Coluna | A degradação moral e institucional do Itamaraty

Chanceler determinou retirar busto do ex-ministro San Tiago Dantas como se quisesse eliminar presença incômoda de alguém reconhecido por política externa independente

23.10.2019

Coluna: Chanceler determinou retirar busto do ex-ministro San Tiago Dantas como se quisesse eliminar presença incômoda de alguém reconhecido por política externa independente por Hussein Kalout

Chanceler determinou retirar busto do ex-ministro San Tiago Dantas como se quisesse eliminar presença incômoda de alguém reconhecido por política externa independente

PUBLICIDADE Estudiosos do totalitarismo, tanto em sua versão nazista quanto na stalinista, ressaltam a confiança dos autocratas em sua habilidade de reescrever a história para adaptar o passado à linha política vigente ou para eliminar da memória fatos inconvenientes que não se encaixam em sua ideologia. Infelizmente, o Itamaraty de hoje está provando que não é preciso descer às catacumbas infernais da ditadura desabrida para que manipulações da história e da memória sejam levadas a cabo alegremente, mesmo numa situação democrática, ainda que polarizada. O chanceler determinou retirar um busto do ex-ministro San Tiago Dantas de uma das salas do Itamaraty, como se quisesse eliminar uma presença espectral e incômoda de alguém que se notabilizou por ser o responsável pela Política Externa Independente, hoje execrada como mais uma maquinação marxista, num anacronismo de dar dó. Elimina-se esses objetos de uma memória coletiva na vã tentativa de apagar ou diminuir a importância de vultos históricos, cuja contribuição para o Brasil foi reconhecida por todas as correntes políticas, mas não mais. O episódio do busto é apenas um em uma sequência de atos mais ou menos arbitrários que visam a expurgar o pensamento crítico, o dissenso, o pluralismo e a valorização da memória institucional do Itamaraty e de sua diplomacia bicentenária. O veto a uma biografia de Alexandre de Gusmão apenas por contar com um prefácio de caráter histórico de um desafeto, o ex-ministro Rubens Ricupero, abriu as comportas para o controle do pensamento em níveis inéditos, em que a censura interna é brandida como arma na guerra cultural por uma nova memória em que vultos inconvenientes vão sendo tirados de circulação. PUBLICIDADE Retira-se um busto, vetam-se publicações, reforma-se o currículo do curso de formação de diplomata com ênfase numa visão de mundo afim ao pensamento oficial, proíbe-se que uma turma de Rio Branco homenageie personalidades que caíram em desgraça aos olhos do atual governo, encostam-se diplomatas do departamento de escadas e corredores pelo simples fato de terem feito o seu trabalho, em governos anteriores. Na nova história oficial, fatos e contribuições de líderes e ex-ministros de distintas cepas políticas são desprezados, uma vez que a mentalidade vigente é revolucionária: importa destruir tudo o que foi feito, como reconheceu o próprio Presidente, num jantar durante sua visita a Washington, em março passado. A nova era exige fazer tábula rasa e, para alcançar esse objetivo, é preciso também depurar a instituição de indivíduos que seriam “ideologicamente perigosos”. A manipulação da memória coletiva não se faz sem a busca da homogeneidade do pensamento, o que requer, por sua vez, um corpo de funcionários expurgado dos “maus elementos”, dos ideologicamente degenerados. É preciso escolher alguns bodes expiatórios, sacrificá-los no altar da seita olavista, para exorcizar os demônios internos. Para isso, buscam-se para perseguir funcionários que serviram a governos anteriores, em geral, mais fracos e desprotegidos. PUBLICIDADE A recente exoneração de ex-assessor da presidência na era petista da chefia de uma das divisões do Itamaraty, um cargo considerado técnico, demonstra o grau de aviltamento a que se é capaz de descer para dar satisfação às milícias digitais, que lincharam o referido funcionário e exigiram sua cabeça. É claro que o chanceler resolveu aplacar os justiceiros virtuais para poupar a si próprio, numa contradição evidente para qualquer observador neutro. Basta recordar que Araújo foi subchefe do gabinete de um chanceler de Dilma Rousseff. E entre seus assessores imediatos e ocupantes de altos cargos do ministério, há outros que também exerceram funções de destaque em governos anteriores, como seria natural em qualquer circunstância. No entanto, coerência não é bem a palavra que descreve a atual chefia do Itamaraty. A exoneração do funcionário foi, sob todos os aspectos, uma decisão timorata, que rompe com a ideia de uma diplomacia profissional, cuja essência é justamente a manutenção de uma burocracia hierárquica que serve com eficiência a qualquer governo. Chefes de divisão não são grandes formuladores da política externa, mas meros executores no nível técnico do ministério. A perseguição nesse nível da hierarquia não é apenas inédita, mas abala os pilares da diplomacia profissional, joga na sarjeta o moral da tropa comandada pelo chefe da casa. PUBLICIDADE O Itamaraty nos faz lembrar daquela passagem da obra 1984 de Orwell: “quem controla o passado, controla o futuro; quem controla o presente, controla o passado”. O ministério das Relações Exteriores, que já esteve na vanguarda da profissionalização do serviço público, hoje se coloca na vanguarda do atraso, ou pior, é a ponta de lança de uma busca distópica pelo controle do pensamento e da memória, que visa a controlar o futuro. O chanceler pode tentar livrar-se de seus fantasmas eliminando bustos e aceitando a perseguição de funcionários de menor hierarquia, mas não há dúvida de que a realidade, mais cedo ou mais tarde, voltará a assolá-lo. Não há manipulação histórica e controle do pensamento que resista por muito tempo à luz desinfetante e saneadora dos fatos. Hussein Kalout é cientista político, professor de relações internacionais, pesquisador da Universidade Harvard e integra o Advisory Board da Harvard International Review. Foi Senior Fellow do Center for Strategic and International Studies (CSIS) em Washington DC e Consultor da ONU e do Banco Mundial. Serviu como secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (2017-2018). Cofundador do Movimento Agora!, foi membro do Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) e presidente da Comissão Nacional de Populações e Desenvolvimento (CNPD). Consulte Mais informação: Época

