Coronavírus: alguns sentem tanto medo que precisam negar o que está acontecendo, diz psicanalista

Para o psicanalista @ChrisDunker, a pandemia criou três perfis de comportamento diante da ameaça: o tolo, o desesperado e o confuso. Qual o seu?

10/04/2020 02:44:00

Para o psicanalista ChrisDunker, a pandemia criou três perfis de comportamento diante da ameaça: o tolo, o desesperado e o confuso. Qual o seu?

Professor do Instituto de Psicologia da USP Christian Dunker afirma que os efeito psíquicos do isolamento social podem se prolongar por anos e que o melhor, neste momento, é não tomar grandes decisões individuais.

BBC News Brasil - E, na outra ponta, como lidar com as crianças?Dunker -Vai ser muito difícil para elas também. As crianças são mais expostas aos efeitos de perda de relação social presencial e concreta.Brincar com outras crianças é uma das coisas mais importantes e legais, que mais ajudam o desenvolvimento e a criatividade. Alguns gostam de brincar sozinhos também, mas em um contexto em que há outras pessoas junto. A penalização para as crianças é muito grande, porque, para elas, a compensação pelo vídeo tem muitas perdas. O pega-pega fica mais complicado, digamos.

EUA anunciam proibição de entrada de viajantes vindos do Brasil por causa de coronavírus Sem novos casos de Covid-19, Fernando de Noronha anuncia reabertura de praias a moradores Empresário compra casa na Itália por 1 euro e adia retorno ao interior de SP: 'oportunidade'

A coisa muda um pouco para aquelas crianças um pouco mais velhas, que gostam de jogos mais estruturados, grafismo, filmes, atividades que não envolvam tanto a ludicidade corporal que está na base das crianças pequenas.Também não dá para lidar com crianças achando que despejar litros de trabalhos escolares vai fazê-las ficar quietinhas. Isso pode funcionar por três semanas, mas depois você vai perceber que os sintomas vão ficar mais complicados.

BBC News Brasil - Muitos estudos associam a falta de conexões de qualidade com outras pessoas como uma das causas para vícios e dependência química. Você acha que, caso esse isolamento se alongue por meses, esses quadros de uso abusivo de drogas podem se agravar?

Dunker -Acho que sim. Mas eu colocaria outro fator: a maior parte do consumo de drogas, ou uma parte substancial dele, pode ser atribuído a uma espécie de alquimia fitoterápica para tratar transtornos mentais. O cara é um deprimido, entra na cocaína, e fica tudo bem para ele. Ele é ansioso e queima dois ou três baseados por dia.

A grande questão é: você está usando drogas por prazer ou para fugir do desprazer? Você bebe uísque, por exemplo, por que não consegue relaxar sem ele? Se sim, você está fugindo do desprazer.O que pode acontecer é esse tipo de uso abusivo disparar consideravelmente. E você pode colocar o álcool e a nicotina nessa conta também.

Sou a favor da descriminalização completa e radical das drogas. Mas esse cenário não muda se a droga é legal ou ilegal. Há pessoas que repetem a receita de antidepressivo anos a fio, por exemplo. Aí entro na sua pergunta. O tratamento fitoterápico eficiente é a relação com o outro: compartilhar experiências, enriquecer a vida psíquica com relações produtivas e interessantes. Se você tirar o uso abusivo e colocar essas relações, vai ser muito melhor.

Direito de imagemImage captionPara Dunker, divórcios depois da quarentena podem não ser necessariamente ruinsBBC News Brasil - Você acredita que existe algum ponto positivo nesse momento? O que podemos aprender sobre nós mesmos?Dunker -

Dois são presos na fronteira com o Paraguai após polícia localizar 2,2 toneladas de droga Ministro da Saúde participa de ato em apoio ao governo Com distanciamento social, fiéis voltam ao Vaticano para bênção dominical

Acho que há vários pontos positivos. Primeiro, nós estávamos vivendo uma aceleração da vida doentia. E, agora, desaceleramos.O segundo ponto é que nós estávamos em uma hipertrofia narcísica, que não é só apoiada pelo mundo digital, mas também pelo modo de produção neoliberal e pela forma que inventamos certos modos de ser. A gente estava se achando muito, se achava gigante, de maneira que só existiam duas posições: 'Você está errado e eu estou com toda a verdade'.

