Juegos Olímpicos, Tokio 2020, Juegos Olímpicos 2020, Deportistas, Deportes, Competiciones, Atletismo

Juegos Olímpicos, Tokio 2020

Aos 21 anos, Alison dos Santos, o “Piu”, conquista o bronze nos 400 metros com barreiras em Tóquio

Atleta chegou em terceiro lugar, ao completar a prova em 46,72 segundos, e dá a primeira medalha ao Brasil na categoria. O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, enquanto que o norte-americano Rai Benjamin conquistou a prata

03/08/2021 06:47:00

Atleta chegou em terceiro lugar, ao completar a prova em 46,72 segundos, e dá a primeira medalha ao Brasil nessa categoria. O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, enquanto que o norte-americano Rai Benjamin conquistou a prata. Por diogomagri

Atleta chegou em terceiro lugar, ao completar a prova em 46,72 segundos, e dá a primeira medalha ao Brasil na categoria. O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, enquanto que o norte-americano Rai Benjamin conquistou a prata

Pela primeira vez, o Brasil tem um medalhista olímpico na prova de 400 metros rasos com barreira. E ele só tem 21 anos. Alison dos Santos, conhecido como “Piu”, chegou em terceiro lugar na prova realizada na madrugada desta terça-feira e conquistou a medalha de bronze, a 11ª do país nos

Kanye West muda nome oficialmente para Ye após juiz aprovar pedido É #FAKE que União Europeia anunciou a substituição das vacinas pela Ivermectina 'Não há muita diferença entre o vício em drogas e no celular’, diz psicólogo

Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O brasileiro completou a prova em 46,72 segundos, novo recorde sul-americano. A medalha de ouro ficou com o atleta norueguês Karsten Warholm, que teve o tempo de 45,94 segundos, novo recorde mundial. Já prata acabou com o norte-americano Rai Benjamin, que terminou a prova em 46s17. “Eu não estou aqui só por mim, eu corro por outras pessoas também”, afirmou Alison em entrevista depois da prova, citando seu treinador e sua família. “Eu não represento o Alison, eu represento uma nação. Essa medalha não é só minha, é nossa, é do Brasil”, concluiu.

Alison já tinha deixado claro na semifinal que competiria pelo pódio inédito na prova. Ele fez o segundo melhor tempo das classificatórias, 47s31, que havia sido também sua melhor marca pessoal e o recorde sul-americano. Isso contando que desacelerou na chegada da semifinal para se poupar. Seu tempo ficou atrás do norueguês e campeão mundial Warholm —que ficou com o ouro nesta madrugada—, mas à frente do norte-americano Benjamin —que acabou com a prata. Piu já sabia que seriam seus dois maiores adversários. “Lógico que o Benjamin e o Warholm são favoritos ao ouro. Mas são oito chances na final. Todos brigam por três medalhas. Não dá para dizer quem vai levar. Espero que seja eu um deles”, previu ele. headtopics.com

O pódio representa a chegada da fama para um menino tímido. Quando tinha 10 meses de idade, Alison sofreu um acidente com uma panela de óleo quente e teve sérias queimaduras na cabeça. Passou seu aniversário de um ano internado no Hospital do Câncer em Barretos. As lesões causaram cicatrizes na cabeça, peito e braço esquerdo, além de uma falha no cabelo. Por isso, adotou o boné como acessório essencial enquanto cresceu em São Joaquim da Barra, interior de São Paulo. O apelido ele ganhou por uma homenagem a um colega mais velho da mesma cidade.

Alison começou como judoca na infância, mas logo chamou a atenção pelo porte físico —1,85m aos 14 anos de idade, 2,00m aos 21. Ele foi convidado para o atletismo por professores de um projeto social do Instituto Edson Luciano Ribeiro em visita a escolas da cidade. Edson Luciano é um velocista brasileiro medalha de prata na Olimpíada de Sidney, em 2000, no revezamento 4x100 metros rasos. Na primeira oportunidade, recusou por conta da timidez. Demorou alguns meses para aceitar o convite e, ainda assim, com certa cautela. Em sua primeira competição, no Centro Olímpico de São Paulo, correu com uma touca amarela emprestada por um amigo. E não parou mais de correr.

