A nova frente de pesquisas aberta pela confirmação de água na Lua

A nova frente de pesquisas aberta pela confirmação de água na Lua.

01/11/2020 00:00:00

A nova frente de pesquisas aberta pela confirmação de água na Lua.

A descoberta de moléculas no solo lunar é mais um extraordinário feito científico que impulsionará a nova era da exploração espacial

 Lauren Hughes/NasaPublicidadePublicidadeSeria 2020 um ano perdido para a humanidade? Nem tanto. Enquanto a Terra parece ter parado de girar por causa da pandemia do novo coronavírus, a exploração espacial vai de vento em popa. Ou, usando uma expressão mais adequada, rápida como um foguete. Entre os principais feitos, houve o primeiro voo tripulado comercial da SpaceX, que chegou são e salvo à Estação Espacial Internacional em maio. A mesma SpaceX está lançando uma rede de satélites provedora de internet, e uma sonda da Nasa, a milhões de quilômetros da Terra, colheu amostras inéditas do asteroide Bennu. Já seriam conquistas suficientes para uma década de trabalho, mas, na segunda-feira 26, descobriu-se que, definitivamente, existe água na Lua — uma revelação que pode ampliar o conhecimento do sistema solar, além de mudar o rumo das próximas missões da Nasa.

Menino de 3 anos pega celular da mãe e faz 'festa' de R$ 400 em sanduíches e milk shakes no Recife 'Foram gentis, mas não via a hora que fossem embora', diz homem usado como escudo humano por assaltantes de banco Brasil passa marca de 170 mil mortos por Covid; média móvel indica mais de 30 mil casos registrados por dia

A Lua é essencialmente uma esfera rochosa de 3 474 quilômetros de diâmetro que gira em torno da Terra a 384 000 quilômetros de distância, afastando-se e aproximando-se conforme a época do ano. Como o satélite natural leva 27 dias para girar no próprio eixo e quase o mesmo tempo para dar a volta na Terra, vê-se sempre o mesmo lado dele, de qualquer lugar do planeta. E foi justamente perto dos limites dessa face visível (erroneamente chamada de “iluminada”, já que todo o satélite é banhado de sol) que os astrônomos de um observatório, o Sofia, detectaram moléculas de água.

Sofia (acrônimo em inglês para Obser­vató­rio Estratosférico de Astronomia Infravermelha) não é um obser­vató­rio fixo no solo nem um dispositivo orbital. Ele está instalado em uma aeronave — mais precisamente, um Boeing 747 SP — que chega a mais de 13 000 metros de altura, bem acima dos gases atmosféricos que interferem no telescópio. Uma vez atingida a altitude desejada, uma porta se abre na fuselagem, permitindo que os espelhos e as lentes do aparelho perscrutem as estrelas. Telescópios infravermelhos funcionam como os convencionais, com a diferença de que podem captar informações do espectro eletromagnético que não são visíveis a olho nu, como temperatura e composição de objetos astronômicos.

Apontado para Clavius, a segunda maior cratera visível na Lua (batizada em homenagem ao astrônomo e matemático alemão do século XVI), o obser­vatório Sofia detectou moléculas de H2O em meio aos sedimentos do solo lunar. Espalhadas dentro e ao redor da cratera, cada concentração, segundo os cientistas, não conteria mais do que 350 mililitros, volume equivalente ao de uma lata de refrigerante. Para efeitos de comparação, o Deserto do Saara tem 100 vezes mais água do que a cratera Clavius. Na verdade, “as moléculas detectadas estão tão espalhadas que a água não estaria em estado líquido nem sólido”, disse a pesquisadora Casey Honniball.

Continua após a publicidadeTantos detalhes técnicos revelados pela Nasa parecem cair, figurativamente falando, como baldes de água fria sobre a cabeça dos mais céticos, mas seria um terrível engano pensar assim. As moléculas captadas no infravermelho são um forte indício de maiores volumes no subsolo. É verdade que sondas enviadas aos polos do satélite já haviam detectado milhões de toneladas de gelo nas fendas mais profundas, mas a comunidade científica está inclinada a acreditar que esses volumes massivos, expostos a temperaturas de 160 graus negativos, sejam apenas amônia e não água. Por esse motivo, os pesquisadores ficaram muito mais empolgados com a atual descoberta do que com a das geleiras intralunares. Por mais esparsas que sejam as moléculas encontradas em Clavius, definitivamente se trata de H2O.

