Filha de Flordelis sobre 'irmão' réu por morte de pastor: 'É uma pessoa ruim, mesmo'

24/11/2021 05:00:00
Filha de Flordelis sobre 'irmão' réu por morte de pastor: 'É uma pessoa ruim, mesmo'

Roberta afirmou que irmão Flávio dos Santos Rodrigues castigava os irmãos mais novos com violência e que já presenciou uma surra dele em outro irmão.

Casoflordelis

Roberta afirmou que irmão Flávio dos Santos Rodrigues castigava os irmãos mais novos com violência e que já presenciou uma surra dele em outro irmão g1 CasoFlordelis

Roberta afirmou que irmão Flávio dos Santos Rodrigues castigava os irmãos mais novos com violência e que já presenciou uma surra dele em outro irmão.

A filha registrada de Flordelis, mas que fora criada por outros irmãos mais velhos, também contou ter presenciado uma surra dada por Flávio em um irmão surdo-mudo.O Lucas mencionado por ela não é o mesmo que também é julgado nesta terça. A sessão de espancamento, segundo Roberta, foi interrompida por outro irmão, André, que em seguida teria tido uma tesoura cravada nas costas por Flávio.

Filhos de Flordelis pediram que réus deixassem plenárioAnderson defendia FlordelisMas antes do assassinato com arma de fogo, Anderson já tinha passado mal em várias ocasiões, o que era associado por ele a uma crise de gastrite. Entretanto, para a polícia e familiares mais ligados ao pastor, na verdade ele estava sendo envenenado com arsênio – também a mando de Flordelis.

Consulte Mais informação: g1 »

'Não existe televisão brasileira sem o Jô', diz Patrícia Kogut

A comentarista Patrícia Kogut fala sobre o legado de Jô Soares, morto nesta sexta-feira, aos 84 anos. Ela destaca que Jô foi um 'multiartista', tendo demonstrado versatilidade na televisão e em várias outras atividades, como a literatura e a música. Ela relembra, ainda, a generosidade e doçura de Jô com os amigos. 'Um artista completo, com tantos talentos, e que ainda assim era interessado nos outros', afirma. Consulte Mais informação >>

Flávio Bolsonaro vira pivô de atrito entre ministros no STF | Radar

Flávio Bolsonaro vira pivô de atrito entre ministros no STF | RadarCaso que discute o foro do filho do presidente na investigação das rachadinhas está parado no Supremo radaronline Foro era para deputado e não senador .Então não tem foro algum radaronline Tem que prende esse Marginal radaronline

Justiça manda Freixo apagar post sobre rachadinha de Flávio Bolsonaro | Radar

Justiça manda Freixo apagar post sobre rachadinha de Flávio Bolsonaro | RadarJustiça manda Freixo apagar post sobre rachadinha de Flávio Bolsonaro (via radaronline) radaronline Um forte abraço radaronline Freixo é um criminoso. radaronline Interferência? Nenhuma! Né, jairbolsonaro FlavioBolsonaro

Justiça determina que Freixo apague montagem de Flávio Bolsonaro fichado na polícia

Justiça determina que Freixo apague montagem de Flávio Bolsonaro fichado na políciaNo post, o deputado escreveu: 'Rachadinha é corrupção. O destino de Flávio Bolsonaro é a cadeia. Dele e de toda a família' E a blindagem continua Penso que esse atitude foi um erro. O Estado de Direito é para todos, não pode se repetir o estado de exceção que aconteceu com o ex-presidente Luís Inácio. Isso é metado extremista, incompatível com o trâmite em julgado, condenado em sentença condenatória. A justiça deveria decretar a prisão deste corrupto confesso, quando candidato dizia que foro privilegiado servia para proteger bandidos, e agora eleito recorre ao foro privilegiado mesmo retroativo para anular as provas que se tem contra ele

Virgílio diz que 'subirá escadaria da Penha de joelhos' se Aécio deixar PSDBVirgílio diz que ‘subirá escadaria da Penha de joelhos’ se Aécio deixar PSDB

Caso Flordelis: julgamento dos filhos da ex-deputada começa nesta terça-feira (23) - ISTOÉ Independente

