Cidade Alerta: Quando a barbaridade toma conta da televisão brasileira - CartaCapital

Cartacapital, Carta Capital, Manuela Carta, Mino Carta, Lula, Política, Economia, Sociedade, Brasil, Progressista, Jornalismo Crítico, Transparente, Ana Luiza Basilio, Moro, Veja, Istoé, Editora Confiança, Assine Carta, Assine Carta Capital, Esquerda, Luiz Inácio Lula Da Silva, Delfim Neto, Afonsinho, Belluzzo, Revista Época, Bndes, Correios, Funai, Cidadania, Lava Jato

Exibição do programa levou Intervozes a apresentar requerimento junto à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão contra Record TV

Cartacapital, Carta Capital

2/18/2020

Pela exibição da reação de uma mãe à notícia da morte de sua filha durante o programa policialesco Cidade Alerta, da Record TV, Intervozes decidiu entrar com representação no MPF alegando violações aos direitos humanos e normas da radiodifusão. Entenda:

Exibição do programa levou Intervozes a apresentar requerimento junto à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão contra Record TV

O desrespeito às leis brasileiras e aos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário pelos programas policialescos parece não ter limites. Nessa segunda-feira 17, mais um caso de violação dos direitos humanos e das normas que regem a radiodifusão no Brasil chamou a atenção e causou indignação nos telespectadores e internautas. Enquanto entrevistava ao vivo Andreia, mãe da jovem Marcela que estava desaparecida desde o dia 8 deste mês, o apresentador Luiz Bacci, do programa Cidade Alerta (TV Record), comunicou que a filha havia sido assassinada pelo namorado em um crime de feminicídio. Isso pouco depois da mãe declarar ter esperanças de encontrar a filha viva. A reação de Andreia, que chegou a desmaiar ao saber do ocorrido, foi transmitida pela emissora por cerca de 20 segundos. A transmissão só foi interrompida quando a mãe da vítima acordou do desmaio e começou a gritar. O “Caso Marcela”, sobre o desaparecimento da jovem grávida, vinha sendo explorado pelo programa desde a terça-feira 11. O episódio ocorrido na segunda-feira 17 foi a quarta abordagem do caso no Cidade Alerta. A repercussão negativa entre a audiência das opções tomadas pela produção e direção do Cidade Alerta levaram, ademais, a TV Record a excluir a referida cena da plataforma digital que arquiva sua programação, mais uma indicação do caráter violador da situação. Representação no MPF Nesta terça-feira 18, o Intervozes apresentou à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC – MPF) um requerimento solicitando providências legais para a responsabilização da TV Record por desrespeito e inadequação da emissora às normas vigentes para a radiodifusão brasileira e os direitos humanos, em âmbito nacional e internacional, durante a referida transmissão do programa Cidade Alerta. A peça está disponível para leitura aqui. O requerimento ressalta que a TV Record, concessionária de um serviço público, fere a Constituição Federal em relação ao direito à privacidade, à imagem e à intimidade dos indivíduos, bem como os valores éticos e sociais da pessoa e da família. Lembra, também, que a Carta Magna veda a veiculação de conteúdos que violem os direitos humanos e façam apologia à violência. “No capítulo V, sobre a Comunicação Social, a Constituição afirma que as liberdades de expressão e de informação devem respeitar outros direitos fundamentais previstos na legislação em vigor”, destaca a peça. Além disso, o documento aponta a previsão de responsabilização contida no Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos da ONU em relação a abusos no exercício da liberdade de expressão. “Significa dizer, em síntese, que a liberdade de expressão deverá ser protegida sempre, mas poderá ser restringida e sancionada quando incorrer em abuso que cause uma violação a um outro direito humano”, pontua. ➤ MPF quer retratação da Record por incitação à violência A representação evoca, ainda, o Código Brasileiro de Telecomunicações (CBT), que determina que “os serviços de informação, divertimento, propaganda e publicidade das empresas de radiodifusão estão subordinados às finalidades educativas e culturais inerentes à radiodifusão, visando aos superiores interesses do País” e que “a liberdade de radiodifusão não exclui a punição dos que praticarem abusos no seu exercício”. Cita também o Regulamento dos Serviços de Radiodifusão, que incluiu entre as obrigações de concessionárias e permissionárias a de “não transmitir programas que atentem contra o sentimento público, expondo pessoas a situações que, de alguma forma, redundem em constrangimento, ainda que seu objetivo seja jornalístico”. “O episódio aqui relatado vai, portanto, na contramão dos dispositivos que regulam a radiodifusão no Brasil e dos padrões internacionais que buscam assegurar a efetivação de tais direitos. Cabe destacar que o padrão de produção de conteúdo praticado pelos programas policialescos, especificamente o Cidade Alerta, atenta não só contra os diretamente envolvidos no ‘Caso Marcela’, mas a todos direta ou indiretamente impactados pela transmissão do programa”, finaliza o documento. Mídia sem violações Em 2015, o Intervozes lançou a campanha “Mídia sem violações” com o objetivo de receber denúncias de casos de violação de direitos na rádio e televisão brasileiras. À época, o programa Cidade Alerta já era campeão em violações e ocupava o primeiro lugar no Ranking de Violações de Direitos Humanos na TV Aberta. A campanha surgiu como desdobramento do projeto Violações de Direitos na Mídia Brasileira , realizado pela Andi, em parceria com a PFDC, o Intervozes e a Artigo 19. O projeto acompanhou 28 programas policialescos durante 30 dias, em 10 estados brasileiros, totalizando cerca de duas mil narrativas com violações de direitos. O estudo constatou mais de 4.500 violações de direitos de, pelo menos, 12 leis brasileiras e 7 tratados multilaterais. Ao todo, foram encontradas 8.232 infrações às leis brasileiras, 7.529 infrações a acordos internacionais e 1.962 desrespeitos a normas autorregulatórias nas matérias apresentadas. *Maria Mello é jornalista e coordenadora executiva do Intervozes Muito obrigado por ter chegado até aqui... ... Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital . O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 25 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste. Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital , assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece. Consulte Mais informação: CartaCapital

