'Gente Rica': Sátira folhetinesca retrata a São Paulo de 1912 - Cultura - Estadão

'Gente Rica': Sátira folhetinesca retrata a São Paulo de 1912 (via @EstadaoCultura)

18/10/2021 06:40:00

'Gente Rica': Sátira folhetinesca retrata a São Paulo de 1912 (via EstadaoCultura)

Primeiro romance de José Agudo, epopeia da abastança sobre 'Cenas da Vida Paulistana' ganha uma nova edição

17 de outubro de 2021 | 05h00Omodernismo de 1922comemora o seu centenário e, em tempos tão tristes, nada melhor do que rever o papel dinâmico que tal movimento desencadeou na cultura brasileira. Mas, na História, comemorações funcionam como aqueles holofotes giratórios, iluminando alguns personagens e obras e deixando outras na sombra ou na escuridão do passado. Muito oportuno, portanto, o lançamento de

Gente Rica: Cenas da Vida Paulistana, o primeiro romance de, publicado em1912– agora em caprichada edição, acompanhada de posfácio de Walnice Nogueira Galvão. Ausente das histórias literárias e visto apenas como um escritor menor, Agudo foi mais do que um professor da Escola de Comércio Alvares Penteado, português de nascimento, de nome José da Costa Sampaio, pois, entre 1912 e 1919, publicou sete romances, todos com histórias que tinham por cenário a São Paulo daquela época. 

Leia TambémDefinido pelo escritor como uma “epopeia da abastança”,Gente Ricaé uma sátira folhetinesca às elites paulistas e uma crônica alegre de alguns lugares característicos do centro paulistano. São vários personagens que circulam pelos lugares da afluente sociabilidade paulistana, como o Café Guarany, a confeitaria Castelões, a Rotisserie Sporstsman, o Teatro Santana – além das ruas, todas delimitadas pelo popularmente chamado “Triângulo”, formado pelas Ruas 15 de Novembro, São Bento e Direita. Lugares que o leitor pode revisitar, sobretudo a partir das raríssimas fotos reproduzidas no livro. Mais raras ainda porque, cabe lembrar, alguns dos edifícios acabaram destruídos pelo bombardeio da cidade em 1924.  headtopics.com

O personagem principal é Juvenal de Faria, “paulista da gema”, neto de descendentes diretos de Fernão Dias Paes Leme e bisneto do tenente Francisco Bueno Garcia Leme, descrito por Agudo como “um dos 30 felizes membros que testemunharam o célebre desarranjo intestinal do príncipe regente, ocorrido na tarde do não menos célebre

7 de setembro”. Apesar das origens, trata-se de um personagem absolutamente extravagante: abominava suas origens aristocráticas e envergonhava-se de ser forçado a “honrar- se de ser neto ou bisneto de bandidos e ladrões”. Quase como um alter ego do próprio escritor, cujo cognome popular era Juvenal Paulista, é ele quem vai propor a todos os amigos figurões a criação de uma “Mútua”(algo equivalente a um fundo de investimentos) e depois o Showing Club – uma evidente ferramenta de ostentação narcisista da elite – embora a quilômetros de distância do autêntico “show de egos” das mídias atuais. Todos os outros personagens são caricaturas verbais, nos quais se acentuam os contrastes entre a ambição arrivista e a realização de objetivos prosaicos, que beiram o ridículo. 

Entre as inúmeras outras figuras, cada uma com a narrativa das suas risíveis idiossincrasias pessoais,Gente Ricaacaba por se constituir assim, segundo os desígnios de Agudo, num elogio da riqueza – mas é um elogio desmedido, de exagerada e hiperbólica ironia, prevalecendo o intuito cômico ou até mesmo humorístico, já que Agudo parecia antecipar, como poucos, algumas das modernas estratégias narrativas. 

