Arquivoelpais, Facebook, Redes Sociais, Internet, Telecomunicações, Comunicações

Arquivoelpais, Facebook

A ciência confirma: amizade tem limite

Pare de pensar em listas. Nossas amizades se organizam em círculos. E ninguém aguenta ter mais de 150 amigos #arquivoelpais

26.1.2020

Pare de pensar em listas. Nossas amizades se organizam em círculos. E ninguém aguenta ter mais de 150 amigos arquivoelpais

Pare de pensar em listas. Nossas amizades se organizam em círculos. E ninguém aguenta ter mais de 150 amigos (independentemente do tamanho de cada um)

Dois físicos, um sociólogo e um antropólogo entram em um colégio. Têm quatro perguntas para os alunos: – A quem você contaria seus problemas? – Quem você não gostaria que fosse embora do colégio? – Com quem você se sentaria para comer? – Com quem você gostaria de trabalhar? Aitana, Pablo, Patricia, Marcos. Hugo, Alberto, Ana, Mauro, Manuel, Ángela, Fernando, Pau, Jaime, Adriana, Lucía... As respostas se enchem de nomes de crianças, que os quatro cientistas transformam em um número quase por arte de magia (não é realismo mágico, e sim matemática e física aplicadas). Uma cifra diferente para cada aluno, que serve de indicador, como um teste psicotécnico, para saber se a criança administra suas amizades de maneira normal, ou se há algo que poderia estar falhando. “Não é um diagnóstico”, esclarece um dos físicos perguntões, Anxo Sánchez, “mas sim um aviso de um possível problema, como um caso de escolar , por exemplo.” Repito: a única coisa de que os cientistas precisaram foi dos nomes dos amigos de cada criança. E sem esperar a resposta de outros colegas. Detectar possíveis anomalias de um aluno em suas relações de amizade na escola é uma das possíveis aplicações do trabalho de pesquisa que Sánchez acaba de publicar PNAS . O estudo, financiado pela Fundação BBVA, representa um marco porque, segundo Sánchez, “pela primeira vez uma teoria matemática é capaz de predizer um fenômeno social”. Imaginemos que o professor agora queira dividir a classe em grupos de cinco. Tamarit, o outro físico da pesquisa, antes foi professor do ensino médio. “Quando se trabalha por projetos, a forma de agrupar os alunos é muito importante. Com as perguntas sobre os amigos podemos otimizar o rendimento dos grupos, e isso serve para colégios, empresas, acampamentos... Esta ferramenta permitiria avaliar a coesão do grupo ou a existência de panelas . Há muita informação que pode ser útil.” Uma obviedade? É óbvio que, se você não tiver amigos, algo acontece com você. Também é estranho encontrar alguém que diga ter 30 superamigos, porque aos realmente íntimos você dedica mais tempo (e os dias só têm 24 horas) e mais espaço no disco rígido do seu cérebro (precisa se lembrar se gostam mais de carne ou de peixe, quantos irmãos têm, seu último problema no trabalho...). O lógico é que você tenha mais nomes na lista de conhecidos do que na do seu núcleo duro de amizades. E assim surgem os círculos de amigos, maiores e mais numerosos conforme se afastam do núcleo. As perguntas sobre os amigos podem otimizar o rendimento dos grupos em escolas ou empresas. Permitiria avaliar a coesão do grupo e a existência de ‘panelas’ “Tudo é óbvio quando se sabe a resposta.” Sánchez cita o título de um livro para responder a essa pergunta. “O que não é tão óbvio é que haja uma matemática rigorosa que explique por que isso é assim. Também é óbvio que a água a determinada temperatura se transforma em vapor, mas depois vem a física para explicar por que isso ocorre. Isto é exatamente igual.” “É verdade que parece tudo muito natural, mas é preciso medi-lo, e por isso é ciência”, defende Tamarit. “Observamos que os seres humanos estruturam suas amizades seguindo um padrão, e o que fizemos foi demonstrar matematicamente por que isso acontece.” Os autores foram a uma universidade norte-americana para colocar sua matemática à prova. Lá comprovaram que 98% dos alunos organizavam suas amizades de maneira similar: poucos amigos muito íntimos, alguns quantos bons amigos, e muitos conhecidos. O número máximo que somos capazes de administrar é 150, conforme formulou Robin Dunbar nos anos noventa. Mas a estrutura de como os organizamos é dinâmica. “Se você tem um melhor amigo e vai morar fora, ou se você rompe com seu cônjuge, de repente fica um vazio”, explica Sánchez. “O cérebro parece que detecta isso e diz: há lugar livre. Talvez na camada dos conhecidos você nem note, mas nos primeiros círculos você detecta esse vazio e o preenche. Comportamo-nos de um jeito como se fôssemos átomos e tivéssemos elétrons.” A física de uma ilha deserta Os pesquisadores puseram à prova seu modelo em um ambiente diferente. O que aconteceria se o número de amizades estivesse limitado por questões físicas (como numa ilha deserta, tipo a série Lost ) ou linguísticas? A matemática predizia um resultado, mas isso ocorria na realidade? A oportunidade de comprovar chegou graças ao trabalho de campo de um sociólogo, José Luis Molina, entre imigrantes búlgaros e chineses radicados na Catalunha. Nas comunidades analisadas, os círculos de amizades saíam invertidos: todos eram amigos íntimos de todos (até 50), e a lista de conhecidos era mínima. “Foi o momento mais emocionante do trabalho”, comenta Tamarit. “Se você tiver um número limitado de relações, o normal é que estas se tornem fortes, mas ninguém havia pensando nisso. Do ponto de vista antropológico, fazia sentido, matematicamente nos saía isso, e depois na realidade vimos que era assim.” Os amigos ‘tapa-buraco’ no Facebook Se nosso tempo e nossa inteligência só nos permitem ter um determinado número de amigos, o que a pesquisa tem a dizer sobre essas pessoas que têm mais de 500 amigos no Facebook ? “As redes sociais permitem que tenhamos mais amizades, mas as relações são mais superficiais, porque você lhes dedica menos esforço”, esclarece Sánchez. O Facebook se encarrega de nos recordar muitas coisas sobre nossos amigos, como o dia de seu aniversário. Assim, graças a essa liberação de armazenamento no nosso disco rígido do cérebro, podemos ampliar para até 220 relações. A partir desse número, teremos certamente amigos tapa-buraco. ” “É preciso analisar o custo disso”, acrescenta Tamarit. “Se você tentar estender muito a sua rede, mesmo que seja com relações muito superficiais, deixará de atender aos bons amigos. É como se tivesse um orçamento para as relações. Se gastar tudo em comprar muitas bugigangas, no final não poderá ter um bom amigo.” Inimigos para adivinhar amigos Eu disse no começo que só fizeram quatro perguntas no colégio? Não contei a segunda parte: duas outras perguntas eram sobre os inimigos. Os resultados são fascinantes. Assim como os amigos, organizamos nossas inimizades em círculos de Dunbar. Ou seja, temos alguns poucos arqui-inimigos e muita gente que não nos cai bem. Se todos voltássemos para a escola, ou para um ambiente fechado, a matemática também serviria para predizer quem seriam nossos amigos em 90% dos casos. Bastaria saber o nome dos nossos inimigos. O NÚMERO DE DUNBAR Nosso cérebro está projetado para estabelecer relações de amizade. O curioso é como as administramos: existe um padrão, e ele tem forma de círculos. A grande maioria de nós conta com nosso núcleo de três a cinco pessoas com as quais temos uma relação muito íntima. Depois temos um círculo com uma dúzia de boas amizades, outro mais amplo de trinta amigos com os quais tratamos frequentemente, e por último um grupo de conhecidos que vemos de vez em quando. Ao todo, uma pessoa normal pode manejar, dada sua capacidade cognitiva e seu tempo limitado, 150 amizades. Essa cifra é conhecida como “número de Dunbar”, proposto pelo antropólogo inglês Robin Dunbar nos anos noventa ao observar como os chimpanzés se relacionavam (eles têm menos amigos porque são menos preparados que nós). A novidade que esta pesquisa oferece é que agora há uma matemática que respalda a ideia de Dunbar partindo apenas de duas hipóteses, de novo, óbvias: 1) diferentes amizades exigem esforços diferentes; 2) não se pode ter infinitos amigos, porque seus recursos de tempo e capacidade são limitados. “Se essas duas hipóteses forem cumpridas, demonstramos que a teoria de Dunbar se cumpre, e aparecem esses círculos de amizades”, afirma Sánchez. Adere a Consulte Mais informação: EL PAÍS Brasil

