10 mais ricos do mundo dobraram fortuna na pandemia, diz Oxfam

18/01/2022 02:00:00
10 mais ricos do mundo dobraram fortuna na pandemia, diz Oxfam

A fortuna de Elon Musk, o homem mais rico do mundo, subiu cerca de 1.000% durante a pandemia do coronavírus

A fortuna de Elon Musk, o homem mais rico do mundo, subiu cerca de 1.000% durante a pandemia do coronavírus

A fortuna de Elon Musk, o homem mais rico do mundo, subiu cerca de 1.000% durante a pandemia do coronavírus

contribuiu para a morte de 21 mil pessoas por dia, a fortuna dos 10 homens mais ricos do mundo dobrou desde março de 2020, segundo relatório da Oxfam.A instituição afirma que, se fosse cobrado apenas um pagamento de imposto de 99% sobre os ganhos, os recursos seriam suficientes para distribuir vacina contra covid-19 para toda população mundial, além de obras de infraestrutura de saúde e proteção social. “Mesmo com tudo isso, esses homens estariam US$ 8 bilhões mais ricos do que antes da pandemia”, calcula a Oxfam.

Consulte Mais informação: TecMundo » 10 homens mais ricos do mundo dobraram patrimônio na pandemia, diz Oxfam - BBC News Brasil

10 homens mais ricos do mundo dobraram patrimônio na pandemia, diz Oxfam - BBC News BrasilA covid-19 deixou bilionários ainda mais ricos, enquanto a queda na renda dos mais pobres contribuiu para a morte de 21 mil pessoas por dia , segundo relatório da Oxfam O capitalismo está dando certo? Bem vindos ao capitalismo predatório “E o motivo todo mundo já conhece. É que o de cima sobe, e o de baixo desce”

Jornal Hoje | Começa versão virtual do Fórum Econômico Mundial 2022 Assista online | Globoplay

Jornal Hoje | Começa versão virtual do Fórum Econômico Mundial 2022 Assista online | GloboplayA pandemia tornou os bilionários do mundo muito mais ricos e levou mais pessoas a viver na pobreza, de acordo com um novo relatório da organização não-governamental britânica Oxfam: JH Vocês estão trollando o Alan Severiano e a Jaqueline Brasil, só pode

Na pandemia, mundo ganhou um novo bilionário a cada 26 horas, diz Oxfam

Na pandemia, mundo ganhou um novo bilionário a cada 26 horas, diz OxfamRelatório da Oxfam mostra que há 55 bilionários no Brasil, com uma riqueza total de US$ 176 bilhões, que subiu 30% no mesmo período Fique em casa enquanto concentramos mais renda. Viva os monopólios e o confinamento que destruiu os pequenos negócios e favoreceu os grandes.

DESEMPREGO NÃO VOLTA A NÍVEL PRÉ-COVID EM 2022, MAS BILIONÁRIOS ESTÃO MAIS RICOS | Direto da RedaçãoUm relatório da ONG Oxfam divulgado nesta segunda-feira 17 mostra que, durante os dois primeiros anos da pandemia de Covid-19, a fortuna dos dez homens mais ...

Na pandemia, mundo ganhou um novo bilionário a cada 26 horas, afirma OxfamFortuna dos dez mais ricos mais que dobrou, para US$ 1,5 trilhão. Relatório mostra ainda que, no Brasil 55 pessoas detêm riqueza total de US$ 176 bi Isso é ótimo. Sinal de prosperidade econômica. Quem gosta de pobreza é a esquerda socialista. E quantos miseráveis a cada 26h? Principalmente 'cientistas', fabricantes de medicamentos e vacinas, entre outros.