Apesar de seus dotes, Agudo tornou-se mais um ilustre desconhecido no riquíssimo quadro cultural paulista daquela época. Seus escritos eram demasiado irreverentes, revelando uma ambiguidade que não era muito conveniente à construção da hegemonia paulista, sobretudo após a derrota da candidatura civilista em 1910. A outra razão relaciona-se ao fato de Agudo envolver-se em polêmica com Oswald de Andrade, a propósito quando seu segundo livro – uma sátira aos escritores – intitulado headtopics.com

Gente Audaz. A apreciação de Oswald foi duríssima: “PorqueGente Audaz, não é romance, não é livro de filosofia nem de ciência nem de crítica, não é reunião de contos ou crônicas esparsas – é simplesmente uma vergonhosa declaração de amor próprio do autor de

Gente Rica. E vamos confessar agora que o próprio sr. José Agudo seria capaz de tornar interessante um assunto reles como o que escolheuGente Audaz, se não fosse hoje um rate”. A polêmica é longa, descambando em azedas ofensas pessoais e com um aviso de toda a redação, solidarizando-se com Oswald, ao definir a carta de insultos como “carta de um negro boçal e talvez bêbado”.

Esta bela edição deGente Rica  Consulte Mais informação: Estadão »

O Assunto #583: Amazônia – a marcha batida da destruição

Balanço anual do Inpe revela o maior desmatamento em 15 anos na região, com mais de 13 mil km² devastados. É o terceiro ano seguido que a floresta perde mais de 10 mil km² – período que coincide com o protagonismo dos militares no comando estratégico – e orçamentário – do combate ao desmate.

Cultura Pq vcs usaram uma foto do Rio?

Tom Cruise: sem perdão nas redes sociais | VEJA GenteVEJAGente: Em uma rara aparição pública, Tom Cruise não tem perdão nas redes sociais Ta lindo Alguém largou na frente: Quando não usa esse espaço para politicagem, fala de fofoca. Que fase!

A surpreendente liberação conjugal da princesa Catharina-Amalia | VEJA GenteAos 17, ela já está oficialmente informada: se resolver se casar com uma mulher, tudo bem Me ajudem por Deus ,tô passando por muitas necessidades!!🙏😢Estou Sem trabalho a meses,tá dificil arrumar o q comer e pagar aluguel,e uma situação desesperadora nem sei mais o que fazer Se alguém puder me ajudar esse é meu Pix mariaparecida5021gmail.com

Romance de 1912 faz sátira sobre a elite paulistana da época - Aliás - Estadão'Gente Rica', de José Agudo, ganha nova edição em momento oportuno A elite mais caricata que existe. 🤣 Estação da Luz ♥️ Estação da Luz, famosa pelas cortesanas da época.😏

Feminista, periférica e LGBTQIA+, cervejaria de SP desafia preconceitos: 'Remando contra setor de homens das classes A e B'Cerveja Benedita, criada em 2018 no fundo de um quintal na Grande São Paulo, ganhou espaço com discurso voltado para 'as minorias que, na verdade, são maioria', segundo as criadoras. Carai, agora vou ter que perguntar no bar com quem o fabricante transa? um bando de macho escroto incomodado nos comentários, ranço Ninguem liga!

DC Fandome: maratona virtual de gibis para mobilizar a cultura pop - Cultura - EstadãoRecheado de estrelas para badalar séries e filmes, evento promove renovação nas HQs de super-heróis dos EUA, movimentando o mercado editorial Cultura Me ajudem por Deus ,tô passando por muitas necessidades!!🙏😢Estou Sem trabalho a meses,tá dificil arrumar o q comer e pagar aluguel,e uma situação desesperadora nem sei mais o que fazer Se alguém puder me ajudar esse é meu Pix mariaparecida5021gmail.com Cultura Por que a DC não apresentou nenhum herói homossexual no maior evento de divulgação de seu material? Medo de perder dinheiro? E a representatividade?

Doria anuncia investimento privado de R$ 12 bi em São Paulo | RadarCervejaria espanhola Estrella Galicia vai investir a fortuna na construção de uma fábrica em Araraquara radaronline Privado: pcc chinês radaronline aí o povo quer colocar o Tarcísio que só sabe inaugurar fonte de agua no lugar dele radaronline