150 hahaha Não tenho pretensões! É biblico: O homem que tem muitos amigos, tem-nos para a sua ruína; mas há um amigo que é mais chegado do que um irmão. Provérbios 18: 24 🤗 Aristóteles já dizia isso a 300 anos antes de Cristo: 'Não se pode ser amigo de muitas pessoas'. Ter muitos amigos é como dar uma festa pra muitos convidados; você não consegue dar atenção a todos e no final alguns saem falando mal.

150 e amigos nunca vão aparecer na mesma frase se ela for sincera Schopenhauer disse isso ai faz mais de 200 anos Como assim? Eu mal tenho 3 amigos. Isso.

O filósofo dos filósofos e o economista dos economistasColuna | Não há como entender a evolução do Iluminismo, do capitalismo e das ideias liberais sem desvendar a amizade entre Hume e Smith Por gurovitz gurovitz GoTrump 🇺🇸 gurovitz Vocês já leram Marx? Francamente, que matéria ruim do ponto de vista intelectual. Qual a intenção? gurovitz ÉPOCA é a subjetividade encarnada, encadernada, sei lá. O filósofo dos filósofos foi Jesus, cara, a ponto de ser confundido com um Deus, é pouco? Falando sobre filósofos, só filósofos, nada mais que filósofos podemos acrescentar também Rita Von Hunty e Paulo Ghiraldelli copiou?

