Babá de Henry Borel presta novo depoimento à polícia

A 16ª DP afirma que Thayná Oliveira mentiu ao não revelar a conversa com a mãe do garoto sobre uma suposta sessão de tortura por Dr. Jairinho em fevereiro.

12/04/2021 20:45:00

A polícia quer esclarecer por que Thayná não relatou o episódio de agressão que ela testemuhou em fevereiro, descoberto graças ao conteúdo recuperado de celulares com a ajuda de um software israelense G1

A 16ª DP afirma que Thayná Oliveira mentiu ao não revelar a conversa com a mãe do garoto sobre uma suposta sessão de tortura por Dr. Jairinho em fevereiro.

Babá do menino Henry Borel, Thayná de Oliveira chegou no início da tarde desta segunda-feira (12) à 16ª DP (Barra da Tijuca) para prestar um novo depoimento sobre a morte do garoto. Thayná entrou correndo na delegacia, coberta por um agasalho (veja no vídeo acima).

Bruno Covas tem quadro clínico irreversível, diz boletim médico Ministro Ricardo Lewandowski concede a Pazuello direito de ficar em silêncio na CPI da Covid Bruno Covas piora e estado de saúde é considerado irreversível - Política - Estadão

A polícia afirma que Thayná mentiu no primeiro depoimento, ao não contar sobre a troca de mensagens com a mãe de Henry, Monique Medeiros, relatando supostas agressões ao menino em fevereiro.A conversa entre as duas ajudou os investigadores a descartar a hipótese de acidente para a morte da criança.

Os agentes descobriram também que Thayná e a empregada doméstica Leila Rosângela de Souza, a Rose, se reuniram previamente com o advogado de Dr. Jairinho e Monique, André França Barreto, antes de depor. Para a polícia, Rose também mentiu. headtopics.com

A polícia quer esclarecer por que Thayná não relatou o episódio de 12 de fevereiro, descoberto graças ao conteúdo recuperado de celulares com a ajuda de um software israelense.Thayná, babá de Henry, manda uma selfie para a mãe do garoto após a suposta sessão de tortura por Dr. Jairinho em fevereiro — Foto: Reprodução

'Toda vez faz isso', disse Henry sobre JairinhoNa conversa, Thayná descrevia em tempo real uma suposta sessão de tortura praticada por Dr. Jairinho (sem partido) e revelou que as agressões eram frequentes.“Então, [Henry] me contou que [Jairinho] deu uma banda [uma rasteira] e chutou ele, que toda vez faz isso”, disse a babá, na tarde de 12 de fevereiro.

“Falou que não pode contar, que tem que obedecer ele, senão vai pegar ele”, emendou Thayná.A babá relatou ainda a Monique que Henry estava mancando e que ele reclamou de dores na cabeça. No dia seguinte à troca de mensagens, Monique levou Henry a um hospital em Bangu e alegou aos médicos que o filho tinha caído da cama.

Henry Borel — Foto: ReproduçãoO trecho destacado pela polícia vai das 16h30 às 18h03 de 12 de fevereiro. Nas primeiras mensagens, Henry está trancado com o padrasto na suíte do casal. Às 16h33, Thayná relata que Jairinho abriu a porta do quarto, e Henry vai para o colo dela. headtopics.com

Pfizer anuncia ter assinado contrato para entregar mais 100 milhões de doses da vacina contra Covid Caminhão com 5,1 mil doses da Pfizer fica 'preso' em alagamento; vacinas voltam para depósito, atrasando distribuição Quando o Estado mata nossos filhos a Justiça não acontece, diz mãe de João Pedro, um ano após o crime

Monique tenta detalhes, mas Thayná avisa que Jairinho rondava pela sala, "prestando atenção" no que estavam fazendo.Às 17h, o vereador liga para a namorada, dizendo que tinha acabado de chegar em casa. "Pô, já chegou [tem] um tempão", ressalta Thayná. "Estranho demais, responde Monique.

