Coronavírus: como o Japão tem conseguido conter avanço da doença sem quarentena em massa

Coronavírus: como o Japão tem conseguido conter avanço da doença sem quarentena em massa

26.3.2020

Coronavírus: como o Japão tem conseguido conter avanço da doença sem quarentena em massa

País já registrou 1.307 infectados e 45 mortos pela covid-19 e não adotou quarentenas em cidades ou isolamento obrigatório

PUBLICIDADE O Japão poderia ser um dos países mais afetados pelo novo coronavírus. Foi um dos primeiros a confirmar pessoas infectadas, poucos dias depois de a China emitir um alerta sobre a doença. Além disso, segundo o Banco Mundial, sua população acima de 65 anos é a maior do mundo (28% do total), superando a Itália, que se mostrou especialmente vulnerável nesta pandemia. O Japão também tem um elevado consumo de tabaco, o que ajuda pouco na hora de combater doenças respiratórias, e enorme densidade populacional, com quase 127 milhões de habitantes em um território quase do tamanho do Mato Grosso do Sul, Estado onde vivem 2,6 milhões de brasileiros. Mas, até agora, o país registrou 1.307 infectados e 45 mortos pela covid-19 e não adotou quarentenas em cidades ou isolamento obrigatório de seus cidadãos para evitar a propagação do vírus. Para além do cancelamento de eventos esportivos, como a Olimpíada de 2020, e de escolas fechadas, os japoneses têm seguido suas vidas de maneira mais ou menos normal. Isso ficou ainda mais evidente em 22 de março, quando milhares de cidadãos foram às ruas e a parques para admirar as cerejeiras em flor. Como disse a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, abandonar esse festival de primavera para os japoneses seria como"abandonar os abraços para os italianos". Havia tanta gente nas ruas que a própria governadora pediu que os moradores da capital do Japão não saíssem de suas casas a não ser por razões estritamente essenciais. Apesar do relativo sucesso na contenção da epidemia, há um grande temor no país de que o vírus esteja se espalhando silenciosamente no país, com uma aceleração do número de pessoas doentes. E que isso leve a medidas mais duras, como quarentenas obrigatórias. PUBLICIDADE Mas até agora a estratégia japonesa tem funcionado e intrigado pesquisadores. Milhares de cidadãos foram às ruas e aos parques para admirar as cerejeiras em flor Foto: GETTY IMAGES Isolar grupos de contágio De acordo com o número de infectados e mortos pelo coronavírus, o Japão é um dos países mais desenvolvidos que menos foram afetados. Mas por quê? Segundo Kenji Shibuya, diretor do Instituto de Saúde da População do King's College, em Londres, o Japão é muito eficiente em testar pessoas em busca do vírus, identificar grupos de contágio e isolá-los. "A única maneira de lidar com qualquer pandemia é testar e isolar. E muitos países não ouviram. No Japão, eles estão desesperados para rastrear os infectados. E estão indo bem em termos de identificar e isolar os grupos doentes", disse à BBC News Mundo (serviço da BBC em espanhol). Mas ainda assim, segundo o pesquisador, o país não tem realizado a quantidade de testes que deveria. E isso pode levar a um aumento drástico no número de pessoas infectadas. "Os testes no Japão estão muito atrás de outros países. E minha preocupação é que exista um grupo de pessoas infectadas, sem sintomas, que não foram detectadas, além de casos importados de outros países." "Se isso estiver acontecendo", advertiu,"temo que possa haver uma explosão no surto". Distanciamento social Outro argumento que pode explicar o sucesso do Japão é o distanciamento social que, mesmo antes do surto de coronavírus, já estava bem estabelecido na cultura. PUBLICIDADE "Os japoneses são bastante conscientes da higiene, muito mais do que em outros lugares. Além disso, muitas pessoas usam máscaras nas ruas por questão cultural, então há menos chances de transmissão", explica Benjamin Cowling, professor de epidemiologia da Universidade de Hong Kong. Shibuya também aponta para a"propensão japonesa à higiene" e a aspectos culturais como"evitar abraços" como fatores que contribuiram para a menor propagação do coronavírus. Mas ele lembra que esses fatores parecem ter tido pouco impacto em outros países. "No Reino Unido, as pessoas também começaram a se distanciar, a trabalhar em casa e a usar máscara. E os casos ainda estão aumentando", afirma. Pandemia levou organizadores da Olimpiada deste ano a adiar o evento para o ano que vem Foto: GETTY IMAGES De todo modo, existe um consenso no Japão de que a decisão antecipada do governo de fechar escolas e suspender grandes eventos público, além de insistir na necessidade de respeitar as novas normas sociais desde o início, ajudou a controlar a disseminação. Mas isso pode mudar. O governo liderado pelo primeiro-ministro, Shinzo Abe, anunciou que reabrirá as escolas em abril. E, a julgar pelo que foi visto no último final de semana, com os japoneses reunidos para admirar as flores de cerejeira, as pessoas já começaram a levar menos a sério as medidas de distanciamento social. PUBLICIDADE Isso preocupa os especialistas. "Acho que não é uma boa ideia enviar um sinal de que estamos indo bem e reabrir escolas em todo o país ou retomar eventos. Essa é uma mensagem errada. Precisamos ter muito cuidado, caso contrário, podemos ter situações semelhantes ao que acontece nos Estados Unidos ou em países europeus", diz Shibuya, do King's College. Reduzir a transmissão Se você comparar a curva de contágio no Japão com a de outros países, como Itália, Espanha e EUA, conseguirá perceber como os japoneses foram bem sucedidos. Ou seja, até agora, mesmo que ainda surjam casos novos todos os dias, esse montante não sofreu um aumento acentuado em nenhum momento. Esse conceito de"achatar a curva", evitando que muitas pessoas fiquem doentes ao mesmo tempo, é o que muitos países buscam. Para especialistas, essa estratégia é chave para"retardar e conter" a covid-19. Segundo especialistas, estratégia do Japão sem quarentenas massivas deve ser vista com cautela por países menos desenvolvidos Foto: GETTY IMAGES Manter a pandemia controlada tem evitado também que o sistema de saúde entre em colapso. Segundo dados do Banco Mundial, o Japão tem 13 leitos hospitalares para cada mil habitantes, mais do triplo da Itália. O Brasil tem 2 para cada mil habitantes. Por isso, segundo especialistas, a estratégia do Japão sem quarentenas massivas deve ser vista com cautela por países menos desenvolvidos. PUBLICIDADE "Todos nós estamos tentando encontrar lugares e exemplos onde os números permanecem baixos sem tamanha paralisação da sociedade. Porque não podemos continuar com o bloqueio, mas ao mesmo tempo não podemos voltar à vida normal, que tínhamos seis meses atrás, porque é muito fácil para o coronavírus espalhar", afirmou Cowling, da Universidade de Hong Kong. "Precisamos encontrar algo intermediário, e talvez a experiência japonesa seja mais sustentável", acrescentou. Escolha as edições de sua preferência: Diárias Consulte Mais informação: Época