Caso Flordelis: julgamento dos filhos da ex-deputada começa nesta terça-feira (23) - ISTOÉ IndependenteOs dois filhos de Flordelis suspeitos de envolvimento no assassinato do pastor Anderson do Carmo, Flávio e Lucas, enfrentarão, por volta de 13h da terça-feira (23), o primeiro julgamento na condição de réus. A ex-deputada federal, cassada pela Câmara e apontada como a mandante do crime, está presa. As informações são do iG. O caso […] Essa que é evangélica, de direita ..... Mulher de bem rsrsrsrs

Brasil notifica 398 mortes por covid-19 em 24 horas; média móvel é de 245 - Saúde - Estadão

Brasil notifica 398 mortes por covid-19 em 24 horas; média móvel é de 245 - Saúde - EstadãoOs Estados do Amapá, do Acre e de Sergipe não relataram mortes; total de vítimas no País é de 613,2 mil People may have to co-exist with Covid eventually. BostApp makes it safe and easy to communicate with users nearby. Download for free at Apple & Google ---------------------------------- A IMPRENSA É TUA INIMIGA: A mesma imprensa que te disse pra ficar em casa, faz convocação para o Carnaval 2022, mesmo depois de +600 mil mortes...!!! Eis a prova que a imprensa apenas manipula e sabota a nação! Mídia Genocida!

Começa o julgamento dos filhos de Flordelis Roberta dos Santos, filha registrada de Flordelis, foi a quinta pessoa a depor no julgamento de Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza, dois filhos da ex-deputada federal, presos por suspeita de envolvimento na morte do pai, Anderson do Carmo, nesta terça-feira (23).Por Robson Bonin Atualizado em 22 nov 2021, 19h18 - Publicado em 23 nov 2021, 09h30 A discussão sobre quem teria a prerrogativa de colocar a coisa para andar, se o presidente ou o relator, é o motivo do atrito silencioso Pedro França/Agência Senado Publicidade Publicidade Os bastidores do STF andam agitados nos últimos dias por causa da discussão do foro de Flavio Bolsonaro no caso das rachadinhas.acaba de determinar que o deputado Marcelo Freixo delete de suas redes sociais uma postagem feita no último dia 12 em que relaciona o senador Flávio Bolsonaro ao caso das rachadinhas.por.

Segundo ela, Flávio, um dos dois filhos julgados nesta terça, é uma "pessoa ruim". Roberta contou que o "irmão" mais velho castigava os mais novos de forma rígida, às vezes os obrigando a ajoelhar em grãos de milho, virados para a parede. O julgamento definirá se o senador tem direito a foro privilegiado no caso das rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, quando ocupava o cargo de deputado estadual. A filha registrada de Flordelis, mas que fora criada por outros irmãos mais velhos, também contou ter presenciado uma surra dada por Flávio em um irmão surdo-mudo. Na legenda da postagem, Freixo afirma que “r achadinha é corrupção”. Lucas Cézar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos Rodrigues, filhos de Anderson, durante o julgamento em que são acusados da morte do pai. Quem conversa com Nunes Marques identifica um sentimento de insatisfação com a impressão de que é culpa dele a coisa não andar. — Foto: Nicolás Sartriano "Ele socava o estômago do Lucas", relatou Roberta.

O Lucas mencionado por ela não é o mesmo que também é julgado nesta terça. Já Mendes, segundo outro interlocutor, garante que o dever de pautar é do presidente. A determinação de apagar a postagem foi proferida nesta segunda-feira pela juíza Priscila da Ponte, em processo que corre na 4ª Vara Cível do Rio e que tem, além do deputado, o Facebook como réu. A sessão de espancamento, segundo Roberta, foi interrompida por outro irmão, André, que em seguida teria tido uma tesoura cravada nas costas por Flávio. Além de Roberta, também foram ouvidos Misael, filho de Flordelis que acredita que a mãe é responsável pela morte de Anderson, Luana Rangel, casada com Ismael e mais dois delegados responsáveis pelo caso. Continua após a publicidade. Regiane Ramos, testemunha de defesa e ex-patroa de Lucas César dos Santos, também foi ouvida essa nesta terça-feira. A juíza entendeu que, a despeito da liberdade de expressão e também da imunidade parlamentar que Freixo goza, a montagem poderia ser confundida com verdade, já que não há na postagem nenhuma indicação de que aquelas informações não eram verídicas– uma vez que Flávio não foi condenado pelos crimes citados– ou que se tratavam de ironia ou crítica. Filhos de Flordelis pediram que réus deixassem plenário Roberta dos santos e Mizael pediram à juíza que os irmãos réus saíssem do plenário durante o depoimento, o que foi atendido.

