Inflação de alimentos interrompe sequência de seis meses de alta no varejo

Inflação de alimentos interrompe sequência de seis meses de alta no varejo

15/01/2021 16:33:00

Inflação de alimentos interrompe sequência de seis meses de alta no varejo

Em novembro, setor variou -0,1%. Apesar das vendas da Black Friday, resultado foi influenciado pela queda em supermercados, impactado pelo aumento de preços

“Se olharmos, por exemplo, para a receita das empresas dessa área [hipermercados], houve um declínio de 0,8%. E a diferença entre a receita e o volume de vendas demonstra um aumento de custos. Mas, além disso, é comum que o consumidor, quando tem uma queda de renda ou do seu poder de compra, passe a comprar menos produtos que não são essenciais e a optar por marcas mais baratas”, diz Santos. Vale lembrar que, a partir de setembro, o valor do auxílio emergencial para trabalhadores informais de baixa renda caiu de 600 reais para 300 reais. A última liberação do benefício ocorreu em dezembro.

Avião com doses da vacina da Covid-19 bate em jumento que estava em pista de aeródromo da Bahia Doria coloca todo o estado de SP em fase vermelha a partir de sábado Sem doença preexistente, instrutora de pilates morre aos 35 anos com Covid-19 em Cuiabá

Já as atividades de Outros artigos de uso pessoal e doméstico, em que pesam, principalmente, as lojas de departamento, e de Artigos farmacêuticos, medicinais, ortopédicos e de perfumaria foram as únicas que apresentaram crescimento tanto em relação ao mês anterior quanto em relação a novembro de 2019. “Com a reabertura do comércio, essa atividade vem apresentando forte crescimento, registrando em novembro alta de 1,4% frente a outubro e 16,2% frente ao mesmo período de 2019”, afirma Santos.

Continua após a publicidadeO pesquisador ressalta ainda a influência da Black Friday nesse período.“A Black Friday impacta principalmente as atividades de Outros artigos de uso pessoal, Móveis e eletrodomésticos, além de Equipamentos de escritório, informática e comunicação. Sendo que, nesse novembro, essas duas primeiras atividades tiveram um desempenho bem superior ao do ano anterior, ao contrário dos equipamentos de escritório e informática, que ficaram 9,9% abaixo do mesmo período de 2019. Esses resultados também refletem o fato de as pessoas estarem ficando mais em casa”, comenta Santos. headtopics.com

No acumulado de 2020, as atividades que somam maiores índices no comércio varejista são Móveis e eletrodomésticos (11,6%) e Artigos farmacêuticos, medicinais, ortopédicos e de perfumaria (7,7%). O índice geral registrou alta de 1,2% no período.

Varejo ampliadoJá o comércio varejista ampliado, que inclui, além das oito atividades de varejo, Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, manteve o crescimento e registrou a sétima alta no volume de vendas, de 0,6%, em novembro, frente ao mês anterior. Frente a novembro de 2019, o setor registrou a quinta taxa positiva com aumento de 4,1%, após a alta de 6,1% em outubro. Porém, o varejo ampliado já se encontrava em novembro 5,2% acima do patamar de fevereiro.

No ano, a venda de veículos acumula queda de 15,1%, mas os materiais de construção tiveram alta de 10,1%. Consulte Mais informação: VEJA »

Um ano de Covid-19 em São Paulo | São Paulo | G1

Resultado da queda do consumo. O Brasil está intensificando a disseminação do vírus da fome! ForaBolsoando ImpeachementBolsonaro A mano, sério, pra mim povo tá tendo o que merece. Só sabe falar merda na internet e não faz porra nenhuma, enquanto os ratos estão rindo das nossas caras. Nem vem usar desculpa da pandemia pois já teve oportunidade dante a mesma de fazer e não fez!

Brasileiros são idiotas mesmo, nós não temos um povo, e sim, uma plateia Adoramos assistir o presidente defecar pela boca e seus filhos roubando O q fazemos para mudar essa zona?