Brasil registra mais 30 mil casos e 74 mortes por covid-19 em 24h - BBC News Brasil

Confira os dados atualizados sobre a pandemia no país.

17/01/2022 00:41:00

Brasil registra mais 30 mil casos e 74 mortes por covid-19 em 24h

Confira os dados atualizados sobre a pandemia no país.

Após um primeiro semestre de 2021 com um ritmo muito aquém de nossas capacidades, a campanha brasileira de vacinação contra a covid-19 finalmente deslanchou em julho do ano passado — e agosto foi um mês com intenso avanço nessa seara, o que se manteve, de modo geral, em setembro e outubro.

inclusão de crianças na campanhaCrédito,Especialistas alertam: a pandemia não acabou. Em razão disso, recomendam cautela na flexibilização de medidas como o uso de máscara.O que deve ser feito agora?Todos os Estados do país já têm casos e óbitos confirmados de coronavírus

Consulte Mais informação: BBC News Brasil »

Carlos Andreazza: 'Bolsonaro parece criticar outro governo, ao citar cortes promovidos por si'

No CBN Em Foco, você acompanha uma análise aprofundada dos temas que dominam o noticiário. Um programa que tem a proposta de separar os fatos da espuma. Com ... Consulte Mais informação >>

No ápice do COVID, chegamos a bater 6 mil mortes. A mutação menos letal somada à vacinação em massa nos levou a menos de 100 mortes em um dia. Vacinem-se, e força que o pior já foi Quem formulou esses dados !!!!!!!! 😔😔😔 Voltamos pra 2020, magnífico. Aposto que as mortes são de não vacinados. Já tomou sua vacina ? ☠️

Brasil registra quase 50 mil novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas - ISTOÉ IndependenteO Brasil registrou neste sábado (15) mais 49.459 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando a 22.975.323 diagnósticos desde o início da pandemia. As informações são do consórcio de veículos de imprensa. O número de mortes ficou em 160 nas últimas 24 horas, e a média de óbitos dos últimos 7 dias é de […] Está porra de narrativa chula na cola mas imbecis Fiquei surpreso em saber que essa revista Ainda existe Pensei que já tinha falido Ainda tem gente que ler isso ? Mortes COM covid e não POR covid

Covid-19: Brasil recebe 2º lote da vacina da Pfizer para criançasLote com 1,2 milhão de doses chegou em Viracopos e irá para o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, antes das entregas aos estados...

Segundo lote de vacinas contra Covid-19 para crianças chega ao BrasilAs doses chegaram no aeroporto de Viracopos, em São Paulo. A entrega estava programada para chegar apenas no dia 20, mas foi antecipada pela Pfizer. São 1,2 milhão doses pediátricas, que devem começar a ser enviada aos estados nos próximos dias.

Pequim vai exigir teste de Covid-19 de viajantes devido à variante Ômicron | CNN BrasilPequim exigirá que viajantes façam um teste de Covid-19 dentro de 72 horas após a chegada à capital chinesa, anunciou a mídia estatal neste domingo (16). A cidade se prepara para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno no próximo mês Quem não fizer o teste, não será deportado , irá para o paredão. Por que exigem o teste e não o passaporte sanitário? Ora, sabem bem que a vacina não passa de um paliativo, assim como a máscara e o álcool. Querem impedir a entrada de contaminados, simples assim. Isso é inteligente não a porra de um passaporte

Primeiro ano da vacinação no Brasil muda curso natural da Covid-19Queda no número de mortes e internações e variantes sob controle são alguns efeitos apontados por especialistas após imunização Portanto eu trarei sobre os humanos um duro tratamento,Trarei sobre eles o que eles mais temem.Porquanto Eu chamei,e ninguém sequer esboçou resposta ; preguei e ninguém deu ouvidos.Praticaram o mal diante da minha pessoa e escolheram fazer tudo quanto me desagrada profundamente!”

Tutora destaca maturidade de 1ª criança vacinada contra Covid-19 no BrasilDavi, de 8 anos, nasceu em uma tribo xavante no estado de Mato Grosso e passou a morar com pesquisadora por causa de tratamento médico...

