CCJ do Senado rejeita volta das coligações para o Legislativo - Política - Estadão

CCJ do Senado rejeita volta das coligações para o Legislativo (via @EstadaoPolitica)

23/09/2021 00:20:00

CCJ do Senado rejeita volta das coligações para o Legislativo (via EstadaoPolitica)

Restabelecimento da regra anterior era parte de PEC aprovada na Câmara; proposta deve ir a plenário ainda hoje, mas ainda não há consenso

22 de setembro de 2021 | 17h30BRASÍLIA – AComissão de Constituição e Justiça(CCJ) do Senado rejeitou nesta quarta-feira, 22, o retorno das coligações para eleições para o Legislativo. A volta dessas alianças era parte de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 28/2021, com mudanças em regras eleitorais, aprovada na semana passada na Câmara, por iniciativa do presidente da Casa,

De olho em 2022, PSD vai apresentar Rodrigo Pacheco como o novo JK | Radar Auxílio de R$ 400 cobre só 13% de um abastecimento, diz líder de caminhoneiros A pedido da PF, subordinada ao ‘mito’, STF determina a prisão do mestre das fake news - ISTOÉ Independente

Arthur Lira(Progressistas-AL). A PEC, que também trata de outros pontos da legislação das eleições, irá a plenário ainda hoje.O retorno das coligações é uma reivindicação de partidos pequenos. Para eleger mais parlamentares, essas legendas dependem das alianças. Suas chapas ao Legislativo têm poucos votos, embora alguns candidatos sejam bem votados. Em defesa do fim das coligações proporcionais, argumenta-se que estimulam a proliferação de legendas de aluguel e bancadas pulverizadas. Em consequência, ocorreriam com problemas de governabilidade.

Leia TambémA proibição de coligações proporcionais vigorou pela primeira vez em 2020. Em consequência, houve proliferação de candidaturas ao Executivo. O objetivo era “puxar” votos para o Legislativo.Alguns partidos se queixaram de dificuldade para financiar suas campanhas headtopics.com

. Legendas consideradas ideológicas, como Rede, PC do B e Cidadania, estão entre as ameaçadas de ter menos parlamentares eleitos e, mais adiante, de extinção.Mudança que beneficia negros e mulheres deve ser mantidaSem as coligações, os senadores devem aprovar outros itens do pacote eleitoral da Câmara. Entre as mudanças, estão o aumento dos recursos públicos a partidos que tenham mais candidatos negros e mulheres até 2030 e a mudança na data de posse do presidente da República para 5 de janeiro a partir da eleição de 2026. Mas ainda não há acordo para votar a PEC no plenário. Alguns partidos não querem dar aval a mudanças que vigorem já em 2022.

Qualquer alteração precisa ser aprovada e sancionada até início de outubro para entrar em vigor no pleito de 2022. Como é uma PEC, a proposta não passa pelo presidenteJair Bolsonaro. Mas precisa ser aprovada por 49 senadores, Só assim será promulgada. Até o meio da tarde desta quarta, 22, as legendas fecharam um acordo para aprovar a mudança na distribuição de sobras eleitorais. Esse ponto deve entrar pauta do Senado hoje.

Para evitar que a PEC volte à Câmara, os senadores devem adotar a estratégia de aprovar apenas aquilo que for consensual. O resto – caso da volta das coligações – será eliminado do texto. Consulte Mais informação: Estadão »

Com rins de 35 kg, britânico faz arriscada cirurgia de remoção - BBC News Brasil

O britânico Warren Higgs, de 54 anos, foi diagnosticado com a doença renal policística há mais de 20 anos.

CCJ do Senado aprova PEC da reforma eleitoral sem o retorno das coligaçõesPara a relatora relatora Simone Tebet (MDB-MS), a volta do modelo favorece a fragmentação partidária

CCJ do Senado aprova projeto que cria TRF-6 em MinasA Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nesta quarta-feira, 22, relatório favorável à fausto_macedo Bora estudar pra concurso fausto_macedo misericórdia. mais uma pra nós pagar fausto_macedo Pouca vergonha viu. Em que mundo vivem esses políticos. Olha pra realidade do país, todo mundo sofrendo com a inflação.

BR do Mar avança em comissão do Senado com alteração no texto do relator - Economia - EstadãoParecer de Nelsinho Trad para o projeto do governo de incentivo à navegação na costa brasileira flexibiliza regras para aumentar a concorrência

Senado aprova PEC que flexibiliza gastos na educação em 2020 e 2021Proposta desobriga investimento mínimo em educação nos anos de pandemia; texto segue para a Câmara dos Deputados Senado mamando

Entidades cobram do Senado votação que libera R$ 34 milhões para produção de remédio contra o câncer - Saúde - EstadãoEntidades cobram do Senado votação que libera R$ 34 milhões para produção de remédio contra o câncer

CCJ do Senado aprova PEC da reforma eleitoral sem o retorno das coligaçõesPara a relatora relatora Simone Tebet (MDB-MS), a volta do modelo favorece a fragmentação partidária