Como identificar quem precisa mais da vacina contra a Covid-19?

29/09/2022 01:27:00

Teste pode identificar pessoas com maior risco de serem reinfectadas pelo coronavírus

Teste pode identificar pessoas com maior risco de serem reinfectadas pelo coronavírus

Por meio de uma simples picada no dedo, novo teste sanguíneo determina imunidade e probabilidade de reinfecção pelo coronavírus

Por Diego Alejandro 28 set 2022, 19h20 Teste de sangue: identifica células T, que"guardam" o histórico de infecções passadas e fornecem resposta rápida Reprodução/Getty Images Publicidade Publicidade Um novo tipo de teste sanguíneo pode identificar pessoas com maior risco de serem reinfectadas pelo coronavírus com uma simples picada no dedo.A maioria do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) votou pela manutenção dos juros básicos em 13,75% ao ano em reunião na semana passada por defenderem “cautela e a necessidade de avaliação, ao longo do tempo, dos impactos acumulados” da alta de juros feita desde o ano passado.Notícia falsa compartilhada por deputada fez com que funcionários fossem ameaçados por apoiadores de Bolsonaro Da Redação 28/09/2022 • 10:28 - Atualizado em 28/09/2022 • 10:43 Imagens mostram urnas em dependências de sindicato Reprodução Um vídeo que circula com imagens de urnas eletrônicas nas dependências de um sindicato fez com que funcionários do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) fossem ameaçados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) em Itapeva, interior de São Paulo.A Polícia Civil do Ceará prendeu preventivamente, nesta tarde, o suspeito de matar um homem no município de Cascavel após ele se identificar como eleitor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Isso porque o exame mede a presença de células T, que reconhecem a Covid-19 e “montam” uma resposta imune, que pode ajudar não só a identificar quem está mais suscetível à doença, como a adaptar os programas de prevenção e reforçar as campanhas de vacinação para quem mais precisa.Cientistas da Universidade de Cardiff, no País de Gales, e da empresa de biotecnologia ImmunoServ Ltd publicaram um ensaio com 300 voluntários, que mostrou que indivíduos com melhor resposta de células T eram menos propensos a contrair uma nova infecção nos três meses seguintes, independentemente de seus níveis de anticorpos.Isso levou os pesquisadores a identificar quais participantes eram mais vulneráveis ​​e que podem precisar de vacinas de reforço repetidas ou pular uma injeção.No domingo (25), funcionários e trabalhadores terceirizados de um cartório eleitoral de Itapeva chegaram a registrar um boletim de ocorrência informando que foram intimidados por uma bolsonarista que entrou no espaço onde urnas eletrônicas estavam sendo preparadas e lacradas.Os resultados do estudo foram publicados na revista Nature Communications.Martin Scurr, principal autor, disse que o estudo destacou o potencial para uma avaliação mais precisa da imunidade de uma pessoa à doença.Segundo o delegado que investiga o caso, Edmilson chegou no bar, localizado em um distrito rural de Cascavel, fazendo perguntas sobre as eleições aos demais clientes.

“Muitos indivíduos se preocupam com o risco de contrair a Covid-19, tenham sido previamente vacinados ou não.Além de exigir a identificação de todos, perguntava “em quem vocês vão votar?”.Nosso teste identificou que é o nível de resposta das células T, induzida por vacinação ou infecção anterior, que indica o risco desse indivíduo contrair Covid-19 nos meses seguintes ao exame de sangue”.Células T As células T são um tipo de glóbulo branco que guarda o histórico de infecções passadas e pode se multiplicar rapidamente na reexposição, fornecendo uma resposta rápida a um invasor.Elas também podem lutar contra variantes.O TRE-SP publicou nesta quarta-feira (28) em site oficial uma nota de esclarecimento sobre o procedimento de carga e lacração nas urnas eletrônicas em Itapeva.Enquanto os anticorpos detectam apenas proteínas do lado de fora das células, como a proteína spike que o vírus usa para se prender às células humanas, as células T podem aprimorar as proteínas dentro das células infectadas.Delegacia de Polícia de Cascavel, no Ceará — Foto: Reprodução No depoimento prestado nesta tarde, Edmilson disse ter votado no atual presidente Jair Bolsonaro (PL) em 2018, mas nega que já tenha decidido seus votos para as eleições deste ano, que acontecem no próximo domingo.