A equipe da BBC News Brasil lê para você algumas de suas melhores reportagens Episódios Fim do Podcast Após um primeiro semestre de 2021 com um ritmo muito aquém de nossas capacidades, a campanha brasileira de vacinação contra a covid-19 finalmente deslanchou em julho do ano passado — e agosto foi um mês com intenso avanço nessa seara, o que se manteve, de modo geral, em setembro e outubro. Os últimos dados nacionais disponíveis, de 8 de dezembro, mostram que pouco mais de 138,25 milhões de pessoas já completaram o ciclo vacinal com as duas doses ou com a dose única. Entretanto, estes dados deixaram de ser atualizados desde que o sistema do Ministério da Saúde sofreu um ataque hacker, de acordo com o governo federal. Após a imunização da população mais jovem e adolescentes e do início da aplicação de doses de reforço, o país vive um novo desafio: a inclusão de crianças na campanha . Em 16 de dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a aplicação da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos. Porém, o Ministério da Saúde somente anunciou o início da vacinação para esse grupo em 5 de janeiro. A expectativa é de que as crianças comecem a ser imunizadas a partir de meados deste mês. Crédito, Getty Images A pandemia não acabou Especialistas alertam: a pandemia não acabou. Em razão disso, recomendam cautela na flexibilização de medidas como o uso de máscara. Ainda exige atenção também a presença das variantes mais agressivas, especialmente a delta e a ômicron, detectadas originalmente na Índia e na África do Sul, respectivamente, que parecem ter uma taxa de transmissibilidade bem superior às demais versões do coronavírus. Por fim, não dá pra ignorar o fato de as estatísticas permanecerem muito altas: falamos de médias de milhares de novos casos diagnosticados e centenas de mortes todos os dias. O que deve ser feito agora? Crédito, Legenda da foto, Todos os Estados do país já têm casos e óbitos confirmados de coronavírus Diante de um cenário recheado de incertezas sobre o futuro, os especialistas parecem não ter dúvidas sobre quais medidas seriam necessárias neste momento da pandemia no Brasil — algumas delas, inclusive, sequer foram implementadas ao longo dos últimos meses. Para começo de conversa, o país deveria ter um melhor controle de suas fronteiras, com testagem de passageiros e funcionários em aeroportos, portos e rodovias. Isso dificultaria, inclusive, a entrada de novas variantes de preocupação em nosso território. O segundo passo seria lançar mão de um amplo programa de testagem, rastreamento de contatos e isolamento dos casos positivos. Políticas desse tipo explicam parte do sucesso que é observado em países como Austrália e Nova Zelândia. Afinal, ao detectar precocemente um paciente infectado e colocá-lo em quarentena, é possível quebrar as cadeias de transmissão do coronavírus na comunidade. Ainda na seara das análises laboratoriais, o país também requer uma vigilância genômica mais ampla, capaz de fazer sequenciamento genético das amostras de pacientes infectados para saber quais são as variantes mais prevalentes em cada local. Também precisávamos criar campanhas de comunicação para incentivar o uso de máscaras (especialmente modelos mais confiáveis, como a PFF2) e desencorajar as aglomerações. Por fim, é vital manter, ou eventualmente até acelerar, o ritmo da campanha de imunização. Quanto mais brasileiros estiverem protegidos, melhor para todo mundo: a experiência de outros países aponta que as internações e as mortes por covid-19 caem de forma significativa quando uma porcentagem considerável da população recebeu as duas doses. Esse conjunto de estratégias aponta para uma saída segura e efetiva da pandemia — e tem o potencial de evitar novas marcas tristes e negativas num futuro próximo. Histórico da pandemia O primeiro registro do coronavírus no Brasil foi em 26 de fevereiro do ano passado. Um empresário de 61 anos de São Paulo (SP) foi infectado após retornar de uma viagem, entre 9 e 21 de fevereiro, à região italiana da Lombardia. O novo coronavírus, que teve seus primeiros casos confirmados vindos da China no final de 2019, passou a ser tratado como pandemia pela OMS a partir de 11 de março de 2020. Estudos apontam que a grande maioria dos casos do novo coronavírus apresenta sintomas leves e pode ser tratado nos postos de saúde ou em casa. No entanto, novas variantes têm se mostrado mais contagiosas e, na percepção de médicos, algumas têm afetado com mais gravidade também a população mais jovem, em vez de apenas idosos e pessoas com comorbidades. É preciso ter um navegador atualizado com JavaScript e uma conexão de internet estável para ver este interativo. Quantos casos e mortes por covid-19 há em sua cidade? Escreva o nome de um município para descobrir Nota: Casos confirmados incluem apenas os que tiveram resultados de teste positivo. Mortes incluem apenas as que foram registradas como mortes por covid-19. Casos mapeados