EUA rejeitam principais exigências da Rússia sobre Ucrânia e Otan

Rússia diz ter recebido resposta dos EUA a demandas sobre Ucrânia

26/01/2022 21:56:00

Rússia diz ter recebido resposta dos EUA a demandas sobre Ucrânia

Casa Branca diz que Otan continuará aberta a receber novos membros e propõe caminho diplomático para solucionar a crise na região

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou que, embora a Casa Branca tenha negado as demandas feitas pelo Kremlin, o documento enviado hoje a Moscou estabelece um “caminho diplomático sério” a ser discutido entre os países para resolver a crise na região.

Crise internacional: comboio de veículos militares russos se movimenta na Crimeia; Rússia concentra tropas próximo da Ucrânia — Foto: AP Photo“Estamos abertos ao diálogo, preferimos a diplomacia. Resta à Rússia decidir como responder. Estamos prontos de qualquer maneira”, afirmou o secretário de Estado em entrevista coletiva. “Não há mudança e não haverá mudança [na nossa postura].”

Consulte Mais informação: Valor Econômico »

'Estamos reféns do conluio das Forças Armadas com Bolsonaro e o centrão', reflete Francisco Bosco

No Estúdio CBN, o filósofo e escritor Francisco Bosco falou sobre o seu novo livro, 'Diálogo Possível: por uma reconstrução do debate público brasileiro'. Nas 490 páginas da obra, Bosco contextualiza a história da política brasileira e indica possíveis soluções para a democracia no país. Sobre a perspectiva em ano eleitoral, ele é categórico: 'estamos reféns do conluio das Forças Armadas com Bolsonaro e a parte do Congresso, conhecida como 'centrão'. Essas forças deixam o país sob estado de tensão'. Consulte Mais informação >>

Esses Russos não sabem brincar !

Tensão na Ucrânia: EUA se dizem prontos para impor 'sanções massivas' à Rússia'Esta não é mais uma resposta gradual. Desta vez vamos começar no topo da escala (de sanções) e ficar lá', ameaçou um alto funcionário da Casa Branca

EUA põem 8.500 soldados em alerta em meio à tensão entre Ucrânia e RússiaOs Estados Unidos colocaram nesta segunda-feira (24) cerca de 8.500 soldados em alerta para estarem prontos para serem enviados à Europa, se necessário, potencialmente em um prazo muito curto, no mais recente esforço para tranquilizar aliados da Otan n Ucrânia é aquele 'país' comandado por nazistas?

Joe Biden descarta envio de tropas dos EUA ou da Otan à UcrâniaJoe Biden descarta envio de tropas dos EUA ou da Otan à Ucrânia. Presidente americano afirmou que uma invasão russa ao país vizinho pode gerar sanções econômicas pessoais a Vladimir Putin 📲 PortalR7 R7 Jr24H JornaldaRecord Covarde!!!! Sempre covarde!!! Peidou

UE se divide sobre sanções contra ação da Rússia na UcrâniaPaíses divergem sobre como responder a diferentes ações do Kremlin e debatem até sobre o que constituiria um ataque contra a Ucrânia

Rússia faz exercícios militares antes de negociações sobre crise na UcrâniaA Rússia realizou exercícios militares nesta hoje e enviou mais forças e caças para Belarus para exercícios no próximo mês, enquanto autoridades se preparavam para negociações em Paris sobre o conflito no leste da Ucrânia.O responsável no Kremli

Rússia recusa diálogo sobre a crise na Ucrânia com a OSCEDaniela Franco, da RFI, atualiza as informações sobre a crise na Ucrânia. O ministro russo das Relações Exteriores, Serguéi Lavrov, disse que Moscou vai tomar medidas apropriadas, caso Estados Unidos e OTAN não respondam aos pedidos de garantia sobre a não expansão da Organização dos Países do Norte para o Leste da Europa. Macron alertou que Rússia vai pagar caro se invadir a Ucrânia. Joe Biden ameaça Moscou com sanções econômicas severas. RFI_Br Com nazista não se negocia. A Ucrânia é neonazistas. Vejam.

Os Estados Unidos rejeitaram as principais demandas feitas pela Rússia sobre a Ucrânia e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em uma resposta entregue por escrito em Moscou nesta quarta-feira. O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou que, embora a Casa Branca tenha negado as demandas feitas pelo Kremlin, o documento enviado hoje a Moscou estabelece um “caminho diplomático sério” a ser discutido entre os países para resolver a crise na região. Crise internacional: comboio de veículos militares russos se movimenta na Crimeia; Rússia concentra tropas próximo da Ucrânia — Foto: AP Photo “Estamos abertos ao diálogo, preferimos a diplomacia. Resta à Rússia decidir como responder. Estamos prontos de qualquer maneira”, afirmou o secretário de Estado em entrevista coletiva. “Não há mudança e não haverá mudança [na nossa postura].” No documento, os EUA afirmam que a Otan permanecerá com as portas abertas para a entrada de novos membros, como a própria Ucrânia, rejeitando assim uma das principais exigências da Rússia. Mas oferecem sugestões para áreas de interesse mútuo, como negociações sobre controle de armas e maior transparência sobre movimentos de tropas na região. “Vamos defender o princípio de portas abertas da Otan”, afirmou Blinken, reiterando a posição dos EUA e da Europa de que a Rússia não deve determinar que países podem aderir à aliança militar. “Também apresentamos áreas nas quais acreditamos que, juntos, poderemos realmente avançar para garantir a segurança de todos, inclusive da Rússia.” Os EUA e a Otan parecem ter adotado uma posição mais dura com a Rússia nos últimos dias. Na segunda-feira, mobilizaram tropas para reforçar a segurança na região se necessário. Ontem, vazaram possíveis sanções econômicas muito duras contra a Rússia em caso de invasão da Ucrânia. E hoje rejeitaram as principais demandas feitas pelo Kremlin. A resposta americana, que não será divulgada publicamente, foi entregue pelo embaixador dos EUA em Moscou, John Sullivan, ao vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko. O Kremlin confirmou o recebimento do documento, mas ainda não comentou seu conteúdo. Pouco depois da entrevista coletiva de Blinken, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou que também enviou uma resposta por escrito às exigências feitas pelo governo de Vladimir Putin, reiterando um pedido para que a Rússia reduza as tensões na região. Stoltenberg pediu que Rússia e Otan restabeleçam suas respectivas missões em Moscou e Bruxelas, fechadas nos últimos anos em meio às divergências, e usem os canais militares de comunicação para reduzir eventuais riscos de conflito. Antes do envio da resposta, a Rússia ameaçou retaliar se suas exigências não fossem aceitas e se os países ocidentais continuarem implementando o que chamou de “política agressiva” na região. Em uma audiência no Parlamento russo hoje, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que, ao lado de outros funcionários do governo, aconselharia Putin sobre quais devem ser os próximos passos a serem tomados pelo Kremlin. “Se o Ocidente continuar com seu curso agressivo, Moscou tomará as medidas de retaliação necessárias”, afirmou o chanceler russo. “Não vamos permitir que nossas propostas sejam afogadas em discussões intermináveis.” A Rússia nega qualquer intenção de invadir a Ucrânia, mas mantém mais de 100 mil soldados mobilizados perto da fronteira com o país vizinho, o que preocupa os EUA e seus aliados. Hoje, o país iniciou uma série de exercícios militares no Mar Báltico.