Além disso, enquanto os anticorpos tendem a diminuir com o tempo, as respostas das células T são mais resistentes e podem oferecer imunidade mais ampla por um período mais longo.No entanto, até agora, tem sido um desafio testar as respostas das células T em larga escala.Também afirma que qualquer cidadão ou cidadão poderá levantar dúvidas ou reportar eventual irregularidade observada na cerimônia de preparação de urnas, mas isso precisa ser feito “por escrito ao juízo eleitoral sem, no entanto, dirigir-se diretamente às técnicas, aos técnicos, às servidoras e aos servidores da Justiça Eleitoral, durante o exercício das suas atividades” Veja também.Andrew Godkin, professor de medicina experimental e imunologia da Universidade de Cardiff e coautor sênior do trabalho, acrescentou: “A triagem de imunidade a longo prazo usando esse teste nos permitiria monitorar a longevidade das respostas que previnem a Covid-19 e identificar os membros mais vulneráveis ​​de nossa sociedade, que podem precisar de vacinas de reforço mais cedo”.Abaixo, os números da vacinação no Brasil: Continua após a publicidade Giro VEJA - quarta, 28 de setembro A retomada do embate entre a campanha de Bolsonaro e o Judiciário é o destaque do dia Sem conseguir virar o jogo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o time do presidente Jair Bolsonaro decidiu retomar o confronto com o Judiciário nesta reta final do primeiro turno.Como revelou mais cedo a coluna Radar, o PL, partido do presidente vai começar a divulgar nesta quarta-feira um documento em que volta a questionar a segurança do sistema eleitoral.O suspeito já tinha passagens na polícia por lesão corporal dolosa, em um caso anterior, classificado como violência doméstica.

O movimento abre caminho para que Bolsonaro possa questionar o resultado das urnas, caso os números do próximo domingo mostrem-se favoráveis a uma vitória Lula.A notícia chega após uma nova leva de críticas trocadas entre o presidente e ministros do Supremo Tribunal Federal..

Consulte Mais informação:
VEJA »
Loading news...
Failed to load news.

Já sabemos quem tem maior risco, mas se eu falar a censura me pega. Essa é a 'democracia' que vivemos. Governo perverso e medíocre.

BC: Maioria votou por manter Selic por necessidade de avaliar impactos passados da alta de jurosHouve unanimidade em “reforçar” que o Copom irá “perseverar até que se consolide não apenas o processo de desinflação como também a ancoragem das expectativas em torno de suas metas”

TRE desmente fake news de bolsonaristas que causou intimidação em ItapevaNotícia falsa compartilhada por deputada fez com que funcionários fossem ameaçados por apoiadores de Bolsonaro... as urnas já estão preparadas para o grande golpe na nação Brasileira.

Polícia prende suspeito de matar homem no Ceará por discussão políticaEdmilson Freire da Silva, de 59 anos, já tinha passagens anteriores na polícia por conta de um episódio de violência doméstica Vcs são ótimos e imparciais... Se fosse eleitor do Bozo, logo estaria estampado na matéria, mas como é eleitor do Lula, não dão nome aos bois... E o pior é ver gente comentando sem ler a matéria...

Apoiador de Bolsonaro é morto por petista em Santa Catarina | O AntagonistaHildor Henker, de 34 anos, foi esfaqueado durante uma briga de bar em Rio do Sul; Polícia Civil do estado investiga se a motivação foi política. monicabergamo tuitou essa notícia? 😭😭😭😭😭😭😭 Esse a Globo não mostra, igual o caso da tatuagem

App de denúncia do TSE bate recorde e supera mil notificações por diaOs dados referem-se ao período de 19 de setembro até este domingo (25); a informação foi divulgada pelo próprio tribunal nesta segunda-feira (26).

Reino Unido pode multar TikTok por não proteger dados de menoresReino Unido pode multar TikTok por não proteger dados de menores Aplicativo corre risco de pagar R$ 155,4 milhões após suposto processamento de informações de crianças sem consentimento R7 portalr7