A democracia e a privacidade de dados - Opinião - Estadão

Internet, redes sociais e tecnologias de vigilância podem ameaçar valores democráticos

17/09/2021 18:00:00

OPINIÃO: 'Internet, redes sociais e tecnologias de vigilância podem ameaçar valores democráticos'

Internet, redes sociais e tecnologias de vigilância podem ameaçar valores democráticos

17 de setembro de 2021 | 03h00Promovido pela Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Vargas (FGV), o seminário sobreOs desafios da regulação modernadebateu as questões relativas às dificuldades que os regimes democráticos vêm enfrentando atualmente em decorrência da expansão da internet e das redes sociais. 

Moro insinua que candidatos da terceira via devam abrir mão da candidatura A incrível história de Maximiliano, primo de Dom Pedro 2º e último imperador do México - BBC News Brasil O país que se prepara para desaparecer com mudanças climáticas - BBC News Brasil

Essa questão, que envolve a privacidade dos usuários da internet e o questionamento da eficácia das leis sobre proteção de dados no mundo inteiro, foi discutida pelo economista francês Jean Tirole, da Universidade de Toulouse. Especialista em regulação dos mercados, especialmente nos setores com poucas e poderosas empresas com atuação em escala mundial, como é o caso do Google e do Facebook, Tirole foi ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2014. Seus livros discutem a teoria dos jogos, assimetria de informações e modelos de oligopólio. 

Apesar de considerar que o compartilhamento e a difusão de dados pela internet são importantes na execução de políticas públicas, Tirole afirmou que eles pecam pela falta de transparência e lembrou dos problemas que isso traz para a democracia. Para ele, os formulários de concordância sobre uso de dados para acessar os dados não são compreensíveis para os usuários comuns, chegando algumas vezes a ponto de iludi-los.  headtopics.com

Além disso, as leis sobre proteção de dados contêm brechas no que se refere ao uso de dados sem consentimento, ao volume de investimentos em segurança digital e dúvidas sobre sua retransmissão a terceiros. O mais adequado seria a adoção de mecanismos de regulação paralela aos previstos pela legislação e iniciativas mais firmes dos governos para proteger os usuários, disse Tirole. A seu ver, a privacidade não deve ser entendida só como uma questão individual, mas como algo fundamental para a democracia. Ela é um bem coletivo cuja preservação afeta toda a sociedade, uma vez que depende não só de decisões individuais, mas, também, de decisões de outros cidadãos. 

O ganhador do Nobel de 2014 também discutiu os procedimentos de coleta de dados no ambiente virtual, especialmente os sistemas de crédito social que estão sendo concebidos com o objetivo de dar ou limitar o acesso das pessoas a serviços ou de funcionar como indicador de confiabilidade. Na China, por exemplo, o sistema de crédito social que vem sendo desenvolvido usará big data e inteligência artificial para classificar cidadãos e empresas, o que vai incluir uma série de critérios sobre pagamento de impostos e dívidas. 

O problema desse tipo de sistema é que, quando utilizado como mecanismo de avaliação de opiniões políticas e religiosas, permite o controle governamental de dissidentes do regime chinês, advertiu Tirole. Ele lembrou que esse tipo de controle não é novo, tendo sido utilizado na forma analógica pela polícia política da antiga Alemanha Oriental, a Stasi, durante a guerra fria. A diferença é que o custo para a Stasi era muito alto, enquanto agora, com a internet, é baixo. “A inteligência artificial vai descobrir o que cada cidadão fez e quem são seus amigos. Suas atividades estarão registradas por câmeras na rua. E isso vai destruir o tecido social de quem tiver baixa classificação. Isso já existe e é atraente para os regimes autocráticos”, lembrou Tirole.