Entrevista | “O estresse provoca muito ruído cerebral e afeta capacidades como a memória”Tomás Ortiz: 'Em nossa sociedade, a memória e o conhecimento estão associados aos sistemas educacionais. Com brincadeiras se levaria mais tempo [para aprender] e hoje a rapidez é um valor', explica o neurocientista arquivoelpais No Brasil só se ensina cultura e tecnologia inúteis aos jovens.

Anitta, que comia até quase vomitar, reduziu peso e fez oito plásticasCantora confirma transformações no visual ao longo de dez anos de carreira e diz que se tivesse tempo faria mais Hum Foda se Em outra situação, isso seria objetificação da mulher.

Hudson chama a atenção em seu início no FluminenseCOMEÇO PROMISSOR!👤👏🇮🇹 Hudson chama a atenção em seu início no Fluminense lancenet Se colocar a Marta no time do fluminense série C também vai chamar atenção

Bruno Henrique renovará com o Flamengo? Spindel atualiza a negociação de contrato - ESPN VideoBruno Henrique renovará com o Flamengo? Spindel atualiza a negociação de contrato FutebolNaESPN Com certeza, renovarei sim, aqui é oto 🐾🌊💪🔴⚫😎 Gente,não me levem a mal. Mas pelo meu ponto de vista,analisando com um pouco mais de profundidade. Claro sem querer ofender os que pensam diferente,sem falsa modéstia e com base concreta... Eu sinceramente cheguei a difícil conclusão de que esqueci o que ia dizer. O atleta tem contrato para mais 2 anos. Então parem de encher o saco.

Torcida do Dortmund ironiza interesse da Red Bull em comprar time dinamarquêsTorcida do Dortmund ironiza interesse da Red Bull em comprar time dinamarquês FutebolNaESPN Então podemos esperar uma ajuda financeira dos torcedores do bvb né? Ou fica só no protesto?



‘Tô aqui desarmado e vou enfrentar’, avisou Cid antes de ser baleado | Radar

Guedes se desculpa: “A mãe do meu pai foi doméstica”

Lula é investigado a pedido de Moro com base na Lei de Segurança Nacional

Descontrole total - Opinião - Estadão

Silvia Abravanel pede demissão do SBT e pega Silvio Santos de surpresa | VEJA Gente

Morre o criador do 'copiar e colar' (o CTRL C, CTRL V)

Sem aval da Justiça, Suzane von Richthofen perde semestre na faculdade após dez faltas

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

26 janeiro 2020, domingo Notícia

Notícias anteriores

Mortes por coronavírus na China passam de 50

Próxima notícia

Impeachment de Trump chega a clímax com desfecho previsível e impacto eleitoral incerto
Por unanimidade, TSE nega registro para o Partido Nacional Corinthiano Inteligência afirma que a Rússia está interferindo na eleição para reeleger Trump, diz jornal - Internacional - Estadão Gretchen comanda bloco que pede o fim do assédio contra mulheres no carnaval do Recife Sargento da Aeronáutica é preso suspeito de vender drogas 'gourmet' no DF Bolsonaro e Flávio afirmam que já visitaram presídio várias vezes - Política - Estadão O que ameaça a Amazônia em seus 9 países? Westworld: guerra de IAs no novo trailer da 3ª temporada Tartaruga é resgatada com linha de nylon enrolada no pescoço em SP Bolsonaro vê situação de 'guerra urbana' e diz que 'bicho vai pegar' com Forças Armadas no Ceará Ex-integrante da Anonymous fala sobre bastidores de grupo no Brasil Exame em Adriano da Nóbrega não constata sinais de tortura, diz perito Documentos provam interferência russa em favor de reeleição de Trump
‘Tô aqui desarmado e vou enfrentar’, avisou Cid antes de ser baleado | Radar Guedes se desculpa: “A mãe do meu pai foi doméstica” Lula é investigado a pedido de Moro com base na Lei de Segurança Nacional Descontrole total - Opinião - Estadão Silvia Abravanel pede demissão do SBT e pega Silvio Santos de surpresa | VEJA Gente Morre o criador do 'copiar e colar' (o CTRL C, CTRL V) Sem aval da Justiça, Suzane von Richthofen perde semestre na faculdade após dez faltas Vídeo mostra homem disparando em ato em que Cid Gomes foi baleado Senador Cid Gomes tenta entrar em batalhão da polícia com retroescavadeira e é baleado com tiro de bala de borracha Petrobras registra lucro de R$ 40,1 bilhões — o mais alto da história Espécie de pássaro ameaçada de extinção é resgatada e chama atenção de morador: 'Percebi a maravilha que era' Casal de idosos se conhece em radioterapia de hospital e celebra união no sino da vitória: 'Um vai ajudando o outro'