Mizael disse que Flávio dos Santos confessou pra ele ter matado o pastor. Anderson defendia Flordelis A nora de Flordelis, Luana Rangel Pimenta, afirmou durante julgamento na tarde desta terça-feira (23) que o pastor Anderson Gomes era o "maior defensor" da ex-deputada e que, por isso, não foi possível avisar ao sogro que ele estava sendo envenenado. Anderson, ex-marido de Flordelis, foi assassinado a tiros em 2019. A ex-parlamentar é acusada de ser a mandante do crime. Mas antes do assassinato com arma de fogo, Anderson já tinha passado mal em várias ocasiões, o que era associado por ele a uma crise de gastrite.

Entretanto, para a polícia e familiares mais ligados ao pastor, na verdade ele estava sendo envenenado com arsênio – também a mando de Flordelis. Luana é casada com o pastor e ex-vereador de São Gonçalo Misael, filho de Flordelis. O nome de Misael foi dado por Flordelis. Na verdade, o homem se chama Wagner Andrade Pimenta. Também ao depor, Luana revelou que ela e o marido tinham medo de Flordelis, principalmente após a morte do pastor Anderson.

A mulher relatou vários episódios em que ouvia de pessoas próximas à ex-parlamentar e até da própria Flordelis queixas sobre Anderson. Numa das situações, Flordelis teria relatado à nora que não gostaria de se separar do marido porque não poderia "envergonhar a obra de Deus". Segundo Luana, os atritos entre Flordelis e Anderson pioraram depois que ela foi eleita deputada federal. Não seriam brigas, disse a nora, mas "desgastes". A mulher também contou ter testemunhado um "desabafo" de uma das filhas de Flordelis logo após a eleição.

Luana disse ter ouvido em Brasília que, depois de eleita, uma das filhas teria dito que elas não precisariam mais "dele". Para a nora da ex-deputada, era uma referência ao pastor Anderson. Nesta terça-feira, até o início da noite, 5 pessoas já haviam sido ouvidas, entre elas dois filhos de Flordelis, Misael e Roberta. Delegados do caso são ouvidos no primeiro dia de julgamento A delegada Barbara Lomba foi a primeira a ser ouvida durante o julgamento de Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza, dois filhos da ex-deputada federal Flordelis, presos por suspeita de envolvimento na morte do pai, Anderson do Carmo, nesta terça-feira (23). Lomba afirmou que a ex-deputada federal foi a responsável por elaborar uma carta que responsabilizaria outros filhos pelo assassinato do pastor.

De acordo com o depoimento da delegada, a carta foi copiada por Lucas – filho afetivo da ex-deputada – a mando do filho biológico Flávio, quando os dois estavam presos na penitenciária Bandeira Stampa, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. Flávio teria recebido a carta da esposa de outro detento, um ex-PM condenado a mais de 200 anos de prisão por ter participado da chacina da Baixada Fluminense. O conteúdo da carta, disse a delegada, não esclarecia nada do crime, apenas tentava culpar outras pessoas da família de encomendar a morte do pastor. A segunda pessoa a depor foi o também delegado e ex-titular da DHNSG Allan Duarte, que assumiu a investigação, e chamou o grupo de pessoas que morava na casa de Flordelis de "organização criminosa familiar". Segundo ele, Flordelis diferenciava os filhos afetivos dos biológicos, dando preferência e privilégios àqueles que não eram adotados.

O delegado explicou que o pastor Anderson, nesse sentido, era o "fiel da balança", funcionando como um agente que equilibrava essa dinâmica. Mesmo assim, segundo o policial, Flordelis mantinha uma geladeira dentro do próprio quarto, exclusiva para uso de algumas pessoas. Na geladeira da cozinha, a qual os filhos afetivos tinham acesso, geralmente só tinha água e salsicha. Allan Duarte também detalhou que o pastor Anderson já havia sofrido tentativas de envenenamento por parte do grupo familiar mais próximo de Flordelis. Disse ele que duas pessoas muito próximas da ex-deputada pesquisaram termos no Google para saber como seria possível matar alguém com arsênio.

O delegado acrescentou que Anderson, antes de ser assassinado a tiros, tinha passado mal várias vezes, provavelmente por ingerir líquidos envenenados. Isso ficou comprovado em duas perícias, segundo Duarte. .