Diretores da Anvisa sofrem novas ameaças após aprovação da Coronavac para crianças | Brasil | O Dia

Estudos demonstraram a segurança e efetividade da aplicação de duas doses da Coronavac, com intervalo de 28 dias, na população entre 6 e 17 anos

Odia, Diretores

23/01/2022 14:08:00

Estudos demonstraram a segurança e efetividade da aplicação de duas doses da Coronavac , com intervalo de 28 dias, na população entre 6 e 17 anos. ODia

Estudos demonstraram a segurança e efetividade da aplicação de duas doses da Coronavac , com intervalo de 28 dias, na população entre 6 e 17 anos

Diretores da Anvisa sofrem novas ameaças após aprovação da Coronavac para criançasMarcelo Camargo/Agência BrasilEstadão ConteúdoPublicado 22/01/2022 21:39Brasília - Diretores e servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) voltaram a sofrer ameaças após a agência dar aval, nesta semana, à aplicação da Coronavac em crianças e adolescentes para combate à covid-19. Até então, a única vacina aprovada no Brasil para a população pediátrica era o imunizante da Pfizer, que já começou a ser aplicado em crianças de 5 a 12 anos.

Consulte Mais informação: Jornal O Dia »

Crise na candidatura de Doria pega fogo dentro do PSDB | Clarissa Oliveira

A crise no tucanato e a entrevista de Cristiano Zanin Martins ao Amarelas On Air desta terça-feira são os temas do Giro VEJA Consulte Mais informação >>

Pessoal fiquei tranquilos, pois esse desgoverno já está acabando para nunca mais voltar, mas claro não abram mão da segurança de nenhum dos srs.

Reforço de marca diferente é mais eficaz para vacinados com CoronaVac, aponta estudo | Brasil | O DiaPesquisa avaliou concentração de anticorpos 28 dias após dose de reforço. ODia

Diretores da Anvisa voltam a sofrer ameaças após aprovação da Coronavac para crianças - Saúde - EstadãoEm uma das mensagens, encaminhada à diretoria dois da Anvisa , o agressor afirma que 'o preço que vc (sic) vai pagar será altíssimo' A polícia precisa prender logo esses marginais! Bandidos! Mas o problema não eram as vacinas de RNA

'Muita gente que defende que as pessoas não se vacinem toma cloroquina e parece não ler a bula' | O AntagonistaHelaine Capucho, gerente de Farmacovigilância da Anvisa , sobre Coronavac para crianças: 'Quanto mais opções, melhor' EU MORO, TU MORO, ELE MORO, NÓS, CLARO, MORO! Pessoal o Lula vai estrear um seriado na Globo , chama : CARGA ROUBADA 😆😆😆😆😆😆 🔰Ⓜ️ Retweeta ai pessoal! MoroNoFlow ForaBolsonaroVagabundo e sua tropa de assassinos Quando não há benefício, sobra apenas o risco. Acabou.

Diretores da Anvisa são ameaçados após aval à Coronavac em crianças Diretores da Anvisa são ameaçados após aval à Coronovac em crianças. Órgão aprovou na quinta-feira (20) indicação da vacina para imunizar crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos de idade PortalR7 R7 JR24H JornaldaRecord A ambição humana. Vão colocar a vida de milhões de criança em risco pôr ganância com apoio da imprensa e de políticos corruptos . Crianças saudáveis são praticamente imune a COVID as vacinas são muito mais perigosas pra criança do que a COVID. Os riscos da vacina está na bula. Até agora não vi uma postagem de filhos de artistas Kd as fotos vídeos do famosos vacinando seus filhos e segurando a placa “viva o SUS” Povo hipocrita

Pior dos crimes é o médico não incentivar a vacinação, diz secretário de Saúde de SP - Saúde - EstadãoJean Gorinchteyn reforçou que a autorização da Anvisa para o uso da Coronavac em crianças servirá de 'incentivo' aos pais Aquele ex médico , transformou-se no político charlatão … incentivar uma vacina q tm os dados de segurança incompletos e o butantan teve uma grande ajuda da anvisa burlando a condicional de enrega de dados da coronavac adulta. a vacina coronavac infantil é um risco e a anvisa sabe disso Falou o capacho das vacinas...

Ministério da Saúde formaliza ampliação de Coronavac para criançasDocumento divulgado nesta sexta-feira também orienta aplicação do imunizante nos Estados Vacina experimental para criança é crime

Diretores da Anvisa sofrem novas ameaças após aprovação da Coronavac para crianças - Marcelo Camargo/Agência Brasil Diretores da Anvisa sofrem novas ameaças após aprovação da Coronavac para crianças Marcelo Camargo/Agência Brasil Estadão Conteúdo Publicado 22/01/2022 21:39 Brasília - Diretores e servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) voltaram a sofrer ameaças após a agência dar aval, nesta semana, à aplicação da Coronavac em crianças e adolescentes para combate à covid-19. Até então, a única vacina aprovada no Brasil para a população pediátrica era o imunizante da Pfizer, que já começou a ser aplicado em crianças de 5 a 12 anos. Na última quinta-feira, 20, em uma reunião que durou mais de três horas, técnicos da Anvisa apresentaram dados da Coronavac enviados pelo Instituto Butantan. Os estudos demonstraram a segurança e efetividade da aplicação de duas doses da Coronavac, com intervalo de 28 dias, na população entre 6 e 17 anos. Logo após a aprovação, o órgão começou a receber os primeiros e-mails com as ameaças. Em uma das mensagens, encaminhada à diretoria dois da Anvisa, na qual é feita a análise técnica das vacinas, o agressor afirma que"o preço que vc (sic) vai pagar será altíssimo". Já a quinta diretoria, onde ocorre o monitoramento de efeitos adversos, recebeu uma ameaça na qual é dito que"o preço a ser pago será terrível não quero estar na sua pele (sic)". Outras mensagens com teor de ameaça também foram recebidas, de acordo com o órgão, mas não foram divulgadas. Essa não é a primeira vez que servidores e diretores da agência sofrem ameaças em decorrência da aprovação de vacinas. Em dezembro, após o presidente da República, Jair Bolsonaro, defender a divulgação do nome dos técnicos que autorizar a aplicação da Pfizer em crianças, membros do órgão passaram a sofrer as primeiras ameaças de morte, que estão sendo investigadas pela Polícia Federal. Na ocasião, a Anvisa reagiu de forma dura às declarações de Bolsonaro e disse"repudiar com veemência" ameaças feitas contra funcionário do corpo técnico do órgão. A Anvisa afirmou naquela oportunidade, em nota assinada por toda a diretoria e pelo presidente Antonio Barra Torres, que"seu ambiente de trabalho é isento de pressões internas e avesso a pressões externas". À época, o procurador-geral da República, Augusto Aras, informou ao presidente da Anvisa também ter determinado a"adoção de providências" para"assegurar a proteção" dos diretores do órgão A Anvisa ainda não se posicionou oficialmente sobre as últimas ameaças recebidas e só deve se pronunciar na segunda-feira, dia 24.