Às 17h03, Jairinho sai de casa, e Henry finalmente relata o ocorrido meia hora antes.Thayná sugere à patroa uma "rota de fuga" para evitar novas agressões.“Combinei com ele agora: toda vez que Jairinho chegar e você [Monique] não tiver, eu vou chamar ele para a brinquedoteca, e ele vai aceitar ir”, escreveu a babá.

“Porque estou aqui para proteger ele. Aí eu disse: ‘Se você confia na tia, me dá um abração. Aí ele me deu.”Imagem recuperada pela polícia mostra Henry de braço dado com Thayná, a babá, depois de uma suposta sessão de tortura por Jairinho — Foto: Reprodução

23 lesões por ação violentaO laudo da reconstituição da morte do menino Henry Borel, que o Fantástico deste domingo (11) mostrou com exclusividade, descartou “a possibilidade de um acidente doméstico (queda)”, a exemplo do que já tinha apontado a necropsia do corpo do garoto. headtopics.com

Os peritos afirmaram que as 23 lesões encontradas em Henry “apresentavam características condizentes com aquelas produzidas mediante ação violenta (homicídio)”. Entre essas lesões, estão, por exemplo, a laceração no fígado, danos nos rins e a hemorragia na cabeça.

VÍDEO: Caso Henry: Veja detalhes e a conclusão da reprodução simulada da morte do meninoNa última quinta-feira (8), Jairinho e Monique foram presos. A prisão se deu pela suspeita de homicídio duplamente qualificado –com emprego de tortura e sem chance de defesa para a vítima –, por atrapalhar as investigações e por ameaçar testemunhas para combinar versões.

Lewandowski concede habeas corpus e Pazuello poderá se calar na CPI | Radar DEM prepara lançamento de Mandetta ao Palácio do Planalto | Maquiavel Muitos que pedem voto impresso no Brasil alegaram fraude nos EUA, diz Barroso

A reprodução simulada do dia da morte do menino foi feita no dia 1º de abril. Policiais civis e peritos testaram todas as possibilidades de queda no quarto — como sustentaram o vereador e a professora em depoimento à polícia.“Não há a menor hipótese de ele ter caído, quer seja da cama, quer seja da poltrona, quer de uma estante, que tem 1,20 metro de altura”, afirmou Denise Gonçalves Rivera, perita criminal da Polícia Civil do RJ.

“Fizeram todas as medições e viram que, em nenhuma dessas circunstâncias, ele teria essas lesões que a necropsia apresentou”, emendou.Ainda segundo o laudo da reprodução, há lesões de baixa e de alta energia, provenientes de ações violentas entre 23h30 e 3h30. No depoimento, a mãe afirmou que o filho acordou três vezes com o barulho da televisão da sala, onde Monique e Jairinho assistiam a uma série.

"É possível que Henry tenha sido agredido cada vez que ele ia reclamar", disse Denise.Relembre o caso Consulte Mais informação: G1 »

G1 Ouviu #139 - Juliette, a melhor cantora do BBB21... Maquiadora pode virar popstar após o reality? | G1 Ouviu | G1

Em uma edição com Projota, Karol Conká, Pocah, Rodolffo e Fiuk, uma cantora amadora virou aposta musical do Big Brother. G1 analisa performances e futuro Juliette Freire na música.

Político carioca miliciano Vc denunciaria? Capaz de só a baba ser presa! Não sei como não botaram a culpa na babá, porque a corda sempre arrebenta do lado dos mais fracos. Se ela denunciasse, talvez nem acordaria no dia seguinte Covarde . dinheiro falou mais que a consciência tranquila 😡😡😡 Até parece que a polícia não sabe pq. Como se todo mundo no Rio tivesse coragem de denunciar miliciano ou traficante

Já já o STF, que gosta de bandido, manda prender a babá e soltar pai e mãe. GloboVirus Fale a verdade! Menino Henry merece justiça! henryborel JusticaporHenry justicaporhenryborel Até onde você iria para manter o sustento de usa familía? Só falta indiciarem ela. Ela não denunciou por motivos obvios: milícia, medo de morrer, quem acreditaria nela, capaz que virassem o jogo e colocassem a culpa nela. Tudo tão ÓBVIO

Bolsonaristas!!! Vai sobrar pro empregado igual o caso do jet em Bertioga...

