Damares: “Se o povo vai para a rua agora contra o Congresso, é direito do povo” - CartaCapital

Cartacapital, Carta Capital, Manuela Carta, Mino Carta, Lula, Política, Economia, Sociedade, Brasil, Progressista, Jornalismo Crítico, Transparente, Ana Luiza Basilio, Moro, Veja, İstoé, Editora Confiança, Assine Carta, Assine Carta Capital, Esquerda, Luiz Inácio Lula Da Silva, Delfim Neto, Afonsinho, Belluzzo, Revista Época, Bndes, Correios, Funai, Cidadania, Lava Jato

Sobre o carnaval, a ministra contou que o governo Bolsonaro vai trabalhar pelo respeito à liberdade religiosa

Cartacapital, Carta Capital

2/27/2020

Sobre o carnaval, a ministra contou que o governo Bolsonaro vai trabalhar pelo respeito à liberdade religiosa. Confira:

Sobre o carnaval, a ministra contou que o governo Bolsonaro vai trabalhar pelo respeito à liberdade religiosa

Damares Alves e a falácia da abstinência sexual Damares disse que não viu o que presidente compartilhou – de acordo com a imprensa brasileira, Bolsonaro compartilhou por Whatsapp um vídeo convocando a população para os atos -, que “só leu rapidamente”, mas disse ser “legítima qualquer manifestação popular”. “Eu não vi o que o presidente compartilhou. Mas se o povo pode ir para a rua falar contra o Executivo não pode falar contra o Congresso? É porque o povo deve estar muito descontente com esse Congresso que está lá”. Damares sobre o Carnaval: “Brinquem, mas não brinquem com a fé” Em Genebra para participar de reuniões do Conselho de Direitos Humanos da ONU, a ministra se manifestou sobre o carnaval do Brasil. Disse que tinha recebido muitas imagens, mensagens e comentários nas redes sociais sobre o assunto. Pessoas que se sentiram incomodadas também teriam ligado para o Ministério, segundo ela. “Muita gente manifestando indignação. Este é o meu termômetro: a manifestação do povo nas redes sociais. Eu fui provocada a me manifestar. E como nós estávamos aqui discutindo liberdade religiosa e o que o Brasil está fazendo, eu não posso vir aqui no mundo e dizer: estamos preservando a liberdade religiosa. Então, ontem eu me manifestei falando: nós vamos fazer nosso dever de casa. A gente vai trabalhar muito este tema: o respeito à manifestação religiosa”, explicou. “O que a gente viu nesse carnaval? Eu não estou falando só do grande carnaval lá dos desfiles das escolas de samba. Em blocos no Brasil inteiro, fantasias de agressão à fé cristã. Mas não importa que seja a fé cristã, qualquer fé. Não é em nome do lazer, da liberdade artística, que nós temos que desrespeitar a religião”, afirmou. Como resposta, o governo planeja uma campanha de conscientização. “Talvez o que esteja faltando é isso. Brinquem, mas não brinquem com a fé. Esse carnaval foi, assim, o ápice. Porque no ano passado, a gente já teve algumas escolas de samba que trouxeram ali a imagem do diabo brigando com Jesus e Jesus perdia a guerra. Para o cristão aquilo é muito ruim. O governo Bolsonaro vai trabalhar pelo respeito à liberdade religiosa”. Em Genebra, a ministra se reuniu com Michelle Bachelet, Alta Comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas. Segundo ela, foi um encontro muito rápido, e Bachelet manifestou a preocupação sobre alguns temas, como tortura, população indígena, e a ministra explicou o que estava sendo feito. “Foi um encontro muito bom. Reiterei o convite para ela estar no Brasil. Quero gastar tempo com ela no Brasil. Que ela fique uns três dias comigo. Quero que ela converse com os nossos indígenas. Que ela vá ao Brasil com tempo para entender de que forma nós estamos fazendo essa política de garantia e proteção de direitos humanos”, disse a ministra, que pediu à Bachelet um “relacionamento mais próximo com o escritório dela”. “Disse uma coisa para ela: quando tiver uma dúvida, liga direto para mim. A senhora tem um canal aberto direto com a ministra de Direitos Humanos. Pergunte o que está acontecendo”. Lula na Europa: “Lamento que o mundo esteja sendo enganado” Questionada sobre o que achava da vinda do ex-presidente Lula à Europa (França, Suíça e Alemanha), a ministra perguntou à repórter: “Você quer dizer um bandido condenado por corrupção? Que, por um acaso, foi presidente do Brasil? Ele vai estar aqui?” “Este homem foi condenado em primeira instância, segunda instância. Está comprovado nos autos que houve crime de corrupção, e eu não consigo ver o mundo exaltar a corrupção desse jeito. Eu manifesto a minha indignação a quem está exaltando bandidos. O presidente Lula está condenado. Não sou eu que estou falando que ele é bandido. Quem é condenado é bandido”, disse. Segundo ela, “a maior violação de direitos humanos do país foi a corrupção e este homem condenado era o líder do maior esquema de corrupção”. “Lamento que o mundo esteja sendo enganado. Lamento como este título foi concedido (Lula vai receber o título de Cidadão Honorário de Paris). Eu acho que um dia alguém vai se envergonhar de ter dado um título para uma pessoa que é condenada por corrupção e responsável por tantas mazelas numa nação extraordinária, que destruiu a minha nação, que levou minha nação ao caos. Um dia a história vai mostrar, e eu acredito que os franceses vão ter muita vergonha de ter outorgado um título a um condenado”. Críticas à imprensa: “Às vezes, o meu presidente brinca” Segundo Damares, o presidente Bolsonaro “é muito incompreendido pelos jornalistas”. Disse isso ao ser questionada pela repórter da RFI a respeito de como ela, como ministra da Mulher, interpretava as insinuações sexuais feitas por ele a uma jornalista brasileira. “O meu presidente tem tentado um diálogo com jornalistas como nunca se viu na história do Brasil, mas é insultado, criticado, humilhado. É muita violência da parte do jornalista. E, às vezes, o meu presidente brinca. Então, não perdoam uma brincadeira, não perdoam uma fala dele, incitam, e na confusão, o levam a falar o que ele não quer falar”, afirmou. Ao reclamar do tratamento dado a ela pelos jornalistas, a ministra chorou: “Aos 10 anos de idade, eu tentei me matar. Essa história é conhecida. E os jornalistas zombam tanto disso. Porque aos 6 anos de idade eu fui estuprada. Para os jornalistas brasileiros de esquerda, eu virei a ministra doida do pé de goiaba. A imprensa não tem sido humana com o meu presidente e comigo”. “Ministra pop” descarta ser candidata Sobre ser a segunda ministra mais popular do governo Bolsonaro, como mostrou uma pesquisa Datafolha, atrás apenas de Sergio Moro, da Justiça, e à frente de Paulo Guedes, da Economia, Damares disse que “era pop”, mas descartou qualquer candidatura. “O presidente Bolsonaro é muito inteligente. Ele construiu esse Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e trouxe as mais extraordinárias pautas. Então, não sou eu. É o ministério que é popular. As nossas pautas estão no coração do povo, não é porque eu sou linda. Talvez a diferença entre eu (sic) e os demais ministros é que eu falo com o coração das pautas. O povo queria proteger a criança, o idoso, a pessoa com deficiência”, disse. Damares descartou se candidatar a algum cargo, porque “o processo eleitoral é cruel”. “Passar pela urna não é fácil. Aí, eu penso que todo mundo me ama, e eu quero morrer acreditando que as pessoas me amam, já pensou se eu me candidato, na hora de abrir a urna, eu descobrir que as pessoas não me amam? Eu vou morrer infeliz”, afirmou. Ela disse, no entanto, que pode colaborar, por exemplo, “conversando sobre pessoas anticorrupção serem eleitas, com a pauta das mulheres”, mas ser candidata, segundo ela, “está fora dos planos hoje”. Muito obrigado por ter chegado até aqui... ... Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital . O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 25 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste. Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital , assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece. Consulte Mais informação: CartaCapital

