor”, escreveu o juiz. A indicação faz referência as acusações apuradas na segunda fase da Vagatomia, desencadeada nesta quinta, 13, em face de Adib Adbouni , reitor afastado da Universidade Brasil. Barbosa viu resolveu então reiterar a ordem de intervenção na Universidade Brasil e determinar ao MEC que nomeie novos administradores para a instituição, no prazo de 5 dias de sua intimação. “A gestão deverá ser supervisionada diretamente pelo Ministério, tendo em vista que a medida menos intervencionista em desfavor do MEC e da Universidade Brasil, por mim adotada em agosto de 2019, lamentavelmente não foi cumprida”, escreveu o magistrado. Em caso de descumprimento, o juiz fixou uma multa diária de R$ 50 mil em desfavor da União e da Universidade Brasil. “Se as partes não deixarem outra alternativa ao Judiciário que não seja assumir a Administração de uma Universidade, ainda que por meio de terceiro nomeado atuando em supervisão (administrador judicial), estar-se-á desempenhando função privativa do Poder Executivo, e para tal, precisar-se-á de recursos humanos e financeiros que este Poder não possui, o que poderá, por hipótese, levar a determinações de sequestro de valores do orçamento do Ministério da Educação e da Universidade Brasil, bem como requisição de servidores da Educação e da Universidade”, escreveu o magistrado. Entre as outras medidas solicitadas e atendidas anteriormente por Barbosa, está o afastamento de José Fernando e Sthefano de atos de administração da universidade e o bloqueio de bens da instituição. Além deles, o Ministério Público Federal solicitou à Justiça que fosse determinado um administrador judicial para a Universidade Brasil, mas a questão já havia sido analisada e negada. Já com relação às novas medidas deferidas, Barbosa determinou que a União e FNDE revejam todos os financiamentos estudantis concedidos nos últimos 5 anos a alunos e ex-alunos de todos os cursos da Universidade Brasil. Além disso, o magistrado estipulou que a Universidade Brasil, União e FNDE divulguem em seus sites informações sobre os atuais alunos da instituição que são beneficiários do Fies e do Prouni, inclusive para aqueles que transferiram cursos. A União e o FNDE também terão de divulgar informações sobre ex-alunos que receberam financiamento nos últimos cinco anos, e o governo deverá dar publicidade a informações recebidas dos agentes financeiros a respeito do FIES, relacionados a todos os cursos da Universidade Brasil, indica Barbosa. Já a Caixa Econômica Federal terá de fiscalizar e comprove a veracidade das informações relacionadas a novos financiamentos estudantis. O magistrado também proibiu a Universidade brasil de transferir bens e valores, em especial a Uniesp, ‘considerando a existência da proibição legal da distribuição de lucros de sua atividade’, mas sem prejuizo aos gastos da gestão da instituição. Também determinou que a Uniesp, José e Sthefano não se apropriem de bens de valores da universidade. Ao fim, o magistrado ainda acolheu parcialmente pedido para suspender a concessão de novos financiamentos na Universidade Brasil, ‘somente enquanto não forem efetivadas as liminares deferidas’. “Embora reste bastante claro que a atual administração quebrou a confiança depositada pelo Juízo em sua tentativa de não intervir tanto na gestão como solicitado desde o início pela Polícia Federal […] não se pode ignorar que caso a presente decisão seja cumprida, nova Administração será nomeada pelo MEC, sendo o FIES de novos alunos importante fonte de recursos, e haverá publicidade e maior controle das informações prestadas”, escreveu o magistrado. O juiz ressalva, no entanto, que as decisões administrativas do MEC devem ser respeitadas. Em outubro, a pasta suspendeu o ingresso de novos estudantes no curso de medicina fornecido pela Universidade Brasil em Fernandópolis, além da possibilidade de celebração de covos contratos do Fies e participação no ProUni. COM A PALAVRA, O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO A reportagem busca contato com a Pasta. O espaço está aberto para manifestações. COM A PALAVRA, O FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO A reportagem busca contato com o FNDE. O espaço está aberto para manifestações. COM A PALAVRA, A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL A reportagem busca contato com a CEF. O espaço está aberto para manifestações. COM A PALAVRA, A UNIESP A reportagem busca contato com a Uniesp. O espaço está aberto para manifestações. COM A PALAVRA, A UNIVERSIDADE BRASIL A reportagem busca contato com a universidade. O espaço está aberto para manifestação. Quando a segunda fase da Vagatomia foi desencadeada a instituição afirmou: “A Universidade Brasil, nesta data, foi vítima de retaliação de um delegado da Polícia Federal — ex-professor da escola, afastado — e do Ministério Público Federal da cidade de Jales (SP). O primeiro foi alvo de representação judicial do reitor Adib Abdouni. O delegado, consorciado com a ex-funcionária da Universidade — que o havia contratado e se tornou delatora premiada — com o apoio do MP, conseguiu de um juiz, também de Jales, inverter os papéis, de acusado para acusador. Em nenhum momento o reitor da Universidade Brasil, Adib Abdouni, ameaçou testemunhas ou a colaboradora premiada. A investida contra a Universidade deixa-a acéfala e a torna presa fácil para ofertas de compra por parte de grandes grupos de ensino com ações negociadas em Bolsa de Valores, a preço vil. No legítimo direito de defesa e sem cometer ilegalidades, o reitor Adib Abdouni havia entrado com representação contra o delegado da Polícia Federal Cristiano Pádua da Silva — contra este foi pedida inclusive sua prisão —, uma vez que vinha intimidando funcionários do campus Fernandópolis da Universidade e o próprio reitor. A verdade é que desde que Adib Abdouni assumiu a reitoria, em 25 de outubro de 2019, adotou uma série de medidas para colaborar com as autoridades na identificação de possíveis irregularidades que tivessem sido cometidas anteriormente e punir os envolvidos. Criou, inclusive, a Diretoria de Compliance, chefiada por uma delegada da Polícia Federal aposentada. A Universidade confia que a Justiça será feita e que rapidamente o reitor Adib Abdouni voltará às suas funções, para desgosto de seus detratores e dos concorrentes dessa instituição de ensino.” Notícias relacionadas Consulte Mais informação: Estadão