Veja trechos do depoimento da babá de Henry Borel à políciaThayná admitiu que a mãe do menino sabia das agressões e que havia pedido para ela mentir no primeiro depoimento. Babá detalhou, pelo menos, três episódios de agressão só no mês de fevereiro. Se ela mentiu no primeiro depoimento deve ter algo que influenciou ela a cometer isso. Acredito que agora não, mas depois de um tempo alguns fatos 'diferentes' podem acontecer com ela ou pessoas próximas. E não fez nada, para não perder o emprego. E porque não renunciou? O menino estaria vivo e não teria o Brasil inteiro chorando

Puro medo! Vai sobra tudo pra ela que é humilde. Medo! Não precisa ser gênio pra saber ... se o cara matou uma criança de 4 anos o que não faria com essa babá ... Essa moça deve está com muito medo, onde foi se meter coitada, imagina como está a cabeça dessa pessoa, o cara é ligado as milícias. Porque ela é babá e o cara vereador filho de miliciano. A palavra de quem iria valer?

Agora vai sobrar p empregada. A mãe é a maior culpada nisso, pensou apenas no próprio umbigo O patrão dela vereador, e histórico de envolvimento com milícia!! Simples, né?! Jogar essa carga toda na babá!! Uma simples babá enfrentar um miliciano... Talvez o motivo do cara ter influência, ser miliciano, saber que a queixa dela não daria em nada, o risco de ser morta. Nossa, é uma questão tão óbvia 🙄🙄🙄🙄

Nas msg's da pra notar q ela se preocupava com o menino, até mais do q a mãe, q em momento algum voltou pra casa. Essa mulher deve ter sido ameaçada. Tenho pena dela.

Babá de Henry Borel ainda pode ser indiciada por falso testemunho - Brasil - EstadãoQuando concluir o inquérito, o delegado pode indiciar Thayná de Oliveira Ferreira ou arquivar a investigação Lamentável mas está envolvida pois omitiu fatos Entre morrer pra milicia e ser indiciado por falso testemunho eu tbm escolheria o segundo. Quando essa história terminar, a babá vai ficar em regime fechado e os pais em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica. Vai vendo.

Será pq o patrão dela e de melicia? Talvez pelo medo da represália? Se está sujeita não denunciou é conivente com o crime nada justifica omissão desta sujeita Pq ? Ou ficou com medo de morrer ou está com a conta corrente recheada , alguma dúvida nisso KKKKKKKKKKK FÁCIL PO SE ENVOLVER COM MILÍCIA

Caso Henry: Jairinho enforcou Monique 5 dias antes da morte de Henry, diz babá - ISTOÉ IndependenteMensagens encontradas no celular da babá de Henry Borel indicam que o vereador Dr. Jairinho (sem partido) enforcou e agrediu a professora Monique Medeiros cinco dias antes da morte do menino. As informações são do Uol. Em uma conversa por Whatsapp com o pai dela, Thayná de Oliveira Ferreira contou que o parlamentar estava com […]

Em novo depoimento, babá diz que Jairinho agrediu Henry em três ocasiõesCuidadora disse que contou à avó do menino, Rosângela, sobre rasteira e chute; criança relatou as agressões para a mãe, Monique Medeiros, no mesmo dia O delegado deu imunidade à moça, se contasse a verdade não sobraria nada prá ela. Como essa criança sofreu, quanta dor ela sentiu, nosso coração sangra em saber dessas coisas! justicaporhenryborel Um FDP 🤬

Babá relatou que Jairinho tapou boca de Henry, que gritava: 'Eu prometo' - ISTOÉ IndependenteA Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio duplamente qualificado – impossibilidade de defesa da vítima e pelo emprego de tortura – o vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho (sem partido), e a professora Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry Borel, de 4 anos. As informações são do Uol. Além do homicídio, Jairinho também foi indiciado por dois episódios […]