Sabe uma reunião de pauta ou de departamento na universidade? As pessoas estão discutindo questões irrelevantes, mas, de repente, um está com um machado do Thor e outro vira a Mulher Maravilha. Os dois brigando por bobagens, mas bobagens que a gente começou a enxergar como definidoras do destino da humanidade.

De repente, apareceu um terceiro elemento, um micro-organismo, um vírus que ninguém tinha percebido e que fez todo mundo parar. Esse momento traz uma lição de humildade e solidariedade. Precisamos olhar para o lado. A coisa mais interessante dessa experiência é a ideia de repactuação de tudo. Precisa repactuar o aluguel, a proteção trabalhista, a circulação de dinheiro, o mercado financeiro.

Brigada Militar e prefeitura encerram festa em residência em Campo Bom Casal vive lua de mel sem fim durante pandemia Companheiro bolivariano Bolsonaro

A gente esqueceu o lastro da acumulação de capital sobre capital, muito além de qualquer referência com valor de uso e troca.Esse é um momento ideal para repensarmos outras maneiras de realizar trocas pelo dinheiro, produção e consumo. Tivemos uma redução drástica do consumo nas últimas semanas, mas será que a situação ideal era aquela que a gente estava vivendo? A gente precisa de tudo aquilo (que consumia)? A sensação é que não.

BBC News Brasil - Em algumas cidades da China, que vem retornando gradualmente à rotina normal, o número de divórcios bateu recorde. Será que as pessoas não sabiam com quem estavam casadas ou o confinamento só acentuou problemas que já existiam? Ou as duas coisas?

Dunker -As duas coisas. Mas eu diria que vai acentuar o número de divórcios, mas também o de gravidez. Me lembro de uma experiência de psicologia dos anos 1970 que testou o comportamento de ratos em uma compressão territorial. Pegaram um monte de ratos e colocaram dentro de uma mesmo lugar. O resultado foi que eles só faziam duas coisas: se matavam ou copulavam.

De fato, vai haver uma reaproximação e certos defeitos vão se tornar intoleráveis. As pessoas precisam tomar muito cuidado com isso.Nesse estado, passamos a deslizar e enovelar pensamentos, afetos e atitudes. Digamos que você comece a potencializar aquela raiva que já sentia, porque alguém pisou no seu pé. Então, você começar a pensar: 'Mas ele não só pisou, como foi de propósito'. E esse sentimento de raiva vai aumentando. Isso tende a acontecer com todos os afetos: tristeza, perseguição.

Esse cenário suprime o que seria o tratamento espontâneo para esse deslizamento e continuidade, que são os cortes da situação que produzem mudanças de humor: seu chefe pediu uma tarefa, você conversou com alguém num café. Esses cortes te fazem esquecer aquele modo mental para entrar em outro. Na situação de isolamento, isso é mais difícil.

Então, há uma tendência, sim, de maiores acirramentos e intolerâncias. Os casais que já têm seus pontos frágeis e vulneráveis tendem a se aprofundar nisso, e é possível que a coisa evolua muito mal.Direito de imagem

Getty ImagesImage caption'Esse isolamento vai ferrar… e não vai ser só agora, não. Vai ser lá na frente também', diz DunkerBBC News Brasil - Ninguém ensinou a gente como lidar com esse isolamento social...Dunker -

Exato, ninguém está avisando que estamos em estados alterados de consciência.Eu diria: não tome grandes decisões na vida, vá ao banheiro pensar na hora que vier aquela ideia ruim, conte até 152 mil. Mas, voltando aos divórcios, esses dados não são só um efeito negativo. Há uma coisa nova, importante e positiva.

É aquela mensagem básica: você pode mudar, sua forma de vida pode ser outra. A pessoa que sente o gosto do sangue e experimenta o veneno, tende a pensar: 'Se eu pude mudar para sobreviver, por que não posso mudar de novo?' É o melhor impulso para justamente se separar e procurar ser mais feliz.

Separações não são só porque os casamentos estão ruins, mas porque a gente quer mais, a gente quer outras coisas. E isso é bom, não é um efeito necessariamente negativo.Esse tempo pode ser ideal para olhar melhor para nossas relações. Vi uma pesquisa no (jornal científico) The Lancet sobre efeitos residuais de quarentena de ebola, de H1N1 e outras epidemias. As quarentenas maiores foram de 30 dias, e os pesquisadores perceberam efeitos de até três anos em termos de estresse pós-traumático.