fausto_macedo Sem grana para pagar fotógrafos, jornal ilustra matéria no Twitter com Google Maps sem dar créditos, ou pagar por isso. Por outro lado, jornais querem parte do faturamento da Google por links às suas matérias. fausto_macedo Nao eram só as universidades federais que faziam coisas erradas? Aproveitando e pedindo foraweintraub , o inerte que está acabando com as universidades públicas. Quer se formar, pega fies numa particular. Boa sorte!

fausto_macedo Enfim um Juiz sério. fausto_macedo Ah vão se ferrar, e depois vem com o papinho que não é governo autoritário.

Toffoli prorroga até 30 de junho grupo de trabalho sobre juiz de garantiasO vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, pretende liberar as quatro ações sobre o tema para julgamento ainda neste fausto_macedo Meu Deus do céu, o próprio Juiz é a garantia e se ñ tiverem satisfeito, existe a 2 instância; isso que é ser canalhas por parte do CN e STF! fausto_macedo Empurra com a barriga esperando Fux assumir a presidência fausto_macedo Juiz corrigindo outro juiz? Aff.

Juiz ordena que corpo do capitão Adriano vá para o IML do Rio - Política - EstadãoPedido para transferência do corpo do ex-policial militar veio de sua mulher, Júlia Mello Politica Mente vazia e casa do diabo, se pegar fogo e melhor!!!!! Politica Hummm! Melhor mandar para um estado neutro. Politica Ué mas não está no Rio ? Ainda esta na Bahia? ?

Doria diz que pedirá a governo federal R$ 350 mi para obras contra enchentes - São Paulo - EstadãoGovernador disse que pretende usar a verba para dar seguimento a obras de cinco novos piscinões na capital e na região metropolitana SaoPaulo haha vai ser legal essa conversa dele com bolsonaro. SaoPaulo Q Pedir dinheiro? Nao é o Gestor? Qq aconteceu com a gestão em 1 ano? SaoPaulo Não eram os fundos do Qatar e UAE que iam gastar em SP?