Os resultados vieram em baciada durante 2019. Sempre nos 400 metros rasos com barreira, Alison foi medalha de ouro nas Universíadas de Nápoles e no Pan de Lima. resultado expressivo veio logo na Universíada de Nápoles, em 2019, com a medalha de ouro nos 400 metros com barreira. Piu foi campeão pan-americano no mesmo ano, na mesma prova, em Lima. Ainda foi para a final do Mundial de Doha com o segundo melhor tempo, mas acabou em sétimo com 48s28. Dois anos depois, baixou para 47s31 numa semifinal de Olimpíada, e XXsXX para o pódio no final. Marcas expressivas de um jovem que tem tudo para se consolidar como um dos maiores nomes do atletismo brasileiro.

Piu foi o primeiro brasileiro a medalhar nesta prova olímpica. Antes dele, apenas Eronildes de Araújo e Everson Teixeira haviam disputado a decisão. Eronildes foi oitavo em Atlanta 1996 e quinto em Sidney 2000, já Everson foi sétimo em 96. Alison foi além, e só tem 21 anos. headtopics.com

CE: Moradores de Fortaleza 'brigam' por restos de comida em caminhão de lixo; veja o vídeo - ISTOÉ Independente Gato é resgatado por equipe de companhia elétrica após passar 24 horas em cima de poste na Grande Natal; VÍDEO Foto de Eduardo Bolsonaro como 'sheik' em Dubai causa onda de críticas; deputado defende gastos Consulte Mais informação: EL PAÍS Brasil »

Crocodilo ataca drone em pleno voo; veja - BBC News Brasil

O drone de uma equipe de TV sentiu a força de uma das mordidas mais ferozes do reino animal em um parque em Darwin, Austrália.

diogomagri A medalha mais feliz do Brasil!!!!!!! diogomagri O Karsten tava muito pilhado. Só acho que deveria testar pra ver se não rolou dopping ali. diogomagri Meu voto é CIRO GOMES. Os detentores de grandes fortunas que lutem. Entenda:

Primeira atleta trans estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio - ISTOÉ IndependenteTÓQUIO, 2 AGO (ANSA) – A levantadora de peso Laurel Hubbard fez história nesta segunda-feira (2) ao se tornar a primeira atleta transgênero a disputar uma prova nos Jogos Olímpicos. A neozelandesa participou da categoria para atletas com mais de 87 quilos, mas falhou nas três tentativas de arranque: uma de 120kg e duas de […] Um homem. Entendi... E as mulheres de verdade se fudendo aos poucos no esporte É justo isso Arnaldo?

Atleta trans do levantamento de pesos faz sua estreia nos Jogos de Tóquio - Esportes - EstadãoParticipação de Laurel Hubbard, da Nova Zelândia, na Olimpíada alimenta mais uma vez o debate sobre o tema Esporte 💤💤💤💤💤💤💤💤💤💤💤💤 Esporte Espero que competindo no masculino senao ta liberado a sacanagem Esporte 🤐

Atleta belarussa procura asilo na Polônia após denunciar que tentavam enviá-la a Minsk à forçaKrystsina Tsimanouskaya, que diz ter sido ameaçada pelo comitê belarusso e teme sofrer represálias se voltar ao seu país, consegue um visto humanitário de Varsóvia ✊🏿 DIVULGUE MILHÕES DE BRASILEIROS NAS RUAS APOIANDO O PRESIDENTE BOLSONARO E O V0TO AUDITAVEL C CONTAGEM PÚBLICA EM 2022 O BRASIL NÃO QUER O LADRÃO ELEITO COM URNAS FRAUDAV€IS

A proposta radical de cientista e atleta trans para incluir transgêneros no esporte ‘de forma justa’ - BBC News BrasilCorredora transgênero e consultora do COI, Joanna Harper estuda os efeitos da terapia hormonal no desempenho esportivo e defende que, no futuro, atletas deixem de ser divididos entre homens e mulheres e sejam adotados outros critérios para definir quem competirá com quem. A proposta é... criem uma modalidade somente para eles. de forma justa é uma mulher de próstata não competir com mulheres genuínas

Atleta dos Estados Unidos protesta em favor dos oprimidos em pódio nos Jogos Olímpicos: 'Não é só sobre mim'COM VOZ!✊🏿🇺🇸 Atleta dos Estados Unidos protesta em favor dos oprimidos em pódio nos Jogos Olímpicos: 'Não é só sobre mim' lancenet E AQUI? Nem sabia que o Djonga estava nas Olimpíadas

Atleta de Belarus diz que foi obrigada a deixar Jogos de Tóquio após críticas à comissão técnica - Esportes - EstadãoCorredora Krystsina Tsimanouskaya acionou a polícia de Tóquio no aeroporto, diz estar segura agora e que não quer voltar para seu país Esporte Por favor vote na enquete para termos uma grande amostra, na conta: celpiazzi Esporte VERGONHA