Então, esse isolamento vai ferrar… e não vai ser só agora, não. Vai ser lá na frente também.BBC News Brasil - Você acha que, ao final da quarentena, as pessoas vão sair de casa se importando mais com outras, ou com as relações? Ou isso vai durar apenas alguns dias?

Dunker -Vão se importar um pouco mais, mas não muito mais.Estamos vivendo um efeito conhecido na teoria do luto como barganha. Chegou um sujeito malvado no lugar, e todo mundo fala que vai se comportar daqui para frente. É uma relação benigna, mas não duradoura. Você está querendo comprar a sua culpa, como se dissesse: 'Papai do céu, me salva porque sou um bom menino'.

O que vai fazer a diferença é a história que vamos contar. As soluções e laços novos. É um momento imprevisível, não consigo imaginar a história que vai se colocar de uma maneira mais pujante.O que pouco tem se falado é a repactualização econômica. A pandemia pode ser um pretexto óbvio para que governantes conservadores metam a faca, alegando que vivemos uma crise e cortar na carne é a solução.

Pode ser que venha um contrafluxo, dizendo que não dá mais para retirar as proteções sociais e trabalhistas desse jeito, no atacado, porque você mata as pessoas.Ou talvez a história que apareça seja um meio termo mais integrado, algo menos polarizado do que simplesmente destruir o Estado, como muita gente vinha pregando.



Consulte Mais informação: BBC News Brasil

Chrisdunker Confuso, sem dúvida (isso soou contraditório...) Chrisdunker Confusa!! Chrisdunker Comecei a pensar que o tolo a que você se referiu (claro que se estende aos demais!), mas perdeu o medo porque foi infectado e ganhou imunidade. Se a natureza filosofasse saberia que faria muito mal a um narcisista, megalômano pegar um vírus e não ter reações mais graves. Pena!

Chrisdunker Obediente. Esse é o meu! Chrisdunker Informada e consciente. Chrisdunker depende da hora, durante o dia eu vou variando Chrisdunker É simples, se parou pra saber a resposta é pq tá confuso Chrisdunker Estou tranquilo Chrisdunker Faltou os jumentos ou ele educamente tá considerando esses como 'tolos'? 🤔

Chrisdunker Não sou tola, desesperada, muito menos confusa. Tenha plena consciência do momento, quem eu sou, o que estou fazendo, e onde quero chegar. Há, além da pandemia, há gente interessada em criar pânico, quebrar o país, e lucrar com isto. Eis o problema. Chrisdunker Esse psicanalista está em qual perfil? Tolo?

Chrisdunker A realista. Que não subestima o nível de ignorância e cegueira da maioria, que acredita que o MEDO salva vidas, e se a pessoa não teme a própria morte, não respeita a vida do próximo. Esse tipo de gente precisa de tratamento de choque👇⚰️ Chrisdunker Acredito que eu seja o que está pouco se fodendo pra isso tudo e esperando essa besteira toda passar pra voltar a procurar emprego.

Chrisdunker psicanalista adora um rótolo. Se for pra me dar um eu to mais pra 'tranquilo'. Chrisdunker Depende da mídia...que o indivíduo é assíduo em ver ou ler...e há casos que o cara fica nos três ao mesmo tempo. Chrisdunker Tem gente que é um combo dos 3 painelbrasiltv Chrisdunker Faltou o perfil BOLSOMINION:

Chrisdunker Não amor! Estou bem ciente da situação. Calmamente ciente. Ciente insuficiente pra saber que há falcatrua nessa pandemia de araque. Chrisdunker Tranquilo e precavido.. Chrisdunker RESILIENTE ! MAS , CONSCIENTE 🕉️ Chrisdunker O TRANQUILO! Aquele que sobreviveu a 16 anos de PT come o vírus de tira gosto.

Chrisdunker Cada dia eu to um Chrisdunker Eu sou do povo, então sou os três 🥺 Chrisdunker Tirando as mortes, só vejo vantagens nessa crise. O ritmo frenético das pessoas circulando pelas cidades, a poluição, o trânsito, o barulho. Por outro lado, dedico mais tempo à minha família e casa. A vida está melhor assim pra mim.