A questão que se coloca agora é como poderia haver água em um ambiente tão inóspito e desprovido de oxigênio. Nenhum cientista oferece uma resposta precisa, mas especu­la-se que as moléculas tenham se formado com o impacto de cometas e asteroides ou que vieram com a poeira interplanetária que costuma se espalhar por corpos astronômicos que não têm proteção da atmosfera. Nem mesmo erupções vulcânicas lunares estariam descartadas.

Assim que foi anunciada a descoberta, começaram a circular comentários nas redes sociais, especialmente entre os apaixonados por ficção científica, sobre a coincidência entre a notícia e a trama do filme2001: Uma Odisseia no Espaço

Trump perdoa peru Corn às vésperas do Dia de Ação de Graças nos EUA Zezé Di Camargo toca sanfona e canta 'É o Amor' durante velório do pai, Francisco Camargo Morte de João Alberto é 'ato deplorável', diz alta-comissária da ONU para direitos humanos

, obra-prima dirigida por Stanley Kubrick a partir de um livro de Arthur C. Clarke. No longa-metragem lançado em 1968, cientistas americanos se veem forçados a inventar um caso de epidemia viral em sua base lunar para afastar os russos de um grande achado ao sul do satélite, perto da cratera Clavius.

De volta à realidade, o próximo passo lógico seria enviar sondas mineradoras para pousar na cratera e investigar, mas a Nasa tem um cronograma apertado em seu projeto Artemis, que pretende levar um homem e uma mulher à Lua até 2024. Seria o aguardado retorno desde a última missão Apollo, em 1972. No entanto, até que se saiba mais sobre a recente descoberta, os astronautas continuarão carregando a própria água na bagagem. Afinal, na mitologia grega, a deusa Ártemis é irmã gêmea de Apolo. Mas, mesmo sendo uma divindade, nem ela sobreviveria sem o líquido da vida.

Consulte Mais informação: VEJA »

Menino comemora aniversário de cura após vencer câncer, no Paraná: 'Todo mundo disse que minha história é inspiradora'

João Gustavo Kruchinski, de 10 anos, teve um tumor conhecido como sarcoma de Ewing. O morador de Imbituva ganhou uma carreata para lembrar da superação.

É VERDADE eu era o peixe

Após demissão coletiva, novas roteiristas assumem série sobre MarielleEm carta aberta, nova roteirista negra garante que terá liberdade criativa e autoral na Globoplay para capitanear a história da vereadora e de seu motorista DistortBot Em se tratando de José Padilha, é capaz de querer um filme sobre o 'suicídio de Marielle Franco'... Feiúra manda lembranças

O que aconteceu em outubro de 2020? Veja retrospectiva em fotos - Infográficos - EstadãoNova onda de covid-19 na Europa, fogo no Hospital Federal de Bonsucesso e Aparecida deserta no Dia de Nossa Senhora foram alguns dos principais assuntos do mês quarto, sala, cozinha, PC, cozinha, quintal, PC, sala e no final quarto. Meu outubro pra vcs!

O que dizem as alegações contra a família Biden que Trump tentou transformar em 'surpresa de outubro' - BBC News BrasilAlegações contra Joe Biden foram o pano de fundo do pedido de demissão do jornalista Glenn Greenwald, cofundador do site The Intercept, que alega ter sido censurado por causa de um artigo que escreveu sobre o assunto. ExpressFridayVigil Temida censura boa de esquerda

O que dizem as alegações contra a família Biden que Trump tentou transformar em 'surpresa de outubro'Atrás nas pesquisas, presidente dos EUA, Donald Trump, vem mencionando repetidamente supostos e-mails do filho de Joe Biden, seu adversário na corrida à Casa Branca, num esforço para mudar rumo das eleições. hahahahahaha. Que passada de pano. Só o jornalismo da Globo não viu as imagens. É tudo farinha do mesmo saco. Saco da Politica. La e cá no mundo todo. Aproveitadores das oportunidades para roubar e se locupletar ficando cada vez mais ricos e poderosos. Se aqui no Brasil a corrupção é gigantesca, imaginem nos EUA onde o volume de dinheiro é bem maior que aqui Hahahaha. Jornalista defende até bandido para manter a ideologia.