Jornaleco A emissora que se diz cristã, mas que demonstrou zero de empatia ou compaixão. Jogou os direitos humanos no lixo: Terrível a luta pelo poder de audiência...Desumano! PROGRAMA DO INFERNO Não é essa a emissora controlada por um “bispo” evangélico neopentecostal? Cadê os valores cristãos? Esquece. À Igreja Univer$al só interessa a grana dos fiéis, esses inocentes úteis. Hipocrisia pura.

Boa, são tudo uns mortadela disfarçado!!! Rede lixo ! Finalmente alguma medida tentando limitar essa pataquada sensacionalista em busca de ibope A palavra MESMO CPNFIRMA QUE ELE SABIA,PROBLEMAS COM LÍNGUA PORTUGUESA JÁ ESTÁ COMUM E TRAZENDO INCOERÊNCIAS E FALTA DE CUIDADO COM CERTAS SITUAÇÕES DELICADAS

A real barbaridade está no senso crítico de quem dá audiência pra programas do gênero. As produtoras exibem o que a população ignorante, ociosa e imoral insiste em acompanhar. Chega de ganhar dinheiro com a miséria dos outros. Isso não é jornalismo e muito menos informação! Pelo menos alguém pra tomar alguma atitude. Esse tipo de jornalismo tem que acabar.

Vídeo: Mãe descobre ao vivo no 'Cidade Alerta' que filha foi assassinada e desmaia - ISTOÉ IndependenteO programa “Cidade Alerta”, da Record TV, gerou polêmica nesta segunda-feira (17) ao informar ao vivo a uma mãe que sua filha havia sido assassinada pelo namorado. Andreia, mãe da jovem, estava sendo entrevistada pelo apresentador Luiz Bacci quando recebeu a notícia de que a filha dela Marcela, de 21 anos, foi assassinada por Carlos … Foi monstruoso mesmo. Repugnante é pouco! Bizarro Essa emissora se encontra depois do fim do poço!! Sem comentários..

Este apresentador é um canalha

Professora de inglês sofre processo disciplinar por falar sobre feminismo em cidade berço do MBLVirginia Ferreira, professora da rede pública de Vinhedo, no interior de São Paulo, foi gravada em sala de aula por uma aluna. Ela foi denunciada pelo pai e enfrentou um processo administrativo. Por FelipeBetim FelipeBetim Doutrinação claríssima! Utilizou uma oportunidade para promover o feminismo a um público cativo. Por que não falar das origens do Dia da Mulher? De como elas conquistaram seu espaço no mundo empresarial? De como hoje em dia estão galgando posições cada vez mais importantes! FelipeBetim Só pode debater em sala de aula o que eu concordo, se não é doutrinação. FelipeBetim Ja era

PF alerta STF sobre mensagens com ameaças a ministros, mas sem indícios de ataque planejadoEm nota, Polícia Federal acrescentou ainda que existência de mensagens 'genéricas' foi informada ao ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito que apura ameaças ao STF. O que foi que disse. Quem montou isso tudo foi alguns retardados do Stf Misericórdia! Alguém está querendo aparecer ou promoção, no Brasil nunca teve terrorista, isso deve ser brincadeira dos 3 garotos do PR com seus robôs! ForaBolsonaroEseuBandodeCriminosos ForaBolsonaroEseuBando ForaBolsonaroEseuBando ForaBolsonaroEseuBando Isso é para alimentar o inquérito ilegal que eles criaram.

Derrota na Supercopa do Brasil liga o sinal de alerta no AthleticoATUAÇÃO PREOCUPANTE ... 🤔🌪️🔴⚫️ Derrota na Supercopa do Brasil liga o sinal de alerta no Athletico lancenet Quem tá falando isso é vocês, os experts no assunto.