Chrisdunker O confuso Chrisdunker Oxe. Pois eu não me encaixo em nenhum desses perfis. Chrisdunker Nem um dos 3, visto que sempre estudei a questões da pandemia, então estou tranquilo, a única coisa é que sempre odiei o fato que um dia morrerei, e não é por causa da pandemia, que estou em Pânico por isso, continuo tendo mais medo da violência urbana,

Chrisdunker Estou tranquila, seguindo as recomendações e fazendo minha parte. Fico nervosa pelos que não estão fazendo o mesmo. Chrisdunker E os filhas da puta tambem Chrisdunker Ele deixou de constar...os sensatos, otimistas e equilibrados .. Chrisdunker Provavelmente eu seria encaixado no perfil confuso. Muitas informações novas e desencontradas para serem processadas. Acho difícil escapar de um pouco de confusão mental nessas horas.

Chrisdunker Eu sou o de boa, vejo um monte por aí desesperado, e eu tranquilo, será que me encaixo no grupo dos tolos por isso?🤔 Chrisdunker Desesperado e bitolado no cuidado, acredito que será para sempre. Chrisdunker Em qual desses ele se encaixaria? 🤔🤔🤔 Fiquei curioso... Chrisdunker Vish, nenhum

Chrisdunker Me considero no máximo bem informada e tento informar as pessoas ao meu redor Chrisdunker O desesperado Chrisdunker Eu sou o revoltado Que jantar na porrada esse CRIS DRUNKER aí Quem ele pensa q é pra ROTULAR as pessoas? Chrisdunker o comportamento de quem quer ficar vivo.

Prefeito de São Bernardo ameaça lacrar agências bancárias: 'Não respeitam normas sanitárias' - Saúde - EstadãoOrlando Morando, que contraiu coronavírus e se curou da doença, diz que vai endurecer a vigilância na cidade a partir desta quinta-feira Saude Esse sabe do que o coronavírus é capaz. Certíssimo Saude Prefeito FDP Saude Ele passou na pele, sabe o que está fazendo!

Teste em mãe de recém-nascido que morreu com coronavírus em Natal dá negativo; secretaria amplia investigaçãoSegundo Secretaria Municipal de Natal, investigação parte para procura de anticorpos no sangue da paciente. Equipe ainda não sabe como bebê adquiriu a doença. Ué, então n morreu de corona? Coitadinho. Ele foi infectado na maternidade. 😢 Mas quem morreu?

Há países que usam crise do coronavírus para restringir mídia, diz grupo multilateral - Política - EstadãoEntidade que defende liberdade de imprensa cita, em documento, ‘preocupação’ por restrições aos jornalismo livre durante pandemia Politica Há países em que a mídia usa o Coronavirus para ter uma sobrevida. Chegam até a torcer para o vírus! Politica Há países que a mídia usam o coronavirus pra criar uma crise! Politica E há mídias que utilizam do vírus pra falar p/ todo mundo ficar em casa enquanto eles saem bravamente pra te contar a “verdade”

Pessach, Páscoa e Ramadã mediante o isolamentoBlog da SandraCoh: Pandemia do coronavírus ofusca celebrações religiosas marcadas por reuniões entre famílias - e afeta judeus, cristãos e muçulmanos G1 SandraCoh Graças ao vírus CHINÊS!!!! Mas nossa amiga Sandra acha que o vírus veio da Noruega…vai entender SandraCoh Credibilidade 0 (Zero) SandraCoh GloboLixo GloboMentirosa

'Desmatador não faz home office', alerta biólogoPaulo Moutinho, cientista sênior do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), diz que ações ilegais avançam na floresta enquanto governo reduz operações durante pandemia do coronavírus Chama a Glenda.

'Eu acho que trouxe o vírus', diz mãe de vítima mais jovem do coronavírus no RJ, que também está contaminadaMãe e filho procuraram atendimento juntos em uma UPA e depois foram internados no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. NÃO, NÃO FOI NINGUÉM QUE CONTAMINOU, NÃO ESTÃO OS CARIOCAS EM CONFINAMENTO? ORA BOLAS, QUANTO MAIS CONFINAMENTO MAIS INFECTA TODA A FAMÍLIA Que Deus conforte essa mãe e que a culpa não consuma ela toda... BolsonaroTemRazaoSim RemedioDoBolsonaro