Solidão, Emoções, Psicologia, Doenças, Medicina, Estilo Vida, Previdência, Sociedade, Saúde, Ciência

Solidão, Emoções

Compram-se amigos e abraços na epidemia de solidão nos EUA que já é um negócio

Autoridades alertam que sentir-se solitário é tão prejudicial como fumar 15 cigarros diários

26.8.2019

Autoridades alertam que sentir-se solitário é tão prejudicial como fumar 15 cigarros diários

Autoridades alertam que sentir-se solitário é tão prejudicial como fumar 15 cigarros diários. O problema inspirou uma pequena indústria a combatê-lo

CareMore Health oferece nos planos de saúde para idosos e pessoas de poucos recursos um programa chamado Unidos, que trata a solidão como uma condição de saúde que pode ser diagnosticada, prevenida e tratada. Na prática, consiste em ligações telefônicas semanais, visitas à residência do paciente, estímulo pessoal e programas comunitários. Como aponta a máxima dos empreendedores, onde existe um problema, há uma oportunidade de negócio. Chuck McCarthy, que criou o The People Walker em 2016, explica que seu serviço de cobrar por um passeio acompanhado é uma resposta às empresas que investem bilhões de dólares “para que as pessoas se sentem sozinhas diante de uma tela”. “Se alguém está caminhando, não está nas , não está vendo serviços de streaming, não está jogando videogame e não está comprando online”, afirma. Todos os “passeadores” passam por um processo de verificação de antecedentes penais. Além disso, o percurso feito com o usuário é monitorado. Um Tinder de amigos A Rent a Friend, fundada em 2009 nos EUA, conta com mais de 600.000 “amigos de aluguel” em vários países do mundo. Os usuários, que pagam entre 10 e 50 dólares (41 e 205 reais) por hora, também devem seguir um protocolo: reunir-se em um lugar público, ter o celular à mão e dizer a um conhecido onde estarão e a que horas planejam voltar, entre outros procedimentos. O empreendedor Scott Rosenbaum se inspirou em um aplicativo japonês, por meio do qual as pessoas pagavam para que um desconhecido as acompanhasse a um funeral ou a um jantar em família depois de um divórcio. No entanto, nos EUA funciona como um Tinder de amigos. Rosenbaum explica que os usuários falam com vários candidatos e quando combinam com um, contratam seu serviço, embora entre as opções oferecidas pelo aplicativo apareça a de “atividades familiares”. O contato físico é proibido, ao contrário do que ocorre nas festas de abraços. Neste tipo de encontros noturnos, criado há 15 anos, o objetivo é “conhecer uns aos outros e criar laços”, explica Adam Paulman, que atua como participante e vigilante nessas festas há cinco anos. Para a terapeuta Tracy Ruble, o fato de que existam tantas iniciativas para combater a solidão “demonstra o quanto o problema é grande”. Em 2015 ela criou a Sidewalk Talk : sentou-se com alguns amigos na rua, diante de cadeiras vazias, para que as pessoas que quisessem conversar com eles fizessem isso. O sucesso foi tanto que a iniciativa se transformou em uma organização, que agora atua em 12 países. Dos mais de 4.000 voluntários participantes, cerca de 1.000 conheceram o projeto porque foram “ouvidos” e agora querem retribuir a ajuda recebida. Os voluntários são capacitados com noções básicas de crises mentais e a empatia. Nos quatro anos de funcionamento, a Sidewalk Talk só teve dois episódios negativos, segundo Ruble. Voluntárias da Sidewalk Talk, sentadas, oferecem-se para conversar em Fairfax. Bill O'Leary (Getty) Quanto ao lucro que alguns empreendimentos estão gerando com o que agora se considera uma doença, a terapeuta responde que não quer julgar os clientes dispostos a pagar, mas assinala que quando há pagamento envolvido, “existe uma dinâmica de poder que não está presente nas atividades gratuitas, onde todos somos iguais”. Para ela, embora esses projetos sejam parte da solução, o que se precisa conseguir é que as pessoas recebam salários dignos. “Quando você tem três empregos para poder subsistir, você fica exausto e não tem vontade de se juntar com ninguém. Além disso, temos de construir uma infraestrutura para as pessoas necessitadas. Não pode haver o nível de mendigos que há nas ruas”, alerta a terapeuta de São Francisco, onde o número de pessoas sem teto cresceu 17% nos dois últimos anos, chegando a 8.011. Um de cada 100 habitantes não tem teto. A pesquisa não inclui a pergunta sobre se esses desabrigados se sentem solitários, mas dá para intuir a resposta. Um país sem cultura de toque “Nos Estados Unidos não existe a cultura do toque, que é um tipo de comunicação além das palavras. Nas festas de abraços, você pode pedir para ser tocado e aprender como gosta que façam isso”, afirma um participante, Adam Paulman. As pessoas que participam vão de pijama para não potencializar o desejo sexual, e geralmente têm entre 35 e 70 anos. Paulman diz que nunca presenciou uma situação de abuso nesses encontros. “Você pode encontrar alguém atraente, que desperte uma energia sexual, mas, assim como em um aeroporto, aqui você também não faz nada a respeito disso”. Antes de começar a festa, as pessoas se reúnem em círculo para se apresentar e dizer por que vieram. Nessa conversa, explica-se que não pode haver nenhum tipo de . “Se há alguém muito entusiasmado, pedimos que se sente”, assinala Paulman. Adere a Consulte Mais informação: EL PAÍS Brasil