Jogando para baixo do tapete.

Como o Japão mantém o coronavírus sob controle - CartaCapitalPaís parece ter disseminação limitada da covid-19, apesar da proximidade com a China, grande densidade demográfica e alto número de idosos

SP tem aumento de internados em estado grave por coronavírus; Doria mantém quarentena - Saúde - EstadãoA medida será válida até o dia 7 de abril. SP tem 862 casos confirmados, com 84 pacientes em estado grave, internados na UTI, um acréscimo de 42% nas últimas 24 horas _luizfranco SaoPaulo Se os órgãos de controle começarem a colocar na reta CPF's dos gestores federais omissos ou cuja atuação é deliberadamente atrasada e insuficiente, essa dolosa má vontade, falta de coordenação e incompreensão da gravidade da crise muda completamente SaoPaulo 😢 SaoPaulo Retire-se Estadão

Bolsonaro deveria ficar em casaEm vez de usar a TV para atrapalhar o combate à Covid-19, o presidente precisava era ficar em quarentena, como todos os que mantiveram contato com o novo coronavírus Merece até música 🎶 BolsonaroTemRazão O CARA É F...😘

Goleiro da Juve se diz entendiado, mas pede sacrifício da populaçãoSzczesny conta a imprensa italiana como tem passado seu tempo de quarentena na Lombardia, local mais afetado pelo coronavírus. Arqueiro dorme, relaxa e treina

Quarentena na Espanha: Confira como os jogadores da LaLiga estão vivendo em casa sem futebol - LANCE!Estão todos muito bem. Tem tudo dentro de casa.

