Deflação é piada de mau gosto com 30 milhões de famintos

10/08/2022 14:27:00

Medidas e estatísticas fazem parte do nosso cotidiano, desde que deixamos as cavernas e passamos a nos organizar como sapiens. Ao longo de mais de 200 mil anos, a humanidade desenvolveu, além da fala...

Deflação para inglês ver: a vida real desmente o governo e castiga o cidadão. Perguntem na padaria, no supermercado, para o pai de família, para a mãe que sustenta sozinha cinco filhos o que é deflação. Leia a coluna de Ricardo Kertzman

Medidas e estatísticas fazem parte do nosso cotidiano, desde que deixamos as cavernas e passamos a nos organizar como sapiens. Ao longo de mais de 200 mil anos, a humanidade desenvolveu, além da fala...

Somos o que somos e seremos o que seremos graças aos números. Devemos a essa criação tudo o que nos rodeia, da mais simples xícara de café ao mais complexo implante ocular, ou cardíaco, instalado em nosso corpo, passando pelo teclado em que escrevo.

O PAPEL ACEITA TUDOOutra velha máxima diz: ‘para o otimista, o copo está meio cheio. Para o pessimista, o copo está meio vazio’. Subjetividade não é meu forte, mas tendo a dar certa razão ao enunciado. Ora, como os números, a realidade, ainda que erroneamente, pode ser manipulada.

Consulte Mais informação:
Revista ISTOÉ »

‘O Diário de Noel’ é um filme de Natal inteligente — e isso é uma raridade | Em Cartaz

Produção não abandona os clichês do gênero natalino, mas os subverte com um roteiro ágil e bem escrito Consulte Mais informação >>

Tá se rasgando por inteiro né militante. Seu candidato é um escárnio. Kkkkk Os porcos de redação em histeria brigando com a realidade Kkkkkkkkkkkkkkkkkk RicardoKertzman é melhor JAIR se acostumando...kkkkkk Aceita que doi menos, não adianta tentar enganar o povp. Estão com saudades das verbas públicas, hein?

Na boca desses esquerdolóides qualquer notícia boa é ruim de qualquer forma. Se tivesse subido a inflação estariam escrevendo um artigo babando de indignação, se baixa eles torcem suas ideias para seguir enganado o povo. Kkk O Choro é livre Depois do 'fica em casa a economia a gente vê depois', como disse Bolsonaro 'a fome mata mais', felizmente temos um presidente que agiu para reduzir esses números e vão continuar caindo com o sucesso da economia. Poderia ser 50% da população como na Argentina.

Rconstantino pauloguedesfc Parem de mentir para o leitor, assim vcs só vão continuar caindo! Bolsonaristas são especialistas em FAKE NEWS. Estão usando a mesma tática de 2018 pra enganar a população. O GOLPE (mais um) está aí...cai quem quer. caralho, mas porque ter 5 filhos?

Acidente de ônibus deixa ao menos 12 mortos e 30 feridos na CroáciaVeículo polonês derrapou em rodovia a caminho de santuário religioso

Esse Ricardo vai chorar tanto no final do ano! Vendo lenços

Desafios do combate ao desperdício de alimentos no país em que 30% da população passa fomeEm entrevista ao Estúdio CBN, Roberto Matsuda, fundador da Fruta Imperfeita, e Murilo Ambrogi, cofundador da Food To Save, falam sobre alternativas para evitar o desperdício de alimentos no Brasil, onde 30% da população passa fome. Eles comentam a institucionalização da estética do alimento e como isso impacta nos índices de desperdício de alimentos e falam sobre doação de alimentos por instituições.

Aos 80 anos de idade, Ney Matogrosso volta a se apresentar nos EUA, após 30 anosO festival Summerstage levou alguns dos artistas brasileiros a Nova York neste fim de semana. Uma das atrações principais é o grande Ney Matogrosso, que volta a cantar nos Estados Unidos depois de 30 anos. O cantor comenta que o público jovem de hoje conhece a banca Secos e Molhados. Ney é um exemplo de coerência artística; um dos grandes da nossa música.

Ataques e críticas ao STF em canais e vídeos da extrema-direita crescem mais de 300%, diz pesquisaOs ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Alexandre de Moraes são os principais alvos. Até junho, vídeos e conteúdos ofensivos somam mais 2 milhões de visualizações e cem mil compartilhamentos E só falam a verdade né, incrível isso, eles tem que ser menos partidários e fazer o real serviço deles, o principal é respeitar a constituição federal, onde diz que nenhum dos 3 poderes pode interferir no outro. Eles estão atrapalhando o crescimento do país. Faz o L de Lavagem de Dinheiro. Extrema direita seu tob

Apple encerra parceria de 30 anos com Jony Ive, que deu cor e forma ao iPhoneApple encerra parceria com Jony Ive, designer dos iPhones jornaloglobo

Ricardo Kertzman Compartilhe Medidas e estatísticas fazem parte do nosso cotidiano, desde que deixamos as cavernas e passamos a nos organizar como sapiens.Pelo menos 12 pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas após um acidente de ônibus em uma estrada no norte da Croácia neste sábado.DURAÇÃO: 00:40:29 Copie o código abaixo para usar no seu site: Código copiado! O Ceagesp descartou toneladas de alimentos nesta terça-feira..