Oito vezes que Kim Kardashian se envolveu com o sistema prisional dos EUA - Emais - EstadãoEmpresária já conseguiu a clemência de condenados à prisão perpétua e conversou com Donald Trump sobre as penitenciárias do país

Galeria de fotos: A vida após ‘La Bestia’, na tentativa de chegar aos EUAOs especialistas mexicanos trataram entre cinco e oito novos pacientes com membros amputados a cada meses neste ano. Os migrantes iam para os EUA em 'La Bestia'

Trump anuncia que EUA vai impor novas tarifas a produtos chinesesPresidente americano anunciou elevação de taxas e irá cobrar de 15% a 30% de importações chinesas; Mais cedo, país asiático havia tomado medida semelhante

Huawei se diz preparada e minimiza impacto de sanções dos EUA

Vendas de celulares estagnaram nos EUA desde o lançamento do iPhone X



Jornalista do 'Estado' é alvo de ataques nas redes sociais - Política - Estadão

Bolsonaro manda vídeo por WhatsApp convocando para ato anti-Congresso

Bolsonaro pode ser acusado de crime de responsabilidade por convocação para ato, dizem juristas - Política - Estadão

Brasil confirma 1º caso de novo coronavírus em paciente de 61 anos em São Paulo - Saúde - Estadão

Regina Duarte também convoca população para manifestação contra o Congresso - Cultura - Estadão

Com enredo sobre poder do conhecimento, Águia de Ouro ganha pela primeira vez carnaval de SP - São Paulo - Estadão

Líder do PSOL denuncia Bolsonaro no Congresso dos EUA

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

25 agosto 2019, domingo Notícia

Notícias anteriores

Robô-lução: o grande desafio de governar e conviver com as máquinas

Próxima notícia

O grito feminista ressoa no México
Partidos, movimentos e entidades preparam resposta a Bolsonaro nas ruas - Política - Estadão “Hoje, se insulta como se dissesse bom dia”, diz papa Francisco O presidente e os golpistas - Opinião - Estadão J.R. Guzzo: 'Resta, para os contrários ao 15 de março, convencer as pessoas a não irem' - Política - Estadão 'Presidentes que bloquearam diálogo com o Congresso retardaram o progresso do País', diz Witzel - Política - Estadão Brasil não pode conviver com clima de disputa permanente, diz Toffoli - Política - Estadão Em grupo com secretário de Guedes, empresário anuncia que vai financiar atos Ameaças de crise institucional - Economia - Estadão ‘Conduta que ultrapassa os limites da legalidade’ PSOL pede a Aras investigação sobre Bolsonaro por compartilhar vídeo contra o Congresso Droga antimalária poderia ser a solução para o coronavírus Maia diz não ver confusão entre Poderes: 'Está tudo tranquilo' - Política - Estadão
Jornalista do 'Estado' é alvo de ataques nas redes sociais - Política - Estadão Bolsonaro manda vídeo por WhatsApp convocando para ato anti-Congresso Bolsonaro pode ser acusado de crime de responsabilidade por convocação para ato, dizem juristas - Política - Estadão Brasil confirma 1º caso de novo coronavírus em paciente de 61 anos em São Paulo - Saúde - Estadão Regina Duarte também convoca população para manifestação contra o Congresso - Cultura - Estadão Com enredo sobre poder do conhecimento, Águia de Ouro ganha pela primeira vez carnaval de SP - São Paulo - Estadão Líder do PSOL denuncia Bolsonaro no Congresso dos EUA Bolsonaro compartilhou mais de um vídeo defendendo manifestação anti-Congresso - Política - Estadão Ministério da Saúde confirma paciente com coronavírus no Brasil | Ciência e Saúde | G1 Ministério da Saúde investiga possível paciente com coronavírus em SP; caso foi para contraprova Homem vindo da Itália para o Brasil testa positivo para coronavírus Políticos repudiam convocação de Bolsonaro a atos contra o Congresso