Pandemia produz um bilionário a cada 26 horas, diz Oxfam

Pandemia produz um bilionário a cada 26 horas, diz OxfamDez homens mais ricos do mundo dobram fortuna durante a crise sanitária, enquanto renda de 99% das pessoas cai Então... ...nunca foi pela saúde. Bilionário?que bilionário. Com a covid. A população brasileira ta cada vez mais pobre

pandemia contribuiu para a morte de 21 mil pessoas por dia, a fortuna dos 10 homens mais ricos do mundo dobrou desde março de 2020, segundo relatório da Oxfam.A equipe da BBC News Brasil lê para você algumas de suas melhores reportagens Episódios Fim do Podcast "Este ano, o que está acontecendo está fora da realidade", disse ele..E continuamos com o conteúdo de qualidade.

A instituição afirma que, se fosse cobrado apenas um pagamento de imposto de 99% sobre os ganhos, os recursos seriam suficientes para distribuir vacina contra covid-19 para toda população mundial, além de obras de infraestrutura de saúde e proteção social. “Mesmo com tudo isso, esses homens estariam US$ 8 bilhões mais ricos do que antes da pandemia”, calcula a Oxfam. Como resultado disso, mais 160 milhões de pessoas foram empurradas para a pobreza. O grupo de 10 bilionários que mais se deram bem na pandemia inclui Elon Musk , Jeff Bezos, Bernard Arnault e família, Bill Gates, Larry Ellison, Larry Page, Sergey Brin, Mark Zuckerberg, Steve Ballmer e Warren Buffet. A fortuna conjunta saiu de US$ 700 bilhões (R$ 3,8 trilhões) para US$ 1,5 trilhão (R$ 8,3 trilhões) ao longo da crise sanitária. De acordo com dados da Forbes citados pela instituição, os 10 homens mais ricos do mundo são: Elon Musk, Jeff Bezos, Bernard Arnault e família, Bill Gates, Larry Ellison, Larry Page, Sergey Brin, Mark Zuckerberg, Steve Ballmer e Warren Buffet. O mais rico do mundo Musk é contra imposto sobre megafortunas e argumenta que usa recursos para garantir missões à Marte.

(Fonte: Pixabay/Tumisu/Reprodução) Fonte: Pixabay/Tumisu/Reprodução A fortuna de Musk, considerado o homem mais rico do mundo pela revista Forbes, teve um crescimento impressionante de 1.000%, enquanto a de Gates subiu "apenas" 30%.000% no período. O proprietário da Tesla e da SpaceX recebeu bilhões de dólares em subsídios governamentais, aponta o relatório da Oxfam. O documento diz que: em São Paulo, as pessoas nas áreas mais ricas podem esperar viver 14 anos a mais do que aqueles nas áreas mais pobres; afrodescendentes e indígenas no Brasil, dalits na Índia e nativos americanos, latinos e negros nos EUA enfrentam impactos duradouros desproporcionais da pandemia; no Brasil, negros são 1,5 vezes mais propensos a morrer de covid-19 do que brancos. Apesar de não ter pagado em 2018, o executivo foi crítico a uma proposta de imposto bilionário em 2021, argumentando que seu “plano é usar o dinheiro para levar a humanidade para Marte e preservar a luz da consciência.” Desigualdade no Brasil De acordo com a Oxfam, os países de baixa renda sofreram mais impactos com a crise sanitária, pois tiveram que lidar com medidas de austeridade e ajuste estrutural. A pesquisa da Forbes usa o valor dos ativos de um indivíduo, principalmente propriedades e terras, menos dívidas, para determinar o que ele ou ela possui.

Isso aprofundou, ainda mais, as desigualdades sociais e raciais no mundo. No Brasil, a instituição afirma que afrodescendentes e indígenas enfrentam impactos duradouros e desproporcionais durante a pandemia. A metodologia já foi criticada no passado por distorcer determinados dados. Os são 1,5 vezes mais propensos a morrer de covid-19 do que os brancos. Em São Paulo, os moradores de bairros nobres têm uma expectativa de vida 14 anos superior aos moradores de áreas menos favorecidas. O relatório da Oxfam, que também foi baseado em dados do Banco Mundial, disse que falta de acesso à saúde, fome, violência baseada em gênero e colapso climático contribuíram para uma morte a cada quatro segundos. Cupons de desconto TecMundo: .