Tem que ir para rua para colocar essa corja de safados na prisão Não é direito, é um crime... Conspiração, Terrorismo. Ela precisa entender que as instituições são pilares da democracia, seus membros é que passam! Liberdade dos cristãos né DamaresAlves? Que o universo absorva todas as suas ações, e uma hora ou outra, que elas retornem a vc ministra. Tempus Edax Rerum.

Ou seja, quem for fantasiado de Cristo vai tomar tiro de borracha kkkkkkkkkkkkkkkkk Vai se fuder DamaresAlves inútil do caralho!

Eduardo Bolsonaro questiona se povo choraria caso bomba atingisse Congresso - ISTOÉ IndependenteO deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) atacou a jornalista Vera Mangalhães e afirmou que ela tenta “criar atrito” entre o Congresso e o presidente Jair Bolsonaro. Por meio do Twitter, o parlamentar comentou uma postagem da jornalista em que ela destaca uma declaração de Bolsonaro feita em 2018. “Se houvesse uma bomba H no Congresso … Chorar de alegria conta? Pessoal fica chocado mas é a realidade, eu comemoraria como título de copa do mundo. Quanto mais político vagabundo estivesse lá dentro, melhor Mentiu?

Coronavírus se desloca pela Europa e Oriente Médio; EUA se preparam para enfrentar epidemia - Saúde - EstadãoCoronavírus se desloca pela Europa e Oriente Médio; EUA se preparam para enfrentar epidemia Governo brasileiro vai enfrentar a epidemia.. Esquerda e jornalismo irão se juntar com o coronavirus para enfrentar o governo. 😂😂😂😂😂 Será que o Brasil está preparado ou ao menos se preparando o verão não é eterno e o inverno se aproxima se o normal e que tudo não seja normal imagine com a anormalidade É a peste do século XXI.