PF alerta STF para possíveis ataques terroristas contra ministros - ISTOÉ IndependenteA Polícia Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF), um aviso sobre supostos ataques terroristas contra os magistrados. A informação foi repassada pelo ministro Alexandre de Moraes para o presidente da corte, Dias Toffoli, conforme divulgado pela Folha de S. Paulo. Relator do processo que investiga ataques ao Supremo, Moraes alertou Toffoli, que encaminhou na … Toffoli criando um factoide para justificar seu inquérito ilícito. Ataque terrorista? No Brasil ? Kkkkk para né ! Chega de vitimismo ! Em 2018, um candidato à presidência que liderava TODAS AS PESQUISAS, foi esfaqueado... vcs chamaram de ataque terrorista ? Até hj não se sabe o mandante !!!! STF representa tudo que há de ruim no judiciário

Depois de receber transplante duplo de pulmões, jovem alerta sobre riscos de cigarros eletrônicos'Quero que saibam que todos os seus sonhos e todos os seus planos para o futuro, tudo isso pode mudar se você continuar a usar cigarros eletrônicos. Por ser tão perigoso, realmente não vale a pena. Vocês devem parar', diz Daniel Ament à BBC News Brasil . Os riscos que os Cigarros causam, não só eletrônicos. Jovens é mentira dele. Esses cigarros fazem bem para saúde, continuem fumando. Singaro dá cãrse



Jornalistas se retiram de entrevista após Bolsonaro estimular apoiadores a hostilizar imprensa - Política - Estadão

A pedra no caminho - Opinião - Estadão

Mesário, sócio do Vasco, assinante do BBB: dados pessoais de general Heleno viram piada na internet - Política - Estadão

Bolsonaro apaga vídeo de desabastecimento em BH

Barroso proíbe que Bolsonaro faça campanha para população furar isolamento

Vídeo do diretor da OMS foi tirado de contexto para validar discurso de Bolsonaro

Luciano Huck e Angélica fazem ‘vaquinha’ e arrecadam R$ 1,5 mi para doações durante coronavírus - Emais - Estadão

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

18 fevereiro 2020, terça-feira Notícia

Notícias anteriores

MP da Bahia pede nova perícia no corpo de Adriano Nóbrega - CartaCapital

Próxima notícia

Deputados do PSL pedem impechment de Witzel por suposto esquema de espionagem contra parlamentares - Política - Estadão
Diretor de TV se desculpa após fazer comentários racistas sobre Maju e Thelma - Emais - Estadão Avião russo com ajuda humanitária chega aos EUA - Internacional - Estadão Carlos Bolsonaro atuará na campanha de reeleição de prefeito do Rio Polarização política no Brasil chega a votação do BBB - Política - Estadão Depois de fracasso com 'o Brasil não pode parar', governo lança slogan 'ninguém fica para trás' - Política - Estadão Globo irá exibir final da Copa do Mundo de 2002 no domingo de Páscoa Pico da epidemia de coronavírus no Brasil deve ser entre 25 e 30 de abril, diz infectologista - Saúde - Estadão Com crise de suprimentos, Mandetta pede para cidadão fazer máscara de pano - Saúde - Estadão Mundo se aproxima de um milhão de infectados por coronavírus - Internacional - Estadão Depois de 48 horas, Bolsonaro sanciona auxílio emergencial a informais - Economia - Estadão Distrito Federal oficializa quarentena até 3 de maio e mantém fechamento de boates e igrejas - Saúde - Estadão Clube Militar ataca ministro do STF por queixa-crime contra Bolsonaro | Radar
Jornalistas se retiram de entrevista após Bolsonaro estimular apoiadores a hostilizar imprensa - Política - Estadão A pedra no caminho - Opinião - Estadão Mesário, sócio do Vasco, assinante do BBB: dados pessoais de general Heleno viram piada na internet - Política - Estadão Bolsonaro apaga vídeo de desabastecimento em BH Barroso proíbe que Bolsonaro faça campanha para população furar isolamento Vídeo do diretor da OMS foi tirado de contexto para validar discurso de Bolsonaro Luciano Huck e Angélica fazem ‘vaquinha’ e arrecadam R$ 1,5 mi para doações durante coronavírus - Emais - Estadão Bolsonaro se refere ao aniversário do golpe militar de 1964 como 'grande dia da liberdade' - Política - Estadão Auxílio emergencial a informais aguarda há 48 horas na mesa de Bolsonaro para sanção - Economia - Estadão 'Bolsonaro deveria ter cuidado maior em relação ao que posta', afirma Maia - Política - Estadão 'Em qual presidente devemos confiar?', questiona Doria sobre Bolsonaro - Política - Estadão Monica De Bolle: “Hoje, dane-se o Estado mínimo, é preciso gastar e errar pelo lado do excesso”