Amigo de Bolsonaro diz que havia rachadinha nos gabinetes dele e dos filhos Flávio e Carlos, diz revista

21/01/2022 10:30:00

Conselheiro e próximo a Bolsonaro desde a época do Exército, ele disse que Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente, o chantageia com pedidos de dinheiro, em troca de seu silêncio

Amigo de Jair Bolsonaro, a quem assessorou na campanha presidencial de 2018, Waldiz Ferraz afirmou à revista "Veja" que a advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente, comandou um esquema de rachadinha que incluía os gabinetes do ex-marido, então deputado federal, do senador Flávio Bolsonaro (à época, deputado estadual) e do vereador Carlos Bolsonaro

Conselheiro e próximo ao presidente desde a época do Exército, Ferraz disse ainda que Ana Cristina chantageia Bolsonaro, com pedidos de dinheiro, em troca de seu silêncio. À revista, o ex-assessor afirmou que o presidente não tinha conhecimento do esquema enquanto estava em prática e só tomou conhecimento do assunto em 2018, quando as primeiras reportagens foram veiculadas na imprensa.

Consulte Mais informação: Jornal Extra »

Carlos Andreazza: 'PEC Kamikaze é produto da PEC dos Precatórios. Tudo tem consequência.'

No CBN Em Foco, você acompanha uma análise aprofundada dos temas que dominam o noticiário. Um programa que tem a proposta de separar os fatos da espuma. Com ... Consulte Mais informação >>

Kkkkk fala novidade. Ele vem dando o tempo todo..não só pra ela como pra cunhada..e o motorista amante q sumiram, sem falar do Queiroz kkkk q família exemplar. Muito amigo. Sabia. A culpa era toda da ex mulher então. Ela é mãe dele... Ela o educou... Tinha a mesma índole do mau caráter... Olha o ressentido aí

Kkkkkkk Latrina Extra. Pqp Ahhhhhhhh, V T N .... Jornaleco de M, e, se ele não se reeleger, aí sim vcs sobrevivem 🤢🤢🤮🤮

A Amigo de Jair Bolsonaro, a quem assessorou na campanha presidencial de 2018, Waldiz Ferraz afirmou à revista "Veja" que a advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente, comandou um esquema de rachadinha que incluía os gabinetes do ex-marido, então deputado federal, do senador Flávio Bolsonaro (à época, deputado estadual) e do vereador Carlos Bolsonaro Conselheiro e próximo ao presidente desde a época do Exército, Ferraz disse ainda que Ana Cristina chantageia Bolsonaro, com pedidos de dinheiro, em troca de seu silêncio. À revista, o ex-assessor afirmou que o presidente não tinha conhecimento do esquema enquanto estava em prática e só tomou conhecimento do assunto em 2018, quando as primeiras reportagens foram veiculadas na imprensa. — Ela fez nos três gabinetes. Em Brasília (na Câmara dos Deputados), aqui no Flávio (na Assembleia Legislativa di Rio) e no Carlos. O Bolsonaro deixou tudo na mão dela para ela resolver. Ela fez a festa. É isso. Ela que fazia, mas quem é que assinava? Quem assinava era ele. Ele vai dizer que não sabe? É batom na cueca. Como é que você vai explicar? Ele está administrando. Não tem muito o que fazer — contou. De acordo com o ex-assessor, o papel de Ana Cristina no esquema de recolhimento de parte dos salários dos funcionários dos gabinetes, prática enquadrada como peculato, era de contratar pessoas dispostas a devolver parte do dinheiro recebido. Ela recolhia documentos de algumas pessoas, abria contas bancárias em nome delas e retirava parte dos salários. — Ela é muito perigosa. É uma mulher que quer dinheiro a todo custo. Às vezes, ela vai ao cercadinho, frequenta o cercadinho. É uma forma de chantagem. A gente nem toca nesse assunto pra não deixar o cara (Bolsonaro) de cabeça quente — diz Waldir. Ele ressaltou que Bolsonaro e os filhos não sabiam dos esquemas montados pela ex-mulher. — Ele, quando soube, ficou desesperado, era uma fria. O cara foi traído. Ela começou tudo. Bolsonaro nunca esteve ligado em nada dessas coisas. O cara tinha visão do que estava acontecendo por trás no gabinete. Às vezes o chefe de gabinete faz merda, o próprio deputado não sabe. Mesmo o deputado vagabundo não sabe, só vem a saber depois. Segundo o ex-assessor, Ana Cristina exige dinheiro e outras vantagens para não contar o que sabe. De acordo com ele, ela teria ido algumas vezes ao cercadinho do Palácio da Alvorada para ser vista por Bolsonaro, como uma forma de pressioná-lo. À "Veja", Ana Cristina negou que tenha comandado esquemas de rachadinha, que chantageie Bolsonaro e disse que as acusações partem de inimigos que que querem atingir Flávio e Carlos. — Se eu tiver que falar com o presidente, acha que eu vou para o cercadinho para todo mundo ficar vendo, para jornalista ficar vendo? Sou discreta — afirmou. Procurado pelo Extra, Ferraz negou as acusações. Receba a newsletter do Extra Cadastrar