“Feliz por mais uma chance de fazer ainda melhor”, celebra Bia Haddad Maia

Bia Haddad Maia é a primeira mulher brasileira a chegar à final do Australian Open na Era Aberta, que teve início em 1968

27/01/2022 17:20:00

Bia Haddad Maia é a primeira mulher brasileira a chegar à final do Australian Open na Era Aberta, que teve início em 1968

Bia Haddad Maia é a primeira mulher brasileira a chegar à final do Australian Open na Era Aberta, que teve início em 1968.  Ao lado da cazaque Anna Dan...

“É um momento muito especial. Foi um jogo muito mental. Acho que, no começo, todas nós estávamos um pouco nervosas e cometendo alguns erros. Acho que isso é normal. Tentamos fazer tudo o que estávamos fazendo nas últimas partidas, demos tudo o que podíamos”, disse a tenista.

Para carimbar a classificação, Bia e Danilina passaram por altos e baixos na partida. Depois de levarem a melhor no primeiro set com 6/4, elas chegaram a abrir 5/3, mas perderam um match point no saque das rivais. Na sequência, foi a vez de Bia sacar com a chance de fechar a partida. A oportunidade, porém, não foi aproveitada e Aoyama e Shibahara venceram a segunda parcial em 7/5. Apesar do susto, a união entre Brasil e Cazaquistão não se deixou abalar e avançou com 6/4 no último e decisivo set. 

Consulte Mais informação: Band.com.br »

O veredicto do mercado sobre a privatização da Eletrobras | Radar Econômico

VEJA Mercado em vídeo: Tribunal de Contas da União (TCU) formou maioria para a desestatização da companhia Consulte Mais informação >>

Medvedev bate Aliassime de virada e pega Tsitsipas na semi do Australian Open “É um momento muito especial. Foi um jogo muito mental. Acho que, no começo, todas nós estávamos um pouco nervosas e cometendo alguns erros. Acho que isso é normal. Tentamos fazer tudo o que estávamos fazendo nas últimas partidas, demos tudo o que podíamos”, disse a tenista. Para carimbar a classificação, Bia e Danilina passaram por altos e baixos na partida. Depois de levarem a melhor no primeiro set com 6/4, elas chegaram a abrir 5/3, mas perderam um match point no saque das rivais. Na sequência, foi a vez de Bia sacar com a chance de fechar a partida. A oportunidade, porém, não foi aproveitada e Aoyama e Shibahara venceram a segunda parcial em 7/5. Apesar do susto, a união entre Brasil e Cazaquistão não se deixou abalar e avançou com 6/4 no último e decisivo set.  Na sequência da entrevista pós-jogo, Bia falou sobre o momento de dificuldade do final do segundo set e destacou o quão especial foi a classificação.  “Não foi fácil sofrer uma quebra quando estava sacando para fechar no segundo set, podendo chegar à minha primeira final de Grand Slam. Eu senti isso. Mas assim como nas últimas partidas, em que também passamos por momentos difíceis, só tentamos continuar. Foi muito especial para mim e estou muito feliz por termos mais uma chance de fazer ainda melhor”, completou. Na grande final do Australian Open, Bia e Danilina terão mais uma pedreira pela frente. Elas vão enfrentar as tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova. As cabeças de chave número 1 do torneio eliminaram Veronika Kudermetova e Elise Mertens na semifinal. Veja também