Não deve ter coisas mais importantes para preocupar-se.. se todos que passarem pelo governo quiser apagar a história dos seus antecessores, seremos um povo sem história. Mas, quem liga pra isto? Enquanto o brasil caminha para 1 milhão de empregos formais criados, forte queda da criminalidade e recuperação da economia, a esquerda e mídia buscam formas de gerar desordem.

mais uma matéria caluniosa da ÉPORCA, jornalismo nazista Ei vão pagar qd a derrota e indenizar a produtora que fez o Vídeo de Bolsonaro onde vcs perderam dia 18? Postando Fake News né? Grave ! O estrago está cada dia pior...

Coluna | E o mundo vai lentamente legalizando a maconha – mas o Brasil nãoColuna | Não há dúvidas de que a tendência mundial é no sentido de regulamentar cada vez mais usos da Cannabis. Mas há exceções. por Denis Russo Burgierman Ridículo! bando de vagabundos Horário dos estagiários maconheiros na redação

Coluna | Duas histórias de Weintraub antes da famaColuna: Depois de ser demitido do banco Votorantim, projetos de ministro para ganhar dinheiro fracassaram. por Thiago Herdy Sempre foi um inepto. Hahahaha requentando histórias pra continuar o projeto de derrubada. Que feio. O projeto dele não é fazer uma boa gestão, é lacrar. O gado ama lacração. O projeto dele é se encostar no legislativo e ficar invadindo colégio e xingando muito no Twitter. Dizem que isso tá dando muito dinheiro hj em dia.

O homem de Bolsonaro em IsraelQuem o Itamaraty deve nomear para a embaixada israelense. via guilherme_amado guilherme_amado klayter_farinha guilherme_amado Dica: Marco Antonio Santos, neonazista amigo da Família Bolsonaro. guilherme_amado Carluxo 😁

Milton Nascimento publica nota contra deputado que usou 'Coração de Estudante' sem permissão - Cultura - EstadãoEstadaoCultura Milton Nascimento publica nota contra deputado do PSL que usou 'Coração de Estudante' sem permissão Cultura Processo nesse calhorda! Cultura Socialista odeia socializar o seu trabalho, isso é hipocrisia. Cultura Ué!