“Hoje, se insulta como se dissesse bom dia”, diz papa Francisco'Vivemos num ambiente poluído por muitas palavras ofensivas e nocivas, que a internet amplifica', afirmou o pontífice, ao falar sobre a quaresma Basta falar qualquer coisa a favor de pobre, negro ou homossexual. se estapeia fieis tb.... BOM DIA É O CARALHO - SANTANA, BABU

Bolsonaro não está à altura do cargo se apoiou ato contra o Congresso, diz Celso de Mello - ISTOÉ IndependenteO ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), comentou nesta quarta-feira (26) a informação de que o presidente Jair Bolsonaro havia convocando manifestações em defesa do seu governo e contra os “políticos de sempre” para o dia 15 de março. As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo. Segundo … Há uma confusão proposital instalada na grande mídia. Criticar um grupo de deputados não é criticar a instituição Congresso Nacional. Repudiar a cobrança de vantagens ilícitas e imorais em troca de apoio político não coloca em risco a democracia. Pelo contrário! EuApoioBolsonaro nem o STF, Celso de Merda que se cale. Nunca teve só na cabeça dessa sociedade pior que ele

O que se sabe sobre o 1º paciente diagnosticado com coronavírus no BrasilO homem de 61 anos de São Paulo retornou de viagem à região norte da Itália e recebeu um diagnóstico preliminar de infecção pelo Covid-19 Nebulização.

Coronavírus: com chegada da doença ao Brasil, o que realmente funciona para se proteger?Primeiro caso no país foi confirmado em São Paulo Higiene... Toda hora estamos metendo o dedo nas maquininhas de cartão onde milhares de outros dedos marcam presença. Grande perigo!!! Também. coronavirusnaosaiadesaopaulo



Robôs turbinam campanhas pró-Bolsonaro e por impeachment de Doria

Itália tem quase mil mortes causadas pela Covid-19, o recorde diário

‘Dose de cloroquina que bloquearia coronavírus mataria o paciente’, diz especialista - Saúde - Estadão

EUA passam a China e se tornam o país com mais casos confirmados de coronavírus no mundo

Bolsonaro inclui atividades religiosas em lista de serviços essenciais

Covid-19 no Rio afeta os mais jovens na faixa entre 30 e 39 anos, diz levantamento da prefeitura

‘Infelizmente algumas mortes terão. Paciência’, diz Bolsonaro ao pedir o fim do isolamento - Política - Estadão

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

27 fevereiro 2020, quinta-feira Notícia

Notícias anteriores

Ex-advogado de sargento da cocaína desconfia da confissão do velho cliente | Radar

Próxima notícia

A ditadura está à espreita e seu caminho é o ataque ao Congresso - CartaCapital
Bolsonaro diz que seus exames saem com nome ‘fantasia’ - Política - Estadão ONGs dizem que foram esquecidas pelo governo nas medidas contra a crise | Radar Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena UFRJ desenvolve ventilador pulmonar que pode ser fabricado em massa contra a covid-19 - Saúde - Estadão Cidades brasileiras registram panelaço contra Bolsonaro pelo 11° dia seguido Morre o desenhista Daniel Azulay, vítima de coronavírus Marcelo Magno e a luta contra Covid-19: ‘Somos mais fortes que esse vírus’ Drone sobrevoa São Paulo e registra cotidiano da cidade após quarentena contra o coronavírus Morre 1º vítima de coronavírus no DF Discurso de ódio contra China cresce de forma alarmante no Twitter por coronavírus - Internacional - Estadão Procuradoria pede à Justiça que obrigue Bolsonaro a desmentir ‘Brasil não pode parar’ Sem isolamento e ações contra a Covid-19, Brasil pode ter até 1 milhão de mortes na pandemia, diz estudo
Robôs turbinam campanhas pró-Bolsonaro e por impeachment de Doria Itália tem quase mil mortes causadas pela Covid-19, o recorde diário ‘Dose de cloroquina que bloquearia coronavírus mataria o paciente’, diz especialista - Saúde - Estadão EUA passam a China e se tornam o país com mais casos confirmados de coronavírus no mundo Bolsonaro inclui atividades religiosas em lista de serviços essenciais Covid-19 no Rio afeta os mais jovens na faixa entre 30 e 39 anos, diz levantamento da prefeitura ‘Infelizmente algumas mortes terão. Paciência’, diz Bolsonaro ao pedir o fim do isolamento - Política - Estadão Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde Morte de britânica de 21 anos 'saudável' volta a acender alerta sobre letalidade de coronavírus entre jovens Eduardo posta vídeo que acusa China de causar crise mundial 'Pula no esgoto e nada acontece': Brasil tem mais de 300 mil internações por ano por doenças causadas por falta de saneamento Justiça Federal no RJ suspende trechos de decreto presidencial que prevê atividades religiosas e lotéricas como serviços essenciais