Neste período de competição geoestratégica, em que os Estados Unidos encaram a era digital como negócio e a China a vê como instrumento de poder, a exposição feita por Tirole sobre a tensão entre big data e democracia no seminário promovido pela FGV não poderia ter sido mais oportuna. Ele chamou a atenção para o risco de que a proteção da privacidade seja deturpada e convertida em mecanismo de perseguição política, abrindo assim caminho para a substituição de sociedades plurais, em que prevalecem os valores democráticos e as liberdades políticas, pela chamada “sociedade disciplinar”, em que as tecnologias de vigilância permitem aos governantes desprezar as garantias e liberdades fundamentais em nome da segurança do regime.  headtopics.com

A ira evangélica contra Alcolumbre – e a ameaça de não perdoá-lo nas urnas Governo Bolsonaro: Verba para socorrer o Turismo banca resort e até museu do Flamengo Por que lembrar mal de algumas coisas pode significar uma boa memória - BBC News Brasil Consulte Mais informação: Estadão »

LANCE! no Uruguai: Xico Sá dá 'flagrante' em torcedor rubro-negro que cultiva CANNABIS no Uruguai

Xico Sá em mais um rolê pelo LANCE! conheceu um carioca erradicado no Uruguai desde 2012 que cultiva cannabis de forma descriminalizada.#LANCEnoUruguai #Xic...

JoelPinheiro85 O que ameaça a democracia é uma opinião abjeta,nojenta e imunda como essa!! Daí a importância do combate às fakenews e à desinformação, como método de 'governo'. Quais valores: gestão do medo através dos meios hierarquizados da insegurança, repressão, chantagem, tortura, prisão, assassinato, cassação de direitos civis (personalidade, propriedade, etc.) e políticos...? Será que não estão confundindo ABSOLUTISMO (ditadura) com democracia?🤷🏽‍♀️

É então fecha o Jornal.

Uma mistura tóxica - Opinião - EstadãoOPINIÃO: 'O risco de estagnação, de inflação e de medidas populistas escurece o cenário de 2022' Mas néra uma escolha muito difícil entre HADDAD e Bolsonaro? Falando de 'risco' de algo que está acontecendo já. Risco mesmo é aquilo que a maioria não prevê e pro qual não se preparou.

Luciano Huck: “Ameaça à democracia tem de nos unir acima de ideologias”O apresentador conta por que trocou o flerte com a Presidência pelo lugar de Faustão e diz que políticos têm de enxergar os problemas do povo Ameaça à democracia é mandar prender sem julgameno Nova pesquisa do Datafolha informa que Brizola, Tancredo Neves e cacique juruna ultrapassaram BOLSONARO nas pesquisas.🤣🤣🤣🤣🤣 Descendo de tobogã na popularidade. Lacração afundou vcs!

Contagem de casos de Covid-19 é afetada por problema no sistema do Ministério da Saúde - ISTOÉ IndependenteA contagem de novos casos de covid-19 no Brasil está afetada por uma instabilidade no sistema do Ministério da Saúde. O Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), que reúne as informações sobre Saúde nos estados, admite o problema e diz que está trabalhando na solução. As informações foram divulgadas pelo jornal Folha de S. […] Bolsonaro aumentou IOF, imposto, e mídia muito tímida. Quem será o parceiro desse desastre econômico?

Debacle peronista - Opinião - EstadãoOPINIÃO: 'Os argentinos mostraram nas urnas que estão fartos do autoritarismo populista' O jornal da 'escolha difícil' deveria fazer seu papel que é informar, mas ao invés disso, vive de jargões abstratos e sem fundamento. Nunca se preocupou em definir populismo, muito menos o papel que ele tem na América Latina. Aquele jantar dos burgueses com o diz muito Fake News! Os Argentinos mostram nas urnas que estão cheios da ESQUERDA.

Aprovação de Bolsonaro cai a 2% na opinião pública não militante após 7 de SetembroNos sete dias seguintes às manifestações de 7 de Setembro, a aprovação do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais foi de colunadoestadao Eu tenho uns brothers que acreditam em terceira via nesse cenário atual... Vai vendo! colunadoestadao Piadafalha colunadoestadao O Brasil não tem governo, tem um bando de espertalhões fazendo experiências para ver se dar certo. Pobre Brasil.

NFTs: moda passageira ou um novo paradigma de arte e investimento? - Comportamento - Estadão E-Investidor - As principais notícias do mercado financeiroOs NFTs (tokens não fungíveis) são uma moda passageira ou um novo paradigma? Confira a opinião de especialistas EInvestidor Lavagem de dinheiro EInvestidor aka lavagem de dinheiro EInvestidor LAVAGEM DE DINHEIRO. NA CARUDA