Torcida do Flamengo é liberada para acompanhar treino em Brasília e canta: 'Jesus é nosso rei' - ESPN VideoTorcida do Flamengo é liberada para acompanhar treino em Brasília e canta: 'Jesus é nosso rei' FutebolNaESPN Eae tá tendo que fazer muita doação de ingresso ainda? Tá escondendo ingresso igual esconde ovo no quintal qdo chega a páscoa? Kkkkkkkkkkk mas me falaram que é a ~maior torcida do mundo~ pow ahahahaahahhaha

Astronauta da Nasa reencontra cachorra de estimação 'emocionada' após quase 1 ano no espaço; veja vídeoAstronauta da Nasa reencontra cachorra de estimação 'emocionada' após quase 1 ano no espaço; veja vídeo G1 dogs caramelo ♥️ Tá

Quem é Braga Netto, general que assume a Casa Civil do governo BolsonaroComandante da intervenção federal na segurança do Rio em 2018, militar ficará no lugar de Onyx Lorenzoni — que assumirá a pasta da Cidadania substituindo Osmar Terra. Pouco a pouco, militarizando todos os ministérios. O terceiro piso já está todo militarizado. Podia fechar logo o Judiciário, mas infelizmente, não vai resolver muito porque na prática, manterão o favoritismo e o ato de legislar em causa própria. É mais um militar que recebe posto no governo pra garantir juntamente com os outros que Bolsonaro não sofrerá impeachment !



Bolsonaro comete infração de trânsito ao andar de moto com capacete solto em Guarujá

Bolsonaro posta vídeo em que passeia de moto com capacete solto

Adnet desfila fantasiado de Bolsonaro na Sapucaí: ‘Temos essa liberdade’ | VEJA Gente

Estagnação e a sucessão presidencial - ISTOÉ Independente

Antonio Pitanga: “Se Lula pedir, Benedita da Silva será vice de Freixo”

Marcelo Adnet desfila na São Clemente com fantasia e carro alegórico com referências a Bolsonaro

Sargento brasileiro preso com 39 quilos de cocaína na Espanha é condenado a seis anos de prisão - Política - Estadão

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

15 fevereiro 2020, sábado Notícia

Notícias anteriores

Modelo com distrofia muscular desfila na Semana de Moda de Nova York - Emais - Estadão

Próxima notícia

Relembre quem já foi demitido no governo Bolsonaro - Política - Estadão
Com enredo sobre poder do conhecimento, Águia de Ouro ganha pela primeira vez carnaval de SP - São Paulo - Estadão Arnaldo Antunes, Nando Reis e Titãs se manifestam contra Olavo de Carvalho por uso de 'O Pulso' - Cultura - Estadão O carnaval da crítica política vai dos blocos às escolas de samba Bolsonaro critica enredo da Mangueira: ‘desacata as religiões’ Motorista encontra cão amarrado em saco plástico na Fernão Dias em MG Tempo Real LANCE! - No carnaval alemão, Bolsonaro é retratado como 'assassino do clima' - CartaCapital Empresário que levou Guedes a Bolsonaro prepara retorno ao Brasil após décadas na China Pabllo Vittar atrai milhares de fãs em bloco no centro de SP; Bastardo desfila em Pinheiros - São Paulo - Estadão Na ONU, Damares diz que carnaval 'afronta a fé cristã' - CartaCapital ‘Atypical’ é renovada para 4ª e última temporada; assista teaser - Emais - Estadão ASSISTA à apuração das escolas de samba de São Paulo
Bolsonaro comete infração de trânsito ao andar de moto com capacete solto em Guarujá Bolsonaro posta vídeo em que passeia de moto com capacete solto Adnet desfila fantasiado de Bolsonaro na Sapucaí: ‘Temos essa liberdade’ | VEJA Gente Estagnação e a sucessão presidencial - ISTOÉ Independente Antonio Pitanga: “Se Lula pedir, Benedita da Silva será vice de Freixo” Marcelo Adnet desfila na São Clemente com fantasia e carro alegórico com referências a Bolsonaro Sargento brasileiro preso com 39 quilos de cocaína na Espanha é condenado a seis anos de prisão - Política - Estadão 'Carnaval é uma mentira', diz Andressa Urach, longe dos desfiles - Emais - Estadão Fantasias de índio e de negro alimentam polêmica sobre apropriação cultural durante a folia - Brasil - Estadão Recorrendo em liberdade, Lula vai à França, Suíça e Alemanha Praias do litoral norte de São Paulo são atingidas por forte ressaca - São Paulo - Estadão Em carro que aborda esquema de laranjas, Mateus Solano critica “mamata” | VEJA Gente