Milton Nascimento reclama de deputado que usou música suaCoronel Henrique, do PSL de Minas Gerais, usou música em uma propaganda institucional Mas não é que tinha que ser do PSL_Nacional

Itamaraty emite alarme a diplomatas bem posicionados nos governos do PTChanceler Ernesto Araújo exonera chefe da Divisão da Europa Ocidental por ter trabalhado em área comandada por Marco Aurélio Garcia A milícia digital da extrema-direita, porém, encontrou motivo para assassinar sua reputação kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Governo 'sem' ideologia. Tem que limpar os simpatizantes bolivarianos do Itamaraty



Nunca um presidente foi tão vulgar com uma mulher. Espere o efeito bumerangue

‘Oito horas sem comer, só consegui tomar água’: o cadeirante que entrega comidas por aplicativos na avenida Paulista

Escola estadual de Americana obriga aluno sem uniforme a usar camiseta escrito 'empréstimo', diz mãe; foto viralizou

Bolsonaro pode sofrer impeachment por xingar repórter, diz Miguel Reale Jr

Homem é flagrado descendo rodovia em SP a 60 km/h de patinete; assista

Médico que sofreu mordida de paciente não teve veia jugular atingida por milímetros, diz Santa Casa

Harry Styles é assaltado por ladrão com faca em Londres

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

23 outubro 2019, quarta-feira Notícia

Notícias anteriores

Coluna | Balbúrdia e racionalidade na crise do PSL

Próxima notícia

Petróleo no litoral da Bahia: 'Ninguém quer o que pescamos'
Huck: ‘As fronteiras da decência foram ultrapassadas hj’ Menino viraliza na web após foto mal-humorado em RG: 'Estava com fome' Quebra de decoro - Política - Estadão A empresa americana que defende ‘compostagem humana’ como alternativa ‘verde’ a enterro ou cremação Gato 'mochileiro' visita Foz do Iguaçu, em viagem com o dono pela América do Sul Jovens agredidos por PMs dentro de escola na Zona Oeste de SP prestam depoimento na delegacia Norte-americano procurado pela Interpol por assassinato é preso pela PF em MG Bebê com síndrome rara que afeta o crânio passa por cirurgia após campanha na web Brasil tem 338 encarcerados a cada 100 mil habitantes; taxa coloca país na 26ª posição do mundo Renata Lo Prete e Míriam Leitão criticam ataque de Bolsonaro a repórter - ISTOÉ Independente Moro é mais perigoso para a democracia do que Bolsonaro, diz delegado - CartaCapital Policiais que agrediram jovens em escola na zona oeste de São Paulo são afastados; assista - São Paulo - Estadão
Nunca um presidente foi tão vulgar com uma mulher. Espere o efeito bumerangue ‘Oito horas sem comer, só consegui tomar água’: o cadeirante que entrega comidas por aplicativos na avenida Paulista Escola estadual de Americana obriga aluno sem uniforme a usar camiseta escrito 'empréstimo', diz mãe; foto viralizou Bolsonaro pode sofrer impeachment por xingar repórter, diz Miguel Reale Jr Homem é flagrado descendo rodovia em SP a 60 km/h de patinete; assista Médico que sofreu mordida de paciente não teve veia jugular atingida por milímetros, diz Santa Casa Harry Styles é assaltado por ladrão com faca em Londres Dino propõe Lula e Huck juntos em 2022 Lucas é o quarto eliminado do BBB 20 com 62,62% dos votos Hamas consegue hackear dezenas de soldados israelenses com mensagens de mulheres falsas PM skatista mostra manobras a meninos durante patrulhamento e viraliza: 'Devo muito ao esporte' Huck: Bolsonaro ultrapassou fronteira da decência com ofensa a repórter