Ao longo de mais de 200 mil anos, a humanidade desenvolveu, além da fala e da escrita, habilidades matemáticas diversas. Somos o que somos e seremos o que seremos graças aos números. A princípio, a Pasta informou 11 óbitos, mas uma pessoa hospitalizada não resistiu aos ferimentos. Devemos a essa criação tudo o que nos rodeia, da mais simples xícara de café ao mais complexo implante ocular, ou cardíaco, instalado em nosso corpo, passando pelo teclado em que escrevo. Números e medidas são algumas das mais brilhantes invenções humanas. O grupo era formado por peregrinos adultos que viajavam para Medjugorje, um santuário católico no sul da Bósnia, segundo o ministro do Interior croata Davor Bozinovic. O tempo, por exemplo: sem ele, estaríamos relegados à desordem e ao caos.

Como poderíamos nos orientar e viver, sem segundos, minutos, horas, dias, meses e anos? Porém, no campo biológico, na vida estritamente física, o tempo pouco importa. O acidente ocorreu por volta das 5h40 no horário local, quando o ônibus passava por uma rodovia a cerca de 60 km ao norte da capital Zagrebe. Iremos nascer, crescer, viver e morrer independentemente da contagem do relógio ou do calendário. Nossas células, tecidos e órgãos não estão nem aí para essas coisas.. O PAPEL ACEITA TUDO São os números, portanto, o verdadeiro deus onipresente de nossas vidas. Para o bem e para o mal, aliás.

Podem retratar a verdade e guiar-nos pelo bom caminho, ou podem mentir, dissimular e conduzir-nos pelo vale da morte. Criador e criatura determinam o rumo. Há uma velha máxima que diz: ‘o papel aceita tudo’. Sim, é verdade. Uma folha em branco, ou uma tela de computador vazia, podem ser preenchidas a gosto do autor.

Torcendo, retorcendo e distorcendo, números e dados podem ser espancados como quisermos. Outra velha máxima diz: ‘para o otimista, o copo está meio cheio. Para o pessimista, o copo está meio vazio’. Subjetividade não é meu forte, mas tendo a dar certa razão ao enunciado. Ora, como os números, a realidade, ainda que erroneamente, pode ser manipulada.

Pessoalmente, prefiro uma abordagem mais racional, mais pragmática das coisas. Quando compro algo à vista, com desconto, não penso que economizei algum dinheiro, mas, sim, que gastei um pouco menos. Parece a mesma coisa, eu sei, mas garanto… não é. INFLAÇÃO O governo comemorou a deflação (queda de preços) anunciada pelo IBGE: 0,68% em julho. Com isso, o IPCA (a inflação oficial) acumula alta de 10% em um ano.

É para comemorar? Bem, depende. É a história do copo. Para uns, está meio cheio. Você é quem manda. Em um cenário de alta generalizada e constante de preços, como vimos experimentando há dois anos seguidos, é uma ótima notícia, sem dúvida.

Agora, comemorar é outra coisa. Até porque, meus caros e caras, é uma situação, digamos, artificial, produzida na marra. O índice só foi possível graças às medidas de redução de impostos dos combustíveis e da energia elétrica. O efeito, portanto, é passageiro. Os alimentos, por exemplo, estão ‘nem te ligo, farinha de trigo’, e continuam subindo feito os foguetes do Elon Musk.

O leite disparou 25%. Os serviços também subiram. Lazer, idem. As passageiras aéreas decolaram como os aviões. Ou seja, no dia a dia, a carestia não deu trégua e continua nos castigando sem dó nem piedade; sobretudo as pessoas e famílias de renda mais baixa.

REALIDADE Vou fazer uma pergunta meramente retórica, pois a resposta eu sei de cor e salteado – por experiência própria: suas contas, leitor amigo, leitora amiga, diminuíram ou aumentaram em julho? Aluguel, condomínio, escola dos filhos, cerveja, picanha, salão, arroz, feijão, frango? Pergunto ainda: a inflação projetada pelo governo, para 2022, é de pouco mais de 7%. Você sente que é ‘só’ isso mesmo ou seus custos subiram muito, mas muito mais? Então. Entendem agora quando eu lembrei que o papel aceita tudo? Os índices oficiais, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), são corretos e refletem cálculos matemáticos reais. Nada de ficção ou manipulação. Servem como referência para um monte de operações financeiras importantíssimas etc… Porém, como sabemos, não refletem a penúria diária pela qual passamos.

Como se diz por aí: ‘o buraco é mais embaixo’. E o buraco da conta dos brasileiros se encontra verdadeiramente muito mais embaixo, haja vista os 78% de famílias endividadas. CAUSA X EFEITO Pior. Mais de 67 milhões de brasileiros estão inadimplentes, com os nomes sujos. Mais de 30 milhões estão passando fome.

Outros 125 milhões se encontram em estado de insegurança alimentar. Desculpem-me os otimistas, mas meu copo está muito mais do que meio vazio. A inflação brasileira possui causas estruturais que vão muito além das pandemias e das guerras. O rombo fiscal está na origem crônica da nossa carestia. O governo gasta muito mais do que nos rouba e precisa se financiar para manter a farra toda intocada.

Com isso, ou emite moeda e aumenta a inflação, ou se endivida, precisando pagar juros cada vez maiores, e… aumenta a inflação! O governo Bolsonaro ultrapassou o teto de gastos em mais de 210 bilhões de reais. A dívida pública atual é de 6 trilhões de reais. Não à toa nossos juros (13,75%) serem o terceiro maior (nominalmente falando), atrás apenas da Argentina e Turquia, e o primeiro do mundo em termos reais (8,52%). Para se financiar, o governo precisa pagar um prêmio (juros) cada vez mais alto. Por isso sou pessimista e insisto que a tal deflação é passageira.

O País não possui poupança interna e conta com baixíssima produtividade, elevado endividamento e um déficit fiscal primário insustentável. Não há inflação baixa com tantos maus indicadores. Veja Também .