Yoga na quarentena: relaxe e ocupe a mente com a ajuda do G1G1 apresenta uma série de exercícios que podem ajudar a relaxar neste momento de pandemia do coronavírus. Acompanhe a primeira aula orientada pelo professor Sílvio Lopes. Quem pagará o dinheiro necessário pra alimentar o adulto que não trabalha 3 meses? Somos 210 milhões. Se 20 milhões precisar de 400 reais por mês seria 8 bilhões por mês. Quem pagará? Pra 20 milhões ganhar 100 reais por semana? E os outros 190 milhões? Isso devia ser feito em um local fechado. Não incentivem fazer isso em parques, ou vocês também acham que todo mundo é rico e que todos moram em condomínio dentro de uma mansão e que todos tem casa de campo pra enviar os idosos pra fazerem quarentena? Enquanto isso, a vaca se ordenha sozinha, o feijão e o arroz se plantam sozinhos e os medicamentos se fabricam sozinhos. Então, todos os alimentos e demais itens indispensáveis vêm flutuando direto para nossas casas.



Idosa de 104 anos ganha parabéns da janela em Porto Alegre: 'Uma coisa como esta, nunca pensei que ia passar'

Brasil tem 299 mortes e 7.910 casos confirmados de coronavírus, diz ministério

Autor de vídeo compartilhado por Bolsonaro pode pegar seis meses de prisão - Política - Estadão

Em meio ao coronavírus, clã Bolsonaro decide estratégia eleitoral no Rio

Cantor Paulynho Paixão morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas no Piauí

O Rio em silêncio: vídeo mostra a cidade em tempos de isolamento

Governadores do Sul e Sudeste pedem urgência à União para evitar 'colapso econômico', diz Doria - Política - Estadão

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

26 março 2020, quinta-feira Notícia

Notícias anteriores

Rússia evita confinar a população, que desconfia dos dados oficiais sobre coronavírus

Próxima notícia

Coronavírus: Maia diz que auxílio para trabalhador informal pode ser elevado de R$ 200 para R$ 500 - Economia - Estadão
Twitter apaga publicações de Silas Malafaia que infringiam regras sobre coronavírus Atacado por Bolsonaro, Mandetta se aconselha com Alcolumbre e Maia | Radar Está na hora de começarmos a falar sobre Mourão - ISTOÉ Independente A postura equivocada de Bolsonaro diminui o país aos olhos do mundo Maia diz que falta de compreensão em partes do governo sobre coronavírus 'atrasa' planejamento da Saúde Governo Bolsonaro tem 42% de avaliação 'ruim' ou 'péssima' em abril, diz pesquisa - Política - Estadão Chega de inveja, minha gente: deixem a Maju trabalhar | Tela Plana MEC abre cadastro para estudantes de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia atuarem no combate ao coronavírus Antes de 'canetada', Bolsonaro tentará mais uma vez discutir fim de isolamento com Congresso e STF - Política - Estadão De engenheiros a estatísticos, Unicamp mobiliza batalhão de cientistas contra o coronavírus Maia diz que Mandetta tem apoio do parlamento e não vai pedir demissão após críticas de Bolsonaro - Política - Estadão A esperança nos coronapositivos
Idosa de 104 anos ganha parabéns da janela em Porto Alegre: 'Uma coisa como esta, nunca pensei que ia passar' Brasil tem 299 mortes e 7.910 casos confirmados de coronavírus, diz ministério Autor de vídeo compartilhado por Bolsonaro pode pegar seis meses de prisão - Política - Estadão Em meio ao coronavírus, clã Bolsonaro decide estratégia eleitoral no Rio Cantor Paulynho Paixão morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas no Piauí O Rio em silêncio: vídeo mostra a cidade em tempos de isolamento Governadores do Sul e Sudeste pedem urgência à União para evitar 'colapso econômico', diz Doria - Política - Estadão Juiz manda Bolsonaro excluir igrejas da lista de serviços essenciais Villas Bôas: ‘Ninguém tutela o Bolsonaro’ - Política - Estadão Câmeras de segurança mostram galpão da Ceasa com mercadorias no mesmo dia em que vídeo postado por Bolsonaro foi gravado Técnico de enfermagem morre infectado pelo coronavírus, diz Secretaria de Saúde; número de mortos chega a três no RN Ministério da Saúde divulga manual para fazer máscara caseira